Forumenfermagem

Outras Dimensões da Profissão => Enfermagem e Politica de Saúde => Tópico iniciado por: _colado_ em Fevereiro 25, 2008, 17:45:32

Título: SEP
Enviado por: _colado_ em Fevereiro 25, 2008, 17:45:32
Eu não sei a opinião de todos os que por aqui param, mas não acham a acção do SEP um tanto ou quanto...digamos que... inutil e inconsequente?
Título: Re: SEP
Enviado por: Miguellopes em Fevereiro 25, 2008, 19:25:39
O SEP é inutil e arruinou com a nossa profissão! São uns comunistas mal-cheirosos....
Título: Re: SEP
Enviado por: rjckarddo em Fevereiro 25, 2008, 20:29:55
O SEP e A OE são a perfeita imagem do descontrolo que reina na nossa classe.
São um conjunto de oportunistas, a OE que nos leva a inscrição e as quotas anuais, quer se trabalhe ou não, e o SEP que não é menos vergonhoso que a OE limita-se a propaganda anti OE e Governo mas coisas palpáveis nada. Pelo menos parem de andar com essa bandeira que tanto usam, a da falta  de enfermeiros. Não faltam, neste momento já sobram...
Título: Re: SEP e outros também!
Enviado por: karyna em Fevereiro 28, 2008, 10:24:06
Sinceramente não vejo acção de nenhum sindicato, seja o SEP ou sejam os outros... uma grevezita de vez em quando e depois? Nada... É de lamentar que uma profissão como a nossa, com tanta "representação" com a Ordem e vários sindicatos, e encontra-se no estado em que está... desorganizada e com os enfermeiros a sofrer sozinhos por não existirem orgãos que "dêm a voz pelos oprimidos"... :(
Título: Re: SEP
Enviado por: enfsergio em Fevereiro 28, 2008, 10:26:07
Mas algum sindicato tem força para fazer algo??

 O0
Título: Re: SEP
Enviado por: _colado_ em Fevereiro 28, 2008, 14:52:00
Sendo o SEP o sindicato mais representativo, na minha opinião mantem um discurso obsoleto e "irritantemente" comunista, que não é alheia à intersindical em que se insere.
Título: Re: SEP
Enviado por: Álvaro Matos em Fevereiro 28, 2008, 15:51:33
Durante uns bons anos contribuí para o peditório destes senhores ,felizmente já me desvinculei. Este sindicato deve-me um pedido de desculpas enquanto Enfermeiro dos Cuidados de Saúde Primários ao afirmar nos Media que os Enfermeiros dos C. Saúde não tinham competência para estar numa consulta aberta e colocavam em risco a vida dos utentes.
Gente dessa lá muito longe.
Título: Re: SEP
Enviado por: _colado_ em Fevereiro 28, 2008, 16:47:08
O SEP teve a lata de mandar 1 delegado sindical ao serviço onde trabalho porque chegou aos ouvidos desse mesmo senhor que tinham entrado 2 enfermeiros não sindicalizados no referido serviço. Quando 1 sindicato procura quotas independentemente de qualquer outro objectivo não é um sinal muito bom... vindo de um sindicato com o discurso apresentado (" Faltam x enfermeiros...") saltam à vista os objectivos do mesmo.
Título: Re: SEP
Enviado por: ruipintos em Fevereiro 28, 2008, 16:51:01
Caro colega Álvaro,

qd ouvi isto na TV tive vergonha de ter colegas que vão a estes locais de discussão pública dizer estas babuseiras. Eu não pertenço ao SEP, embora já tenha pertencido. Participei em algumas manifestações e protestos e sinceramente deixei-me disso porque era tudo um show-off e uma palhaçada a roçar as margens da má educação qd as pessoas visadas nos abordavam. Acho que o que estes senhores precisam é que, em massa, o pessoal comece a desistir de se sindicalizar neste sindicato.

Pessoalmente, estou vinculado ao antigo SEC, agora SIPE. Se querem que lhes diga, pouca coisa vejo tb. Mas pelo menos fiz uma formações co-financiadas que até foram interessantes. E qd preciso a sindicalista do hospital onde trabalho dá-me as informações.

Agora que se veja fazerem alguma coisa...

Cumprimentos
Título: Re: SEP
Enviado por: charlie_ze em Fevereiro 28, 2008, 23:35:11
o SEP parecia há uns anos atrás ser o sindicato que iria marcar pela diferença, e marcou, pela negativa. Sempre com ideia de revolucionar e fazer fogo de artificio, e as suas grandes intervenções pautaram-se pela negativa. Os outros sindicatos, pautam-se pela indiferença....

O sindicato como ele antes era e ainda é, tem que reformular a sua intervenção social, neste momento são entidades obsoletas...
Título: Re: SEP
Enviado por: Raul Fernandes em Fevereiro 28, 2008, 23:37:40
Colegas,

Em minha opinião e no que ao associativismo diz respeito acredito que só políticas activas têm sucesso.

Como disse um escritor francês C. Prévost considerar os mandarins como alvos predilectos, é não sair da esfera do mandarinato e isolamento individualista (penso que era assim, perdoem qualquer erro).

Esta frase aplica-se aos Sindicatos, quando não assumem um política de intervenção  e apenas reivindicam.

E ao cidadão comum que critica todos aqueles que estão em alguma posição numa qualquer associação.

Relembro a célebre frase do JF Kennedy - "Não perguntem o que o vosso País pode fazer por vós, mas o que vocês podem fazer por ele"

Estou sindicalizado, embora assuma que ainda não fui a nenhuma Assembleia Geral. Dessa forma, não posso criticar, mas quando o quiser fazer primeiro tenho que descobrir o que foi feito.
Título: Re: SEP
Enviado por: Caldas em Março 01, 2008, 16:21:01
Não podia subscrever melhor as palavras do amigo Raúl Fernandes.

Quero ainda acrescentar que me parece que os Sindicatos estão um pouco parados no tempo e envoltos numa realidade um pouco atrasada. Desde a entrada deste Governo o ACT para os Hospitais está congelado. Muito pouco foi feito para que esta situação mude, contudo qualquer alteração a situação dos Funcionários Públicos é manifestada logo pelos sindicatos. Por esta razão parece-me que os sindicatos têm esquecido um pouco os contratados e a sua possível evolução na carreira.
Título: Re: SEP
Enviado por: AlexGomes em Março 01, 2008, 20:30:09
Citação de: enfsergio
Mas algum sindicato tem força para fazer algo??

 O0
Concordo com as palavras do enf. Sérgio. Com um governo com maioria absoluta, há que ouvir mais alguèm?
Não me parece! :-X
Título: Re: SEP
Enviado por: ritabarros em Março 02, 2008, 01:10:06
Boa noite a todos.
Há uma boa margem de verdade naquilo que os colegas dizem. Desde a aprovação da carreira de enfermagem em 1981 acrescida de modificações pontuais , quer a Classe , quer os Sindicatos , quer mesmo a Ordem se pautaram por um pseudo-hibernar que a médio prazo teve as consequências que todos nós conhecemos. A situação está dificil para todos ou para a maior parte. Os Enfermeiros têm perdido terreno nas Instituições políticas , sindicais e ao nível dos locais de trabalho. A proliferação das escolas superiores de Enfermagem , a escassez de locais de Aprendizagem empírica , a acutilância das medidas governamentais , a sonolência dos sindicatos e a apatia de nós todos , só tiveram como consequência o esvaziamento das motivações e a ausência de luta devidamente planeada e sistematizada , para melhorar as condições de vida da Classe dos Enfermeiros. Normalmente nos momento em que tudo corre bem , é hábito esquecermo-nos que as lutas são permanentes , sob pena de esse exercício deixar de ser a prática corrente e passar a ser uma luta pontual , dessincronizada dos valores básicos e de direito, sem consequências positivas e sem resultados dignos de nota.
A Enfermagem tem sido vítima de atentados , que se têm agravado devido à inércia de todos nós. Não culpemos em exclusivo as Instituições que nos representam , porque temos a nossa quota parte deste descalabro.
Colegas. A crítica é um direito de todos , mas participação é um dever. Não me revejo propriamente nos molde do SEP , até porque quando foi fundado ou (re)fundado eu estava com licença de longa duração. Abandonei a Enfermagem por muito tempo...zanguei-me ; abandonei a política...zanguei-me ; abandonei o sindicalismo...zanguei-me. Quando reingressei na actividade profissional e após um longo interregno , apercebi-me lentamente que a Enfermagem parara no tempo , exceptuando os modelos teóricos preconizados , o saber , as metodologias e as tecnologias de apoio. Nem tudo poderia ter corrido mal..no entanto , essa percepção de congelamento dos ideais de luta e defesa da Enfermagem foi-se adensando , e foi movendo em mim uma revolta nem sempre bem direccionada.As lutas e as reinvindicações têm que ser bem pensadas , para que não caiam em saco roto e para que seja possível conquistar a confiança dos que têm o direito e o dever de exigir das Instituições que nos representam , uma intervenção pensada nos mínimos detalhes.As lutas e as reinvindicações não podem ser da única e exclusiva responsabilidade dessas Instituições , pois temos o direito de exigir , mas temos o dever de contribuir com o nosso trabalho de campo , com as nossas ideias , com os nossos comportamentos. Estas são as bases da mudança de atitude que é urgente adoptar.Temos o direito de exigir à OE que actue em defesa da profissão , mas temos o dever de compartilhar as nossas ansiedades , ideias , dúvidas , intervindo sempre que chamados a fazê-lo . Temos o direito de exigir aos sindicatos uma actuação no sentido de melhorar as condições de trabalho , de carreira e da vida dos enfermeiros, mas temos o dever e a obrigação moral de forçar essa intervenção,participando activamente. A Ordem tem o dever de intervir sempre que a Enfermagem esteja ameaçada nos seus mais elevados desígnios . Este é momento chave das grandes definições sem precedentes.Se assim não for estaremos condenados à mediocridade. Por isso , à Ordem dos Enfermeiros é exigida , no actual contexto , que intervenha activamente e sem dar tréguas,  para que a Enfermagem não perca o avião do desenvolvimento. A formação académica aliada à prática , tem que ser pensada por forma a não trazer prejuízo a médio prazo à profissão e às expectativas dos milhares de Enfermeiros. Esse é o vosso dever ; esse é o nosso direito.
Quanto aos sindicatos dos enfermeiros , é função vossa a defesa dos direitos dos enfermeiros , noutra vertente , que se relaciona com a reformulação da carreira de enfermagem , que abranja sem condicionalismos a totalidade; é função vossa exigir uma tabela remuneratória digna; é função vossa lutar por melhores condições de trabalho e de vida dos enfermeiros; é função vossa reinvindicar o direito que nos assiste de ter direitos. O momento é este e não pode passar sem intervenção de fundo. Não basta gritar palavras de ordem , porque essas leva-as o vento e depressa são esquecidas; não basta definir uma jornadita de luta que em nada beneficia os enfermeiros ; não basta promover greves gerais , nas quais os enfermeiros se diluem e se tornam invisíveis em função de um todo que não nos diz respeito.É preciso sim usar a capacidade crítica , organizada e interventiva do recheio da caixa craneana. É preciso deixar de transformar os enfermeiros em porta estandartes de lutas , que não são as nossas .É preciso pensar a ENFERMAGEM NO MUNDO DO TRABALHO ; É preciso pensar na qualidade de vida dos enfermeiros. Se os sindicatos não responderem às exigências da Classe , à urgência das intervenções pensadas com criteriosa selecção ; se os sindicatos continuarem a ser a voz mandada de políticas externas aos interesses da Classe , então não se queixem do abandono a que estarão votados. Este não é o momento de medir as falsas forças políticas. Este é o momento de intervenção concatenada dos sindicatos. Não nos interessa de quem é esta ou aquela ideia , interessam-nos resultados .
Quanto a nós colegas , não podemos esperar que o maná nos caia na boca , porque corremos o risco de ficar em lista de espera ad eternum. Muitos  não estão sindicalizados , mas exigem medidas dos sindicatos. Sei que as dificuldades financeiras nos assaltam diariamente e que assumir as quotas da Ordem e do Sindicato , qualquer que ele seja , acaba por ser um pouco pesado para muitos. Mas sem adesão às Intituições que nos defendem ou que é pressuposto fazê-lo, estas não têm a força que lhes é exigida.Cabe-nos o direito estatutário de mudar o que precisa ser mudado. Se a direcção do SEP não serve os interesses e aspirações dos enfermeiros , mudem-na , pois para isso há o direito constitucional instituído , há os estatutos do sindicato que se traduzem no direito de apresentar listas alternativas a sufrágio , para a direcção , mesa de assembleia e delgados sindicais. O SEP está em fase próxima de eleições para delegados...intervenham..Com uma direcção que realmente se proponha lutar pelos verdadeiros interesses da Classe..talvez seja possível formar uma FRENTE NACIONAL DOS SINDICATOS DOS ENFERMEIROS. Se não gostam do modo de actuar das direcções sindicais..mudem-nas , se gostam ou se lhes merecem o benefício da dúvida ou da certeza , apoiem-nas .De outro modo teremos sindicatos em lados opostos , estando os Enfermeiros num campo aberto , sujeitos ao fogo cruzado dessa lutinha sem interesse mas de graves consequências para todos nós. Por isso colegas não basta criticar é preciso estar onde temos de estar : no campo de batalha , mas devidamente protegidos pelos escudos das Instituições Sindicais. Que ninguém pense que pode lutar sózinho , que ninguém pense que tanto dá...o tempo urge...estamos a perder.

Uma abraço a todos

Rita
Título: Re: SEP
Enviado por: The_Undertaker em Março 02, 2008, 13:20:58
Excelente discurso ritabarros. De facto culpar os sindicatos é fácil mas a culpa da actual situação é em grande parte da inércia de todos nós... nós fazemos as instituições, as instituições não são feitas de ar, sem um esforço de todos nada será mudado....  8)
Título: Re: SEP
Enviado por: nunobatista em Março 02, 2008, 20:13:28
Podemos criticar a atitude/actuação dos sindicatos, mas enquanto a atitude de cada um de nós não mudar não há sindicato que nos valha. Na instituição onde trabalho, 90% dos colegas criticam o SEP acusando-o de nada fazer. No entanto, quando há algum plenário, são poucos os que aparecem; os que aparecem estão sempre de olho no relógio para ver quando chega a hora de ir embora e não fazem nenhum esforço para ficar e discutir realmente o que pensam poder ser feito.
Também sinto-me descontente com o SEP, mas também o que fazem pura e simplesmente não é ouvido pelo Governo que parece não ligar a nenhum sindicato seja de que área for!
Título: Re: SEP
Enviado por: ritabarros em Março 04, 2008, 00:26:44
Colegas , vou contar uma história que muitos conhecerão e outros não.

Um dia , um homem sentindo a morte a aproximar-se , chamou os filhos e começou a fazer as últimas recomendações. Preocupava-o nesse momento único , que com o seu desaparecimento os filhos enveredassem por caminhos diversos e se separassem. Pediu , então a um dos filhos que entregasse um pau a cada um , e que o partissem a meio. Os filhos não perceberam mas mesmo assim  , fizeram a vontade ao pai . Partiram os paus , o que foi relativamente fácil.De seguida o pai pediu a um dos filhos que fizesse um molho com tantos paus , quanto o número de irmãos ,  pedindo a cada um que tentasse partir o molho a meio. Nenhum conseguiu.
O pai finalmente esclareceu-os: meus filhos separados sois alvo e vítimas. Juntos ..ninguém poderá com a vossa força.

Moral da história : A União faz a Força..........

Rita
Título: Re: SEP
Enviado por: charlie_ze em Março 05, 2008, 23:45:44
Colega Ritabarros compreendo a preocupação, mas precisamos de confiança nas pessoas que nos devem liderar...

Colega nunobatista, os sindicatos nos moldes actuais arriscam-se a ficarem obsoletos, têm que repensar a forma de lutar (e o SEP tinha gente capaz de o fazer).

Mas o certo, é que não podemos ficar à espera que os outros lutem as nossas lutas ....
Título: Re: SEP
Enviado por: ritabarros em Março 06, 2008, 00:01:12
Colega Charlie_Zé , concordo que não podemos continuar à espera que os outros lutem as nossas lutas...mas estou cansada de ver que os sindicatos dos enfermeiros estão desunidos e que o SEP em vez de se associar ao S.I.P.E.e à FENSE(SEN) , prefere estar à sombra dos Sindicatos da Frente Comum da Função Pública...Sempre de muletas..?!
Esta tristeza pode estar associada ao facto de um colega do hospital onde trabalho , se ter suicidado. Não conseguiu lutar contra a hipocrisia. Desculpa o desabafo...mas estou deprimida...conversei com ele durante 4 horas um dia antes do ....

Um Abraço para ti e para todos

Rita
Título: Re: SEP
Enviado por: Caldas em Março 07, 2008, 22:54:29
Coloco aqui um texto que foi publicado pelo colega DoutorEnfermeiro no seu blog pessoal que corresponde a uma carta aberta enviada por uma colega enfermeira. A esta colega deixo a devida vénia pela pertinência das questões que levanta e pelas preocupações e necessidade de uma acção massiva de toda a classe.

"Ao Dr. Enfermeiro,
Aos Membros da Ordem (Orgãos Sociais Nacionais e Regionais,
Aos Sindicatos dos Enfermeiros SE, S.I.P.E (FENSE) e SEP
Aos Colegas,

Um dia Martin Luther King começou um discurso com uma frase histórica : I have a dream...
Os Enfermeiros deste País não terão futuro sem união. Debatemo-nos com problemas graves aos quais a Classe na sua maioria parece alhear-se.
O processo de Bolonha veio trazer novas incertezas à profissão. Quantos de nós sabem o que este processo implica? Master ou Bachelor? Uniformização dos Planos de Estudos? Como é possível que se estejam a preparar Enfermeiros Especialistas nos moldes do Processo de Bolonha em algumas Escolas e simultaneamente com base no modelo que todos conhecem, noutras? Parece-me necessário parar para pensar nesta e noutras discrepâncias.

A ordem dos Enfermeiros deveria primeiro definir convenientemente o Plano de Estudos do Curso Superior de Enfermagem e do Exercício profissional Tutelado e impô-los a todas as Escolas através do Ministério do Ensino Superior, a fim de se uniformizar a formação dos futuros Enfermeiros e até dos actuais.

Não se pode permitir que cada cabeça dite a sua sentença. Se os muitos Enfermeiros Europeus ficam satisfeitos com o título académico de bachelor (Bacharéis), os Portugueses não devem aceitar menos do que já têm há alguns anos, daí que master será o mínimo necessário.

Se a Ordem afirmar que não reconhecerá os títulos académicos não homologados e não aceites por Ela, para validar o título profissional talvez as Escolas de Enfermagem pensem duas vezes antes de aliciarem os alunos.

Caros Membros da Ordem, não basta falar informalmente com os membros do Governo sobre o assunto, é preciso apresentar uma proposta fidedigna que seja aprovada e aplicada uniformemente em todas as Escolas Superiores de Enfermagem, seja ao nível da Licenciatura (master) seja ao nível mais graduado de formação.

Se a força para implementar tais medidas não for suficiente alertem os Sindicatos dos Enfermeiros e eu tenho a certeza que todos eles darão o apoio necessário para que as mais elementares pretensões dos Enfermeiros não se percam nos bastidores do poder político.

Há outras reivindicações que são de âmbito sindical. Conhecêmo-las. Estão aliás bem patentes. São pretensões exclusivas da nossa classe que não me canso de repetir : Carreira de Enfermagem, tabela salarial, avaliação, especifidade da profissão de enfermagem, desgaste e penosidade do exercício profissional, para que o tempo de serviço e idade da reforma não sejam as que o Governo ditou à margem das negociações com sindicatos.

Caros colegas, corremos o risco de (como me disse um colega no seu modo humorista) andar a administrar a terapêutica aos doentes com o auxílio de um andarilho...

Estas são reivindicações nossas, de uma Classe com todos os requisitos para ser uma Classe com uma carreira Especial. Por isso eu não acredito em generalidades na luta,já que as especifidades da Profissão não se enquadram numa luta generalista em que a Enfermagem é só mais uma, num conjunto de muitas profissões.

Restringir a NOSSA LUTA ao que nos diz especificamente respeito seria a maior bofetada de luva branca que a Enfermagem daria a quem com responsabilidades de Governação se acha no direito de impôr unilateralmente disposições legislativas, atentatórias da nossa dignidade .

No calendário das formas de luta os Professores surgem isolados (70000) na sua greve e na sua manifestação. Os Enfermeiros no activo com nomeação definitiva ou com contratos de trabalho por tempo indeterminado, os Enfermeiros no desemprego, os Enfermeiros com contratos precários, pagos na sua maioria a preço de saldo, os alunos das Escolas de Enfermagem, não merecem eles também uma luta só deles? Por isso, eu contestei a amálgama desta luta massificada que nos ofusca a identidade de sermos Enfermeiros.

A sabedoria popular é pródiga em sentenças do senso comum: quando a esmola é muita o pobre desconfia.....Iluminou-se a alma de muitos Enfermeiros e a minha também, quando o SEP anunciou esta jornada de luta demonstrando o descontentamento da Classe; iluminou-se a alma de muitos de nós e a minha também, quando pensamos que a luta seria a NOSSA LUTA ; iluminou-se a alma de todos quando acreditamos que os sindicatos dos Enfermeiros SE e S.I.P.E. ((FENSE)) e SEP dariam as mãos nesta luta pela Enfermagem; obscureceu-se a alma da Enfermagem quando se deparou com uma luta conjunta com outros sindicatos, que não de Enfermeiros.

Porque esta luta é NOSSA e somos nós que a temos de LUTAR. Os Enfermeiros têm que reaprender a organizarem-se, sem dependerem de um conjunto, que embora muito digno, não LUTA nas nossas trincheiras específicas.
Os Enfermeiros têm de reaprender a ter a coragem que dá a força; Os Enfermeiros têm de reaprender que a intimidação e a propaganda do medo são a arma dos que nos querem amordaçar e derrotar, recusando-nos o direito de ter direitos. Os Enfermeiros têm de reaprender a unir esforços e vontades, em volta dos representantes sindicais. Os SINDICATOS DOS ENFERMEIROS têm de reaprender a dialogar, a unirem-se, a lutar pela Classe.

OE, SE, S.I.P.E. (FENSE) e SEP unam-se pela Enfermagem e aí sim eu direi: A Alma da Enfermagem voltou a sorrir.
Um abraço colegas.
Margarida de Barros"
Título: Re: SEP
Enviado por: enfermeiredo em Março 08, 2008, 21:52:24
Também concordo que a nossa luta não deve vir misturada na sacada de reivindicações da Frente Comum. Os professores hoje fizeram manif sozinhos e vejam qual o impacto que vai ter! Vamos para a luta sozinhos e sem medo. Seremos bichos?
Título: Re: SEP
Enviado por: Son_Goku em Março 09, 2008, 14:09:36
O SEP é um dos megafones da CGTP...só não v~eisso quem é cego!
Título: Re: SEP
Enviado por: SandroMelo em Março 09, 2008, 16:09:31
Sou sindicalizado no SEP, mas se a meio deste mês em vez de fazermos uma luta de enfermeiros, e nos juntarmos apenas à frente comum...que nos usa para fazer número...o meu dinheirinho deixam eles de ver.
Título: Re: SEP
Enviado por: charlie_ze em Março 11, 2008, 01:02:45
Penso que alturas para tudo... para nos juntarmos aos restantes trabalhadores para lutar, e para lutarmos sozinhos....

Mas o exemplo vem de cima, quadno os sindicatos dos enfermeiros dão-se que nem cães, como podem eles pedir união?

São eles os primeiros a virar costas aos enfermeiros, e associar-se a outros profissionais....
Título: Re: SEP
Enviado por: SandroMelo em Março 11, 2008, 08:32:09
Citação de: charlie_ze
Penso que alturas para tudo... para nos juntarmos aos restantes trabalhadores para lutar, e para lutarmos sozinhos....

Mas o exemplo vem de cima, quadno os sindicatos dos enfermeiros dão-se que nem cães, como podem eles pedir união?

São eles os primeiros a virar costas aos enfermeiros, e associar-se a outros profissionais....

Carissimo

Não há sindicato sem sócios.
Se começarmos a desvincular-nos dos sindicatos pode ser que aprendam a lição.
Título: Re: SEP
Enviado por: Vitor A. em Março 11, 2008, 10:59:11
Mais uma vez afirmo:

Não estamos desunidos, mas apenas sem rumo...

Cada um luta, adopta diversas formas de luta, ou individual, ou a reboque, ou de muletas, outros em silencio, outros em playback, outros á espera que façam a luta por eles, mas nunca foi concertada porque não há quem orquestre todos os musicos de forma a tocarem como uma banda afinada.

Todos tocamos, uns mais alto que outros, uns graves e outros agudos. Todos desafinados....

A desvinculação dos sindicatos,pessoalmente, acho que não é solução, pois perderão força negocial. Mas é sempre um forma de pressão dos associados para que estes sindicatos se mobilizem e concertem as formas de luta.
Deverá haver Sim uma plataforma de ideias comum a todos sindicatos de forma a defender em sincrono a nossa profissão.

Agora lutam entre si por maior protagonismo e maior numero de associados. Aquilo para qual foram criados passou para segundo plano. A defesa da nossa classe e carreira.

Está na altura de repensarem as suas estratégias.

Deixo uma. Criação de um Unico Sindicato de Enfermeiros.
Parece utopico, mas acho que não! Iria exigir sim, Muito trabalho.
Título: Re: SEP
Enviado por: charlie_ze em Março 12, 2008, 01:00:57
Citação de: SandroMelo
Citação de: charlie_ze
Penso que alturas para tudo... para nos juntarmos aos restantes trabalhadores para lutar, e para lutarmos sozinhos....

Mas o exemplo vem de cima, quadno os sindicatos dos enfermeiros dão-se que nem cães, como podem eles pedir união?

São eles os primeiros a virar costas aos enfermeiros, e associar-se a outros profissionais....

Carissimo

Não há sindicato sem sócios.
Se começarmos a desvincular-nos dos sindicatos pode ser que aprendam a lição.

Concordo e subscrevo



Citação de: Vitor A.
(...)

A desvinculação dos sindicatos,pessoalmente, acho que não é solução, pois perderão força negocial. Mas é sempre um forma de pressão dos associados para que estes sindicatos se mobilizem e concertem as formas de luta.
(...)

E eles têm poder negocial?? entáo  andam.nos a vender o peixe errado....
Título: Re: SEP
Enviado por: SandroMelo em Março 12, 2008, 07:27:46
Não há sindicato sem sócios! Certo!
E sócios que sentem que o sindicato está longe da realidade e pouco faz (ou mostra)?
Título: Re: SEP
Enviado por: Vitor A. em Março 12, 2008, 10:28:06
"E eles têm poder negocial?? entáo  andam.nos a vender o peixe errado....""

Colega Charlie_Ze.

Desconheço se nos andam a vender peixe errado. Há uns anos atrás, o peixe "era comestivel", agora é" intragável" na minha opinião.

O que é certo, é que sem sócios não o poder sindical que deveriam ter.

A questão é a seguinte. Os membros dos sindicatos, esses sim perderam, na minha opinião, o "jeito" de reendivicação e poder sindical.
A ideia que queria dar era esta. Peço desculpa aos intervenientes se deu a entender outra coisa.

Concordo com a desvinculação massivados sindicatos existentes.
Após as primeirias centenas de desvinculações, os sindicatos iriam tomar medidas.

Saudações colega.
Título: Re: SEP
Enviado por: nunobatista em Março 12, 2008, 14:12:14
Colega Sandro, tem toda a razão! Pelo andar (ou não andar) da luta sindical que parece ser apenas fogo de vista, vou optar por dar melhor uso à minha "quota".
Título: Re: SEP
Enviado por: enfermeiredo em Março 13, 2008, 00:13:59
Os sindicatos, nomeadamente o SEP têm alguma culpa pelo estado do desemprego, Carreira de Enfermagem e a profissão estarem como estão, pelas ruas da amargura. São responsáveis por dispersar esforços reivindicativos para os peditórios dos respectivos partidos, digo, centrais sindicais. O exemplo claro é alinharem ao lado da GNR, do pessoal das camaras municipais, etc. Depois temos as mesmas respostas que lhes dão a eles. Se calhar o governo ainda se engana e dá aos enfermeiros carros-patrulha novos :-*
Título: Re: SEP
Enviado por: Herodes em Outubro 22, 2008, 08:19:10
Os colegas dos centros de saúde iam adorar.
Carros parecidos com os do INEM.
Fixe. ;)