Autor Tópico: Como medir a produtividade de um enfermeiro?  (Lida 10285 vezes)

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #15 em: Abril 19, 2008, 19:36:05 »
Tenhamos presentes que nem todos os "outputs" dos Enfermeiros não são quantificáveis. Não é fácil quantificar o alívio por uma massagem bem dada a um doente que dela precisa... Um método será pela avaliação do utente.
Quando um utente me ofereçe chocolates ou qualquer outra lembrança, digo que antes prefiro uma carta de agradecimento ao meu chefe. Melhora a visibilidade e não ficamos "comprados" pela prenda.
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #16 em: Abril 19, 2008, 23:24:17 »
Já forma aplicados aulguns modelos de avaliação para medir esses "outputs" dificeis de quantificar, não na enfermagem, mas noutras áreas. O grau de satisfação do utente passa muito por aí. Se repararmos grande parte das queixas associa-se não à capacidade técnica dos profissionais de enfermagem mas ao atendimento que este faz.

Do ponto de vista técnico não tem lógica quantificar unicamente as intervenções isoladas (apesar que também deve ser tido em conta), mas sim a eficácia destas e o benefício do utente (logo da instituição).

Penso que passa um pouco pelo que a colega ritabarros explanou...

Offline Caldas

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1323
    • Ver Perfil
    • http://ocantosocial.blogspot.com
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #17 em: Abril 22, 2008, 23:26:13 »
Estava eu a ler a revista da Sinais Vitais de Janeiro quando encontrei num artigo esta expressão proferida pelo Enf. Abel Silva num Congresso em 2003 que gostaria que comentassem e que tem muito a ver com este debate que aqui falamos.

"Na nossa sociedade é mais valorizado o exercício profissional de quem concebe, isto é uma constatação de facto não é um exercício opinativo. Ora, ninguém vai querer um grupo profissional de formação superior para conceber cuidados, cuja utilidade social ninguém percebe"

Não será esse um dos grandes problemas com que a enfermagem se depara, o perceber que cuidados são estes que concebemos e que contribuem para o bem do doente.

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #18 em: Abril 23, 2008, 10:13:52 »
O problema é que parece que a própria enfermagem ainda não percebeu bem os cuidados que concebe e que contribuem para o bem do utente.

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #19 em: Agosto 20, 2008, 21:18:59 »
Não directamente enquadrado (à primeira vista) no contexto deste tópico queria deixar para leitura este texto retirado de http://www.medscape.com/viewarticle/577 ... c=112962BT

com o título de : Rationing of Nursing Care and its Relationship to Patient Outcomes: The Swiss Extension of the International Hospital Outcomes Study

Espero que leiam...

Offline eagleyes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 192
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #20 em: Agosto 28, 2008, 21:18:55 »
Nós frequentemente não registamos o que fazemos.... metade fica por registar. São feitos ensinos. São Registados?
As coisas que fazemos, não os soros, algaliações, entubações... as coisas menos visiveis mas que sãp tão benéficas ou ainda mais para o doente.. não são registadas. O sistema de classificação de doente não demonstra o tempo nem o que fizemos por um doente

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #21 em: Setembro 20, 2008, 23:25:51 »
Citação de: eagleyes
Nós frequentemente não registamos o que fazemos.... metade fica por registar. São feitos ensinos. São Registados?
(...)

Isso é uma das lacunas que a CIPE tenta eliminar.....

Offline anevesf

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #22 em: Setembro 25, 2008, 11:25:30 »
Citação de: charlie_ze
Citação de: eagleyes
Nós frequentemente não registamos o que fazemos.... metade fica por registar. São feitos ensinos. São Registados?
(...)

Olá!!
Trabalho nos cuidados primários, tudo o que faço neste momento ( e toda a equipa claro) é registado na SAPE.
É certo que em alguns programas de saúde em termos de ensinos ainda são muito básicos mas podemos sempre ir dando sugestões ás parametrizadoras para elas irem acrescentando no programa.
Neste momento a facturação do nosso centro de saúde vai passar a ser feito através da impressão dos nosso actos. Penso que desta forma já se conseguem retirar alguns indicadores de produtividade ou não?
Beijos e abraços

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #23 em: Setembro 29, 2008, 09:51:42 »
Parece-me que o futuro internato terá que obrigatóriamente seguir por um caminho de quantificar a produtividade, para poder nivelar os internatos nacionais....

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #24 em: Outubro 22, 2008, 03:02:23 »
Depende do local onde trabalha...
Enfermeiro que trabalha numa Maternidade:
- n.º de BCG´s, VHB´s, cuidados perineais, sessões de educação para a saúde dirigidas aos pais, rastreios auditivos, adaptação do recém nascido ao aleitamento materno...
Para isso, é fundamental ter uma monitorização dos tempos e do conjunto de procedimentos associados a cada uma dessas actividades.
Se chegar a um serviço e perguntar quantas infecções da sutura de uma cesariana surgiram ou quantos catéteres venosos tiveram de ser subistituidos e porquê, não existe essa informação...
Vejo alguns hospitais vangloriarem-se com o facto de já terem implementado a CIPE e a classificação de doentes, mas duvido que já se tenha conseguido chegar a "um rigor de fórmula 1".
Mas estamos no bom caminho... Devagarinho... ;D

Offline Paulo

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 168
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #25 em: Novembro 23, 2008, 20:31:46 »
Boa tarde,
Antes de mais, os meus parabens pelo tema, pois parece-me que esta é a questão principal que todos deveriamos responder.
Já foram dadas aqui muitas opiniões e penso que todas elas muito válidas, é necessário é optimiza-las.
Provavelmente existem aqui 2 questões de fundo que não devem ser desprezadas.
1ª Queremos quantificar o que faz um enfermeiro?
2ª Queremos justificar o trabalho dos enfermeiros?
Embora pareçam concorrer para a mesma resposta, os resultados podem ser antagónicos. Enquanto no 1º caso temos um papel de mero contabilista ou gestor externo è emoção do ser enfermeiro, no 2º caso procuramos encontrar tudo o que possa ser quantificado para justificar algo. Aqui estamos completamente obcecados por um unico objectivo e isso pode provar miopia sobre o meio que nos rodeia.
Ainda devemos fugir à tentação de enveredar pelos programas de gestão da saúde centralizados no modelo bio médico logo centrado nos K ou nos actos. É fundamental ser proactivo e reinventar.
Perante estas considerações acho que devemos quantificar os ganhos através das readmissões, recorrencias não previstas, da dor, da qualidade de vida, das faltas ao emprego, do tempo de internamento, do nº de doentes em casa com cuidados humanizados, nº de diabéticos que recorrem à urgência, de HTA não controladas, nº de obesos, etc, etc.
Sim, parece utópico, a mudança de paradigma é radical, mas é ou não verdade que o enfermeiro tem competência nesta área?, mais este tipo de indicadores possuem toda a actividade de enfermagem.
A contabilidade analítica da profissão pode ser feita em termos de capacidade de resposta qundo se define um conjunto de cuidados especificos numa determinada área e que vão de encontro a estes indicadores. Um doente internado num serviço de cuidados intensivos pressupõe uma equipa minima para garantir uma intervenção imediata em situações de risco de vida eminente, por isso são necessários 2 enfermeiros para 3 doentes por exemplo, a partir daqui o enfermeiro contribui para uma alta o mais rápido e estável possivel. Num serviço de medicina para alem do nº de enfermeiros minimos para garantir a intervenção imediata em casos de emergência, as vigilancias, é fundamental responder à alta e à não readmissão, por isso o enfermeiro tem de preparar a alta conjuntamente com o doente e familia desde a sua entrada e isso exige quantos enfermeiros? Provavelmente dividir tarefas de vigilancia de intervenção rápida como já existe em alguns hospitais centrais e a preparação da alta e cuidados centrados no doente invés da instituição.
Ainda falta aqui abordar a questão dos diagnósticos de enfermagem. Pois a mim não me parece razoavel avaliar os doentes pelos diagnósticos levantados pois se assim for temos de saber quanto tempo demora aprender a mudar um hábito alimentar, quanto tempo demora o doente a aprender a lavar-se ou a comer.
É claro que esta é apenas mais uma acha para a fogueira, mas parece-me importante discutir a inovação.
Um abraço,
Paulo

Vamos trabalhar para uma enfermagem melhor, não se limitem a fazer bem, façam cada dia melhor!

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #26 em: Novembro 23, 2008, 21:03:37 »
Olá,

Esta é uma das questões mais pertinentes da Enfermagem dos nossos dias, a meu ver.

Em primeiro lugar importa dizer que, entre o universo de enfermeiros, temos pessoas a exercer funções muito diversas.

Os docentes (que deverão ser avaliados por alguma grelha ínventada pelo ministério da Educação);

Os gestores (devem ser avaliados por uma escala inventada pelos economistas).

Não há nenhuma grelha que contabilize o trabalho dos que são a essência da Enfermagem (e sem os quais os outros não teriam razão de existir), que é a prestação de cuidados directos.

Pois isto interessa a muitos, sobretudo aos que ganham mais e nos gerem: poucos prestadores de cuidados para uma grande população de doentes é bom para os gestores que têm muito trabalho por pouco dinheiro (eles recebem os prémios de produtividade) e mantêm-nos sempre incapazes e  pouco interessados... Afinal, são eles quem nos avalia, não é?

Os gestores têm os chefes "presos pela cauda" e nós e os doentes perdemos todos os dias.

Parece-me incrível que o trabalho de Enfermagem se resuma a tirar cursos e mais cursos para poder fugir à realidade da prestação de cuidados que é, na grande maioria dos locais, extenuante, sem perspectivas e sem reconhecimento.

Mas a Enfermagem não nasceu para isso! Somos aqueles que estão junto dos doentes, os limpamos, aconchegamos e mimamos 24 horas por dia...  Muitas vezes negligenciamos os registos para acudir às necessidades dos doentes. Isso merece o castigo que temos tido desde há anos?

Os crânios da Enfermagem que reflictam sobre isso, é para isso que lhes pagam! Há muita impunidade e muita mediocridade nos nossos gestores.

Abraço.

Offline EFerreira1984

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 182
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #27 em: Dezembro 08, 2008, 23:06:52 »
Citação de: "mariarebelo1"
Olá,

Esta é uma das questões mais pertinentes da Enfermagem dos nossos dias, a meu ver.

Em primeiro lugar importa dizer que, entre o universo de enfermeiros, temos pessoas a exercer funções muito diversas.

Os docentes (que deverão ser avaliados por alguma grelha ínventada pelo ministério da Educação);

Os gestores (devem ser avaliados por uma escala inventada pelos economistas).

Não há nenhuma grelha que contabilize o trabalho dos que são a essência da Enfermagem (e sem os quais os outros não teriam razão de existir), que é a prestação de cuidados directos.

Pois isto interessa a muitos, sobretudo aos que ganham mais e nos gerem: poucos prestadores de cuidados para uma grande população de doentes é bom para os gestores que têm muito trabalho por pouco dinheiro (eles recebem os prémios de produtividade) e mantêm-nos sempre incapazes e  pouco interessados... Afinal, são eles quem nos avalia, não é?

Os gestores têm os chefes "presos pela cauda" e nós e os doentes perdemos todos os dias.

Parece-me incrível que o trabalho de Enfermagem se resuma a tirar cursos e mais cursos para poder fugir à realidade da prestação de cuidados que é, na grande maioria dos locais, extenuante, sem perspectivas e sem reconhecimento.

Mas a Enfermagem não nasceu para isso! Somos aqueles que estão junto dos doentes, os limpamos, aconchegamos e mimamos 24 horas por dia...  Muitas vezes negligenciamos os registos para acudir às necessidades dos doentes. Isso merece o castigo que temos tido desde há anos?

Os crânios da Enfermagem que reflictam sobre isso, é para isso que lhes pagam! Há muita impunidade e muita mediocridade nos nossos gestores.

Abraço.


Grande mariarebelo1 !!!!!
Tenho que lhe dizer colega que até hoje todos os seus post's me têm feito reflectir bastante... Parece-me ser uma colega sensata, e que representa bastante o espirito da enfermagem... Admiro-a pelas suas opiniões até hoje dadas, sempre muito bem explícitas e fundamentadas!

Quanto a este seu comentário em particular: subscrevo cada palavra!
Ass: Eu

Offline artur_gaio

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 298
    • Ver Perfil
Re: Como medir a produtividade de um enfermeiro?
« Responder #28 em: Dezembro 09, 2008, 16:18:59 »
infelizmente, mede-se por conseguir acabar as actividades previstas para o turno, esta é a verdade...
Ninguém se preocupa muito se temos ou não tempo para falar com o doente, se temos ou não tempo para fazer ensinos, etc...
O que interessa é que dês a medicação em tempo útil, melhor, que a assines em tempo útil, e que tenhas os processos prontos para as transferências e altas...
Infelizmente, sao esse os indicadores de produtividade dos enfermeiros no nosso país...