Autor Tópico: Enfermagem Portuguesa: Quais as razões para tanta abstenção? Como Combatê-la?  (Lida 8234 vezes)

Offline vitorefo

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 142
    • Ver Perfil
Olá a todos.

Após ler as diversas intervenções colocadas neste tópico, sinto-me na necessidade de dizer algo.

Basicamente o que discutem é sobre as eleições e o seu processo, mas com pouco conteúdo pertinente. Este processo tem sido discutido muitos meses antes das eleições ocorrerem. Tudo parte da elaboração dos estatutos e aprovação dos mesmos em AGE's. Era preciso um modelo, que foi elaborado, proposto e depois aprovado por quem esteve nessas AGE's. A própria duração da legislatura está definida e o acto eleitoral também o é definido previamente e aprovado em AGE. Nesses momentos foram discutidos os prós e contras do modelo, mas no final algo tinha de ser aprovado e foi. Eu concordo com os colegas (algo que já foi discutido aqui INÚMERAS vezes noutros tópicos) que é preciso desenvolver/evoluir em muitos aspectos dentro da OE. Alguns desses aspectos, objectivamente, até foram apontados por alguns candidatos. Mas tudo tem de partir de alterações bem estudadas e elaboradas, para posteriormente serem apresentadas e votadas a favor em AGE. E quem fala disto, fala de outros aspectos igualmente muito importantes como este, que é o caso do aumento das cotas, cortes na participação de jornadas internacionais/elaboração de revistas em suporte papel , a definição pormenorizada da operacionalização do MDP e o que este envolve, posições que a OE deve assumir e lutar (tal como foi/é o exemplo da luta pela realização de legislação para renovação de certos contratos nos Cuidados de saúde primários), entre muitos mais. Um ponto falado e muito enaltecido na Campanha, foi a importância de aproximar a OE dos enfermeiros. E quem tomou posse está a começar, pelo que não é correto que se comecem já a fazer juízos e pensamentos sobre tudo e mais alguma coisa que se fale ou surja na comunicação social (a meu ver). A meu ver um dos principais aspectos a mudar é o facto de as AGE's não serem sempre em Lisboa (e quem diz AGE's diz jornadas, conferências e outros realizados pela OE)! Mas pelos vistos até isso alguns, conseguiram propor e aprovar para os estatutos, de forma a que uma eventual alteração/marcação de assembleia esta-ordinária seja complexa. E isso já foi muito discutido aqui e entre muitos de nós, e tenho a certeza que os elementos presentes nos órgãos da OE, o sabem. Agora, aguarda-se por uma atitude de mudança.

Colega BV1, tenha atenção às palavras e a forma como as profere em relação ao colega Mauro. Uma coisa é opinião e visão, outra é denegrir, ofender, ameaçar e proferir ideias. Se isto fosse um fórum com acesso restrito a meu ver, o moderador teria uma posição correta em o excluir.

Agora um pensamento pessoal, é que os enfermeiros andam desmotivados face a importância da OE na sua vida profissional e que na actualidade, muitas vezes são obrigados a ter como prioridade lutar para obter algo na sua própria vida profissional, do que algo a favor da colectividade. Isto porque muitas vezes o que estão a fazer para "sobreviverem" individualmente, despersonaliza o colectivo. Mudança, tal como Lideres, precisam-se!

Cumprimentos,

Vítor
Devemos aprender com o passado, mas viver na realidade do presente e pensar no que poderá ser o futuro.

Offline BV1

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 70
    • Ver Perfil
Vitor
O Sr. anda  a ver muitos filmes!....Senão talvez pior....
Depois fala do que não sabe!... E isso é péssimo para pessoas que devem ser responsáveis e sábias!....
A sua sugestão de exclusão do forum (seria inédita!), é apenas sinónimo dessa sua sabedoria serôdia de falar do que não sabe e imaginar/ver coisas!... Há umas injecções que fazem bem a isso!...

Offline AnaZu

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 241
    • Ver Perfil
80% de abstenção....

Sem dúvida impressionante....!

Eu sou uma das que se absteve... Li alguns programas, "acompanhei" um pouco as campanhas... Mas ao estar fora de PT sinceramente não me importou o suficiente como para enviar o voto por correio ... Imagino que como eu, muitos colegas que emigraram continuam inscritos na ordem, eventualmente continuam a pagar as quotas (eu pelo menos sim), mas têm outras preocupações que não influir no destino da enfermagem em Portugal...
Não será uma "fatia" muito grande desses 80%, mas contará algo...

Talvez se o sistema de voto à distância fosse verdadeiramente mais fácil tivesse votado...