Autor Tópico: O que diz a a Ordem?!?  (Lida 3886 vezes)

Offline pmrgordo

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« em: Novembro 04, 2006, 01:27:56 »
Já algum tempo que ando para colocar algumas questões em discussão neste fórum, já que me preocupam e que, a meu ver, demonstram inequivocamente a inoperância e a falta de visão sobre a realidade da Profissão, da parte da nossa Ordem:

1. Qual a posição da Ordem sobre o facto de existirem (ou da maior parte) das farmácias em Portugal executarem, nas suas instalações, cuidados de enfermagem (pensos, injectáveis, etc.)?

2. O que tem a dizer a Ordem sobre a quantidade de Lares, centros Geriátricos, e outras instituições, com internamentos em que os cuidados são desempenhados por outros (auxiliares), pelo facto de não haver nesses locais enfermeiros 24 horas por dia? Quem nos defende? :?:  :?:

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #1 em: Novembro 04, 2006, 17:53:16 »
Em relação ao primeiro ponto, não tenho conhecimento de nenhuma farmácia na cidade de Aveiro que realizem pensos. Em relação aos injectáveis, já ouvi dizerque são administrados em algumas farmácias.

Em relação ao segundo ponto, o Despacho Normativo n.º 12/98 de 25 de Fevereiro estabelece as normas reguladoras das condições de instalação e funcionamento dos lares para idosos

Indicadores de pessoal
1 - Para assegurar níveis adequados de qualidade no funcionamento do lar é necessário o seguinte pessoal:
a) Um animador social em regime de tempo parcial;
b) Um enfermeiro por cada 40 utentes;
c) Um ajudante de lar por cada 8 idosos;
d) Um encarregado de serviços domésticos em estabelecimentos com capacidade igual ou superior a 40 idosos;
e) Um cozinheiro por estabelecimento;
f) Um ajudante de cozinheiro por cada 20 idosos;
g) Um empregado auxiliar por cada 20 idosos.
2 - Independentemente do pessoal da alínea c) do n.º 1, deverá ser assegurada a permanência de um ajudante de lar para vigilância nocturna por cada 20 idosos.
3 - Sempre que o estabelecimento acolha idosos em situação de grande dependência, as unidades de pessoal de enfermagem, ajudante de lar e auxiliar serão as seguintes:
a) Um enfermeiro por cada 20 idosos;
b) Um ajudante de lar por cada 5 idosos;
c) Um empregado auxiliar por cada 15 idosos.
4 - Os indicadores referidos nos números anteriores podem ser adaptados, com a necessária flexibilidade, em função das características gerais, quer de instalação, quer de funcionamento, quer do número de utentes de cada estabelecimento, sem prejuízo de ser em número suficiente para assegurar os cuidados necessários aos utentes nas vinte e quatro horas.

Em relação à permanência de um enfermeiro 24horas num lar, penso que é apenas dos 16idosos. Mas aqui não tenho a certeza.

Offline Miguellopes

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 537
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #2 em: Novembro 06, 2006, 13:30:53 »
De facto são inúmeras as farmácias que prestam cuidados de Enfermagem (injectáveis, pensos complexos, entre outras coisas) e reparem que muitos desses cuidados são prestados por ajudantes técnicos!! Nem são farmacêuticos!!

Há bem pouco tempo estive numa reunião da ordem e usei da palavra para dicutir acerca do que estava mal na Enfermagem Portiuguesa. Fiquei a forte ideia que a ordem está mais interessada no nosso dinheiro do que neste tipo de problemas que o colega aqui aapresenta!

Digo com firmeza que se fosse a Ordem dos médicos, isto já tinha tido um fim... A ordem dos Enfermeiros está sempre a dizer que não pode, não deve, não sabe, não acha... e enquanto isso a Enfermagem afunda-se tão rápido quanto emergiu!

Offline Guytonn

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 313
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #3 em: Novembro 07, 2006, 20:33:08 »
A Ordem nada faz em defesa da profissão. A Enfermagem é devassada todos os dias, as suas competências saqueadas por outros, os cuidados de Enfermagem são banalizados ao serem executados por outros que não enfermeiros, o "portal" de acesso à profissão é mais largo do que a entrada do estádio das Antas e a carreira torna-se cada vez mais numa  miragem ...
Enquanto isto, a Ordem "diverte-se", à semelhança do Imperador Nero, que do alto de uma colina olhava a sua Roma sendo consumida pelas chamas enquanto tocava Harpa!
Não se esqueçam porém, que uma vez dada a derrocada da Enfermagem, aqueles que se esquivam para as "colinas" também vêm abaixo...
PRESENTE É SIMULTÂNEAMENTE O EPÍLOGO DO PASSADO E O PRÓLOGO DO FUTURO.

Offline pmrgordo

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #4 em: Novembro 07, 2006, 21:55:15 »
Citação de: "enfsergio"
Em relação ao primeiro ponto, não tenho conhecimento de nenhuma farmácia na cidade de Aveiro que realizem pensos. Em relação aos injectáveis, já ouvi dizerque são administrados em algumas farmácias.

Em relação ao segundo ponto, o Despacho Normativo n.º 12/98 de 25 de Fevereiro estabelece as normas reguladoras das condições de instalação e funcionamento dos lares para idosos

Indicadores de pessoal
1 - Para assegurar níveis adequados de qualidade no funcionamento do lar é necessário o seguinte pessoal:
a) Um animador social em regime de tempo parcial;
b) Um enfermeiro por cada 40 utentes;
c) Um ajudante de lar por cada 8 idosos;
d) Um encarregado de serviços domésticos em estabelecimentos com capacidade igual ou superior a 40 idosos;
e) Um cozinheiro por estabelecimento;
f) Um ajudante de cozinheiro por cada 20 idosos;
g) Um empregado auxiliar por cada 20 idosos.
2 - Independentemente do pessoal da alínea c) do n.º 1, deverá ser assegurada a permanência de um ajudante de lar para vigilância nocturna por cada 20 idosos.
3 - Sempre que o estabelecimento acolha idosos em situação de grande dependência, as unidades de pessoal de enfermagem, ajudante de lar e auxiliar serão as seguintes:
a) Um enfermeiro por cada 20 idosos;
b) Um ajudante de lar por cada 5 idosos;
c) Um empregado auxiliar por cada 15 idosos.
4 - Os indicadores referidos nos números anteriores podem ser adaptados, com a necessária flexibilidade, em função das características gerais, quer de instalação, quer de funcionamento, quer do número de utentes de cada estabelecimento, sem prejuízo de ser em número suficiente para assegurar os cuidados necessários aos utentes nas vinte e quatro horas.

Em relação à permanência de um enfermeiro 24horas num lar, penso que é apenas dos 16idosos. Mas aqui não tenho a certeza.


Colega Sérgio, conheço assim como também deve conhecer a realidade que temos. Eu costumo dizer, quando dou formação que o que está escrito na lei no nosso país é sempre muito bem elaborado e muito interessante mas, a realidade é quase sempre distinta!

Sabe também que os lares quanto ao grau de dependência dos idosos também sabem dar a volta a estas questões...

Um exemplo que me fica em que um destacado membro ligado aos cuidados continuados, no nosso país, afirma que tem conhecimento e toda a gente sabe que a Segurança Social paga a determinadas pessoas para cuidar de idosos e que existem pessoas (não enfermeiros) a cuidar em casa, de 3 e mais idosos com graus de dependência muito grande.

A outra questão é de quem é que fiscaliza e verifica in loco, se os lares e os centros geriátricos cumprem a lei... parece-me que ninguém!

As farmácias que conheço, quase todas fazem pensos e administram injectáveis e esta situação já foi denunciada à nossa "querida" Ordem e até hoje... nada!

Vamos esperar por dias melhores...

Um abraço!

Offline susy4

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 123
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #5 em: Novembro 07, 2006, 23:27:33 »
Nao queria de deixar passar este post sem expressar a minha opinião.

A nossa Ordem tem assistido impavida e serena ao constante ataque á nossa profissão, permitindo situaçoes como as descritas , que todos os dias são relatadas, e que põem em causa toda a prestação de cuidados e a nossa boa imagem, tão dificilmente conseguida, perante as nossas comunidades. E a tão aclamada carreira superior que não chega, quando fomos obrigados a apresentarmo-nos mais um ano na escola, enquanto que outros grupos profissionais passaram automaticamente a carreira superior sem esse custo ( tempo, dinheiro , investimento familiar e pessoal ). Como é possivel que a nossa classe possa ser bicotada pela propria ordem...que so quer o valor das cotas, exigindo pagamentos actualizados na prestação a concursos e exigindo valores pecuniarios caso haja atraso nos pagamentos...Até seria valido e nada de anormal, se por parte desta sentissemos o apoio que uma Ordem deve dar ao seu grupo...como alguém dizia :se fossem Médicos a levantar problemas em relação a carreiras e a situações como as apresentadas tudo seria resolvido e de uma forma célere.

Em relação a farmácias promoverem actividades do ambito da enfermagem tenho conhecimento de que na cidade de Coimbra várias farmácias actuam ilegalmente...em especial com a administração de injectáveis ( agora com a vacinação da gripe foi extrememamente visivel a actuação paralela ); fui incessantemente avisando utentes de que tais procedimentos eram ilegais e que os centros de saúde e unidades hospitalares têm portas abertas para dar resposta as solicitações.

Em relação aos lares também sei, e ja dei conhecimento a colegas da Ordem , que existem varios lares ( inclusive da Santa Casa da Misericordia) que não possuem ao serviço enfermeiros, sendo as actividades realizadas por auxiliares de lar, incluindo preparação e administração de terapeutica oral e injectavel, bem como colocação de sondas nasogastricas, realização de pensos complexos, enfim uma panoplia de actividades da competencia de enfermagem. Julgo que isto é muito grave, pondo em risco os utentes residentes e claro com as implicações que de futuro terá na nossa profissao. Nao esquecer a pretendida formação de auxiliares de enfermagem, tao querida pelos nossos governantes e que a custo foi impedido. Como diria o povo ... cada macaco no seu galho... e temos de impor a nossa presença ( não com autoridade mas com o nosso savoir faire ) para que consigamos manter a imagem  de uma profissão querida e de relevante importancia  na sociedade.
 Pior constatar que quem dá formação a auxiliares para poderem actuar nestes lares são enfermeiros, que nao pensam nas implicações que isto terá e só pensam no dinheiro recebido por formação...
Reflitam....

Desculpem o alongar de ideias, mas acho que é de extrema importancia levantar estas questoes e fazer chegar a quem de direito as nossas opinioes e reinvidicações.

abraços

Offline Darth_Vader

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 252
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #6 em: Novembro 09, 2006, 03:44:25 »
Essas situações continuam a acontecer porque as pessoas aue as praticam não são devidamente punidas e porque são mais rentaveis para "todos". A qualidade é preterida (sempre) em deterimento dos custos
Homem, na tentativa de tentar provar que não é um macaco, reforça a ideia que é um burro

Offline lbotelho

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 60
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #7 em: Novembro 09, 2006, 10:09:05 »
Se vocês recebessem 7,5 euros/mês de 50000 pessoas queriam lá saber quem é que faz o trabalho... :evil:  :evil:  :evil:
Neste aspecto, apesar de ser um acérrimo defensor da ideologia da ordem, classifico a posição desta nossa ordem como uma vergonha!
Já estará na hora de baixar o preço da cota mensal não acham?
A ordem começou com 30000 associados a pagar 7.5 euros/mês e hoje com 50000 enfermeiros mantém-se na mesma??!  :?
Enfim...Ordem monetária que pouco ou nada regulamenta a nossa profissão...
yOn DaMaGe, InC.

Offline Guytonn

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 313
    • Ver Perfil
O que diz a a Ordem?!?
« Responder #8 em: Novembro 09, 2006, 12:43:57 »
Eu nem coloco a sede do problema no valor da quota! Até nem me importava de pagar mais se a Ordem fosse operante e eficaz. Infelizmente, com a Ordem que temos, qualquer valor de quota mensal é um exagero!. É frustrante saber que o que pagamos todos os meses é gasto em viagens para encontros do ICN e outros, para jantares, congressos, imóveis etc. Mas não se pense que sou contra os jantares e viagens da Ordem, desde que daí resultasse algum bem para a profissão.
A Ordem existe para garantir a qualidade dos cuidados...mas essa mesma qualidade atinge-se defendendo os Enfermeiros , pois são eles os intérpretes dos cuidados, conseguindo-se desta forma dividendos para os beneficiários dos nossos cuidados. No caso citado em posts anteriores, não tenham dúvida que se a questão fosse a prática de actos médicos por pessoal não médico, a Ordem dos médicos (e bem) já teria accionado todos os mecanismos necessários à activação dos mecanismos legais que levassem á punição dos prevaricadores.
Infelizmente, o que parece, é que a Ordem se preocupa mais em defender os clientes dos actos dos profissionais que representa, tratando-nos como um grupo imberbe. se assim o é, então subscrevo aquilo que um colega disse um certo dia:" se a Ordem existe para defender os interesses dos doentes e não os dos enfermeiros, então que sejam os doentes a pagar as quotas"
PRESENTE É SIMULTÂNEAMENTE O EPÍLOGO DO PASSADO E O PRÓLOGO DO FUTURO.

Offline Sandro

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Competências??
« Responder #9 em: Dezembro 13, 2006, 01:24:17 »
Fala-se muito acerca de competências de enfermagem, que competências são estas??
Com certeza, que não são os injectáveis, pois estes são actos médicos como qualquer outro acto invasivo.
Mantém-se então a minha dúvida, e já que teimam tanto em não definir os actos de enfermagem, proponho o seguinte:
durante um mês deixemos de realizar qualquer acto que não esteja totalmente esclarecido e aceite como "Acto de Enfermagem". Não se trata de nenhum ataque a outras classes que trabalham em parceria conosco, mas sim de um ataque directo à nossa famigerada ordem.
ou muito me engano, ou esta atitude teria um impacto muito superior do que as nossas intermináveis e enfadonhas greves, e isto sem prejuízo do nosso vencimento e / ou prejuízo dos nossos utentes.

Offline rmsfontes

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 48
    • Ver Perfil
Re: O que diz a a Ordem?!?
« Responder #10 em: Agosto 22, 2007, 00:19:51 »
Amigos:

Só a titulo de curiosidade: a ordem dos enfermeiros, sem qualquer legitimidade legal para isso, tem um grupo de trabalho a visitar lares de idosos. Tenham em atenção que cada vez que estºão a falar de um lart estão a queixar-se de um colega vosso que assinou uma declaração a dizer que é o enfermeiro daquel lar e o responsável pelos cuidados de enfermagem.
Na marinha de guerra, quando anddamos embarcados, costuma dizer-se que é melhor não cuspir contra o vento...
Não há legislação que permita à ordem fiscalizar lares ou farmácias.
Em relação a colegas que digam que tem conhecimento de situações indignas para a profissão é favor apresentarem queixa à ordem e serão atendidas imediatamente em relação aos lares. Mais. uma colega diz que já informou a ordem. Peço o favor de me dar mais informação sobre isso: quêm informou, quando se queixou por escrito, se tem registo dessa queixa, quem foi envolvido.
Eu responsabilizo-me por dar seguimento a qualquer queixa que seja feita em relação a lares e enfermeiros em lares.