Autor Tópico: Insuficiência Renal Crónica  (Lida 6978 vezes)

Offline Tenevora

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 11
    • Ver Perfil
Insuficiência Renal Crónica
« em: Fevereiro 13, 2007, 16:37:24 »
Não sabia bem onde colocar este pedido de ajuda, mas como a pessoa em questão é idosa, supus que este seria o melhor forum.

Caros enfermeiros (e estudantes de enfermagem):


A minha avó, srª de 83 anos com historial de PA elevada, taquicardia (sofre de fibrilhação auricular c/ resposta ventricular rápida - controlada com amiadorona) e excesso de peso, foi recentemente diagnosticada com insuficiência renal crónica.

Ainda não foi vista em consulta de Nefrologia, pelo que não está a fazer nada para esta nova condição que lhe foi diagnosticada, para além de beber pouca água (menos de 0.5L/dia) e comer maioritáriamente vegetais com pouquíssima carne. Anda ligeiramente desidratada.

Nos ultimos dias a sua pressão arterial tem estado baixa, de tal forma que deixámos de lhe dar o medicamento para a tensão. Apesar disto a pressão arterial dela, medida hoje, era de 84/50, com o pulso a 100. (O pulso é normal para ela, anda sempre entre 85-120.) Nos ultimos dias tem estado "em baixo" passando muito tempo na cama a dormir, e desiquilibrando-se mais ao andar.

Gostava de saber se este abaixamento da PA se deve ao agravamento da insuficiência renal; se poderá ter algo a ver com a menor quantidade de água que ela bebe, ou se não terá nada a ver com isso. Quaisquer dicas para a hidratar mais são bem-vindas, tambem.


PS- A PA é medida em casa com um esfigmo automático de pulso no qual eu não deposito demasiada confiança - mas o manual comprado na loja dos 300 avariou por isso só me posso guiar por este. ;)

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #1 em: Junho 30, 2007, 20:03:38 »
Olá,

 Comprendo a tua angústia, por se tratar da tua avó. Mas as coisas são mais complexas do que isso e vai mesmo ter de fazer mais exames (análises ao sangue e urina, p. exemplo) e ser observada e, eventualmente internada para determinar o seu estado.

Espero que tudo corra bem.

Abraço.

Offline enfSL

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 9
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #2 em: Julho 01, 2007, 11:07:03 »
o melhor a fazer e consultar um nefrologista pois se a Insuficiencia que a tua avo possui é crónica isto quer dizer que é para toda a vida e como tal necessita tratamento por forma a preservar a funçao renal que ainda existe.
Para que ela se hidrate melhor tenta fazer-lhe um chá que ela goste (pode ser frio nesta altura) e estimula-a a beber pequenos goles ao longo do dia pode ser com uma palhinha se for caso disso. o fundamental  nesta altura é consultar um especialista na área.
espero ter ajudado e espero que a tua avo melhore.
cumprimentos.

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #3 em: Julho 01, 2007, 16:26:34 »
Fazer uma hidratação abundante pode não resolver a situação e só piorar...pois se estivermos perante uma doente com uma insuficiência cardíaca, só vamos "encharcar" a doente e ela com a insuficiência renal não vai conseguir eliminar os líquidos ingeridos. É necessários fazer um plano de ingestão hídrica, de forma a controlar+- as entradas e saídas, de uma forma não muito rigorosa, pois não se está em ambiente hospitalar, mas apenas para irmos tendo uma ideia.

Offline Pedro Campos

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 16
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #4 em: Julho 25, 2007, 08:48:27 »
Olá Tenevora.

Corcordo com os colegas acima.... Sua avó tem que começar um tratamento para a Insuficiencia Renal Crônica o mais breve possível, pois além de várias complicações ela interfere na função cardiovascular, e como sua avó sofre de fibrilação auricular, o problema pode se agravar.

É importante que você note alguns outros sinais/sintomas como: edema, a quantidade de diurese, ganho de peso, prurido, hipertensão, dispnéia, ingurgitamento de jugular...

Como ela tem uma função renal prejudicada ela retém sódio e água, aumentando o risco de edema, hipertensão e insuficiência cardíaca, e consequentemente edema pulmonar. Então como o Sérgio mencionou, é imporante fazer um plano de ingestão hidrica, e claro, seguir com o tratamento, para que ela nao apresente um excesso no volume de líquidos, minimizando os riscos de complicações. Ah, e faz uma dieta balanceada eliminando o máximo possivel o sódio.

Citar
Apesar disto a pressão arterial dela, medida hoje, era de 84/50, com o pulso a 100. (O pulso é normal para ela, anda sempre entre 85-120.) Nos ultimos dias tem estado "em baixo" passando muito tempo na cama a dormir, e desiquilibrando-se mais ao andar.

Sobre isso, esse desequilíbrio, tontura, sonolência e hipotensão podem ser efeitos adversos da Amiodarona. Sua avó está mais propensa a apresentar efeitos adversos pelos seguintes motivos: a desidratação, desequilíbrio hidroeletrolítico provocado pela Insuficiência Renal e pela própria Insuficiência renal. Quando os rins não estão funcionando adequadamente, a excreção dos medicamentos é reduzida e estes permanecem por mais tempo na corrente sanguínea, aumentando o risco de reações adversas e toxicidade medicamentosa

Oriente sua avó para ao se levantar de uma cadeira ou cama, que se apoie em alguma estrutura e que se levante devagar, para evitar a hipotensão postural, tonturas e quedas...

Melhoras para a sua avó!  :)
Abraços

Offline Miguellopes

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 537
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #5 em: Novembro 02, 2007, 21:47:18 »
Se estiver a tomar amiodarona há bastante tempo, então essa sintomatologia certamente não será considerado como efeitos secundários.
Um agravamento da IR provocaria uma elevação da TA, e não uma diminuição. Mas, poderá estar a desenvolver um epsiódio patológico renal agudo (não invalidado pelo facto de ser IRC).
Mas, falar destas coisas por internet é complexo, falacioso e muito sujeito a erros.

Offline lenon

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 8
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #6 em: Novembro 02, 2007, 22:36:10 »
Olá, a hidratação principalmente nos idosos é um problema; 0,5l de água não é muito mas atendendo aos antecedentes pessoais da sua avó há que ter bastante cuidado com a ingestão hídrica mas também com a eliminação... Caso venha confirmar a desidratação e a renitência á ingestão de líquidos da sua avó se mantenha, há algo que muitas vezes facilita: água gelificada, ela assim pode "comer" a água como se fosse gelatina, (nem todas as farmácias têm em stock mas já se encontra com mais facilidade). As melhoras ;)

Offline scruz

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 291
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #7 em: Novembro 03, 2007, 18:11:56 »
primeiro a tua avó terá de consultar um nefrologista

depois tem de ser comunicados á familia em k fase da IR é k ela está se aguda, ou se crónica é k os cuidados a ter são completamente diferentes

bem se me souberes responder depois é mais fácil ajudar-te, com os ensinos

mas por norma de uma IRA passa-se a IRCT e os sinais e sintomas são notórios ou seja as pessoas não urinam ou a urina é desprovida de conteúdo, é só água

isto ker dizer k as toxinas vão alterar a homeostasia do organismo, as pessoas ficam desorintadas, etc..

solução kdo o organismo perde esta capacidade diálise

tipo de tratamento é o médico k decide

dica em IRCT, os doentes teem k evitar beber água e kto aos alimentos teem k evitar alguns senão podemos ter problemas

Offline Miguellopes

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 537
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #8 em: Novembro 03, 2007, 23:34:07 »
"por norma de uma IRA passa-se a IRCT"

Isto não é todo verdade. A etiologia não é mesma.

Offline scruz

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 291
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #9 em: Novembro 04, 2007, 22:57:44 »
tens razao nem sempre é verdade, eu tb não afirmei k era em todas as situações

EX segundo a nefrologia clínica, a IRA "é um sindrome clínico caracterizado pela deteoração brusca da função renal escretora, acompanhando um aumento da concentração sérica de ureia, e aumento da creatinina. A IRA normalmente é reversível, embora os episódios prolongados podem produzir uma IRC irreversível, a qual requere diálise ou transplante"2003

Eu trabalho com 90 IRCT, dos quais 10 foram IRA durante anos controlados com dieta e terapeutica, mas com antecedentes familiares de IRCT, e que hoje em dia são IRCT porque a dieta e medicação que faziam no domicílio já não eram suficientes, e o rim entrou em falência.

Offline scruz

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 291
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #10 em: Novembro 04, 2007, 23:09:22 »
Na última etapa da IRC de forma geral aparece um quadro clínico denominado de SÌNDROME URÈMICO, este síndrome afecta o organismo a nivél sistémico debido á retenção de substâncias, alterações hormonais, mudanças metabólicas e transtornos hidroelectróliticos.

Os sintomas da urémia são:
1)PRECOCES-letargia,dores de cabeça, fadiga, física e mental, perda de peso, irritabilidade e depressão
2)TARDIOS-anorexia, nauseas e vómitos persistentes, dificuldade respiratória, cuando se realizam esforços leves ou sem realizar esforços, edema, prurido(ausente, leve ou severo)

alguma desta sintomatologia vai de encontro á tua avo?

Offline scruz

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 291
    • Ver Perfil
Re: Insuficiência Renal Crónica
« Responder #11 em: Novembro 05, 2007, 00:06:40 »
segundo a nefrologia clínica logoss 2003 e o manual de acolhimento da FRESENIUS MEDICAL CARE portugal, o  que estudei e da minha experiência com doentes, devemos ter precauções na elaboração de dietas na IRC, após resultados analíticos, tais como:

Restricção de alimentos ricos em potássio
tentar evitar o consumo de alimentos integrais, frutas(ananas,melão,melancia, coco), chocolate e derivados, batatas fritas
em caso de hiperpotassemia excluir da dieta verduras, frutas frescas e legumes que forem muito ricos em K

Consumir alimentos pobres em sódio
restringir os alimentos enlatados, fumeiro, etc,

truque por em água certos alimentos já que o sódio e o potássio são soluveis em água, e assim há uma perda destes iões antes de cozinhá-los

para cozinhar podem-se utilizar especiarias

Evitar os alimentos ricos em fósforo
que se encontra leite e derivados, carne, peixe e ovos. não obstante se se estao a usar quelantes estes alimentos podem ser consumidos moderadamente

Restricao de alimentos proteicos
consumir proteinas de alto valor biologico

Restringir os líquidos:
quando estes doentes não urinam e isto tem implicações sistemicas, que vão desencadear uma acumulação de líquidos a nivél de todos os tecidos...

Estes doentes são complexos e requerem um estudo aprofundado, hoje em dia já muito se tem estudado e para os enfermeiros creio que é uma área onde muito ainda se pode fazer principalmente a nivél de ensinos


podes procurar informações nos seguintes sites

American Nefhrology Nurses Association www.annanurse.org

SEDEN Sociedad Española de Enfermería Nefrológica www.seden.org

National Kidney Fundation www.kidney.org

APEDT- www.apedt.pt associação portuguesa se enfermeiros de dialise e transplantação