Autor Tópico: Cirurgiões c/ HIV/Sida  (Lida 5122 vezes)

Offline Big

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 120
    • Ver Perfil
Cirurgiões c/ HIV/Sida
« em: Novembro 25, 2007, 10:25:17 »
A Ordem dos Médicos admite que um cirurgião infectado com HIV/Sida possa continuar a praticar a actividade profissional, incluindo realizar intervenções cirúrgicas em doentes de corpo aberto e proceder a práticas invasivas. Apesar de não proibir nem impor qualquer limitação laboral, a Ordem recomenda apenas que o médico deve reforçar as medidas de precaução e segurança.

O que pensam sobre esta matéria?
A ideia que transparece é que os médicos querem estar sempre acima de tudo e de todos. Quem iria controlar o efectivo reforço de medidas de segurança?
Em caso de acidente quem seria o responsável? O médico? O hospital? A Ordem?
Até que ponto teria de ser obrigatório que o médico informasse previamente o doente antes do acto cirúrgico? Mas como se a lei protege a identidade dos infectados com HIV/Sida...

Parece-me um tema muito pertinente e que merece discussão

Offline Enf_SH

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 434
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #1 em: Novembro 25, 2007, 17:48:16 »
Boas,

Como é mais que evidente não é uma temática fácil, no entanto também não me parece que o próprio médico tenha intenção de infectar alguém com HIV! Depois também não é uma questão de o médico estar acima de tudo e de todos( isso também já é perseguição)!

Não me parece que seja fácil para alguém desistir da profissão só porque está doente, neste caso infectado com HIV.

Até que ponto podemos proibir um médico com HIV de praticar cirurgias se este tem as medidas de precaução necessárias?

E se fosse um enfermeiro?acho que não gostaríamos de estar na "corda bamba"!

nos tempos que correm e com a medicação existente a maioria dos doentes infectados com HIV atinge carga vírica indetectável e consequentemente níveis de CD4 normais, logo sem risco de contracção de patologias oportunistas é igual à dos não portadores de HIV...em suma, a possibilidade de um cirurgião trocar fluidos com um doente que opera é muito baixa, juntando a isto o facto de um doente com HIV com carga virica indetectável ter apenas 0,001% de infectar alguém acho que é fazer uma tempestade n um copo de àgua..


Saudações
Somos aquilo que fazemos consistentemente...Assim a excelência não é um acto mas um hábito!

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #2 em: Novembro 25, 2007, 19:12:41 »
Olá,

Aqui temos a resposta ao impacto causado pela decisão de despedir o cozinheiro com sida.

A abertura de precedentes deste género, qualquer dia vai levar a situações que, em extremo, podem levar atá à falsificação de resultados de análises ou exames para manter actividade.

Em matérias de tal complexidade, sobejamente discutidas por pessoas altamente qualificadas em comissões de ética por todo o mundo, não pode haver espaço para emitir opiniões ligeiras.

Abraço.

Offline vaniarcl

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 142
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #3 em: Novembro 27, 2007, 00:26:40 »
Além de os infectados com medicação terem cargas víricas indetectáveis, no caso do cirurgião, como é que era possível haver contágio?

Com o uso dos bisturis eléctricos é praticamente impossivel o corte (e consequente contacto sanguíneo) do cirúrgião, além de ainda estar camuflado pelas luvas...

Neste caso, assim como do cozinheiro, é sem dúvida excesso de zelo!

Offline RicardoEspiritoSanto

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 22
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #4 em: Janeiro 13, 2008, 20:14:35 »
8)

Sem querer aligeirar a questão...


Penso que é de todo pertinente todos reflectirem sobre a questão... e não apenas o povo tremendamente culto e sensível que impesta muitas comchões de ética.

Parece-me que o cirurgião, tal como o enfermeiro, ou outro profissional de saúde qualquer, não deverá constituir um risco para a saúde daqueles que cuida... não estamos propriamente a discutir se o enfermeiro vai constipado para junto do doente...

Não é de todo desprezável que o doente tenha o direito de saber, assim como a restante equipa que labora com o cirurgião, do estado de saúde da malta que supostamente o vai tratar e cuidar.

Do meu ponto de vista, por muito que custe ao profissional e à equipa, o bem maior, que é a saúde do doente deve ser sempre acautelado  e em primeiro lugar...  Parece-me que o profissional deveria deixar de operar.

è uma questão dificil, sem resposta fácil, mas que seria importante contribuir com reflexões...


 8) Saudações

Offline NiniSF

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 24
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #5 em: Janeiro 13, 2008, 23:27:52 »
Parece-me que para além de questões como a dificuldade de contagiar um doente acidentalmente (já o inverso não é assim tão difícil) parece-me que o que está aqui em causa é um principio fundamental na prestação de cuidados de saúde que é direito de todos os utentes e do qual me parece que ninguém deve estar acima ou abaixo - o direito à confidencialidade!!! Antes de tudo o mais pergunto, como é que se soube que o referido médico estava infectado... então ele não tem os mesmos direitos que todos os outros doentes têm???
Em primeiro lugar, em vez de levianamente pensar em passar julgamento sobre se ele mantém ou não o direito a exercer a sua profissão, eu pensaria em investigar quem é que quebrou o segredo profissional... porque esse sim, parece-me um princípio inquestionável.

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Cirurgiões c/ HIV/Sida
« Responder #6 em: Novembro 10, 2008, 05:57:45 »
Quantos de nós não hesitaria comer uma refeição confeccionada por alguém portador do VIH?