Autor Tópico: Registos de Enfermagem  (Lida 27349 vezes)

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Registos de Enfermagem
« Responder #30 em: Dezembro 27, 2004, 15:12:07 »
Já agora podes aconselhar alguma bibliografia??

Obrigado,

Um abraço,

Offline Paulo

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 168
    • Ver Perfil
Registos de Enfermagem
« Responder #31 em: Fevereiro 01, 2005, 12:26:49 »
Gostaria, antes de mais se fosse possivel me facultar o acesso ás teses do Professor Abel, pois já assisti a uma palestra e fiquei fascinado e com pena de não ter sido aluno dele.
Se me podessem facilitar essa documentação ficar-vos-ia grato.

Um abraço,
Paulo
Paulo

Vamos trabalhar para uma enfermagem melhor, não se limitem a fazer bem, façam cada dia melhor!

Offline Cruela

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 10
    • Ver Perfil
Registos de Enfermagem
« Responder #32 em: Fevereiro 18, 2005, 23:03:43 »
Joana: sei que o Hospital de S. João de Deus em Famalicão está a desenvolver esse trabalho de reformulação dos seus registos clínicos. Não sei se já documentam com a linguagem da Cipe; nem sei se utilizam suporte papel, ou se até já utilizam em suporte informático...
Quem te sabe dar essa informação com maior propriedade  é a Unidade de Investigação em Sistemas de Informação em Enfermagem da ESES.João, uma vez que colabora com muitas Instituições de Saúde nesses projectos de implementação. :wink:

Guytonn:
Adorei o comentário do "lifting"! :P
Mas acho que isso acontece com todos os registos de Enfermagem...

Offline _

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 379
    • Ver Perfil
    • http://www.apnep.pt
Os Registos nos Cuidados de Saúde Primários
« Responder #33 em: Março 06, 2005, 11:24:17 »
uma coisa engraçada (ou nem tanto)! Quando se falam em Registos de Enfermagem (RE), porque é que se lembram sempre dos registos efectuados a nível hospitalar?

Quando se fala de RE, fala-se da visibilidade que eles transmitem da Enfermagem. Sendo assim os RE no cuidados de saúde primários revestem-se de enorme importância. Voltemos ao conceito de Educação para a Saúde, reflectindo um pouco sobre o mesmo.

Salvo erro já aqui foi falado sobre a importância de indicadores que permitam aos responsáveis, a níveis vários, tomarem as suas decisões. Como tal, os indicadores existentes, não reflectem este mesma educação para a saúde, que organizadamente e correctamente efectuada permitirá, por um lado, diminuir os internamentos e consequentemente os gastos e, por outro, fornecer ao indivíduo uma melhor qualidade de vida a todos os níveis. Depois, relativamente a esta educação para a saúde há diversas condicionantes, que dado o contexto deste post, não importa aqui explanar.

Concomitantemente, estes Ensinos deverão ser devidamente registados, permitindo o fornecimento de diversos indicadores, transmitindo da Enfermagem alguma da sual real importância (não toda, porque isso, só quem está "do outro lado" - o doente - a sabe).

E isto tudo para dizer o quê? Não conheço a realidade de Cuidados de Saúde Primários do nosso País na sua totalidade, mas temo que, o que diz respeito à relação Enfermeiro Comunitário/ Utente não seja devidamente registado. E como alguém um dia me disse, "o que não é registado não se faz..."
Abílio Cardoso Teixeira
(SCI1: CHP - HSA)

Offline lis

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Registos de Enfermagem
« Responder #34 em: Março 14, 2005, 19:39:30 »
Usando as palavras do Sr. prof. Abel Paiva, a CIPE tem valor na medida em que é um pretexto para se pensar em Enfermagem. A CIPE é apenas um instrumento de trabalho para os  enfermeiros, ela só é util quando os enfermeiros se sentem incomodados com a "rotina", com o "fazer só porque sempre se fez assim" e começam a reflectir na sua pratica. Só então é que a necessidade de mudança surge e as coisas evoluem - os enfermeiros começam a tomar decisões de enfermagem, a responsablilizar-se pelos conjuntos de intervenções que praticam no dia a dia, a sentir necessidade de analisar, reflectir, discutir, aprofundar conhecimentos e adquirir novos. Trabalho com a CIPE à bastante tempo, primeiro no suporte em papel e hoje em suporte informático, mas ãcreditem que não é a utilização de um ou outro sistema de informação que faz melhores ou piores enfermeiros - somos nós e se a tecnologia e uma linguagem classificada servirem de degraus melhor.

Offline _

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 379
    • Ver Perfil
    • http://www.apnep.pt
A documentação que se vai fazendo
« Responder #35 em: Julho 17, 2005, 10:17:33 »
Sabe-se de antemão as finalidades inerentes aos Registos de Enfermagem (RE), assim como pela lógica e pelo acto de documentar as vantagens desta formalização da prática. De igual modo, independente do suporte da documentação (electrónico ou em papel), existem dados que são considerados pertinente documentar.

Porém, e apesar de se reconhecerem vantagens nesta documentação, estudos demonstram que os Enfermeiros ainda encaram este acto como o cumprimento de um ritual.

Gostaria de saber a vossa opinião sobre os dados que consideram mais relevantes na documentação em Enfermagem, e o que eles podem revelar.

Porque os Sistemas de Informação em Enfermagem são o que poderá distinguir e auxiliar na caracterização e definiçã da Enfermagem e das suas fronteiras. Importa que todos pensemos sobre eles...
Abílio Cardoso Teixeira
(SCI1: CHP - HSA)

Offline pedromelo

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 20
    • Ver Perfil
    • http://enfermeiroonline.no.comunidades.net
S.A.P.E.
« Responder #36 em: Julho 18, 2005, 18:35:14 »
Na Unidade Local de Saúde de Matosinhos já estamos a utlilizar como suporte de registos de Enfermagem o SAPE ( Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem ), onde é utilizada a linguagem CIPE, constamentemente actualizada.

Temos grupos de trabalho a nível hospitalar e nos Centros de Saúde a trabalhar na melhoria deste sistema em parceria com o Prof. Doutor Abel Paiva e o Prof. Doutor Paulino Sousa, que foi o grande implementador deste sistema. O Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem tem sido trabalhado em colaboração com o IGIF.

Tem sido uma experiência inovadora e têm-se obtido resultados positivos. Pelo menos o número de registos de intervenções autónomas antes esquecidos tem aumentado e ultrapassado as interdependentes, o que tem revelado a importancia de uma Enfermagem autónoma e interventiva ao nível das direcções locais e Concelhias de Matosinhos.

A minha experiência como Enfermeiro de Família no Centro de Saúde de S. Mamede de Infesta tem demonstrado que este sistema de registo de cuidados revela com grande objectividade o trabalho que desenvolvo. Necessita de algumas melhorias, principalmente no que diz respeito à avaliação familiar e intervenção comunitária, mas estamos a trabalhar e a melhorar a bons passos o programa.
A verdadeira conquista não está em conseguir o que queremos, mas no caminho que percorremos para o conseguir..."
                                               William Shakespeare

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Registos de Enfermagem
« Responder #37 em: Setembro 13, 2009, 02:07:07 »
Em 1885, Florence Nightingale escreveu uma carta dirigida a Sidney Herbert do
London War Office, na qual comunicava um problema grave com os registos no hospital de
Scutary, durante a guerra da Crimeia. Dizia que “não se fazem estatísticas nem da classe
etária na qual ocorrem mais óbitos, nem dos tipos de tratamento, do aspecto do corpo após a
morte, etc.. Geralmente os nossos registos são tão pobres que, muitas vezes, o único registo
existente é: morreu um homem em determinado dia”.

http://edcosta.no.sapo.pt/DOCS/registos.pdf

Offline Luffy

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 92
    • Ver Perfil
Re: Registos de Enfermagem
« Responder #38 em: Janeiro 06, 2010, 15:05:25 »
Aqui fica uma sugestão de leitura (eu ainda vou a meio mas já recomendo), um livro baseado na tese de Doutoramento do Prof. Filipe Pereira, "Informação e Qualidade do Exercício Profissional dos Enfermeiros"!!

http://www.sinaisvitais.pt/index.php?pa ... Itemid=125

Um livro indispensável para a compreensão da Enfermagem, resumindo de onde veio e para onde poderá caminhar, com benefícios importantíssimos para o desenvolvimento e reconhecimento da profissão, em termos políticos, sociais e na prática de cuidados, através da agregação de dados em Resumos Mínimos de Dados de Enfermagem e produção de indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem e que demonstram os ganhos em saúde decorrentes dos mesmos!

Fundamental para principiantes e para quem já tenha "umas luzes" do assunto!  ;D ;D ;D

aquele abraço

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Registos de Enfermagem
« Responder #39 em: Setembro 06, 2010, 11:25:10 »
"A consciencialização dos utentes relativamente à saúde tem-se concretizado numa maior exigência junto dos prestadores de cuidados relativamente à qualidade dos serviços prestados. Os prestadores de cuidados de saúde não podem ignorar esta questão, tendo por isso urgência em desenvolver uma política estratégica no âmbito da qualidade com o objectivo de através da melhoria contínua dos serviços prestados, promover a confiança a total satisfação dos seus utentes. Pelo facto de as tecnologias de informação serem hoje uma vertente bastante importante no âmbito hospitalar, este trabalho pretendeu analisar de que forma os sistemas de informação se relacionam directa ou indirectamente com a implementação das iniciativas no âmbito da qualidade como a certificação e acreditação. Para isso, com recurso a um questionário, caracterizou-se o estado actual dos prestadores de cuidados de saúde em relação às suas práticas de documentação, adopção de sistemas de informação e implementação de iniciativas no âmbito da qualidade. Este estudo permitiu verificar que os prestadores possuem práticas de documentação consideravelmente consolidadas, e embora a maioria deles possua já um sistema de informação instalado na sua organização a verdade é que mais de metade dos prestadores ainda não se libertou totalmente da documentação em papel. A adesão aos SI ainda se faz de uma forma muito díspar entre os diferentes prestadores, observando-se prestadores que possuem toda a informação clínica integralmente agregada num mesmo sistema, assim como outros em que apenas a informação administrativa é documentada de forma informatizada. Verificou-se que embora já exista uma considerável adesão às mais diversas iniciativas no âmbito da qualidade, o recurso a sistemas de informação como meio de sustentação destas mesmas iniciativas é ainda muito primário, baseado sobretudo em soluções informáticas bastante elementares."


O estudo(2009) é de Samuel Neto Pereira

http://saudeeportugal.blogspot.com/2010 ... temas.html

Offline smcb

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 48
    • Ver Perfil
Re: Registos de Enfermagem
« Responder #40 em: Setembro 06, 2010, 17:52:48 »
Só hoje, tive a oportunidade de ler este tópico. Fiquei muito agradada com a discussão que se gerou, uma troca de ideias muito interessante.
Estando  a trabalhar apenas há 2 anos, ainda me considero uma novata nestas andanças da enfermagem e este tipo de discussão é sempre enriquecedor.
Tenho uma certeza apenas.....
O essencial é REGISTAR. Mas não registar apenas por registar. Deve-se fazer registos tendo em conta a importancia dos mesmos.
Talvez o menos importante - a meu ver - seja o suporte em que é feito. Creio que a utilização de uma linguagem comum será de maior relevancia. Para que todos entendamos o mesmo, é preciso que digamos o mesmo. Por isso defendo que a CIPE seja uma boa ferramenta para nos ajudar na tarefa de uniformizar linguagens. Mas tambem não podemos esquecer as singualridades da nossa realidade, tanto do país como do SNS em sí. E aí creio que a CIPE nos falha um pouco...
Ou então é a estranheza de alguns conceitos que constam na CIPE não serem exactamente iguas aos que utilizamos no dia-a-dia....   :-



Saudações a todos!
:)