Autor Tópico: ENG  (Lida 10949 vezes)

Offline E_ponto_E_jose_Nuno

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 197
    • Ver Perfil
ENG
« em: Novembro 20, 2007, 23:41:23 »
Caros colegas esclarecam-me uma dúvida, na ENG no Adulto vocês medem do nariz ao lobo da orelha e do lobo ao apendice xifoideu Não é?. Agora imaginem que essa medição é inferior ao nivel 1 da SNG vocÊs deixam tar na medição do apendice xifoideu o colocam no 1? É que disseram-me que no adulto tem de estar entre 1 e 2. Tem alguma documentação???

Offline Enf_SH

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 434
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #1 em: Novembro 21, 2007, 03:49:20 »
Boas,

A ENG não tem uma medida standart mas sim uma medição que varia de pessoa para pessoa...se a medição indica uma medida inferior ao 1 nível então é aí que deve estar.

Quando se diz que precisa de estar entre o 1 e o 2 é em média...os adultos têm diferentes tamanhos e como tal as sondas após medição ficarão colocadas com medidas diferentes.

Quanto a documentação qualquer livro de Fundamentos de enfermagem tem isso!

Espero ter ajudado colega

Saudações
Somos aquilo que fazemos consistentemente...Assim a excelência não é um acto mas um hábito!

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #2 em: Novembro 21, 2007, 19:45:34 »
Olá,

Ao ler este post colocou-se-me uma dúvida: as sondas nasogástricas que eu conheço (clássicas, de Levin) têm marcações por riscos, por isso não entendo essa designação de nível um ou dois. Talvez tenham SNG diferentes das que eu estou habituada a usar.

Será que me podem esclarecer sobre isto?

Abraço e obrigada.

Offline E_ponto_E_jose_Nuno

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 197
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #3 em: Novembro 22, 2007, 02:49:11 »
entenda-se nivel 1 - 1º traço, nivel 2 - 2º traço

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #4 em: Novembro 22, 2007, 22:26:31 »
Olá,

Obrigada pelo esclarecimento.

A partir disto devo dizer que é difícil encontrar um adulto com menos de três riscos.

As medidas da narina ao lóbulo da orelha e deste ao xifóide tem de ser somada; raramente dá inferior a três. Os níveis um e dois espantam-me!

Abraço.

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #5 em: Dezembro 17, 2007, 12:32:56 »
O facto de se medir a sonda não quer dizer que nos devemas agarrar a essa medição religiosamente. A medição é uma forma de nos orientar-mos:
Do nariz ao lobulo da orelha - 1ª medição inportante, será indicação da chegada à "encruzilhada faringea" (como alguma bibliografia refere) - momento ideal para pedir colaboração através da deglutição
Do lobulo da orelha ao apendice xifoide - 2ª medição que dará indicação da chegada ao estomago.

mas a verdadeira prova dos nove não é a medição, mas sim a confirmação da presença da sonda no estomâgo, a aqui existem várias maneiras de o fazer...

Se repararem muitos enfermeiros nem medem....

Offline NiniSF

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 24
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #6 em: Fevereiro 19, 2008, 22:48:19 »
Citação de: mariarebelo1
Olá,

Obrigada pelo esclarecimento.

A partir disto devo dizer que é difícil encontrar um adulto com menos de três riscos.

As medidas da narina ao lóbulo da orelha e deste ao xifóide tem de ser somada; raramente dá inferior a três. Os níveis um e dois espantam-me!

Abraço.

Permita-me discordar. Na verdade, em muitos anos de entubações raramente encontrei um adulto que ultrapassasse a marca 2 e muito menos a 3. A verdade é que os enfermeiros Têm o hábito de introduzir a sonda sem a medição prévia e de a introduzirem mais quando a encontram "pouco introduzida". A verdade é que se dedicassem a controlá-las por RX iam descobri-las bem enroladinhas e por vezes anguladas - daí as "obstruções" que se resolvem quando se exterioriza a sonda parcialmente.

Offline Son_Goku

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 527
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #7 em: Fevereiro 20, 2008, 17:19:13 »
Como disse charlie_zé o mais importante é a verificação do posicionamento da sonda. Existem variações anatómicas individuais pelo que a medição é procedimento orientativo e não absoluto. As marcas da sonda servem apenas para fixarmos o comprimento da sonda a introduzir obtido a partir da medição.

Offline Ena Rot

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 274
    • Ver Perfil
    • http://enarot.blogs.sapo.pt/
Re: ENG
« Responder #8 em: Fevereiro 20, 2008, 17:31:03 »
... e a verificação do posicionamento correcto após o procedimento e frequentemente, imprescindível.
.: Navegando e tentando Cuidar de outros Navegares :.

Google Reader -Ena Rot's shared items
Rabiscos
what am I doing...

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: ENG
« Responder #9 em: Fevereiro 20, 2008, 18:58:43 »
Já agora lembrar a verificação clássica se à aspiração surge conteudo gástrico, ou o outro método da auscultação quando se injecta ar.
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline AlexGomes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 132
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #10 em: Março 01, 2008, 21:40:32 »
Citação de: enfermeiredo
Já agora lembrar a verificação clássica se à aspiração surge conteudo gástrico, ou o outro método da auscultação quando se injecta ar.
Para verificar deve-se sempre injectar primeiro ar(para realmente despistar não estar na via aérea) e a seguir aspirar o conteúdo gástrico.
Pra termos segurança da técnica.

Offline Fred Fortunato

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 34
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #11 em: Março 04, 2008, 23:48:36 »
Citação de: AlexGomes
Citação de: enfermeiredo
Já agora lembrar a verificação clássica se à aspiração surge conteudo gástrico, ou o outro método da auscultação quando se injecta ar.
Para verificar deve-se sempre injectar primeiro ar(para realmente despistar não estar na via aérea) e a seguir aspirar o conteúdo gástrico.
Pra termos segurança da técnica.

Caro colega, a minha concordancia, inclina-se mais para o enfermeiredo...
cumprimentos...

Offline Pinguina

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 36
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #12 em: Março 04, 2008, 23:57:13 »
Penso k nao se pode estar a falar nivel 1 , traços paki e pacolá...
As sondas diferem nesses tais ditos niveis...
Na execução da tecnica aí sim se verifica conforme a marcação da sonda...Nao dá pa generalizar dessa forma...
Ha k saber aplicar a tecnica dependendo da situação...
Aquando da verificação da colocação da sonda, aí sim aplicar o k foi aki dito :)
Nada de especial, pelo que me parece, eheh :)

Offline Enf.Miguel

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 23
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #13 em: Março 22, 2008, 00:36:16 »
Citação de: mariarebelo1
Olá,

Obrigada pelo esclarecimento.

A partir disto devo dizer que é difícil encontrar um adulto com menos de três riscos.

As medidas da narina ao lóbulo da orelha e deste ao xifóide tem de ser somada; raramente dá inferior a três[/u][/u][/u]. Os níveis um e dois espantam-me!

Abraço.

Caro colega, devo dizer-lhe que o nivel três espanta-me mais que o nivel dois!!!!!!!!
Deve ter muitos doentes nórdicos no seu serviço!!!!!
Saudações.

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: ENG
« Responder #14 em: Março 25, 2008, 23:19:49 »
Citação de: AlexGomes
Para verificar deve-se sempre injectar primeiro ar(para realmente despistar não estar na via aérea) e a seguir aspirar o conteúdo gástrico.
Pra termos segurança da técnica.

Se depois de injectar ar verificar que está no estomago, para que precisa de aspirar conteúdo gátrico???