Autor Tópico: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?  (Lida 3978 vezes)

Offline critical_nurse

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 4
    • Ver Perfil
Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« em: Maio 28, 2012, 20:46:37 »
Boa noite caros colegas,

andava eu hoje a navegar pela net, até que descobri um fórum de emergência médica norte americano, com um tópico interessante. Como aquilo que li me chocou, decidi registar-me aqui no fórum para obter mais opiniões.

A questão era se se devia imobilizar uma vítima de ferimento de bala. Todos os paramédicos e técnicos de emergência responderam que nunca se deve imobilizar um trauma penetrante, mesmo que haja comprometimento da espinal medula :o :o

Um, inclusive, disse que se o dano espinal já está feito, não é a imobilização que vai ajudar.  ??? :o

Qual é a vossa opinião?

Offline pedrorodrigues

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 18
    • Ver Perfil
Re: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« Responder #1 em: Agosto 21, 2012, 02:40:15 »
Imobilizar sempre!

"Um, inclusive, disse que se o dano espinal já está feito..." -> Está?! A maioria das vezes o dano da espinal medula ocorre por edema poucos são os casos onde ocorre secção total da mesma. Portanto eu imobilizo.

Offline pedrorodrigues

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 18
    • Ver Perfil
Re: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« Responder #2 em: Agosto 21, 2012, 02:56:50 »
Citação de: pedrorodrigues
Imobilizar sempre!

"Um, inclusive, disse que se o dano espinal já está feito..." -> Está?! A maioria das vezes o dano da espinal medula ocorre por edema poucos são os casos onde ocorre secção total da mesma. Portanto eu imobilizo.

Mas também cada caso é um caso, nem sempre nem nunca, portanto...bom senso!!

Offline EnfermeiroAC

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 109
    • Ver Perfil
Re: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« Responder #3 em: Agosto 21, 2012, 15:17:04 »
achei um estudo interessante que resolvi partilhar :


http://cienciadiaria.com.br/2010/01/22/ ... queamento/

cumprs  :D
Nurses]

Offline EnfermeiroAC

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 109
    • Ver Perfil
Re: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« Responder #4 em: Agosto 28, 2012, 18:36:54 »
o que este estudo diz de mais importante é o seguinte :

Elliot R. Haut, professor assistente de cirurgia na Johns Hopkins University School of Medicine e responsável pelo estudo, afirma: “Pacientes que são gravemente feridos com um trauma penetrante vão morrer, não importa o que se faça, mas se alguém é esfaqueado no pulmão, ou leva um tiro no fígado, como procedemos e quão rápido procedemos pode fazer uma enorme diferença – a diferença  entre viver ou morrer”.

Apesar da imobilização que paramédicos fazem em pacientes com ferimentos a bala e faca ter uma boa intenção, pode tornar o caso ainda mais grave: o colar cervical pode, por exemplo, ocultar uma lesão na traquéia ou fazer com que a inserção do tubo de respiração se torne mais complicada.

Outros procedimentos de atendimento pré-hospitalar também têm sido colocados em questão, como a necessidade de administração intravenosa de fluídos. Haut e seus colegas analisaram os registros de mais de 45 mil pacientes com trauma penetrante incluídos no Banco de Dados de Trauma entre 2001 e 2004. Eles calcularam que a chance de se beneficiar pela imobilização da coluna nesses casos era de um em mil.

mas como ainda sou estudante não sei precisar o que fazer: se se imobilize ou nao
Nurses]

Offline anya_Skywalker

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 183
    • Ver Perfil
Re: Imobilizar uma vítima de trauma penetrante, ou não?
« Responder #5 em: Setembro 24, 2012, 17:20:45 »
O artigo diz que o maior problema é o tempo despendido em medidas de protecção da coluna que pode atrasar a chegada ao hospital. Mas colocar um colar cervical e por o doente num plano rígido demora assim tanto tempo? Até pode, em certos casos (extracções difíceis, por exemplo) mas não creio que seja o factor determinante em atrasos. Pelo sim pelo não, imobilizaria a maioria das situações, desde que o mecanismo de trauma fizesse suspeitar possível compremetimento da espinhal-medula.

Agora se levaram uma facada numa extremidade, continua a ser trauma penetrante mas diga-se de passagem que as indicações não devem de ser para imobilizar... Espero eu! ;)

Quanto ao facto de o colar cervical tornar mais difícil a entubação do doente, bem.... Será que não utilizam estabilização manual quando estão a entubar? É que realmente passar um tubo por uma boca cemi-cerrada é difícil, e duvido que mesmo um anestesista bastante experiente queira fazê-lo dessa forma...