Forumenfermagem

Áreas de Intervenção Clínica => Cuidados Gerais => Tópico iniciado por: vmer16v em Dezembro 16, 2008, 19:08:33

Título: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: vmer16v em Dezembro 16, 2008, 19:08:33
Idealmente a quantidade de ar existente nos sistemas de soros ou outro material que permita a administração de conteudo e.v, s.c ou i.m, no entanto por vezes é pequenas quantidades ficam por abolir.
Sabem se existem indicações concretas de quais os valores que podem efectivamente provocar complicações?
Já me falaram num valor em concreto, o qual achei exagerado...


Cumprimentos
Ruben RIbeiro
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: gonzas em Dezembro 16, 2008, 19:44:24
quantos topicos abriste nos ultimos dias?

se bem que a maioria bastante pertinentes!
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: vmer16v em Dezembro 16, 2008, 20:02:45
Desenvolva pff...não alcancei...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: SandroMelo em Dezembro 16, 2008, 21:08:39
Tal como o colega que abriu o tópico já ouvi falar de muita coisa, mas nunca encontrei nada de concreto. Já ouvi falar em 10 cc de ar...alguém dá mais?
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: BbEeLlIiNnHhAa em Dezembro 16, 2008, 21:53:56
eu ouvi o correspondente a um sistema de soros... também nada de concreto! mas ja agora, boa pergunta!
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: IS em Dezembro 16, 2008, 22:33:23
Não posso confirmar agora, porque não tenho o livro comigo. Mas creio que diuz que é necessária uma bolha de 5 cc de ar.
No caso de serem "microbolhas", estas acabam por se "diluir" no sangue e depois passam para o pulmão de onde são expiradas.
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: tuxapc em Dezembro 16, 2008, 22:45:15
Citação de: SandroMelo
Tal como o colega que abriu o tópico já ouvi falar de muita coisa, mas nunca encontrei nada de concreto. Já ouvi falar em 10 cc de ar...alguém dá mais?

ora...parece que há quem dê mais.....bastante mais... ;D

durante um dos meus ensinos clinicos houve quem me confrontasse com o porque de retirar todas as bolhilhas de ar dos sistemas, tal era a minha preocupação :-

posto isto a minha tutora lançou o desafio de descobrir qual a quantidade de ar que seria letal....

eu e o meu colega partimos à descoberta e surpreendam-se são 300cc  :o   até aqui o organismo tem a capacidade de assimilar, mas como é obvio quanto menos ar melhor e menos riscos se correm  ;)

eu sei que isto é estranho mas é baseado em pesquisa bibliográfica
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Benzodiazepina em Dezembro 16, 2008, 22:54:44
Disseram-me que até 2cc era inócuo e que a partir de 5 cc já provocaria compliações...No entanto, também nunca li nada de concreto sobre isso  :-
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: TMR em Dezembro 17, 2008, 04:56:37
Bem, o que disserem na escola foi que seria necessário um sistema completo de ar...mas bibliografia não tenho... :-
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Leugim em Dezembro 17, 2008, 09:57:51
Citação de: tuxapc
Citação de: SandroMelo
Tal como o colega que abriu o tópico já ouvi falar de muita coisa, mas nunca encontrei nada de concreto. Já ouvi falar em 10 cc de ar...alguém dá mais?

ora...parece que há quem dê mais.....bastante mais... ;D

durante um dos meus ensinos clinicos houve quem me confrontasse com o porque de retirar todas as bolhilhas de ar dos sistemas, tal era a minha preocupação :-

posto isto a minha tutora lançou o desafio de descobrir qual a quantidade de ar que seria letal....

eu e o meu colega partimos à descoberta e surpreendam-se são 300cc  :o   até aqui o organismo tem a capacidade de assimilar, mas como é obvio quanto menos ar melhor e menos riscos se correm  ;)

eu sei que isto é estranho mas é baseado em pesquisa bibliográfica



Se não der muito trabalho, podes indicar essa bibliografia? E na tua pesquisa não te deparaste com valores diferentes para diferentes patologias?


Esta questão é interessante e actualmente tenho tido alguns problemas com os sistemas de soros e as bombas perfusoras... Os sistemas criam não microbolhas mas bolhas com uma extensão bem razoável. Já me aconteceu uma bomba perfusora apenas indicar "alarme de ar" já com os sistema meio preenchido com ar... Obviamente que esse ar não chegou a entrar na corrente sanguínea...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Caldas em Dezembro 17, 2008, 12:24:01
Acrescentar que se for seguido não creio que seja possível assim tanto como os 300cc, mas uma seringuinha é capaz de fazer moça.
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: vmer16v em Dezembro 17, 2008, 15:16:07
o valor de que me tinham falado, foi de 30cc, mas pareçeu-me exagerado, no entanto não encontrei ainda dados de estudos.
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: tuxapc em Dezembro 17, 2008, 18:58:16
Citação de: Leugim
Citação de: tuxapc
Citação de: SandroMelo
Tal como o colega que abriu o tópico já ouvi falar de muita coisa, mas nunca encontrei nada de concreto. Já ouvi falar em 10 cc de ar...alguém dá mais?

ora...parece que há quem dê mais.....bastante mais... ;D

durante um dos meus ensinos clinicos houve quem me confrontasse com o porque de retirar todas as bolhilhas de ar dos sistemas, tal era a minha preocupação :-

posto isto a minha tutora lançou o desafio de descobrir qual a quantidade de ar que seria letal....

eu e o meu colega partimos à descoberta e surpreendam-se são 300cc  :o   até aqui o organismo tem a capacidade de assimilar, mas como é obvio quanto menos ar melhor e menos riscos se correm  ;)

eu sei que isto é estranho mas é baseado em pesquisa bibliográfica



Se não der muito trabalho, podes indicar essa bibliografia? E na tua pesquisa não te deparaste com valores diferentes para diferentes patologias?


Esta questão é interessante e actualmente tenho tido alguns problemas com os sistemas de soros e as bombas perfusoras... Os sistemas criam não microbolhas mas bolhas com uma extensão bem razoável. Já me aconteceu uma bomba perfusora apenas indicar "alarme de ar" já com os sistema meio preenchido com ar... Obviamente que esse ar não chegou a entrar na corrente sanguínea...

Caro colega, assim que puder indico a bibliografia, visto que isto sucedeu-se há 3 anos num dos meus ensinos clínicos e, ainda tenho de procurar...

cumps
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Ana SB em Dezembro 17, 2008, 20:05:02
agora fiquei curiosa... :S

o que me foi dito em ensino clinico por enfermeiros do serviço foi que seriam valores superiores a 10cc...no entanto vou ficar a espreita das conclusões retiradas deste topico!
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Luisa em Dezembro 17, 2008, 21:49:04
um médico durante uma aula teórica disse 20 a 30 cc...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: crude em Dezembro 17, 2008, 22:16:55
Boa noite a todos.
Não deveria ser novidade para ninguem que o sangue em contacto com a oxigenio coagula, ou seja ar na corrente sanguinea forma coagulos, mesmo sem formar coagulos, o proprio ar na corrente saguinea pode ter o mesmo efeito k um trombo.
essa historia dos 10cc e 30cc e 300cc sao historias da carochinha.
Basta pensarem pk será que uma bomba perfusora é tao exigente quanto ao preenchimento de um sistema?? é k basta detectar uma bolha de ar k para a perfusao e dá sinal.
 
Cumprimentos!!!
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Herodes em Dezembro 18, 2008, 03:00:29
De facto, não é uma história da carochinha!
Lembro-me de um professor que apontava para os 30 cc.
Claro que este valor varia de doente para doente: num bebé de 5 Kg o valor de ar será menor do que numa pessoa de 100 Kg.
Neste site (http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/2600 (http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/2600)) falam de 100 cc, mas trata-se de bibliografia cinzenta. Ainda assim, já dá uma ajuda.
Relembro que mesmo com um sistema de soro aberto, em princípio, não vai entrar ar no doente - devido à força da pressão venosa central.
Ao conectarem uma seringa numa torneira de 3 vias, se aspirarem um pouco, impedirão que entre ar na corrente sanguínea.
Se por acaso entrar ar acidentalmente, o doente deve ser colocado em decúbito lateral esquerdo, e alguém terá de ter coragem para fazer uma punção cardíaca para remover o ar.
Claro que isto não é para fazer em casa! ;D
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Mauro Germano em Dezembro 20, 2008, 05:13:31
"The lethal volume of air in an adult human is unknown but is estimated to range from 200 to 300 ml"

retirado de:  http://journals.lww.com/anesthesiology/ ... e=fulltext (http://journals.lww.com/anesthesiology/pages/articleviewer.aspx?year=2001&issue=02000&article=00031&type=fulltext)

Referem-se apenas a quantidade fatal... a quantidade capaz de causar sintomas é que... "Cerebral air embolism from a peripheral arterial cannula has been previously reported in humans and in primates but it is unclear what the minimum volume required for significant injury is." retirado de: http://www.ispub.com/ostia/index.php?xm ... n2/air.xml (http://www.ispub.com/ostia/index.php?xmlFilePath=journals/ijanp/vol2n2/air.xml)

Pessoalmente nunca mais de 5 cc de ar...

DE notar que em certas modalidades de Eco cardiograma pode ser injectado ar via endovenosa, para por exemplo ajudar a verificar CIA ou as características do fluxo sanguíneo dentro do coração... E não mata ninguém...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: charlie_ze em Dezembro 20, 2008, 16:53:19
Citação de: nofly
Boa noite a todos.
Não deveria ser novidade para ninguem que o sangue em contacto com a oxigenio coagula, (...)

????
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Leugim em Dezembro 20, 2008, 18:55:58
Citação de: Magistral Estratega
"The lethal volume of air in an adult human is unknown but is estimated to range from 200 to 300 ml"

retirado de:  http://journals.lww.com/anesthesiology/ ... e=fulltext (http://journals.lww.com/anesthesiology/pages/articleviewer.aspx?year=2001&issue=02000&article=00031&type=fulltext)

Referem-se apenas a quantidade fatal... a quantidade capaz de causar sintomas é que... "Cerebral air embolism from a peripheral arterial cannula has been previously reported in humans and in primates but it is unclear what the minimum volume required for significant injury is." retirado de: http://www.ispub.com/ostia/index.php?xm ... n2/air.xml (http://www.ispub.com/ostia/index.php?xmlFilePath=journals/ijanp/vol2n2/air.xml)

Pessoalmente nunca mais de 5 cc de ar...

DE notar que em certas modalidades de Eco cardiograma pode ser injectado ar via endovenosa, para por exemplo ajudar a verificar CIA ou as características do fluxo sanguíneo dentro do coração... E não mata ninguém...

Obrigado Magistral Estratega
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: pedronevs em Dezembro 20, 2008, 20:53:09
antes de mais devo dizer que ainda nao me apresentei mas que já o farei em local apropriado....

devo ainda referir, que relativamente a este tema fui eu que fiz a pesquisa mais o utilizador Tuxapc

Citação de: nofly
Não deveria ser novidade para ninguem que o sangue em contacto com a oxigenio coagula....

será que é em contacto com o oxigénio ou com as diferenças de temperatura  :-X
a ser como diz o caro colega é melhor parar de respirar imediatamente   ;D  antes que o seu sangue coagule >:D

Citação de: nofly
essa historia dos 10cc e 30cc e 300cc sao historias da carochinha.

caro colega se nao sabe nao desdenha ou pelo menos vai primeiramente efectivar pesquisa (que faz sempre bem) e depois opina  ;)

cumps
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Son_Goku em Dezembro 21, 2008, 01:26:11
Numa investigação em suínos cientistas concluiram que o volume de ar fatal é de 4ml/kg , o que para um humano dá entre 100 a 300ml de ar.

http://pediatrics.aappublications.org/cgi/content/full/109/1/e15 (http://pediatrics.aappublications.org/cgi/content/full/109/1/e15)

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18636024 (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18636024)
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Herodes em Dezembro 27, 2008, 08:56:24
Na ECO transesofágica, não se faz propriamente adminstração de ar na corrente sanguínea. O que acontece é o seguinte: com uma seringa numa torneira de 3 vias, aspiramos o soro rapidamente e bombeámo-lo para uma outra seringa conectada a uma outra torneira de 3 vias que está colocada ali ao lado. Faz-se isso em ambos os sentidos, e quando o ecógrafo estiver a captar imagens do local que se pretende estudar, aí injecta-se esse "soro com muitas bolhinhas de ar" na corrente sanguínea.
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Rui Santos em Janeiro 04, 2009, 17:01:36
Citação de: vmer16v
Idealmente a quantidade de ar existente nos sistemas de soros ou outro material que permita a administração de conteudo e.v, s.c ou i.m, no entanto por vezes é pequenas quantidades ficam por abolir.
Sabem se existem indicações concretas de quais os valores que podem efectivamente provocar complicações?
Já me falaram num valor em concreto, o qual achei exagerado...


Cumprimentos
Ruben RIbeiro

Relativamente às indicações de valores que podem efectivamente provocar complicações não encontrei nada, o que encontrei e gostaria de partilhar com vocês diz respeito a uma complicação na administração intravenosa estando disponível no livro: Enfermagem Fundamental, Abordagem Psicofisiológica, de Bolander, V. Rae na pág. 1586:

" Peneumotórax e Embolia Gasosa.
O pneumotórax (presença de ar na cavidade pleural, que resulta em colapso pulmonar) pode ocorrer durante a inserção, ou mais tardiamente, caso exista deslocação do cateter permitindo a entrada de ar na cavidade toráxica. A prevenção do pneumotórax durante a introdução do cateter consiste em ensinar o utente a executar a manobra de Valsalva, com a finalidade de aumentar o preenchimento venoso, colocando-o simultaneamente na posição de Trendelenburg para provocar dilatação do vaso. Uma vez colocado o cateter, devem ser desenvolvidas acções no sentido de prevenir a sua deslocação. A embolia gasosa (presença de ar na corrente sanguínea) pode ocorrer se existir entrada de ar pelo sistema I.V. para a circulação venosa. Os cuidados devem ser dirigidos no sentido da prevenção da entrada de de ar no sistema I.V. sobretudo quando se vai proceder à sua mudança. No caso de se ter verificado entrada de ar, este deve ser retirado de imediato e antes do início da infusão."

pág. 1602

"Complicação:
Embolia Gasosa

Avaliação Inicial:
Descida da pressão arterial, cianose, taquicardia, aumento da pressão venosa central e inconsciência.

Intervenção:
Colocação imediata da pessoa em decúbito lateral esquerdo com a cabeça baixa e administração de oxigénio. Avalie sinais vitais e notifique o médico.

Prevenção:
Retire todo o ar das seringas e sistemas I.V. Fixe as conecções com adesivo. Solicite a realização da manobra de Valsalva, ou coloque a cabeça do utente numa posição inferior relativamente ao coração, enquanto muda os sistemas em linhas venosas centrais."

Cumprimentos

R. Santos
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: LOL_lypop em Janeiro 04, 2009, 21:43:09
Da minha prática em neurologia as Eco transcranianas tb se fazem com a administração de uma mistura de ar+SF, sendo que a proporção era 3ccSF para 5cc de ar... Por curiosidade e no início perguntei exactamente o emsmo que voces, até quando é que é seguro administrar ar... Garantia do neurologista que estava comigo é que 60cc já tinha ele administrado sem consequências e que os livros apontavam de facto para os 100-300cc...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: EnfermeiroMaravilhas em Janeiro 09, 2009, 03:38:00
A juntar aos bitaites que têm mandado práki, e que vão desde os 5cc até aos 300cc, ou seja, uma mera variação de 60x o valor mínimo, aqui vai, de bibliografia credível:

Massive air embolization can fill the right heart, impede venous return, and thereby stop circulation; thus sudden death is one of the possible outcomes. It is estimated that >100 mL of air must be acutely infused to arrest circulation. Most often, however, air passes through the right heart into the lungs. There it raises PA pressure, but has predominantly respiratory consequences
 
Fonte: Principles of Critical Care, 3rd Edition

Jesse B. Hall, Gregory A. Schmidt, Lawrence D.H. Wood

OU seja, são necessários mais de 100ml de ar para termos efeitos possivelmente mortais. é claro que basta o doente estar em trendelemburg para que provavelmente esta quantidade não seja suficiente.

Porém, um valor exacto ainda não foi estabelecido
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: tiagopt em Janeiro 09, 2009, 21:31:18
Citação de: Luisa
um médico durante uma aula teórica disse 20 a 30 cc...

Embora não tenha bibliografia para me basear, sempre foi esse o valor que tive como referência. Foi isso que foi ensinado, por mais que uma pessoa
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Herodes em Janeiro 09, 2009, 22:41:25
Este é mais um daqueles casos em que "depende do doente que temos pela frente".
E convém não experimentar a resistência do doente quanto a isso...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Mauro Germano em Janeiro 10, 2009, 05:59:25
Citação de: EnfermeiroMaravilhas
A juntar aos bitaites que têm mandado práki, e que vão desde os 5cc até aos 300cc, ou seja, uma mera variação de 60x o valor mínimo, aqui vai, de bibliografia credível:

Massive air embolization can fill the right heart, impede venous return, and thereby stop circulation; thus sudden death is one of the possible outcomes. It is estimated that >100 mL of air must be acutely infused to arrest circulation. Most often, however, air passes through the right heart into the lungs. There it raises PA pressure, but has predominantly respiratory consequences
 
Fonte: Principles of Critical Care, 3rd Edition

Jesse B. Hall, Gregory A. Schmidt, Lawrence D.H. Wood

OU seja, são necessários mais de 100ml de ar para termos efeitos possivelmente mortais. é claro que basta o doente estar em trendelemburg para que provavelmente esta quantidade não seja suficiente.

Porém, um valor exacto ainda não foi estabelecido



Deveria reler comentários anteriores e verificar que coisas e conclusões semelhantes às atingidas por si já o foram previamente referidas...
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: Danoninha em Janeiro 10, 2009, 19:30:44
Citação de: tuxapc
Citação de: SandroMelo
Tal como o colega que abriu o tópico já ouvi falar de muita coisa, mas nunca encontrei nada de concreto. Já ouvi falar em 10 cc de ar...alguém dá mais?

ora...parece que há quem dê mais.....bastante mais... ;D

durante um dos meus ensinos clinicos houve quem me confrontasse com o porque de retirar todas as bolhilhas de ar dos sistemas, tal era a minha preocupação :-

posto isto a minha tutora lançou o desafio de descobrir qual a quantidade de ar que seria letal....

eu e o meu colega partimos à descoberta e surpreendam-se são 300cc  :o   até aqui o organismo tem a capacidade de assimilar, mas como é obvio quanto menos ar melhor e menos riscos se correm  ;)

eu sei que isto é estranho mas é baseado em pesquisa bibliográfica



Eláaa, confesso que fiquei surpreendida :P Mas se é resultado de pesquisa bibliográfica, tem algumas bases empíricas decerto, embora prefira a empiria in locus que me leva a evitar ao máximo a permanência de ar nos sistemas...Primeiro, depende do tipo de vasos sanguíneos em questão (mais distais ou proximais), e mesmo das características da pessoa. Termos diante de nós uma pessoa jovem e aparentemente saudável é diferente de uma outra idosa e com problemas de coagulação ou aterosclerose, por exemplo.E sabe-se que as complicações embólicas não são assim tão raras...
É apenas uma opinião
Saudações RB
Título: Re: Ar nos sistemas de soros e outros...
Enviado por: artur_gaio em Janeiro 15, 2009, 03:44:48
aí está uma novidade: nunca me tinha debruçado muito sobre isto, logo que o sistema não tenha uma falha de 2 cm visivel, n me preocupo muito. quando isso acontece, lá aspiro essa bolha de ar...
ou, se for mesmo uma urgencia, limito-me a dar-lhe umas "palmadas" para se dispersar...