Autor Tópico: Flictenas  (Lida 79108 vezes)

Offline nacn

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 5
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #45 em: Maio 18, 2011, 23:05:41 »
Boa noite colegas.
Em caso de pacientes com a mobilidade não afectada em que fazer um penso protector torna-se muito desconfortável (no caso de surgirem nos pés) o que aconselham?

Offline ana_lemos

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 80
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #46 em: Maio 19, 2011, 00:20:30 »
Boa noite colega,

Aquilo que sei de flictenas é que se forem pequenas, se possível, devemos deixá-las intactas.
Se grandes ou em articulações, devemos drenar através de pequenas incisões, pois a pele da flictena funciona como penso biológico, e em seguida fazer penso oclusivo com gaze vaselinada.

Ao fim do 7º ou 10º dia, poderá começar-se a aplicar creme hidratante neutro e filtro solar.


Cumprimentos *
"Falo a língua dos loucos porque não conheço a mórbida coerência dos lúcidos."

Offline RaquelSofia7

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 254
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #47 em: Outubro 30, 2011, 02:09:22 »
Muitas teorias e não consegui chegar a nenhuma conclusão em concreto. Sou aluna de Enfermagem de 3º ano e estou a pesquisar o melhor tratamento às flictenas. Não haverá artigos cientificos sobre o assunto? já pesquisei mas não encontrei nada...

Cumprimentos, e bom trabalho

Offline Anix

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 46
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #48 em: Novembro 16, 2011, 00:43:30 »
Na minha ainda curta experiencia, aprendi a aspirar o liquido da flictena e a aplicar mepilex... e normalmente tinha bom resultado...

Offline Propofol

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 186
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #49 em: Janeiro 29, 2012, 16:04:40 »
Se calhar é um tema de investigação para os enfermeiros, se calhar está na hora das escolas de enfermagem começarem a promover a investigação nestes âmbitos e a produzirem algum conhecimento sobre as abordagens a seguir.
Quanto à minha experiência, tenho visto enfermeiros aplicarem compressas com álcool e thrombocid, o resultado normalmente é a redução da flictena ou a sua ruptura, sendo posteriormente feito o penso de acordo com as características do tecido exposto. A fundamentação utilizada é a de que o álcool promove a absorção do heparinoide e que este promove por sua vez a reabsorção do líquido da flictena.

(E sim, sei que era um tópico velho, mas dada a actual falta de movimento do fórum... )

Offline RaquelSofia7

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 254
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #50 em: Fevereiro 02, 2012, 11:48:09 »
Pois... são várias teorias mas não está nada descrito... Como estudante vou falar com o Enf. especializado em feridas da faculdade e depois digo alguma coisa.

Offline Filipaw

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 42
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #51 em: Fevereiro 02, 2012, 13:03:50 »
Onde eu trabalho o protocolo é limpar sempre com soro fisiológico morno, aplico uma compressa embebida de Prontosan durante 15 - 20 minutos e depois aplico o Prontosan gel com uma hidrofibra.
O Prontosan é excelente com o desbridamento

Offline Filipaw

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 42
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #52 em: Fevereiro 02, 2012, 13:28:31 »
Em relação ao álcool, pelo o que aprendi, é um composto muito agressivo para ser usado directamente numa ferida aberta. Andei a fazer tratamentos no CS no primeiro tratamento usaram álcool 70 para limparem-me um corte, nunca mais, para além da dor, o corte ficou pior e o meu organismo fez reacção quando a colega meteu o álcool.

Uma enfermeira (eu) quase desmaiou lool

Offline digiridi

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #53 em: Fevereiro 22, 2012, 20:47:14 »
Boas!

Li todos os comentários, e vejo que se comete muitas asneiras. Não só na abordagem à flictena mas também no uso e conjugação de apósitos para o tratamento de feridas. Aconselho que façam formação na área e que leia os últimos trabalhos científicos para que possam basear a vossa prática na evidência.

Muitos assuntos foram abordados ao longo dos demais comentários que dariam pano para mangas, mas vou só tecer comentário acerca do assunto principal, as flictenas.

Em relação à instilação da eosina, iodopovidona e uso de álcool, segundo as evidências e guidelines, está contra-indicada. Ao instilarem a eosina ou a iodopovidona, os mesmos ficaram alojados entre a derme e a epiderme, o que como devem imaginar, irá permitir a sua absorção em quantidades consideráveis pelo organismo. Convido-vos a pesquisar acerca dos efeitos nocivos da absorção de cada um. O álcool, além de ser também uma molécula muito pesada, a única coisa que faz é secar os tecidos, e certamente, não será essa a melhor opção.

Segundo as evidências, o conteúdo que se encontra no interior da flictena é constituído por mediadores anti e pró-inflamatórios, há um processo inflamatório completamente desregulado. As mesmas evidências demonstram que essa colecção de líquido apresenta um potencial elevado de citotoxicidade para as células ainda viáveis com as quais contacta, os fibroblastos.

Assim, seguindo o exposto e o conceito TIME, que nos diz que tecido não viável é para desbridar, a opção mais viável é o desbridamento cirúrgico (e quando digo desbridamento não é perfurar, é retirar a camada de epiderme, uma vez que se trata de tecido não viável), colocação de gase à base de triglicerídeos (hydrotul) e, dado o exsudado que poderá ser libertado, uma espuma de poliuretano.

Mas isto é para todos os casos?Claro que não, cada caso é um caso, para se proceder ao desbridamento existem factores a ponderar, a etiologia da flictena, o tamanho da flictena, se o desbridamento provoca dor intolerável ao doente e também se as condições de execução de penso o permite (experiência em desbridar do enfermeiro, condições de assepsia, material adequado e se o contexto do doente permite ou não controlar os riscos de infecção).

Cumprimentos.

Offline Farfi

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 76
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #54 em: Março 08, 2012, 21:00:44 »
Boa noite, colegas!

Hoje, deparei-me com os pés de uma senhora neste estado. Uma flictena na face interna de cada calcanhar. Apliquei uma camada de Halibut® em cada um, compressas e uma ligadura, como forma de protecção. Pedi, também, a colaboração às Ajudantes de Lar para a colocação de uma almofada macia entre os calcanhares da utente, durante a noite, de forma a aliviar a zona de pressão.

É uma utente diabética, com 90 anos e com pouca mobilidade (movimenta bem os membros, mas não anda).

Tendo em conta as imagens, qual seria a vossa actuação para cada uma das situações?

Obrigada  :)




Offline Enf. Ju

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 5
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #55 em: Março 10, 2012, 09:35:06 »
Bom dia a todos :)

Eu trabalho num centro de saúde e, como devem imaginar, aparecem muitas queimaduras..
Bem, pela minha experiência e pelo que vejo na prática dos nossos colegas, quando são flictenas de dimensões reduzidas com líquido límpido, permanecem intactas, até que o próprio organismo as absorva. Na minha opinião não faz sentido quebrar a integridade cutânea, criando uma porta de entrada, com este tipo de flictenas.
Quando são queimaduras extensas, com flictenas de líquido seroso, drenamos a flictena e efectuamos desbridamento dos tecidos desvitalizados. Efectuamos a limpeza da pele lesada com SF e depois aplicamos Hidrofibra com Prata. O que acontece é que há uma perda da integridade cutânea, bem como a criação de uma porta de entrada, pelo que a prata como antimicrobiano irá prevenir uma possível infecção.
No entanto, tive apenas um utente que vinha com prescrição médica (do seguro de acidentes de trabalho) para colocar inadine nas flictenas, numa queimadura extensa de um braço. Este tratamento com inadine foi eficaz, mas demorou mais tempo do que o tratamento com a hidrofibra com prata. Mas como metia seguros... não arriscámos.
Espero ter ajudado ;)

Offline CIMC

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 9
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #56 em: Março 27, 2012, 21:31:09 »
Boa noite a todos.

De facto, nao existe consenso relativamente as circunstancias em que se devem utilizar determinados produtos em flictenas de caracteristicas diferentes.

Gostaria que os colegas me ajudassem a solucionar a seguinte situaçao com que me tenham deparado:

tenho uma idosa no meu local de trabalho que à cerca de um mes apareceu com umas flictenas de caract serosos no peito do pé. Realizai penso com álcool. Contudo, devido a esta senhora apresentar periodos de alguma confusao retirou por diversas vezes  o penso e a ferida acabou por infectar. Neste momento, encontro me a fazer penso com actisorb e a idosa realiza antibioterapia oral. Hoje quando fui realizar o tratamento à ferida qual é o meu espanto que apresenta novas flictenas de caract serosas na regiao circundante à ferida aberta. Na altura em que as flictenas apareceram trocamos-lhe o calçado e tudo. Alguém tem uma experiencia semelhante? Nao compreendo esta situaçao...


obrigada.

Offline RaquelSofia7

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 254
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #57 em: Abril 07, 2012, 19:47:22 »
Eu só encontro artigos em inglês e tenho dificuldade em os traduz... Será que alguém me pde arranjar um bom artigo sobre flictenas?

Offline José Alves

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 9
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #58 em: Abril 16, 2012, 20:00:22 »
Citação de: RaquelSofia7
Eu só encontro artigos em inglês e tenho dificuldade em os traduz... Será que alguém me pde arranjar um bom artigo sobre flictenas?

Boa Tarde,

Podes encontrar um artigo interessante sobre flictenas em:

http://www.podologo.cl/documentos/Docflictemas.pdf

É escrito por José M.Petit, Enfermeiro com experiência numa unidade de grandes queimados. Não é um artigo decorrente de uma revisão sistemática de literatura e portanto carece de referências bibliográficas, mas na minha opinião um dos melhores artigos sobre o tema (para perceber, não para utilizar em trabalho académico). Sucinto e desmistifica muitos dos tão chamados "factos" sobre flictenas que por aí circulam.

Encontra-se escrito em espanhol. Em português desconheço a existência de material na temática.

Espero que seja útil.
Cumprimentos  :)

Offline JoJo203

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 11
    • Ver Perfil
Re: Flictenas
« Responder #59 em: Abril 16, 2012, 22:14:50 »
Citação de: José Alves
Citação de: RaquelSofia7
Eu só encontro artigos em inglês e tenho dificuldade em os traduz... Será que alguém me pde arranjar um bom artigo sobre flictenas?

Boa Tarde,

Podes encontrar um artigo interessante sobre flictenas em:

http://www.podologo.cl/documentos/Docflictemas.pdf

É escrito por José M.Petit, Enfermeiro com experiência numa unidade de grandes queimados. Não é um artigo decorrente de uma revisão sistemática de literatura e portanto carece de referências bibliográficas, mas na minha opinião um dos melhores artigos sobre o tema (para perceber, não para utilizar em trabalho académico). Sucinto e desmistifica muitos dos tão chamados "factos" sobre flictenas que por aí circulam.

Encontra-se escrito em espanhol. Em português desconheço a existência de material na temática.

Espero que seja útil.
Cumprimentos  :)


Gostei... Foi algo de completamente novo para mim!
Muito obrigado colega

Cumps