Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Tópicos - Caça Coelho

Páginas: [1]
1
Na entrevista de seleção para este concurso perguntaram:

- O que faz nos tempos livres ?
- Vota?
- Tem filhos?
- Quem toma conta dos Filhos?
- A que distancia mora do Hospital.
- Concorda com o trabalho por turnos.
- O que mudava na enfermagem?
- Tem disponibilidade para seguir turno?
- O que mudava no atual sistema de trabalho
De enfermagem especificamente...
 Nada

QUE deu na lista de classificação final, enfermeiros que investiram em especialidades e mestrados, centenas de lugares atrás de quem nunca investiu mais que o curso de base.

2
Enfermagem e Politica de Saúde / Perdemos tudo
« em: Abril 15, 2008, 13:54:33 »
Perdemos qualidade de ensino
Perdemos subsídios de curso
Perdemos condições fisícas, materiaias e humanas de trabalho
Perdemos qualidade de cuidados de Enfermagem
Perdemos emprego
Perdemos salários
Perdemos o respeito dos utentes e o pouco que tinhamos dos médicos
Perdemos autoestima
Somos quase 60000 Enfermeiros!
Onde está a nossa inteligência? O nosso saber? A nossa perspicácia?

3
Estou abismado, perplexo.
Fiquei recentemente a saber que pelo menos na Escola Superior de Enfermagem de S. João, terminaram com o subsídio de alimentação que os alunos de Enfermagem em estágio prático, recebiam até ao presente ano lectivo.
Não sei o que se passa nas outras Escolas de Enfermagem, é igual?
Inflacionaram as propinas e ainda retiraram o subsídio de alimentação, que a tantos alunos fazia falta, de modo a amenizar os sacrifícios com as despesas do curso.
Vergonha!

4
Cuidados Gerais / Oportunidade de resolver a nossa situação
« em: Maio 29, 2007, 22:11:59 »
Caros colegas, amanhã dia 30 de Maio de 2007, temos uma pequena oportunidade de demonstrar ao governo o nosso descontentamento face á actual situação calamitosa da Enfermagem e dos Enfermeiros, aderindo á greve.

Na minha opinião, é através de acções como esta (que na minha opinião deveriam de ser por tempo indeterminado) que devemos demonstrar o nosso descontentamento e revolta ao governo deste País que tem marginalizado os Enfermeiros.

O nosso problema não se resolve com internatos, porque todos sabemos que os Enfermeiros e a Enfermagem Portuguesa, são reconhecidos e referênciados positivamente além fronteiras.

Para avaliar os cuidados de Enfermagem e os Enfermeiros, já temos os directores e os chefes de serviço.

Para resolver a actual situação é necessário simplesmente terminar com a abertura de mais escolas, avaliar e encerrar as que não apresentem condições físicas e de ensino e diminuir ou mesmo "congelar" as vagas em Enfermagem, qual é a dúvida"?

Agora que digam que existem "tachistas" que não têm interesse que isso se faça, é outro assunto.

Portanto, espero que todos os Enfermeiros, organizações e instituições ligadas á Enfermagem se unam pelo futuro dos Enfermeiros e da Enfermagem e demontrem inequivocamente ao governo o que queremos e como queremos, sem medos nem receios, porque o período ditatorial já lá vai e não volta mais de certeza.

O(a)s Enfermeiro(a)s pela Enfermagem


Cumprimentos

5
Caros colegas, provavelmente todos já ouviram falar na situação que está a acontecer nos centros de saúde de Bragança, em que durante a noite existe um Enfermeiro de permanência e um médico á chamada, com tempo imprevisto de chegada.

A nossa Bastonária finalmente apareceu na comunicação social, a dizer que os Enfermeiros têm competência para resolver as situações que ocorram.
Mas todos sabemos que não podemos administrar medicação sem prescrição médica a não ser em casos muito pontuais e por nossa conta e risco, e todos sabemos que segundos fazem a diferença entre a vida e a morte.

Gostava de saber a vossa opinião sobre esta situação.

Se deveria existir um médico em permanência ou não.

Se esta "na hora" de aumentar a autonomia dos Enfermeiros, permitindo a prescrição de medicação por parte dos mesmos ou não.
Cumprimentos

6
Novidades / Dia do trabalhador Enfermeiro
« em: Maio 01, 2007, 15:02:28 »
No dia em que se comemora o dia do trabalhador, devemos reflectir sobre a nossa actual situação "catástrofica", nos últimos anos fomos seguramente a profissão que mais qualidade de vida  perdeu.

Na minha opinião só nos resta a união de todos (desde o estudante, ao Enfermeiro do quadro, ao Enfermeiro reformado) uma atitude enérgica, sem medos, sem receios e construtiva, de modo a fazer evoluir qualitivamente e quantitivamente os cuidados de Enfermagem, definir e delimitar claramente as nossas áreas de intervenção, aumetá-las se possivel e promover uma qualidade de vida dos Enfermeiros digna e adequada á profissão que exercemos e/ou temos pretensão de exercer.

Não podemos de modo algum estar a "espreitar", a vaga do(a) colega que não aceitou o trabalho precário, exploratório, por vezes quase exclavagista, para a ocupar-mos nós, devemos sim competir através das nossas capacidades profissionais, por um trabalho com cada vez mais qualidade, justa e legalmente remunerado, saímos nós e quem cuidamos, beneficiados.

Na minha opinião, deveriamos ser mais activos junto da população de modo a demonstrar as nossas capacidades e a nossa importância, através de rastreios, de campanhas de prevençao, de formações etc.

Actualmente deparámo-nos com pessoas sem qualquer formação a medir pressões arteriais no meio da rua, sem se quer saberem os valores de referência, debaixo de um sol tórrido, lavadores de corpos, despachadores de idosos. Se tudo isto é permitido, devemos ser nós a demonstrar a diferença do mau para o bom.

Á Ordem já não vale a pena fazer referência
Dos Sindicatos espero que sejam o nosso Líderes de Luta, os nossos fomentadores de união e que se deixem de politiquices

Cumprimentos

7
Caros colegas actualmente deparamo-nos com:
- Desempregados aos milhares
- Trabalho precário, em muitos casos esclavagista
- Trabalho gratuito com a esperança de posteriormente ser remunerado
- Trabalho gratuito para não perder ou para acrescentar prática
- Trabalho com remunerações miseráveis
- Competências a transitar para outras profissões ( profissionais de Farmácia, auxiliares de Enfermagem, técnicos de geriatria, ajudantes familiares, ajudantes de lar e até professores de ginásio já vi a medir TA e FC na rua) portanto...
Se não fizer-mos alguma coisa urgentemente pela nossa profissão, não sei não!
Cumprimentos

8
Cuidados Gerais / Dignidade e respeito pela profissão
« em: Março 21, 2007, 14:23:19 »
Depois de ter ouvido e lido relatos de colegas que trabalham gratuitamente com a promessa de um emprego remunerado, a troco de um subsídio de alimentação e de transporte, por meio salário, por 350 euros a fazer 160 horas mensais, a 5 euros á hora sem subsídio noturno ou qualquer outro subsídio, penso que é lígitimo perguntar!
Os Enfermeiros ficaram malucos? Onde está a nossa dignidade e o respeito pela profissão?
Exercer Enfermagem a qualquer preço, ou a nenhum em muitos casos, NÃO por favor...
Claro que assim as instituições de saúde apresentam diminuição de gastos e ainda se devem rir.
Assim é que querem revisão de carreiras, de remunerações e abertura de vagas? Não acreditem em falsas promessas, eles vão é substituindo Enfermeiros gratuitos por outros também gratuitos, e as poucas vagas são para as cunhas.
Está na hora dos Emfermeiros empregados começarem sair da "sombra da bananeira" e actuarem de forma firme e inérgica, porque a seguir á Ordem e aos Sindicatos, são os que podem e têm obrigação de fazer alguma coisa pela profissão e até porque esta situação dramática por que passa a Enfermagem também já está a atingilos.
Cumprimentos

9
Cuidados Gerais / Colegas inscrevam-se nos centros de emprego
« em: Fevereiro 12, 2007, 13:05:05 »
Caros colegas todos sabemos que a Enfermagem e os Enfermeiros estão a atravessar uma situação dramática e que tem como responsáveis o actual governo, a ordem e os sindicatos dos Enfermeiros.
Para o governo de números e percentagens, vamos increver-nos nos centros de emprego, de modo a alertar-mos a opinião Pública e os orgãos de comunicação social que por sua vez vão alertar o governo, que finge que nada se passsa.
Quanto á Ordem dos Enfermeiros, por favor! É emergente acordar a senhora Bastonária, que mais parece uma daquelas doentes que não tem quem cuide dela em casa, internada num Hospital, faz de tudo para lá continuar, se for necessário atira-se pelas escadas. É emergente que a senhora dê lugar a outra colega com alguma competência, energia e opinião própria.
Os sindicatos, têm aquele problema das ligações partidárias, observamos que de acordo com a cor governativa, assim eles agem, actualmente nada dizem, nada fazem. Um dia ou dois de greve só benefícia o governo e não tem resultados práticos.
Devemos divulgar a nossa situação dramática nos orgãos de comunicação social, protestar com a ordem e os sindicatos.
Colegas! Todos juntos, lutar e sofrer, para alcançar.
Obrigado

Páginas: [1]