Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - NiniSF

Páginas: 1 [2]
16
Ensino e Atividades Académicas / Re: Ajudem-me!
« em: Setembro 18, 2007, 20:49:01 »
Olá
No hospital onde trabalho a CCIH tem vindo a emanar uma série de normas de actuação (que vão desde a limpeza de superficies e materiais, tipos de isolamentos, até a procedimentos como a algaliação, cuidados aos doentes traqueostomizados.... (já sairam muitas) e estudos sobre as infecções mais frequentes na instituição - nomeadamente infecções urinárias que estão definidas como indicador de qualidade dos cuidados de enfermagem). Também vi um trabalho muito interessante sobre o destino a dar aos residuos nos doentes assistidos no domicilio, nomeadamente quando existem infecções a microorganismos multi-resistentes.
Não sei se que o necessitas são linhas de orientação para delinear um projecto de actuação ou trabalhos feitos para consulta.
Existem mais CCIH activas em vários hospitais com alguns trabalhos disponiveis na net e existem também as orientações do CDC (Center for desease control - http://www.cdc.gov/.

17
Olá,

A Indicação inicial do Biafine são, na realidade, as queimaduras, mas o Laboratório que a comercializa tem vindo a apresentar estudos sobre a sua aplicação em UP, aparentemente com resultados aliciantes.
No meu serviço utilizamos sobretudo no tratamento e prevenção de dermatites rádicas, mas temos vindo a aplicar também em UP grau I com resultados "milagrosos". Tenho pouca experiencia na sua utilização em feridas abertas mas por vezes tem um efeito secundário desagradável: os doentes referem sensação de calor ou picadas na zona que provavelmente equivale ao processo de revascularização mas que faz com que tolerem/aceitem mal o penso.

18
Nunca me tinha ocorrido que pudessem existir dúvidas sobre este assunto... o obvio não devia ter que ser reafirmado mas cá vai:
     - Escola Superior de Enfermagem Francisco Gentil

E respondendo ao Damocles (sobre os argumentos): Porque sim!!! lololololo

19
Cuidados Gerais / Hipertemia, o quw fazer!?
« em: Janeiro 23, 2007, 23:17:48 »
Olá. Penso que o companheiro Hugo já encontrou a resposta para a sua própria pergunta. Atenção - quando falamos em medidas de conforto convém não exagerar no nº de cobertores. Gostava de relembrer que Na faixa de temperatura a que se refere não há riscos de dano para o organismo - apenas o desconforto, e a actividade os microorganismos pode diminuir. por isso vamos lá a confortar, hidratar e apertar a vigilancia!!

20
Cuidados Gerais / Hipertemia, o quw fazer!?
« em: Janeiro 17, 2007, 21:21:17 »
Em primeiro lugar é importante perceber a origem do aumento da temperatura - hipertermia (de origem central ou por sobreaquecimento) ou febre. Os conceitos de febre e hipertermia são frequentemente utilizados como sinónimos o que leva a práticas erradas.
Em segundo lugar, e no caso de se tratar de febre, é importante peceber em que fase se está - subida ou descida da temperatura. Se estamos na fase de subida, isto é, na chamada fase do arrepio, o doente terá o centro termoregulador reprogramado para atingir uma determinada temperatura e o organismo tudo fará para atingir essa temperatura - arrepios, tremores, aumento do metabolismo, mecanismos comportamentais, etc. com todas as implicaçõioes que o Hugo referiu. Nesta fase podemos ajudar hidratando, promovendo o conforto e a  vasodilatação atraves de fricção de áreas como as costas ou coxas - que promove a perda de calor por irradiação. Nessa fase implementar medidas de arrefecimento são PURA E SIMPLES TORTURA e para ilustrar convido o colega Abílio a despir-se e abrir a janela na próxima gripe :D .
Quando se atige a temperatura programada ou se administram antipiréticos entram em acção os mecanismos de perda de temperatura - sudorese, vasodilatação, sensação de calor com consequentes mecanismos comportamentais - nesa fase, se demos uma ajudinha o doente agradece.

21
Cuidados Gerais / Sacos colectores de urina
« em: Dezembro 05, 2006, 22:33:35 »
Drenar significa escoar líquidos de um local onde estes estão em maior quantidade para outro onde estão em menor... se considerar-mos que um doente algaliado tem, em princípio, a bexiga vazia, corremos o risco de que a "drenagem" se faça em sentido contrário. Para não falar no risco de infecção, isto será no minimo um contra-senso. A única forma que temos para assegurar a continuidade da drenagem é obter uma diferença de pressões entre a bexiga e o saco colector desnivelando-os (o saco na posição mais baixa... certo :wink: ) e esperar que a Srª Gravidade faça o resto.

Páginas: 1 [2]