Forumenfermagem

Outras Dimensões da Profissão => Enfermagem e Politica de Saúde => Tópico iniciado por: AddSilva em Dezembro 13, 2011, 14:05:53

Título: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: AddSilva em Dezembro 13, 2011, 14:05:53
Bom dia a todos,

Hoje, 13 de Dezembro de 2011, venho por este meio "desabafar", desconhecendo desde já qual o novo bastonário bem como os resultados eleitorais, exceptuando um valor aproximado relativo à abstenção, que se reflectiu nuns 80%

Estou preocupado. Porquê? Porque considero que, actualmente, a Enfermagem Portuguesa, de uma forma geral, está no "lodo", por vários motivos. Pois bem, somos os principais culpados!

Creio que não há qualquer tipo de desculpa para valores de abstenção tão exagerados. Não me venham com a história da escassez de mesas de voto, pois tiveram mais de uma semana para enviar o voto por correspondência.

Nunca pensei vir a dizer ou escrever isto, mas os enfermeiros portugueses têm aquilo que merecem!!! Queixam-se todos os dias e muito, mas esperam que outros façam alguma coisa por eles, mas quando lhes é dada a oportunidade de decidirem algo para eles, pura e simplesmente escondem-se, para depois se voltarem a queixar e muito. Por isso, no que toca à Ordem, os abstencionistas têm uma boa oportunidade para estarem calados nos próximos anos.

Para onde vais, enfermagem?
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: Minhoca em Dezembro 13, 2011, 14:37:43
Ora aí está uma excelente conclusão!

É típico do português, reclama reclama, mas na horinha que lhe é dada para se pronunciar...

NADA.
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: ricardodcc em Dezembro 13, 2011, 18:00:38
Ora bem. Até certa parte até posso concordar com o que dizem.
Mas e se as soluções apresentadas não nos agradarem?
Eu vejo a abstenção como uma forma de demonstrar o desagrado das pessoas com esse mesmo sistema, e se alternativas não representam a solução talvez seja melhor os senhores presidentes das listas verem o que mais podem fazer para ajudar a nossa profissão e para nos dignificar.

Pensem também nisto antes de tirar qualquer conclusão

e outra coisa acho inadmissível que com as cotas em dia tenhas que pagar por qualquer declaração que queiras (isto é só um aparte)
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: Ark em Dezembro 13, 2011, 19:08:21
Também interpreto a percentagem de abstenção como protesto.
Li o caderno que a OE nos enviou com as propostas que as listas apresentavam:
1 - para 3 anos de mandato, algumas demasiado extensas.
2 - construir museus??? para quê????dar visibilidade à profissão???? MAS O QUE É ISTO????
3 - do meu ponto de vista, nenhuma das listas reuniu tudo aquilo que enquanto eleitora, eu esperava. Muitos pontos concordava, discordava, outros encontravam-se noutra lista...

De louvar uma medida de uma lista que consistia em dar apoio ao nível da formação aos colegas desempregados e recém-licenciados, achei interessante. Mas até que ponto viável? Não sei...
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: Mauro Germano em Dezembro 13, 2011, 21:12:26
A Abstenção
(adaptado do blogue A Voz do Povo: http://comnexo.blogspot.com/ (http://comnexo.blogspot.com/))

Em eleições, a abstenção tem pouco significado político. Tem aumentado como sabemos, donde se conclui uma vaga insatisfação com o sistema político que nos rege(onde se pode incluir a OE vagamente). Como tem um significado ambíguo, as várias listas pouco se incomodam com o aumento da abstenção e apenas choram cínicas lágrimas de crocodilo. É tudo e é pouco.

De facto, mais uma pessoa a abster-se pode ser muita coisa: o sujeito morreu, mudou de residência, o eleitor está com uma amigdalite, está descrente na política, foi à praia, ou ainda os cadernos eleitorais estão desactualizados. Pode ainda ser um sujeito que não acredita na democracia ou, simplesmente, nesta democracia. Nunca saberemos.

Politicamente a abstenção não tem, de facto, muito significado, por muito elevada que seja. Além disso, para qualquer lista perder um voto para a abstenção é meia vitória: menos um que não vai votar no partido concorrente e menos um sujeito com quem se preocuparem. Por isso, abster-se é pouco inteligente.

Falta credibilidade à política e falta interesse por parte dos mais jovens em participarem politicamente nos destinos da enfermagem. Portanto, a RENOVAÇÃO da Enfermagem não se faz, e quando se faz é muitas vezes para pior. O fenómeno não é exclusivo de Portugal, mas é particularmente agudo no nosso caso.

Assim ou votamos num dos partidos actuais: essa é a escolha ou então Abster-se é um erro grave e sinal de fraca inteligência. É a última esperança de um cidadão consciente.
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: Mauro Germano em Dezembro 13, 2011, 21:18:24
Na verdade não há propostas perfeitas, e quem procura soluções perfeitas provavelmente nunca vai votar em ninguém...

Na vida são feitas escolhas e a ausência de escolha de facto também é uma escolha mas é sinal de ser demasiado céptico e não contribuir em absolutamente nada para a melhoria do estado actual.

O que vale é que há pelo menos 10000 enfermeiros que sabem que o mundo não é perfeito e que quiseram dar a sua opinião.  É um número bastante bom para arranjar colaboradores em todas as actividades e programas que os enfermeiros podem e devem desenvolver para melhorar a Enfermagem em Portugal. Não vos parece?

Parabéns a quem votou: mostrou que pode e quer ser um agente de mudança, independentemente da lista em que votou cumpriu o mínimo possível, escolher uma opção. Serão esses que terão a legitimidade de criticar as escolhas feitas e de quererem fazer parte da solução.

Quanto aos outros, têm imperiosamente de mudar de atitude para que seja possível renovar a Ordem, a Enfermagem e acima de tudo... os enfermeiros.

Desistir não pode ser uma opção!
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: AddSilva em Dezembro 13, 2011, 22:28:42
Citação de: ricardodcc
Ora bem. Até certa parte até posso concordar com o que dizem.
Mas e se as soluções apresentadas não nos agradarem?
Eu vejo a abstenção como uma forma de demonstrar o desagrado das pessoas com esse mesmo sistema, e se alternativas não representam a solução talvez seja melhor os senhores presidentes das listas verem o que mais podem fazer para ajudar a nossa profissão e para nos dignificar.

Pensem também nisto antes de tirar qualquer conclusão

e outra coisa acho inadmissível que com as cotas em dia tenhas que pagar por qualquer declaração que queiras (isto é só um aparte)

Se os colegas estão desagradados teriam a opção de votar em branco/nulo. Certo? Imagine uma lista que vence as eleições com 40% dos votos e são contabilizados 40% de votos brancos/nulos, qual a sua interpretação? É desconfortável para o vencedor, não é?

Quanto à reclamação sobre o pagamento de declarações com as cotas em dia, independentemente de ter razão ou não, deixa de a ter se se absteve em eleições que lhe dizem muito respeito... O colega Mauro referiu isso mesmo neste tópico, sobre a legitimidade de criticar, independentemente da orientação de voto.

Cumps
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: enfermeiroUK em Dezembro 13, 2011, 22:33:00
Quando nenhum dos candidatos tem um pingo de carisma, é difícil sequer pensar em votar. Não há nada nos candidatos que atraia as pessoas a votar. Mais, dizem que é através do voto que se pode mudar. Será? Quem olha para os candidatos talvez a primeira coisa que salta à vista é que nenhum deles tem capacidade para mudar seja o que for. (Não será isto talvez um facto? Será que o futuro bastonário vai olhar para a abstenção e ver que afinal muita gente não quer saber sequer se ele existe? Que não teve interesse nele? Que afinal não ganhou para a maioria dos enfermeiros?)Talvez por isso muitos não queiram saber de "votações", porque no fundo é apenas um jogo de cadeiras, em que saiem uns e entram outros.

Agora claro, se ouvesse carisma, e algum dos candidatos "os tivesse no sitio", e algum dos candidatos fosse convincente no que diz, que atraísse as pessoas, aí talvez ouvesse pessoas a votar. Agora assim, querem o quê? Farinha do mesmo saco? Nem vale a pena...
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quo vadis?
Enviado por: AddSilva em Dezembro 13, 2011, 22:55:59
Citação de: enfermeiroUK
Quando nenhum dos candidatos tem um pingo de carisma, é difícil sequer pensar em votar. Não há nada nos candidatos que atraia as pessoas a votar. Mais, dizem que é através do voto que se pode mudar. Será? Quem olha para os candidatos talvez a primeira coisa que salta à vista é que nenhum deles tem capacidade para mudar seja o que for. (Não será isto talvez um facto? Será que o futuro bastonário vai olhar para a abstenção e ver que afinal muita gente não quer saber sequer se ele existe? Que não teve interesse nele? Que afinal não ganhou para a maioria dos enfermeiros?)Talvez por isso muitos não queiram saber de "votações", porque no fundo é apenas um jogo de cadeiras, em que saiem uns e entram outros.

Agora claro, se ouvesse carisma, e algum dos candidatos "os tivesse no sitio", e algum dos candidatos fosse convincente no que diz, que atraísse as pessoas, aí talvez ouvesse pessoas a votar. Agora assim, querem o quê? Farinha do mesmo saco? Nem vale a pena...

É uma interpetação bastante razoável e justa. No entanto chamo a atenção para o desleixo de muitos daqueles que não votaram nestas eleições e acrescento ainda que esses colegas nem sequer opinam neste fórum, pois estão demasiados ocupados com o seu umbigo e, tal como referi, esperam que outros façam alguma coisa por eles... Mas que se queixam muito, isso é um facto.
Título: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 14, 2011, 10:26:23
Desleixo?
Desconhecimento?
Descontentamento?
Formação!...
Outros....
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: valente1043 em Dezembro 14, 2011, 17:54:33
É simples! Neste acto eleitoral como nos actos eleitorais (esfera política) nacionais, as pessoas abstêm-se de debater as suas ideias, de participar activamente nas decisões e alheiam-se de escolher as pessoas que as representem. Depois com toda a presunção do mundo criticam, quando nem sequer 10 minutos disponibilizaram para discutir uma ideia, preencher um boletim de voto e colocá-lo no correio ou na urna de voto.
Na vida política portuguesa assiste-se ao mesmo e as taxas de abstenção são igualmente elevadas!! Eu critico mas, o voto dá-me essa legitimidade. No dia em que não votar, abstenho-me de criticar, porque nesse extacto momento não fiz uma escolha.
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 15, 2011, 01:47:46
Curiosamente, nestas eleições houve uma maior dinâmica nas instituições por parte de todas as listas, ainda assim a abstenção aumentou!...Penso que uma das principais razoes foi acabar com as mesas de voto nos hospitais!...
O resultado está à vista!...
Curiosamente os pensadores destas idiotices, defendiam em debates públicos que caso ganhassem, iriam aproximar mais a ordem, dos enfermeiros!...
Caro valente
Não é assim tão simples!
Não podemos comparar os enfermeiros com a população em geral (aquela que vota para as autárquicas, legislativas, presidenciais etc), isto é uma esfera bastante diferente. Teoricamente, os Enfermeiros são pessoas bem formadas quer no contexto académico quer cívico, daí não entender tal abstenção....
Quando falei em formação estava a referir-me concretamente à formação cívica. Como aquilo que está em causa é tão importante, quero acreditar que foi mesmo descontentamento e desânimo.
A próxima equipa, liderada pelo Enf. Germano não pode deixar de debater este assunto (abstenção). É muito grave os números de abstenção, são demasiado elevados. De certa forma criam um problema de legitimidade que outros não vão deixar passar em branco.
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: Marley em Dezembro 15, 2011, 19:37:49
Colegas, assolam-me várias dúvidas.. Onde posso consultar os resultados exactos das eleiçoes? No site da Ordem não encontro nada. Estou eu a ver mal? As eleições não foram a dia 12? 13 e 14 foi fim-de-semana? Não estamos em 2011 e não está já tudo informatizado?!

Não podemos comparar os enfermeiros com a população em geral? Que afirmação atrevida... Seremos assim tão bem formados? A nivel académico, cívico? Desconfio muito que não...

De duas coisas estou segurissíma! Os Portugueses têm o país que merecem. E os enfermeiros portugueses têm a enfermagem que merecem!
Faço parte da nova fornada de enfermeiros contratados por um ano, que inclusivamente estão a ver a renovação por um fio, ainda assim, muitos dos meus colegas na mesma situação não votou e dizem isso descontraidamente..
E depois querem fazer greves? Querem emprego? Não querem emigrar? Querem salários mais elevados? Querem 35 horas semanais? Já nem os consigo ouvir..

Estarei eu louca e eles sãos?..
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: Mauro Germano em Dezembro 15, 2011, 20:49:24
Os enfermeiros têm de acreditar mais em si próprios e nos outros enfermeiros que... afinal são como eles.

 Acredito que isto é um sinal de que os enfermeiros já não acreditam na democracia e na mudança, na renovação, etc etc.
Infelizmente vejo que tal não é exclusivo nosso mas de toda a sociedade. Uma descrença em todo e qualquer tipo de instituição é algo já demasiado normal. Veja-se a abstenção para umas legislativas que ronda os 40%...

Acho que as pessoas deixaram de acreditar no poder do voto... A história repete-se? Espero que não pois períodos destes precedem ditaduras a sério...
Eu acredito porém que é possível dar a volta e cabe a quem ganhar dar um exemplo de cidadania e abnegação em prol duma causa e que pode servir de exemplo para o país.

A democracia só é possível entre iguais e para sermos iguais o equilíbrio de vontades tem de ser reposto. É preciso acreditar mais...
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: Enf.Rosa em Dezembro 15, 2011, 23:22:24
O problema de abstenção pode ter uma resposta … que na minha opinião,  não é resposta  valida mas é dada por alguns Enfermeiros.
“Eu não vou votar porque para trabalhar vou ter que sair do Pais”.  Isso revela muito a falta de animo que há no Pais e neste caso na enfermagem, sentida por cada um dos membros da OE .. é uma pena mas percebo perfeitamente quem o fez. É muito triste e frustrante ser enfermeiro querer muito um emprego e  não ter  =(  .
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: valente1043 em Dezembro 16, 2011, 00:24:55
Citação de: BV1
(...)
Não podemos comparar os enfermeiros com a população em geral (aquela que vota para as autárquicas, legislativas, presidenciais etc), isto é uma esfera bastante diferente. Teoricamente, os Enfermeiros são pessoas bem formadas quer no contexto académico quer cívico, daí não entender tal abstenção....
Quando falei em formação estava a referir-me concretamente à formação cívica. Como aquilo que está em causa é tão importante, quero acreditar que foi mesmo descontentamento e desânimo.
A próxima equipa, liderada pelo Enf. Germano não pode deixar de debater este assunto (abstenção). É muito grave os números de abstenção, são demasiado elevados. De certa forma criam um problema de legitimidade que outros não vão deixar passar em branco.

Caro colega BV1:
Quero e concordo consigo quando diz que os "Enfermeiros são pessoas bem formadas quer no contexto académico quer cívico, daí não entender tal abstenção...."
No entanto não entendo o número elevadissimo de votos nulos!! Só poderá ter sido pura distracção!! O colega não imagina o número de votos por correspondência que foram "nulos" devido a vários colegas que no seu envelope, identificado com o seu nº de cedula profissional, colocaram o envelope com os votos e a fotocópia da cédula profissional de outra pessoa (provavelmente de maridos, esposas, namorados, namoradas, filhos, etc...)!! Isto é pura distracção ou não ler as intruções devidamente!! Todos os colegas das várias listas estavamos estupefatos com a situação!! Estamos a falar de muitos votos mesmo (e apenas me refiro à minha secção regional!!)!!

A abstenção é realmente de combater!! Estas taxas elevadissimas não ajudam em nada a legitimar a nossa Ordem junto do poder político!!
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: valente1043 em Dezembro 16, 2011, 00:35:26
Citação de: Marley
Faço parte da nova fornada de enfermeiros contratados por um ano, que inclusivamente estão a ver a renovação por um fio, ainda assim, muitos dos meus colegas na mesma situação não votou e dizem isso descontraidamente..
E depois querem fazer greves? Querem emprego? Não querem emigrar? Querem salários mais elevados? Querem 35 horas semanais? Já nem os consigo ouvir..

Estarei eu louca e eles sãos?..

Caro Colega,
por me rever numa situação identica à sua é que tomei a decisão de, em vez de só criticar e adoptar uma atitude de passividade, passei para uma atitude pró-activa no sentido de fazer algo pelos Enfermeiros e pela Enfermagem.

Gostava que os colegas da "nossa geração" se mobilizassem nestes proximos anos no sentido de mudar o actual paradigma. Vamos remar todos para o mesmo lado, e deixar de remar cada um por si! Todos juntos podemos fazer a diferença!
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 16, 2011, 02:44:14
Citar
O colega não imagina o número de votos por correspondência que foram "nulos" devido a vários colegas que no seu envelope, identificado com o seu nº de cedula profissional, colocaram o envelope com os votos e a fotocópia da cédula profissional de outra pessoa (provavelmente de maridos, esposas, namorados, namoradas, filhos, etc...)!! Isto é pura distracção ou não ler as intruções devidamente!!

caro valente
Estas eleições foram preparadas para gerar confusão, mal entendidos e abstenção!... senão vejamos (repito-me nalgumas coisas que já disse):
Ausencia de mesas de votos hospitalares;
Escolha do dia das eleições à segunda feira (teoricamente um dos dias de maior trabalho dos enfermeiros; dia de má disposição pela semana de trabalho que entra!.... é segunda feira!....);
Feriados semanais antes das eleições (compromete os votos por correspoendencia!).Já que está haver tanto atraso na contagem dos votos, porque não protelar mais uns dias a recepção dos votos por correspondencia....;
Mês da festa mais queridas das familias - NATAL. As pessoas não tem tempo para fazer as compras natalicias quanto mais para votar.... Deveria ter sido escolhido um periodo neutro. Talvez Novembro ou então Janeiro.
Uma coisa que ninguém me conseguiu explicar:
Para que raio era preciso a cópia da cédula dentro do envelope?.... Esta é que eu não percebo ou então estou mesmo lerdo!...
Quem me expilica esta compilicação!.....
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: MFF em Dezembro 16, 2011, 18:59:24
Eu votei pela primeira vez este ano no entanto creio que o meu voto foi considerado nulo e porquê? Porque por erro meu não fotocopiei a cédula profissional frente e verso. Na verdade nas instruções de voto não requeriam frente e verso e eu sinceramente continuo a achar que o verso da cédula não contém qualquer interesse porque ainda que esteja assinada, não creio que as pessoas das mesas de voto vão confirmar se a assinatura está de acordo com o CC por exemplo...
Eu nunca votei antes como disse de modo que nao posso comparar e dizer se noutras alturas foi mais ou menos simples mas na verdade não me pareceu "dificil" colocar os boletins no envelope mais pequeno e a cedula por fora dentro do envelope maior. É uma questão de ler...
Para além disto creio que quem não vota não tem direito a reclamar e por muito que possam dizer que trabalham por turnos têm família têm que fazer compras de natal, para votar por correspondencia tinha se pelo menos uma semana, não é suficiente?
Desculpem por qualquer radicalismo mas é por estas e outras que não vamos pra frente... Quando somos chamados a exercer um direito arduamente conseguido ha mts anos atrás simplesmente nos "marimbamos"... Enfim...
Força ao novo Bastonário da Ordem e toca a seguir em frente!
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 16, 2011, 22:50:26
caro MFF
Então mas o (a) colega diz que não é confuso...
Que não lhe pareceu dificil...
É uma questão de ler!...
E diz que o seu voto foi considerado nulo, porque não fotocopiou o verso da sua cédula!...
Afinal, em que é que ficamos?!...
Abstenção significa uma determinada coisa.... desleixo, desprezo, descontentamento, ausencia etc etc etc
Um voto nulo, sabe o que significa?!....
Abraço
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: jocagabi em Dezembro 17, 2011, 16:38:11
Citação de: Marley
Colegas, assolam-me várias dúvidas.. Onde posso consultar os resultados exactos das eleiçoes? No site da Ordem não encontro nada. Estou eu a ver mal? As eleições não foram a dia 12? 13 e 14 foi fim-de-semana? Não estamos em 2011 e não está já tudo informatizado?!

Não podemos comparar os enfermeiros com a população em geral? Que afirmação atrevida... Seremos assim tão bem formados? A nivel académico, cívico? Desconfio muito que não...

De duas coisas estou segurissíma! Os Portugueses têm o país que merecem. E os enfermeiros portugueses têm a enfermagem que merecem!
Faço parte da nova fornada de enfermeiros contratados por um ano, que inclusivamente estão a ver a renovação por um fio, ainda assim, muitos dos meus colegas na mesma situação não votou e dizem isso descontraidamente..
E depois querem fazer greves? Querem emprego? Não querem emigrar? Querem salários mais elevados? Querem 35 horas semanais? Já nem os consigo ouvir..

Estarei eu louca e eles sãos?..

Podes consultar os resultados eleitorais provisórios no site da Ordem.
http://www.ordemenfermeiros.pt/eventos/Documents/Mapa_CRegionais.pdf
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: jocagabi em Dezembro 17, 2011, 16:41:56
Venho por  este meio agradecer a todos os elementos da lista F e a todos aqueles que votaram em nós.

Devo dizer que a votação ficou um pouco aquém das minhas expectativas, esperava um pouco mais.

Uma das razões para esta baixa votação foi a abstenção de 82 %.

Não vamos desanimar, pois isto foi o início de um projecto que vai crescer.

Prometo que irei  continuar a lutar pelos Enfermeiros e pelas nossas ideias e princípios.

Por último, desejo um bom trabalho  aos novos responsáveis da Ordem e espero que tenham a ambição  e a coragem de lutar verdadeiramente pelos Enfermeiros e não pelos interesses de alguns.

Grande Abraço,

Jerónimo Ferreira
Título: Re: Quais as razões para tanta abstenção? Como combatê-la?
Enviado por: Mauro Germano em Dezembro 17, 2011, 21:47:08
Até breve Jerónimo.

Já agora mantém-te por aqui no FE.

Vemos-nos um dia desses espero. Um abraço
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: MFF em Dezembro 21, 2011, 15:26:34
Caro BV1, eu votei de acordo com as instruções que constavam e nesse sentido não as achei dificeis de entender. O que não me pareceu tão simples foi a parte de ter que fotocopiar frente e verso visto que isso não estava claramente descrito. Aceito que tenha sido erro meu em não supor que devia ser frente e verso mas enfim para a proxima ja saberei.
Quanto aos votos nulos sei o que são apenas gostaria que o meu voto tivesse contado como válido.
No final de contas foi mau o meu voto não ter sido direccionado para quem eu queria mas pelo menos votei e a verdade é que se estão tantos enfermeiros pouco se lixando para a OE a coisa complica (desculpem os termos). Tal como para as eleiçoes do pais não acho correto as pessoas não quererem saber e sobretudo irrita me que depois reclamem sem terem usado da sua melhor arma que é o direito ao voto.
Eu serei provavelmente mais uma a ter que emigrar mas votei de qq forma pois espero que a enfermagem no nosso país volte a ser valorizada e dessa forma quem sabe eu um dia poder voltar...
Obrigada
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 21, 2011, 16:32:32
Caro MFF
Que fique vem claro que estou a fazer um pouco de "advogado do diabo"!
O colega não votou de acordo com as instruções. A fotocópia da cédula profissional pressupõe sempre frente e verso, até porque no verso é que se assina. Por Ex: se num concurso lhe pedirem cópia do BI e apenas fotocopiar a frente é excluído pela certa.
No meu entender o processo foi confuso, se quiser pode chamar-lhe burocrático ou outra coisa qualquer!... Simples é que não é!....
Uma coisa que nenhuma alma terrena deste fórum me conseguiu explicar é:
Porquê a cópia da cédula entre os dois envelopes?!...
Alguém tem alguma explicação plausível, pelo menos opinem
Abraço
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: valente1043 em Dezembro 21, 2011, 16:42:03
Caro Colega

Não posso concordar com este argumento "Mês da festa mais queridas das familias - NATAL. As pessoas não tem tempo para fazer as compras natalicias quanto mais para votar....".
Outros que o colega refere são legítimos. Esta burocracia eleitoral tem que mudar, uma vez que hoje em dia temos ao nosso dispor meios tecnológicos que permitem tornar tal processo mais fácil, simples e rápido.
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: valente1043 em Dezembro 21, 2011, 17:10:37
Porquê a cópia da cédula entre os dois envelopes?!

1º Permitir descarregar os votos por correspondência nos cadernos eleitorais;
2º Garantir a individualidade dos votos (embora não considere a forma mais eficaz de garantir a mesma...)
3º Porque neste momento é requisito obrigatório no voto por correspondência segundo o Regulamento eleitoral da Ordem dos Enfermeiros (ponto 6 e 7 do artº 29). Para que não seja cumprido, é necessário alterar o respectivo regulamento, de forma a que se proceda na respectiva legalidade.


Respondi com estes argumentos, mas no entanto sou defensor de um sistema de votação mais eficaz e simples. Defendo o voto electrónico. Isso implica uma alteração estatutária... espero que se concretize a curto/médio prazo!!
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: BV1 em Dezembro 21, 2011, 17:52:49
Caro valente
Não podia estar mais de acordo relativamente ao seu último parágrafo.
A cópia da cédula:
Justifica-se pela legalidade, de acordo com os Estatutos da Ordem (desconhecia!).
Relativamente a descarregar o voto, ou a individualidade do voto, discordo! Porquê:
Todos os envelopes tinham o nº de cédula, logo só por si eram suficientes para esses preceitos.

No próximo acto eleitoral tem que se mudar algumas coisas!....

Abraço
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: MFF em Dezembro 21, 2011, 21:33:30
Em relaçao ao BI ou Cartao Cidadao nunca me passou pela cabeça fotocopiar so a parte da frente porque no verso desses documentos existe informaçao importante.
Quanto à cédula no verso, contém "apenas" a assinatura que para mim sinceramente neste contexto nao tem mt interesse porque imagino que nao tenham ido compará-la com a que apresento no meu CC.
Mas tudo bem BV1 como disse para a proxima ja saberei ;)
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: BV1 em Janeiro 03, 2012, 17:33:34
Lamentavelmente o moderador (Mauro) deste espaço anda desaparecido!... Não sei se anda muito ocupado com as novas atribuições na OE  ou se emigrou. Já lhe enviei vários emails, alertas etc para alertar sobre algumas irregularidades por ele cometidas, mas nada!!...  se não responder irei expor aqui essas anormalidades!.....
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: vitorefo em Janeiro 03, 2012, 21:09:22
Olá a todos.

Após ler as diversas intervenções colocadas neste tópico, sinto-me na necessidade de dizer algo.

Basicamente o que discutem é sobre as eleições e o seu processo, mas com pouco conteúdo pertinente. Este processo tem sido discutido muitos meses antes das eleições ocorrerem. Tudo parte da elaboração dos estatutos e aprovação dos mesmos em AGE's. Era preciso um modelo, que foi elaborado, proposto e depois aprovado por quem esteve nessas AGE's. A própria duração da legislatura está definida e o acto eleitoral também o é definido previamente e aprovado em AGE. Nesses momentos foram discutidos os prós e contras do modelo, mas no final algo tinha de ser aprovado e foi. Eu concordo com os colegas (algo que já foi discutido aqui INÚMERAS vezes noutros tópicos) que é preciso desenvolver/evoluir em muitos aspectos dentro da OE. Alguns desses aspectos, objectivamente, até foram apontados por alguns candidatos. Mas tudo tem de partir de alterações bem estudadas e elaboradas, para posteriormente serem apresentadas e votadas a favor em AGE. E quem fala disto, fala de outros aspectos igualmente muito importantes como este, que é o caso do aumento das cotas, cortes na participação de jornadas internacionais/elaboração de revistas em suporte papel , a definição pormenorizada da operacionalização do MDP e o que este envolve, posições que a OE deve assumir e lutar (tal como foi/é o exemplo da luta pela realização de legislação para renovação de certos contratos nos Cuidados de saúde primários), entre muitos mais. Um ponto falado e muito enaltecido na Campanha, foi a importância de aproximar a OE dos enfermeiros. E quem tomou posse está a começar, pelo que não é correto que se comecem já a fazer juízos e pensamentos sobre tudo e mais alguma coisa que se fale ou surja na comunicação social (a meu ver). A meu ver um dos principais aspectos a mudar é o facto de as AGE's não serem sempre em Lisboa (e quem diz AGE's diz jornadas, conferências e outros realizados pela OE)! Mas pelos vistos até isso alguns, conseguiram propor e aprovar para os estatutos, de forma a que uma eventual alteração/marcação de assembleia esta-ordinária seja complexa. E isso já foi muito discutido aqui e entre muitos de nós, e tenho a certeza que os elementos presentes nos órgãos da OE, o sabem. Agora, aguarda-se por uma atitude de mudança.

Colega BV1, tenha atenção às palavras e a forma como as profere em relação ao colega Mauro. Uma coisa é opinião e visão, outra é denegrir, ofender, ameaçar e proferir ideias. Se isto fosse um fórum com acesso restrito a meu ver, o moderador teria uma posição correta em o excluir.

Agora um pensamento pessoal, é que os enfermeiros andam desmotivados face a importância da OE na sua vida profissional e que na actualidade, muitas vezes são obrigados a ter como prioridade lutar para obter algo na sua própria vida profissional, do que algo a favor da colectividade. Isto porque muitas vezes o que estão a fazer para "sobreviverem" individualmente, despersonaliza o colectivo. Mudança, tal como Lideres, precisam-se!

Cumprimentos,

Vítor
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: BV1 em Janeiro 18, 2012, 22:16:51
Vitor
O Sr. anda  a ver muitos filmes!....Senão talvez pior....
Depois fala do que não sabe!... E isso é péssimo para pessoas que devem ser responsáveis e sábias!....
A sua sugestão de exclusão do forum (seria inédita!), é apenas sinónimo dessa sua sabedoria serôdia de falar do que não sabe e imaginar/ver coisas!... Há umas injecções que fazem bem a isso!...
Título: Re: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?
Enviado por: AnaZu em Maio 01, 2012, 09:47:54
80% de abstenção....

Sem dúvida impressionante....!

Eu sou uma das que se absteve... Li alguns programas, "acompanhei" um pouco as campanhas... Mas ao estar fora de PT sinceramente não me importou o suficiente como para enviar o voto por correio ... Imagino que como eu, muitos colegas que emigraram continuam inscritos na ordem, eventualmente continuam a pagar as quotas (eu pelo menos sim), mas têm outras preocupações que não influir no destino da enfermagem em Portugal...
Não será uma "fatia" muito grande desses 80%, mas contará algo...

Talvez se o sistema de voto à distância fosse verdadeiramente mais fácil tivesse votado...