Autor Tópico: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada  (Lida 8670 vezes)

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #15 em: Julho 05, 2007, 01:04:03 »
Olá,

Concordo plenamente com o Sérgio, pois esse é a realidade em meio hospitalar.

Quanto à questão apresentada pelo Leugim, tenho algumas dúvidas. Claro que muitos de nós tem experiência suficiente para diagnosticar e instituir tratamentos, inclusivamente prescrição de fármacos e defender a razão pela qual foi feito.

Mas, como disse o Sérgio, enquanto tudo corre bem, é mais um sucesso da Medicina; quando tudo corre mal, é mais uma estupidez da Enfermagem.

Em relação aos diagnósticos de enfermagem, qual deles te dá possibilidade de prescrever medicamentos?

 Porque, se um doente entra em insuficìência respiratória até podes colher dados que te permitam fazer um diagnóstico diferencial : broncospasmo -aminofilina, com monitorização cardíaca; edema pulmonar - furosemida, com monitorização de TA; reacção alérgica-
hidrocortisona, etc...

Sempre podes colocar oxigénio, com monitorização da SatpO2, mas se for DPCO?

Sempre podes invocar a Actuação em Caso de Necessidade, mas é assim que queremos trabalhar?

Quem trabalha assim, aceitou o facto e tem de assumir as responsabilidades.

Era já tempo de a OE acelarar os processos de especialização por experiência de trabalho e rever a questão dos diagnósticos e intervenções dos enfermeiros, isso sim.

Porque até lá estamos limitados e corremos riscos profissionais enormes.

Abraço.

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #16 em: Julho 05, 2007, 10:42:39 »
Pois é mariarebelo...concordo plenamente. Quantos de nós não vão actuando até à chegada do médico, devido à nossa experiência profissional. Quantos de nós não chega o médico e dizemos já foi dado isto e isto...prescreva. Claro que tudo isto se o médico for da nossa confiança e trabalhar connosco há algum tempo e confiar no nosso trabalho. Quantos de nós já não fizemos isto?? Pois é...mas sem dúvida alguma que é errado...um erro tremendo. No entanto os enfermeiros são os primeiros a encontrar as verdadeiras situações de urgência, e até ao médico chegar, temos que fazer avaliação da situação e começar a actuar, pois senão pode ser uma vida que se perde. Isto acontece em meio hospitalar, sem serviços que não há médico de permanência, e em que a urgência fica na outra ponta do hospital. Pelos vistos vai começar acontecer nos cuidados de saúde primária. Esperemos que quando o médico chegar, já não seja tarde, e que os cortes orçamentais não se paguem com a perda de vidas humanas. Afinal de contas, além de profissionais de saúde, somos pessoas, e quando recorremos a um serviço de saúde é porque precisamos, e queremos ser bem atendidos, sem demoras, mas acima de tudo, sem dúvidas do que nos estão a fazer.

Offline paularaujobrg

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 62
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #17 em: Agosto 08, 2007, 20:23:04 »
HELLO!!

Mas porque é que o Sr Doutor tem que ficar em casa refastelado no sofá à chamada, e o pobre do Enfermeiro tem de ficar a "gramar a pastilha"?

Isso já era!!! ;)

Abraços

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #18 em: Agosto 08, 2007, 21:08:44 »
Olá,

Pois é... O enfermeiro é que tem de gramar a pastilha... Porquê?

Por várias razões, a primeira é o preço do trabalho nocturno altamente discrepante que existe entre médicos e enfermeiros. Um médico ganha, num banco que passa a noite deitado a dormir( na maior parte dos casos), aquilo que tu ganhas em quase uma semana de trabalho (sem referir aqueles em que corresponde a um mês).

É tudo fruto da "conjuntura económica", nada é feito pelos doentes ou pelos que tratam deles.

Mas, como já disse neste fórum, a culpa não é dos médicos ou dos doentes ou nossa...

A culpa é de quem quer fazer coisas contra a Contituição Portuguesa, onde todos têm asistência médica, tendencialmente gratuita.

Tendencialmente gratuíta... Tendencial, isso sim!

E tu ou os nossos filhos ou os nossos pais estamos a ser assistidos asim...

Abraço.

Offline Damocles

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 19
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #19 em: Agosto 24, 2007, 22:14:49 »
Antes de mais, enquanto profissionais que nos queremos fazer respeitar, temos de perceber de uma vez por todas que também temos de respeitar as outras classes profissionais e que a história do trabalho de equipa não pode ser só letra morta.
Eu sei que todos terão historias terríveis de médicos retrógrados que nos tratam com sobranceria, mas a realidade é que nós frequentemente também não contribuimos para o melhorar da situação, especificamente com estes comentarios em surdina das comparações de vencimentos, juízos de valor sobre o desempenho profissional, se dormem ou não (os enfermeiros nunca descansam nas noites. Nunca!) etc.
Se alguém tem de preocupar com isso é a Ordem deles e as Administrações Hospitalares.
Eu pessoalmente não acho que os médicos ganhem muito, acho é que nós ganhamos pouco (eu se fizer as contas ao ordenado base ganho por hora cerca de um terço do meu mecanico de bairro..)
Mas no que à questão aqui apresentada diz respeito, não se pode entrar pelos "achismos".
Eu posso achar que sei muita coisa, mas se essas competências não me foram reconhecidas por nenhuma entidade idónea, e se perante a Lei não estou habilitado... Habilito-me é a um belo de um processo.
Acho é estranho empurrarmos frequentemente para os médicos o assumir de responsabilidades/decisões sobre matérias em que temos a obrigação de ser competentes e depois andarmos a fazer desta história das prescrições um cavalo de batalha.
Salvaguardo uma situação - não me faz sentido que um medicamento de venda livre que qualquer pessoa pode comprar numa farmácia ou num supermercado não possa ser aconselhado ou administrado por um técnico de saúde - neste caso o Enfermeiro.
Acho que a elaboração conjunta de protocolos de actuação pode ser de extrema utilidade desde que estes sejam claros e precisos em relação à sua aplicação.
É obvio que a formaçao de unidades neste tipo de molde tem por base, mais que tudo, motivações económicas.
Mas não queiramos por a carroça à frente dos bois.
A formaçao base de um enfermeiro é hoje bastante abrangente, mas daí a acharmos que isso nos poe em pé de igualdade com um medico que além da licenciatura  terá uma especialidade e toda uma formação e carreira orientada para o diagnóstico e prescrição...
Caberá contudo às entidades que nos representam certificar-se de que a actuação do enfermeiro está salvaguardada e estabelecer os limites da intervenção.
Tais protocolos, quando elaborados , terão ainda de contar sempre com a aprovação das respectivas direcções clinicas e de enfermagem.
E para finalizar, claro que todos nós, pelo menos os com já alguns anitos disto, à custa de trabalhar lado a lado com os mesmos médicos e lidarmos frequentemente com as mesmas situações, podemos "achar" que já possuímos os conhecimentos necessarios para decidir administrar o fármaco y, na situação X.
Em situações específicas, fruto de uma relação de confiança econhecimento mútuos até concebo que enfermeiros administrem farmacos de primeira linha. Mas por outro lado, o que acharíamos se um auxiliar, com base nos mesmos argumentos, se achasse no direito de começar a fazer pensos e a decidir que materiais utilizar, etc?

Abraços cordiais

Offline Gemini

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 58
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #20 em: Agosto 24, 2007, 23:51:21 »
Ex.mos colegas quando os tópicos falam de autonomia eu tenho alguma dificuldade em perceber porque se discute uma coisa que é evidente. Contudo, lendo alguns dos post para este tópico percebo a vossa dificuldade o que querem e também passar a prescrever é isso e a suturar também, quase tipo fetiche e depois claro que as questões essenciais de enfermagem são consideradas menores, como “passar festinhas”, portanto o que querem é enfermeiros hiper competentes que não sabem fazer o seu trabalho e querem especialidades cada vez mais próximas dos médicos. Pois, percebo agora perfeitamente a minha limitação pois eu não sonho em prescrever medicamentos pois há alguém mais competente que eu para o fazer, mas sonho numa enfermagem mais simples em que estude a “resposta humana à doença e aos processos de vida” (ICN). O que Damocles refere é verdade se nós queremos o que é de outros porque é que outros não querem o que é nosso, alias talvez por esta obsessão tenhamos perdido algumas áreas nos últimos anos. Também não concordo que o enfermeiro esteja sozinho no centro de saúde mas é assim que este governo penso, só temos de expor o nosso ponto de vista e as consequências para a população, e não andar a ver se ganhamos mais um espacinho.

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #21 em: Agosto 29, 2007, 20:51:24 »
Olá,

Vamos todos tentar sair daquilo que é politicamente correcto... Qual é a realidade desta nossa profissão? Realizamos actos médicos para não acordar o médico, sujeitos a graves sanções e ganhamos muito menos.

Desculpem, mas se eu não precisasse de dinheiro, estava nas Bahamas.

Porquê a discrepância de vencimentos? Isso não é também indicador da importância de determinado profissional?

O vencimento base dos médicos não é muito diferente do nosso... Os enfermeiros descansam, os médicos dormem... A questão não é entre médicos e enfermeiros que trabalham. Todos temos dificuldades. Mas ele ganham numa noite o que nós ganhamos em meio mês.

Claro que eles têm mais conhecimentos. Não pretendo fazer qualquer cirurgia...Não saberia como!

Mas há questões que temos de repensar. Somos ou não imprescindíveis? Não o seremos se quisermos ser apenas o cuidador, mas podemos ser com especializações.

Abraço.

Offline Gemini

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 58
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #22 em: Agosto 29, 2007, 23:35:08 »
Bem... "eles têm mais conhecimento" fracamente... não sei porque é que a colega diz isto. Eu não estou a espera de realizar cirurgias mas também não espero que um médico tente por exemplo tornar a gestão regime terapêutico eficaz ou ensinar, instruir e treinar os pais na aprendizagem de habilidades para tomar conta dos seus filhos. Para isto não é preciso conhecimento? Alias este nem deve ser medido como maior ou menor simplesmente um é específico da enfermagem e outro da medicina. Quanto à questão de dormir durante a noite, esta só salienta a importância do enfermeiro que tem o privilégio de poder estar junto do cliente 24 horas ajudando-o no seu processo de doença, o médico só tem que assistir a situações de urgência e quando solicitado pelos enfermeiros, não precisa de estar 8 horas acordado se não tiver que tratar de ninguém. Se respondem sempre ou vêem sempre é outra questão e muitas vezes a culpa até é dos enfermeiros que gostam muito de senhor doutor e até prescrevem por ele, e quantos aos salários acho que não deviam ser tão dispares mas nem tudo depende de nos, ao contrário do conhecimento esse sim depende de nós, nomeadamente da forma como o afirmamos.

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #23 em: Agosto 31, 2007, 21:05:27 »
Olá,

Caro Gemini, tens razão ao questionar a minha afirmação de que os médicos têm mais conhecimentos. Têm mais nalguns, noutros, como Enfermagem, não têm, claramente. Obrigada pela correcção.

Mas que têm mais poder, têm. Por isso, em situações de emergência vais chamá-los. Não é que não consigas sózinho, mas tens medo das consequências.É ou não é? Isso porque tu és o relator das ocorrências, mas não podes actuar.

Eu não acho que seja privilégio estar acordado durante a noite, a ganhar uma miséria.

Abraço.

Offline CdSakura

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 21
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #24 em: Março 12, 2008, 20:35:52 »
Colegas:

Eutrabalho numa Unidade de Cuidadados Continuados, em que a realidade é mesmo essa enfermeiro presente 24h e mé dico à chamada após (+/-) as 17h e até às 11/12h, sem médico aos fins de semana.
Sou recem-licenciada e, como podem imaginar, o pânico de não saber o que fazer era (e continua a ser) mais que muito. É claro que o médico de chamada demora sempre o seu tempo a chegar (já chegou a demorar 2 horas), mas felizmente os nossos internistas têm respondido semprea toda e qualquer chamada telefónica (seja a k horas for!).
Penso k no entanto o pior é não termos (ainda) protocolos que nos permitam actuar "autonomamente" e imediatamente, mas penso que a criação desses protocolos e de conseguirmos esta evolução depende de todos nós k trabalhamos na instituição e de formarmos uma equipa, cada qual com as suas competências e funções diferentes!

Abraço
CdSakura
(Cátia Duarte)

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #25 em: Março 12, 2008, 23:51:42 »
Uma variante do tema é: enfermeiro presente e médico ausente! (em casa a dormir, na rua a passear ou noutro lado a ganhar dinheiro noutro emprego ou a dar consultas particulares nas horas de serviço). É tudo lucro.
Pois sei de um médico que ganhar 42 horas/semana e faz, com sorte, no máximo 4 horas por dia. E voçês também conhecem porque não são assim tão poucos.
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: Enfermeiro no centro de sáude e médico á chamada
« Responder #26 em: Março 13, 2008, 08:12:57 »
Quando as SIV do INEM começaram, a Ordem dos Médicos ficou chocada por não haver medicos a bordo das SIV e chegou a deseconselhar os médicos reguladores de orientar as SIV.
Ora nas SIV tudo está devidamente protocolado e confrontei a ordem dos médicos com o caso de Bragança e  muitos outros pelo país...não se calaram totalmente, mas começaram a falar baixinho. ;)