Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Álvaro Matos

Páginas: 1 ... 22 23 [24] 25 26
346
Cuidados Gerais / Re: As alternativas à Reabilitação
« em: Outubro 06, 2007, 18:30:46 »
A ilusão mais perigosa de todas é a de que existe apenas uma realidade.
Aquilo que de facto existe são várias perspectivas diferentes da realidade, algumas das quais contraditórias, mas todas resultantes da comunicação e não reflexos de verdades eternas e objectivas
(Watzlawick,).[/
color]

347
Cuidados Gerais / As alternativas à Reabilitação
« em: Outubro 06, 2007, 02:24:48 »
Quando um tetraplégico expressa a vontade de o não ser, isto é, de morrer, a ética médica não deveria consistir em rebaixar com sedativos o seu nível de consciência normal até que se dê por vencido e aceite a negociação com o sistema de reabilitação, que aceite as suas condições de bom tratamento, amabilidade e afecto.
E que sempre que se revolta contra a humilhação da dor veja como lhe aumentam a dose de sedativos.
Isto não é respeito pela liberdade de consciência do outro!
In Cartas do Inferno de Ramon Sampedro

O texto transporta-nos para um tema bastante polémico que é a Eutanásia.
Concordando ou discordando todos temos algo a dizer . É precisamente o que vos proponho.
Quem decide sobre a vida afinal?

348
Sem pretender descobrir a pólvora e porque a situação já se me deparou muitas vezes, o que realmente faço é colocar umas luvas (algodão e ligaduras) de modo a que não seja possível a execução dos chamados movimentos finos e consequente extubação e como é referido que o estado da paciente é” Ela está desnutrida, com peso abaixo do normal e letárgica.
Sou totalmente contra as imobilizações, assisti a situações em que essas imobilizações chegavam ao ponto de fazer flictenas pelo atrito que causavam.
De qualquer modo também sou favorável a uma linha de pensamento atrás referida que é de deixarmos a natureza actuar.

349
Caro Enfermeiro Sérgio, concordo em absoluto com o que por si é referido anteriormente, pois quando devíamos promover o auto-cuidado a maioria de nós faz é a substituição.
Quando deveríamos actuar preventivamente, casos dos indivíduos com AVC, fracturas do colo do Fémur, ficamos a ver a banda passar e deixamos indivíduos grandes dependentes, que poderiam  ser autónomos se lhes fossem ministrados cuidados adequados de reabilitação, precocemente.
Quantas e quantas vezes somos nós Enfermeiros que colocamos os doentes em cadeirões, atulhados de almofadas e cobertores, que mais não são do que um convite à imobilidade e consequente perda de capacidades motoras.
 Creio mesmo que a imobilidade é o principal responsável pela dependência nos mais idosos.

350
Reabilitação / Re: Massagistas ou Enfermeiros
« em: Outubro 05, 2007, 00:36:34 »
Gravoso é a prepotência com que uma Associação Distrital de Futebol,depois de apresentar diploma de Enfermeiro, diploma da Especialidade de Reabilitação e Diploma do Iº Curso de Enfermeiros massagistas realizado pelo FC Porto ,na altura reconhecido pelo então Secrtário de Estado do Desporto ,me recusasse a emissão do  cartão de massagista.Queriam que fizesse um curso ministrado por essa mesma Associação,que como é obvio me recusei a fazer e acabei por abandonar o futebol.

351
O problema da dependência é um muito pertinente e encontra-se no topo da hierarquia dos problemas com que hodiernamente a sociedade se depara. É sem sombra de dúvida um problema económico, pois cada vez mais recursos são afectados para esta área e como os recursos são finitos, falharão a montante ou jusante do SNS. Jamais poderei pensar que a Enfermagem não esteja preparada para enfrentar este desafio, que pensando bem é um dos pilares da nossa formação.
Pela minha parte tive formação suficiente (Reabilitação) para lidar com a situação de dependência.
Um problema que não posso deixar de colocar é que muitas vezes somos nós Enfermeiros que por comodidade (colocação de fraldas, algaliações sem critério etc.), por desconhecimento e outras causas criamos dependência

352
Obviamente que há situações clinicas que recomendam a utilização de sedativos.O que me parece ressaltar da notícia é que em alguns lares, depósitos de idosos se sedam os utentes para estes não aborrecerem os profissionais ,que têm de manhã de ir cultivar outras quintas.E isto assumeé  maior gravidade quando é feito por auxiliares, com consentimento de Enfermeiros e médicos.

353
Reabilitação / Massagistas ou Enfermeiros
« em: Outubro 04, 2007, 14:47:21 »
Todos sabemos da existência de inúmeros clubes/Associações que praticam desporto neste País, também sabemos que existem nessas entidades vários tipos de profissionais, treinadores, preparadores físicos, médicos e  normalmente uma figura que é a do massagista, (o que aplica o spray milagroso),que por vezes é exercida por Enfermeiros.
As perguntas que então urge  colocar são :
 Estando em causa a saúde de populações não teria de haver regulamentação para o exercício desta actividade?
Poderá esta ser exercida por um qualquer curioso, mesmo com um mini curso ministrado por uma qualquer Associação Distrital? ( não tutelada por nenhuma área da saúde)
Qual ou quais as competências que estes profissionais que deveriam ter?
Haverá algum profissional que na sua componente formativa reúna mais aptidões que os Enfermeiros?
Pois todos nós daríamos mais ou menos as mesmas respostas.
Eu pessoalmente recuso-me a usar uma braçadeira que é obrigatório usar nos jogos (futebol) com a designação de massagista, pura e simplesmente com adesivo, tapo essa designação e coloco  por cima ENFERMEIRO.
Por onde anda a nossa ordem ao deixar que pessoas sem formação continuem a graçar no nosso desporto sobretudo no futebol. Refiro-me concretamente aos escalões jovens onde é deveras importante, o acompanhamento nas várias vertentes do desenvolvimento do ser humano.
Se para se ser treinador é preciso ter habilitações especificas, porque não para exercer funções na área de saúde, as mesmas não sejam exigidas.
Quantos jovens Enfermeiros não estariam disponíveis para abraçar esta causa , fazer formação e prestar bons serviços à comunidade.
A bola está do lado da Ordem dos Enfermeiros que deveria criar uma qualquer complemento de formação ou especialização adequada e obrigar o poder a legislar sobre essa matéria.
.

354
Cuidados Gerais / Re: Lavagem auricular
« em: Outubro 04, 2007, 14:27:22 »
Já fiz talvéz milhares de lavagens auriculares ,tirando umas poucas sensações de perda de equilibrio,uma ou duas situações de vómito,uma de otorragia , tudo o mais não passou de meros actos rotineiros.
Obviamente que quando se faz a lavagem como em qualquer outra situação se faz uma história , se observa o ouvido e por exemplo na presença de dor eu não a faço.
Esta contra-indicação das lavagens auriculares é recente pois ,em minha modesta opinião mais não é do que angariar doentes para as consultas privadas de ORL ,onde por aspiração se faz a dita limpeza.
Eu como burro velho não toma andadura  vou continuar a lavar orelhas ,melhor dizendo ouvidos.

355
Reabilitação / Re: ruptura de ligamentos ou entorse tíbio-társica
« em: Outubro 04, 2007, 10:56:05 »
Poderei partilhar alguma da minha experiência.no tratamento destas situações  .Pergunte que eu se souber respondo.
Todavia ,se houver ruptura completa o tratamento terá de ser cirurgico ,no caso de entorse sem ruptura ,o tratamento poderá ser o conservador , ou seja imobilização tipo "Robert Jones",gêlo primeiras 48h,havendo quem defenda que pode ir às 72h e anti-inflamatório, não esteroide.
Após o 5º dia pode começar a fazer calor sob várias formas (I.V,U.S parafinas etc.).
Pode também ser feita massagem de drenagem para reduzir o edema.
A carga pode ser feita logo de início ,sendo a dor quem a condiciona.
Assiste-se muitas vezes ao aconselhamento de repouso e uso de canadianas ,aprendi e a minha experiência confirma que isso é errado,pois vem a retardar a reabilitação na medida em imobilizações/repouso  prolongados  provocam atrofias musculares.
Há quem utilize a alternância de temperaturas, ou seja fazer emersões em água quente e fria.

356
Caro/a Projecto de Enfermeiro ,obviamente que as opiniões sendo para respeitar ,também são para discordar . sob pena disto não ser um fórum .e um laudatório a quem aqui opina. Não quiz ser deselegante e considerei uma maneira ternurenta atendendo ao seu pseudónimo ,quiz tão só dizer que no decorrer de  qualquer projecto temos de introduzir alterações .
O ele amatosa

357
Cuidados Gerais / Re: enfermagem profissaõ de risco
« em: Outubro 03, 2007, 11:11:22 »
Quanto a bibliografia não conheço nada.Talvez os sindicatos tenham alguma coisa. Uma coisa eu sei por experiência própria(já fui opedao a uma hérnia discal) é que a taxa de patologias na coluna é elevada. Alterações do sono também são muito frquentes.
Mas foi por considerarem esse grau de risco que a reforma passou para os 65 anos!!

358
Cuidados Gerais / Re: Preciso de opinião...
« em: Outubro 03, 2007, 10:58:55 »
Gostei  bastante do que vi .também pretendo fazer algo semelhante para o meu Centro de Saúde.
Coloco uma questão para fazer esta página teve que pedir autorização da ARS , ao Director ?
Em minha opinião poderia colocar mais informação respeitante aos programas /objectivos do C. S.tipo conselhos ao diabético,vantagens do aleitamento materno etc etc.

359
Os nossos maiores detractores estão na nossa própria profissão. Eu explico, há uns anos atrás, fazia-se a especialidade e só depois dum estúpido concurso, (que alguém decidia quando queria abrir) fazia-se uma prova escrita e de acordo com a nota obtida podia-se ou não ficar nas vagas e então era-se nomeado Especialista. Ora eu sou desse tempo só ao fim de quase quatro anos com a Especialidade de Reabilitação é que fui especialista, precisamente numa Instituição que nunca me deu possibilidades para a exercer.
Nessa altura porque tínhamos internamento, quando convinha tratar de doentes acamados eu era especialista. Noutras situações era só Enfermeiro graduado.
 Depois destes anos todos a maioria dos colegas com quem tenho privado pouco ou nada se interessam por saber do conteúdo e na aprendizagem de algumas técnicas , quem realmente tem dado valor à minha especialização são os utentes a quem eu ,mercê de cuidados diferenciados ,consegui devolver alguma da  independência que haviam perdido. Por isso digo com algum orgulho que a especialidade cimentou alguns conhecimentos do curso base e deu-me uma nova visão até da própria profissão.
Jamais em tempo algum poderei estar de acordo com o que aqui é referido “Bem Helena sou muito sincera contigo. Hoje em dia ter, ou não, uma especialidade, não é muito significativo.
Com o aumentar do número de especialidades e o número de vagas, existirão especialistas a mais. Certamente quem está no poder aproveitara este facto para equiparar em termos de salários um especialista a um graduado ou a um recem- licenciado”
Se ser especialista, não é muito significativo, se serve apenas e só para ganhar mais uns trocados, então eu passei estes anos todos enganado, só posso concluir que sou mesmo ingénuo, pois eu ainda acreditava que fazer uma especialidade era para além da progressão na carreira uma valorização pessoal e profissional.
Foi realmente um erro crasso andar uma série de anos a formar especialistas para serem chefes, sendo que alguns quase nunca chegaram a exercer a especialidade.
Concordo em absoluto “( ... Esta é a visão de alguem que ainda tem muito que aprender mas que já tenta percepcionar o que esta em seu redor...) Atendendo a que ainda só é projecto ,poderá ainda introduzir algumas alterações .

360
Cuidados Gerais / Re: hidroxizina endovenosa
« em: Outubro 02, 2007, 20:57:49 »
Como desconhecia fui tentar informar-me e a bula realmente fala em via IM profunda ,no quadrante superior externo da região glútea.Mas depois também diz que as vias intra-arterial e subcutânea são contra indicadas, não havendo nenhuma referência à via E. V.Mas como diz o ditado cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém.

Páginas: 1 ... 22 23 [24] 25 26