Autor Tópico: Assisteo - França  (Lida 59540 vezes)

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #60 em: Novembro 28, 2011, 14:06:50 »
Boa tarde Maria,

nao penso realizar mais nenhuma sessão até ao final deste ano.
No seu caso, e dado que já tem um local geográfico definido, sugiro que me ligue para que a possa esclarecer sobre os aspectos da candidatura e do seu lado, poderá explicar-me melhor os pormenores do seu projecto.
Recordo aqui o meu numero: 963 472 508.

Fico ao dispor. Até breve!
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline jotix

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 146
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #61 em: Dezembro 01, 2011, 01:04:26 »
Bem, Graziela,

Obrigado pelo teu comentário. Peço-te desculpa, pela arrogância demonstrada no meu comentário.
Como sabes, e muito bem, falto-nos muitos Enfermeiros em França. Na instituição onde trabalho, temos 30 lugares disponíveis, contudo, apenas temos 15 Enfermeiros efectivos. Todo o resto, é solicitado a uma interim (que por acaso não é a Assisteo).

Mas isto, o que se passa na instituição onde trabalho, é uma realidade por todo o lado. Infelizmente, ou felizmente, a falta de Enfermeiros é tal, que os próprios supervisores são obrigados a encontrar soluções difíceis.  O problema, é que, os interimaires, não fazem correctamente o trabalho, porque tal não lhe és possível. Como se compreende, não se pode pedir a ninguém que não conheça o funcionamento de uma instituição e pacientes, a totalidade da competência. O problema é que a ineficácia adicionada a mais ineficácia, acarreta-nos a nós, a responsabilidade de conduzir correctamente o funcionamento dos serviços, e portanto mais trabalho.

E sim, as interims facturam 5x mais ao cliente, devido às despesas estatais. Não sei, sinceramente, a sua margem de lucro. Mas é elevada certamente. Pois, eu tornei-me vacataire numa outra instituição, ao qual me pagam mais 50% do que eu recebia por interim, e a própria instituição diz-me que mesmo assim, fico-lhes mais barato. Tal como dizem, que é mais barato pagar aos enfermeiros efectivos em horas suplementares, do que, pedir enfermeiros à interim. Contudo, é muito falso dizer que os interimaires ganham mais dinheiros que os efectivos. Como dizes, feitas as contas no final do ano, o interimaire ganha menos dinheiro por hora. Sobretudo que, nas EHPAD da região parisiana, do domínio privado, pode-se e muito bem negociar o salário e chegar a mais de 2500€ NET/ mês. E penso mesmo que na região de campo, também se pode chegar a qualquer valor equivalente.

Já percebi então, que ofereces missões de longa duração. Foi como eu comecei e acho que tem extremas vantagens para quem quer vir para França.
Enfermeiro em França

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #62 em: Dezembro 02, 2011, 16:04:10 »
Olá Jotix,

obrigada pelas informações - e pela honestidade em mencionar que as suas criticas nao aludiam a Assisteo - que são sempre valiosas para quem vem aqui informar-se.
Nao falemos em arrogância, mas senti, de facto, que a sua revolta nao dizia respeito nem a mim nem a Assisteo, pelo que nao me pareceu ser aqui o espaço adequado para um ajuste de contas ;-) Mas gosto que seja um espaço de debate, mais ainda se for com alguem que já deu o salto e toma do seu tempo para partilhar a sua experiência.

Pelo que li no topico "trabalhar em França", a sua experiencia tinha começado bem, pois os seus comentarios eram muito positivos, inclusive com a empresa que o contratou inicialmente.
No que me toca, julgo que a margem da empresa nao é um elemento relevante num processo de recrutamento. O que interessa, é, como o refere tb, que as condições sejam satisfatorias para o profissional e correspondam a realidade do mercado.
Nesse aspecto, quero alertar sobre os montantes por si mencionados: 2 500€ / mês liquidos de salario base (35h dia) para recem licenciado generalista é pura ficção. Se me mostrar a ficha de salario a comprová-lo, não só o referirei aqui com toda a boa vontade, como alterará certamente a minha forma de trabalhar e negociar com as instituições! Pelo que agradeço desde já pelo seu contributo concreto a melhoria das condições por nós oferecidas.
Friso tb que a negociação tem limites:  1 - um DRH que queira uma equipa coesa, nao se pode dar ao luxo de contratar uma cara nova paga muito acima dos seus colegas. Em França, nao tardariam em sofrer movimentos sociais internos. E com razão. 2 - Um enfermeiro portugues tambem é um risco e um nvestimento maior para qqer instituição: um risco de nao se adaptar e de nao se estabilizar, e um investimento porque vai precisar de uma integração mais longa e personalizada para se tornar autonomo. Logo, e já que a maioria dos empregadores com quem trabalhamos já oferece alojamento, o que em si, já é uma mais valia financeira; nao posso deixar que se iludam os candidatos.

PARIS: eu evito ao maximo colocar em Paris, por ser muito caro e existirem ai muitas dificuldades de alojamento. E, pelos vistos, talvez as praticas nao sejam as melhores em todos os lados. Mas recuso a alegação de que seja em todo o pais igual; até porque a realidade com que trabalho todos os dias é bem diferente. Tambem escolhemos com quem trabalhamos, é um facto.
Escolher Paris, tambem é optar por mais concorrencia, mais sobrecarga de trabalho, e - a meu ver - menos qualidade de vida. Esta é a minha opinião, conhecendo bem Paris e a provincia francesa, e é isso mesmo que transmito aos meus candidatos.

Posto isto, concordo plenamente no aspecto das consequencias da falta de enfermeiros: os serviços tornam-se sobrecarregados, e quem lá trabalha tem de enfrentar situações por vezes complicadas. Pior um pouco se forem intérimaires, já que muitas vezes, so sao chamados para alguns turnos e têm de se adaptar cada vez q muda o local das missões.

Contudo, tenho de discordar quanto a sua análise: a solução de interim é algo que muitos enfermeiros franceses (alguns meus amigos pessoais ;-)) fazem para alem do seu contrato ou mesmo como actividade principal, e sim, é por opção na sua esmagadora maioria. Claro que se informam e todas as agencias nao fazem exactamente as mesmas condições, mas a verdade é que, se assim nao fosse, qual seria a logica de existirem por um lado, tantas vagas, com tantas instituições que anseiam por contratarem enfermeiros (porque sim, sai mais barato a instituição 1 enfermeiro a contrato do que missoes de interim por uma agencia), e por outro, enfermeiros a encherem as agencias de intérim?
A realidade é que as instituições propõem contratos, muitas vezes aos proprios intérimaires, e eles nao estao interessados. A flexibilidade, as inumeras missões propostas e sim, o salario, tornam esta solução comoda para o enfermeiro. Dada a enorme oferta de contratos, ninguem os obriga a trabalhar em interim, isso é absolutamente certo.

O resultado da falta de enfermeiros em França tb é essa: os proprios enfermeiros franceses quebram o mercado. É o resultado logico de uma oferta insuficiente de enfermeiros perante um mercado com uma necessidade crescente.

Concluindo: julgo que todas as opções sao válidas: contrato a termo certo, sem termo, ou intérim. Tudo depende do projecto de cada um. O que me parece essencial no meio de tanta escolha, é que os candidatos estejam suficientemente bem informados para que essa escolha seja ponderada por cada um, sem pressões e com conhecimento de causa e de condições. Porque continuo convicta que existem boas oportunidades para os enfermeiros portugueses em França, mesmo que seja a primeira a avisar que não há bela sem senão.

Très bon week-end à vous Jotix, et merci d´avoir permis ce débat.
A très bientôt
:-)
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline L

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 8
    • Ver Perfil
Assisteo - França
« Responder #63 em: Dezembro 20, 2011, 14:56:50 »
Boa tarde!
Eu fui trabalhar para França no dia 5 de Julho de 2010... Fui através de uma outra agência de recrutamento, para Nice.
Neste momento tenho vontade de mudar, para conhecer a região de Paris ou outra região. Por isso gostava de saber que propostas têm para todo o país, e de quanto tempo!
Obrigada.
E se alguém quiser saber algo sobre a vida e o trabalho em França, não hesitem em perguntar! ;)

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #64 em: Dezembro 20, 2011, 16:00:08 »
Boa tarde L.

Nice é uma bela região, e, apesar de bastante cara, julgo que teve sorte em iniciar a sua experiência por lá.

Quanto a fazer-lhe uma ou mais propostas, tudo depende do seu perfil, experiência e das suas expectativas. Friso contudo que proponho vagas para contratos sem termo. Pelo que percebo, foi em missão de intérim ou pelo menos em contrato a termo certo. Ora com a Assisteo, não é o tipo de colocações que propomos a enfermeiros portugueses; pois os nossos clientes procuram candidatos estáveis, salvo 2 ou 3 excepções em que possam ser propostos contratos de 2, 3 ou 4 meses; mas são muito puntuais.
Assim, sugiro-lhe que me envie um mail para o endereço: graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com, com CV portugues actualizado, foto tipo passe, diploma (ou certificado) e numero ADELI, assim como o tipo de vaga que pretende, e poderei assim dar-lhe uma resposta mais precisa.
Desde já grata pelo seu interesse; e até breve!
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline Mariapipoca

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 7
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #65 em: Dezembro 28, 2011, 12:19:28 »
Bom dia L
Gostava de saber quais as funções dos enfermeiros em frança, pois pelo que eu leio dizem que sao diferentes...
Qual o seu nivel de françês quando emigrou, se somos bem recebidos.
Desculpe o abuso, mas gostava de saber como é a vida em frança para um enfermeiro português.
Um bom ano para si

Offline L

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 8
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #66 em: Dezembro 30, 2011, 13:25:40 »
Olá!

Quanto à função dos enfermeiros em França, não há assim tanta diferença quanto dizem! A única diferença que me ocorre é que, nos hospitais equivalentes a lares em Portugal, nós não fazemos as higienes! De resto, já trabalhei em muitos desses lares, em hospitais e clínicas, e as funções são exactamente as mesmas.
Quando decidi ir para França o meu grande medo era a língua. Como a maioria das pessoas, estudei francês no 1º ciclo sem nunca mais ter praticado. Antes de ir embora, a agência propôs um curso intensivo de francês (5 dias), em que se revê alguma gramática e se aprende algumas palavras ligadas à profissão.
Quando lá cheguei, óbvio, estava completamente perdida, porque não percebia nada e era complicado falar. Mas o que há a pensar é que se se foi aceite para ir para lá e se o próprio hospital nos aceita, é porque não será um grande problema. Eles sabem que essa situação muda rápido. Ao fim de 4 meses eu já podia falar e perceber francês, o que me deu independência, mudei de trabalho e a fazer "interim", o que quer dizer que para além do meu trabalho posso trabalhar noutros sítios e conhecer serviços diferentes nos dias de folga.
A vida em França para um enfermeiro português é, na minha opinião, muito simpática. Dizem que na Suiça também, ou melhor ainda, a nível de salário (a outros níveis não sei). Prometo voltar a escrever com mais informações. E se tiver mais perguntas, não hesite. Até já!

Offline EnfermeiroMaravilhas

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 84
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #67 em: Janeiro 03, 2012, 09:45:27 »
A nível técnico, a única coisa diferente em França, nos serviços de medicina e cirurgia é que é o enfermeiro que executa as gazimetrias e que faz os ecg's, isto é, quando há necessidade de tal. É impensável chamar um médico para fazer uma gazimetria ou um ecg... dá quase direito a despedimento xD. De resto é tudo igual. podemos ou não ter necessidade de fazer as higienes, de acordo com a existencia ou não de auxiliares.

De resto é tudo igual.

Nos serviços técnicos, não tenho experiência em Portugal que me permita comparar. Mas julgo ser na mesma base.

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #68 em: Janeiro 05, 2012, 12:41:27 »
Olá olá, e BOM ANO A TODOS! Enfermeiros ou fisioterapeutas, este ano traz mais oportunidades de emprego: espero que encontrem o apoio e a força de vontade necessários para poderem aproveitar as saidas que continuam a surgir por terras francesas.
Cá estarei para informar, orientar e ajudar cada um em tudo o que puder neste ambicioso projecto!

Aproveito para concordar com a questão aludida por "L" e "EnfermeiroMaravilha": tecnicamente, nao encontrarão diferenças fundamentais com o que conhecem em Portugal, apesar de, na teoria, ter menos nursing graças a presença de auxiliares formados. Na prática, como o referem muito bem, a falta de pessoal acaba por minimizar este aspecto em algumas instituições.
Contem, contudo, com um ratio mais elevado de pacientes por enfermeiro (culpa da falta de enfermeiros, mais uma vez).
Claro que há muitas variações entre instituições, de uma região para a outra, do público para o privado...como cá.

Agora quanto a lingua, o relato de "L" deixa-me em choque! Nao que nao soubesse que este tipo de situações existisse, mas continuo a achar muito grave (5 dias de formação em frances!!! É inacreditável!)
2 pontos essenciais:

1 - por causa deste tipo de situação (e critico aqui as agencias,nao quem aceita a tão desejada proposta de emprego), hoje em dia está se a organizar uma filtragem suplementar (alem da inscrição legal e obrigatória do profissional no registo nacional de enfermeiros) através da Ordem Francesa, que hoje, obriga a inscrição submetida a uma avaliação prévia da lingua por profissionais de saude. Logo, para quem quiser estar na legalidade, torna-se impensavel ir sem o B1 (que, repito, é um minimo) em francés técnico.

2 - "L" refere que começou a sentir-se autonoma ao fim de 4 meses! Ora pensem na perspectiva de quem integra: são 4 meses em que se está em dificuldade TODOS OS DIAS; em que inclusive se tomam riscos, em que nao se percebe metade das coisas (em que se põe o paciente em risco??!), em que nao se é legitimo estar a ganhar o mesmo do que o colega frances - pois nao se está a ter o mesmo desempenho - , em que se depende da disponibilidade dos outros membros da equipa para trabalhar, em que se aprende a lingua em vez de evoluir na enfermagem ... Claro que um mercado de trabalho em que há tanta falta acaba por criar um desleixe enorme quanto a exigencia de recrutamento por parte de algumas instituições, mas eu gosto de pensar que nao coloco "sub-enfermeiros" ou enfermeiros de 2a escolha: mais vale que passem cá mais 1 mes a estudar do que porem em risco o vosso projecto.

Se acontecer algo, algum erro devido a má compreensão, ou se forem controlados pelo Ordem sem o frances minimo, reparem que nunca mais poderão exercer em França. E se porventura a equipa nao for tão paciente como a que "L" encontrou, a experiencia pode tornar-se extremamente dolorosa. A esmagadora maioria dos casos de insucesso devem-se a um nivel insuficiente em frances, que bloqueia a integração social e profissional, alem de colocar muitas dificuldades no dia a dia (no banco, nas administrações publicas, nos trâmites do dia a dia...).

Invistam cá numa formação decente e válida na lingua: é a vossa melhor arma para enfrentarem as dificuldades e serem valorizados como profissionais.

E pronto, cá está o 1º conselho do ano :-D
Até breve!
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline julianamartins

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #69 em: Janeiro 05, 2012, 19:37:10 »
Graziela!
Fiquei com alguma curiosidade na Assisteo. Já trabalhei em Paris (durante 4 meses) pela IN. Vou voltar nestes próximos dias (já tenho algumas entrevistas marcadas). Quais são as condições que oferecem? Semelhantes à IN?
Tenho toda a parte burocrática pronta e francês já num nível bom. O que tem para me oferecer?
Obrigada pela atenção
Juliana Martins

Offline julianamartins

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #70 em: Janeiro 05, 2012, 19:54:07 »
Caro colega Jotix:
Gostava de te fazer uma pergunta.
Já trabalhei (pela IN) em Paris e vou voltar agora por estes dias (mas particularmente).
Tens ideia que os hospitais têm alojamento?
Tenho família no 93 mas preferia ter a minha "casinha".
Dás-me umas dicas?
Obrigada!!
JulianaM

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #71 em: Janeiro 06, 2012, 13:33:29 »
Boa tarde Juliana,

vejo que está bem determinada. A questão que se põe é: qual é o seu projecto? Pois se já percorreu aqui os comentarios deste tópico, já percebeu que o tipo de propostas de agências como a sua são propostas de intérim, e no nosso caso, propomos contratos sem termo. São propostas de natureza distinta, com um acompanhamento completamente diferente, e que se dirigem a projectos profissionais muito diferentes tambem.
Resumindo:
. se pretende lá voltar para uma missão de semanas ou meses, fique com essa agencia com quem trabalha. Uma excepção: se pretender mudar de agencia por nao estar satisfeita com a sua actual. Neste caso, peço que me ligue pessoalmente e explique a situação. Verei com as colegas em Paris se elas terão algo a propor para si em CDD, dado que já tem experiência por lá e, calculo, as autorizações de exercicio e inscrição na Ordem francesa tratadas.

.se pretender uma ida a longo prazo (minimo: 1 ano), com a vontade de se estabilizar; nesse caso, podemos ajudar. E ai tambem, teremos de conversar e esclarecer-nos mutuamente sobre este seu projecto antes de mais nada.
Consoante o perfil, as expectativas, a experiencia e referencias; as ofertas podem variar, sendo a base garantida a de propormos sempre as mesmas condições contratuais que os nacionais, um CDI apos periodo de experiência e um alojamento tratado para a duração desse mesmo periodo, no minimo. Friso que, obviamente, nao tem nenhum laço contratual connosco, sendo o seu contrato de trabalho celebrado com a entidade empregadora, com as condições habituais inerentes a este tipod e contrato.

Não hesite em ligar-me para que a possa informar melhor. E se ficar com a IN: desejo-lhe que corra pelo melhor; e se encontrar alguma ajuda através deste espaço, tanto melhor!

Bonne année et bonne continuation! ;-)
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Rui Leonel
« Responder #72 em: Janeiro 11, 2012, 18:20:56 »
Boa tarde a todos:

recebi um mail do enfermeiro Rui Leonel M. datada de 03 de Janeiro, mas foi arquivada nos spams e a nao tem endereço pessoal para responder :-(
Se porventura o Rui ler este comentario, por favor, envie-me o seu endereço e-mail pessoal para graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com , de forma a poder responder-lhe.

Obrigada e até breve.
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com


Offline IldaPaiva

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 12
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #73 em: Janeiro 13, 2012, 17:02:12 »
Boa tarde,

Estou interessada em trabalhar como enfermeira na França e gostaria de saber se estão a recrutar neste momento.

Obrigada e cumprimentos

Offline Graziela C.

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 57
    • Ver Perfil
Re: Assisteo - França
« Responder #74 em: Janeiro 16, 2012, 11:36:08 »
Bom dia Ilda,
julgo que já trocamos mails há meses :-)
Estamos sempre a recrutar. A solicitação tem sido muita, o que nos leva a procurar vagas a medida que surgem candidatos, em vez de anunciarmos vagas e esperarmos por candidaturas.
Numa primeira fase, o melhor é reenviar-me o seu CV portugues e explicar-me em que fase do projecto se encontra, e a partir dai, podemos começar a definir a estrategia mais adequada.

Em todos os casos, fico ao dispor.
Atentamente,
G.
Graziela CORDEIRO   
Consultora em Recursos Humanos
__________________________________________________
(+351) 963 472  508 – (+33) 646 62 39 24
 graziela.cordeiro.recrutement@gmail.com