Autor Tůpico: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS  (Lida 13657 vezes)

Offline Catia_Bastos

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 51
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #30 em: Novembro 06, 2011, 19:34:16 »
Idem aspas colega Paulo.
Gostava de ver + uni„o entre os enfermeiros se calhar ť o k falta para sermos reconhecidos e valorizados.
Cumpts

Offline Calpurnia MŠxima

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #31 em: Novembro 06, 2011, 21:12:47 »
Apoiado caro Paulo, tiveste uma excelente ideia! O que eu n„o dava para assistir a um debate entre o Josť Azevedo e o Germano Couto.
Ou entre a Ana Rita Cavaco e o Sťrgio Deodato...
Ou entre o Manuel Oliveira e o Germano Couto...
Ou o Manuel Oliveira e o Josť Azevedo...
Acho que seriam momentos de grande elevaÁ„o e esclarecimento que os Enfermeiros muito beneficiariam.
A Ordem dos Enfermeiros nunca mais seria a mesma. Acho que deveriamos iniciar uma campanha no sentido de se promoverem esses debates. Boa Ideia. ForÁa.
RAsssh!

Offline pedromspcosta

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 20
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #32 em: Novembro 06, 2011, 22:35:06 »
Foi afastada por n„o ter sido honesta desde o inicio, ou talvez esquecesse que n„o reunia os 15 anos de exercŪcio profissional, a universidade dos jotinhas ť isto que ensina, mentir para reinar, quem paga ť o povinho.

Offline Calpurnia MŠxima

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #33 em: Novembro 07, 2011, 20:53:35 »
Carissimo colega:
Agora jŠ percebeste porque eu n„o iria votar nela ou pensas que tudo isto foi uma conspiraÁ„o?
… carreirista porque sů lhe interessa fazer carreira e subir ao topo do poder, custe o que custar n„o interessa deixar alguns cadŠveres pelo caminho. Foi vigarista pois desde o inŪcio sabia que n„o tinha hipůteses da sua lista ser aprovada e ainda assim persistiu, prometendo e defraudando as expectativas de todos aqueles que confiavam nela e a viam como uma hipůtese viŠvel de mudanÁa. Esperamos nunca mais ouvir falar deste cromo.
FaÁo votos para que todos os outros sejam pelo menos mais honestos, porque uns s„o de certeza mais competentes que outros. Que ganhe o melhor, de preferÍncia o meu. AbraÁo.
RAsssh!

Offline AlŪrio Belchior

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 47
    • Ver Perfil
Visita da Candidatura "Uma Ordem com os Enfermeiros" a Setķbal
« Responder #34 em: Novembro 08, 2011, 11:58:10 »
Dia 9 de Novembro, a candidatura com o lema "Uma Ordem com os Enfermeiros", com a Letra B, deslocar-se-Š ao Concelho de Setķbal, dando continuidade ao rol de visitas jŠ efectuadas a outras Unidade de Saķde do paŪs, que temos vindo a fazer ao longo de vŠrios meses.

9h - Centro de Saķde do Bonfim (Setķbal)

11h - Hospital de S„o Bernardo (Setķbal)


[align=center:ier0bcmp][/align:ier0bcmp]

Offline cavaco

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 165
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #35 em: Novembro 08, 2011, 19:23:14 »
Com a rejeiÁ„o da lider Ana Rita Cavaco, o projecto "Uma ordem com os enfermeiros" passou a ser como uma embarcaÁ„o sem mestre, por isso ť um projecto ŗ deriva e condenado ao naufrŠgio  :'(

Offline Enfa.P

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 77
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #36 em: Novembro 09, 2011, 01:16:45 »
… incrŪvel como ť fŠcil julgar os outros...

http://www.tvenfermagem.com/tv/index.ph ... &Itemid=48

Ana Rita tens o meu voto!

Offline Ana Rita Cavaco

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 104
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #37 em: Novembro 10, 2011, 15:01:41 »
Eu Ūa colocar aqui o link do vŪdeo da TvEnfermagem mas estŠ no ķltimo post.

Folgo em saber que continuam muito preocupados comigo ou n„o viriam aqui. TAC, ť aqui que vai ser decidido, a OE n„o ť o poder judicial, GraÁas a Deus, atť porque com o inquťrito disciplinar que o Conselho Jurisdicional me levantou a semana passada jŠ estava condenada ŗ partida. Se estou preocupada com ele? Absolutamente nada, ť mais uma medalha.

JŠ disse vŠrias vezes, ainda bem que somos livres de votar, n„o queres votar nestas listas n„o votas, ť saudŠvel que assim seja. N„o vens ť dizer que n„o trabalho com doentes porque sou a ķnica que o faz todos os dias, de todos os candidatos e estive sim 3 anos no Governo e isso estŠ publicado no site de candidatura www.mudaroe.com hŠ mais de um ano.

Os que est„o muito felizes com a rejeiÁ„o desejo-lhes muitas felicidades mas a candidatura saiu reforÁada com esse facto e a decis„o n„o ť da OE.

Continuo em campanha e estive ontem em Setķbal, a recepÁ„o foi surpreendente, o que conseguiram foi apenas reforÁar a minha posiÁ„o junto dos Enfermeiros que todos os dias trabalham nos serviÁos. Muito obrigada por isso. Este projecto ť de milhares e a recusa pendente recai apenas sobre mim mas nas listas nacionais e regionais somos todos assim.

Ninguťm vai para casa com nada por dizer!

Somos Orgulhamente Enfermeiros!

Um beijinho aos milhares de Enfermeiros que nos tÍm enviado mensagens, aqui e noutros fůruns.

Offline EutambťmsouumavŪtima

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #38 em: Novembro 10, 2011, 19:18:40 »
Ana Rita Cavaco - A candidata da divis„o, mentira e demagogia
 
 
Este texto surge como um imperativo.
Um¬† imperativo¬† de¬† reposiÁ„o¬† da¬† verdade,¬† de¬† esclarecimento¬† e¬† de¬† indignaÁ„o.¬† Ao¬† longo do¬† texto¬† explicitarei¬† porque¬† ť¬† que¬† Ana¬† Rita¬† Cavaco¬† personifica¬† uma¬† candidatura¬† que procura¬† a¬† visibilidade¬† atravťs¬† da¬† divis„o¬† da¬† classe,¬† da¬† mentira¬† e¬† demagogia¬† nas propostas e do insulto ligeiro e inconsequente ao bom nome das pessoas e da instituiÁ„o ŗ qual se candidata.
Comecemos pelo seu recente comunicado aquando da decis„o da comiss„o eleitoral em n„o aceitar a sua candidatura:
 
AfirmaÁ„o: ďA decis„o da Comiss„o Eleitoral da Ordem dos Enfermeiros de recusar a
minha¬† candidatura¬† a¬† bastonŠria¬† ť¬† ilegal¬† porque¬† viola¬† a¬† Lei¬† 6/2008,¬† que¬† regula¬† as
associaÁűes profissionais.Ē


ComentŠrio: tal¬† como¬† exposto¬† no¬† esclarecimento¬† da¬† průpria¬† Ordem¬† (disponŪvel¬† aqui
http://www.ordemenfermeiros.pt/comunica ... usaAnaRita
Cavaco.aspx) esta Lei n„o se aplica ŗ Ordem dos Enfermeiros. A raz„o invocada para a recusa¬† ť¬† o¬† facto¬† da¬† ex-candidata¬† n„o¬† possuir¬† os¬† 15¬† anos¬† de¬† exercŪcio¬† profissional exigidos¬† para¬† se¬† candidatar¬† ao¬† cargo¬† de¬† BastonŠria.¬† Porťm,¬† n„o¬† satisfeita¬† com¬† o cumprimento¬† da¬† lei¬† por¬† parte¬† da¬† OE,¬† eis¬† que¬† a¬† ex-candidata,¬† em¬† entrevista¬† televisiva, profere os seguintes impropťrios:

ďSubi na carreira, logo conta como tempo de exercŪcioĒ (contagem de tempo na¬†  carreira e tempo de exercŪcio profissional podem ser coisas distintas, desde que a pessoa¬† solicite¬† suspens„o¬† da¬† cťdula¬† profissional,¬† coisa¬† que¬† a¬† ex-candidata¬† fez¬†  quando¬† esteve¬† no¬† Ministťrio.¬† …¬† no¬† mŪnimo¬† esquisito¬† que¬† alguťm¬† que¬† se candidata ao cargo de BastonŠrio desconheÁa de forma t„o profunda os estatutos que regulam a průpria profiss„o)¬†

ďTerminei¬† o¬† curso¬† em¬† Outubro¬† (embora¬† a¬† inscriÁ„o¬† na¬† Ordem¬† tenha¬† sido¬† em¬†  Julho) Ē (quando mais nenhum argumento vence, eis que se cai no ridŪculo. Fica¬†  demonstrado¬† que,¬† nem¬† que¬† fosse¬† por¬† 1¬† segundo¬† de¬† diferenÁa,¬† o¬† que¬† interessa¬† a Ana Rita Cavaco ť conseguir o cargo de BastonŠrio a qualquer custo, o que diz muito acerca das verdadeiras razűes pessoais por detrŠs da sua candidatura)

  ďComo¬† ť¬† que¬† as¬† pessoas¬† conseguem¬† esconder-se¬† atrŠs¬† de¬† um¬† caderninho¬† de
  estatutosĒ¬† (ora¬† bem,¬† se¬† um¬† candidato¬† a¬† BastonŠrio¬† revela¬† tal¬† depreciaÁ„o¬† pelas¬†  leis¬† fundamentais¬† dos¬† enfermeiros,¬† isto¬† diz-nos¬† muito¬† sobre¬† a¬† qualidade¬† da¬† sua¬†  preparaÁ„o¬† e¬† da¬† sua¬† futura¬† acÁ„o.¬† Esperamos¬† que¬† nem¬† todas¬† as¬† pessoas¬† da¬† sua¬†  lista nutram este desprezo por aquilo que ť o patrimůnio da Ordem e de todos os¬†  enfermeiros)
 
ďA Ordem ť um ůrg„o que n„o estŠ acima da leiĒ (pois, efectivamente a Ordem¬†  n„o¬† ť¬† um¬† ůrg„o,¬† mas¬† sim¬† uma¬† associaÁ„o¬† profissional¬† de¬† direito¬† pķblico.¬† Mais uma¬† vez,¬† uma¬† demonstraÁ„o¬† do¬† seu¬† conhecimento¬† exŪmio¬† sobre¬† a¬† associaÁ„o¬† ŗ qual¬† se¬† candidata.¬† E,¬† efectivamente,¬† n„o¬† estŠ¬† acima¬† da¬† lei,¬† embora¬† a¬† ex-candidata¬† procure¬† utilizar¬† todos¬† os¬† subterfķgios¬† possŪveis¬† desta¬† para¬† tentar¬†  condicionar as eleiÁűes¬† na secretaria. N„o deixa,¬† no entanto, de ser curioso que tenha estado ausente nas discussűes e Assembleias-Gerais que se fizeram para a alteraÁ„o¬† estatutŠria,¬† onde¬† poderia¬† ter¬† proposto¬† a¬† alteraÁ„o¬† dos¬† 15¬† para¬† 10
anos¬† de¬† exercŪcio¬† profissional.¬† Na¬† altura¬† ainda¬† n„o¬† tinha¬† aparecido¬† a¬† sede¬† de protagonismo¬† e¬† poder?¬† Mais¬† uma¬† vez,¬† a¬† seriedade¬† e¬† coerÍncia¬† na¬† sua¬† postura enquanto¬† enfermeira.¬† Quer¬† usufruir¬† do¬† direito¬† a¬† ser¬† candidata¬† aos¬† ůrg„os¬† mas devia-se ter lembrado tambťm das suas obrigaÁűes)¬†

ďA¬† OE¬† alterou¬† o¬† seu¬† estatuto¬† mas¬† n„o¬† cumpriu¬† com¬† a¬† lei-quadroĒ

(Propűe-se mais¬† algum¬† estudo¬† sobre¬† a¬† alteraÁ„o¬† estatutŠria¬† e¬† o¬† que¬† ela¬† visou.¬† N„o¬† era¬† a
adaptaÁ„o¬† ŗ¬† lei-quadro,¬† que¬† n„o¬† se¬† aplica,¬† mas¬† sim¬† a¬† criaÁ„o¬† de¬† efectivas condiÁűes¬† para¬† a¬† regulaÁ„o¬† da¬† profiss„o,¬† nomeadamente¬† atravťs¬† do reconhecimento de competÍncias)
 
ďTenho¬† 17,5¬† anos¬† e¬† meio¬† no¬† total¬† de¬† horas¬† que¬† trabalhei¬† na¬† minha¬† vidaĒ¬†
A pťrola¬† das¬† pťrolas!!¬† Agora¬† o¬† horŠrio¬† acrescido¬† tambťm¬† serve¬† para¬† efeitos¬† de contabilizaÁ„o de tempo de exercŪcio profissional!! Se calhar n„o fazia mal ŗ ex-¬† candidata ler alguma coisa de Benner, para perceber porque ť que mais do que as horas¬† de¬† trabalho¬† o¬† que¬† efectivamente¬† interessa¬† s„o¬† os¬† anos¬† de¬† experiÍncia acumulados, que neste caso ť notoriamente pouca)¬† ¬†
 
ďDesde¬† o¬† inŪcio¬† que¬† estou¬† ŗ¬† espera¬† da¬† recusaĒ
Pois,¬† efectivamente¬† a¬† ex-candidata¬† andou¬† a¬† enganar¬† os¬† enfermeiros.¬† N„o¬† sů¬† pelas¬† propostas¬† que¬† fez¬† mas tambťm¬† porque¬† jŠ¬† sabia¬† hŠ¬† muito¬† que¬† a¬† providÍncia¬† cautelar¬† que¬† interpŰs¬† em Tribunal¬† meses¬† antes¬† das¬† eleiÁűes¬† n„o¬† iria¬† ter¬† provimento.¬† Fica¬† a¬† pergunta,¬†  porque¬† continuou?¬† Para¬† manter¬† a¬† taxa¬† de¬† visibilidade?¬† Efectivamente¬† jŠ¬† se percebeu o seu apetite por cargos polŪticos, tal como consta do seu currŪculo, do qual faz orgulhosamente publicidade n„o obstante o seu carŠcter paupťrrimo)

ďO porquÍ da recusa?Ē
Ainda n„o percebeu? N„o sei que mais esclarecimentos se podem dar...

ďEu¬† conheÁo¬† bem¬† a¬† leiĒ¬†
VÍ-seÖ¬† mal¬† estariam¬† os¬† enfermeiros¬† com¬† alguťm¬† t„o ďconhecedorĒ das leis ŗ frente da Ordem)
 
AfirmaÁ„o: ďcontra uma geraÁ„o de enfermeirosĒ.

ComentŠrio: Esta¬† foi a estratťgia de¬† Ana Rita¬† Cavaco desde o¬† inŪcio. Sabendo que os
jovens¬† enfermeiros¬† vivem¬† actualmente¬† muitas¬† dificuldades¬† resultantes¬† da¬† desregulaÁ„o do Sistema de Saķde e de Ensino Superior, eis que a ex-candidata tenta cavalgar a onda do¬† descontentamento¬† tentando¬† potenciŠ-la¬† de¬† forma¬† a¬† afirmar-se¬† como¬† a¬† soluÁ„o¬† para todos¬† os¬† problemas.¬† N„o¬† sů¬† n„o¬† apresentou¬† medidas¬† que¬† efectivamente¬† os¬† pudessem resolver¬† (de¬† forma¬† realista,¬† coerente¬† e¬† consequente)¬† como¬† os¬† diagnůsticos¬† que¬† faz¬† s„o parcelares¬† e¬† errados.¬† O¬† que¬† a¬† ex-candidata¬† desconhece¬† ť¬† que¬† n„o¬† serŠ¬† pela¬† divis„o¬† da profiss„o¬† e¬† dos¬† enfermeiros¬† que¬† iremos¬† resolver¬† os¬† nossos¬† problemas.¬† …¬† exactamente pela¬† outra¬† via,¬† a¬† da¬† uni„o.¬† Esperemos¬† que¬† o tempo¬† e¬† mais¬† alguma¬† experiÍncia¬† (e¬† bom senso) lhe ensinem isso.
 
AfirmaÁ„o: ďcomo pude verificar em dezenas de visitasĒ
ComentŠrio:¬† No¬† site¬† da¬† candidatura¬† contabilizŠmos¬† 15¬† instituiÁűesÖ¬† A¬† n„o¬† ser¬† que¬† a
SIC e o congresso da Nursing tambťm contem. AŪ passa para 17.
 
AfirmaÁ„o:¬† ďa¬† maioria¬† sabe¬† que¬† n„o¬† pŰde¬† e¬† n„o¬† pode¬† contar¬† com¬† a¬† Ordem¬† dos
Enfermeiros para nadaĒ

ComentŠrio: … caso para se perguntar: onde estava a Sr.™ Enf.™ quando se discutiram os
planos de actividades¬† e relatůrios de contas todos os anos? … que se considerava que¬† a Ordem devia redireccionar as suas capacidades e¬† recursos, ou apenas demonstrar o seu descontentamento¬† pelo¬† trabalho¬† realizado,¬† esses¬† eram¬† os¬† locais.¬† Pois,¬† mas¬† a¬† verdade¬† ť
que¬† ninguťm¬† se¬† lembra¬† de¬† a¬† ver¬† por¬† lŠ¬† nessas¬† alturas,¬† sendo¬† que¬† a¬† Assembleia¬† onde
decidiu¬† dar¬† espectŠculo¬† para¬† se¬† afirmar¬† como¬† candidata¬† fÍ-lo¬† de¬† forma¬† vergonhosa.
Algo que deve ter percebido, considerando que¬† na¬† AG¬† seguinte¬† voltou a n„o aparecer.
Ou¬† ent„o¬† era¬† porque¬† n„o¬† percebia¬† o¬† que¬† se¬† estava¬† a¬† discutir,¬† dado¬† serem¬† documentos
relativos ao MDP, o tal ďinternatoĒ contra o qual se afirma mas sem nunca se ter ouvido qualquer¬† comentŠrio¬† /¬† posiÁ„o¬† que¬† fundamente¬† essa¬† recusa.¬† E¬† muitos¬† foram¬† os momentos¬† onde¬† poderia¬† tÍ-lo¬† feito.¬† Momentos¬† cujas¬† decisűes¬† tiveram¬† vinculaÁűes formais,¬† ao¬† contrŠrio¬† das¬† acÁűes¬† de¬† campanha,¬† onde¬† se¬† podem¬† afirmar¬† barbaridades sobre tudo e mais alguma coisa sem se ter contraditůrio.
 
AfirmaÁ„o: ďOs¬† jovens¬† enfermeiros¬† com¬† esta¬† decis„o¬† receberam¬† uma¬† humilhaÁ„o
adicional. Ainda podem votar mas n„o podem ser eleitosĒ

ComentŠrio:¬† Mais¬† uma¬† vez¬† a¬† tentativa¬† de¬† divis„o¬† da¬† classe,¬† colocando¬† enfermeiros
contra enfermeiros. JŠ agora a pergunta: o que ť um jovem enfermeiro na opini„o da ex-candidata?¬† Seguindo¬† a¬† linha¬† de¬† raciocŪnio¬† da¬† ex-candidata,¬† impűe-se¬† questionar:¬† serŠ que¬† considera¬† um¬† jovem¬† de¬† 18¬† anos,¬† que¬† jŠ¬† pode¬† votar,¬† elegŪvel¬† para¬† Presidente¬† da Repķblica?
 
AfirmaÁ„o: ďmilhares de enfermeiros est„o no desemprego ou s„o forÁados a emigrarĒ
ComentŠrio:¬† sendo¬† uma¬† realidade¬† que¬† precisa¬† de¬† ser¬† solucionada¬† e,¬† como¬† tal,¬† da
implementaÁ„o¬† de¬† polŪticas¬† integradas¬† e¬† coerentes,¬† precisa¬† tambťm¬† de¬† rigor¬† na¬† sua anŠlise.¬† Ora¬† vejamos,¬† utilizando¬† os¬† dados¬† do¬† Estudo¬† SituaÁ„o¬† Profissional¬† Jovens Enfermeiros¬† feito¬† pela¬† Ordem¬† dos¬† Enfermeiros¬† e¬† publicado¬† em¬† Setembro¬† de¬† 2011, podemos afirmar que:
¬† Se¬† utilizarmos¬† o¬† nķmero¬† de¬† inscriÁűes¬† reais¬† na¬† Ordem¬† nos¬† anos¬† 2008,¬† 2009¬† e¬†  2010¬† (n¬† =¬† 11349)¬† poder-se-Š¬† inferir¬† que¬† existir„o¬† 1702¬† enfermeiros¬† que¬† est„o desempregados¬† e¬† 873¬† a¬† exercer¬† no¬† estrangeiro.¬† Nķmeros¬† preocupantes¬† sem dķvida,¬† ainda¬† para¬† mais¬† quando¬† a¬† ida¬† para¬† o¬† estrangeiro¬† se¬† revela¬† uma¬† opÁ„o secundŠria forÁada pelos constrangimentos nacionais.
 
Mas¬† jŠ¬† agora,¬† porque¬† n„o¬† abordou¬† a¬† ex-candidata¬† assuntos¬† como¬† a¬† imposiÁ„o¬† de condiÁűes de acesso ao 1ļ emprego, tais como os estŠgios profissionais, o trabalhar sem remuneraÁ„o¬† nos¬† primeiros¬† meses,¬† o¬† saber¬† cozinhar¬† ou¬† limpar,¬† o¬† possuir¬† emprťstimos bancŠrios¬† ou¬† o¬† ter¬† filhos?¬† E¬† porque¬† n„o¬† se¬† ouviu¬† uma¬† ideia¬† sobre¬† como¬† resolver¬† as condiÁűes precŠrias em que¬† muitos trabalham ou a acumulaÁ„o de vŠrios empregos em tempo¬† parcial?¬† Em¬† vez¬† disso, opta¬† por¬† continuar¬† com¬† as¬† acusaÁűes¬† populistas¬† e¬† pouco rigorosas, tais¬† como¬† ďa Ordem dos Enfermeiros¬† mantťm 3 sedes luxuosas em Lisboa e mais umas quantas espalhadas pelo PaŪsĒ.¬† A sede nacional tem duas habitaÁűes na Av. Gago¬† Coutinho,¬† a¬† SecÁ„o¬† Regional¬† do¬† Sul¬† um¬† andar¬† na¬† Rua¬† Castilho¬† e¬† as¬† restantes secÁűes¬† regionais¬† possuem¬† a¬† respectiva¬† sede.¬† Era¬† bom¬† que¬† a¬† ex-candidata,¬† a¬† bem¬† do rigor, explicitasse o entendimento que tem de luxo bem como o que propűe fazer com os colaboradores¬† que¬† mantÍm¬† a¬† Ordem¬† a¬† funcionar¬† diariamente¬† ou¬† com¬† os¬† vŠrios¬† ůrg„os eleitos¬† e¬† grupos¬† de¬† trabalho¬† caso¬† decidisse¬† pelo¬† encerramento¬† de¬† alguma¬† destas instalaÁűes.¬† Pois¬† ť,¬† disparar¬† para¬† o¬† ar¬† acusaÁűes¬† populistas¬† ť¬† fŠcil.¬† O¬† que¬† ť¬† difŪcil¬† ť
explicar¬† como¬† fazer¬† mais¬† e¬† melhor¬† com¬† menos¬† recursos¬† ou¬† ent„o¬† ir¬† ŗs¬† Assembleias-Gerais defender o encerramento de instalaÁűes.
 
AfirmaÁ„o: ďcom um orÁamento anual de 8 milhűes de eurosĒ

ComentŠrio: compreendemos que pode ser difŪcil¬† ir ŗs¬† Assembleias Gerais discutir as opÁűes para a profiss„o, mas ao menos podia consultar os documentos oficiais no site da Ordem¬† dos¬† Enfermeiros¬† antes¬† de¬† proferir¬† barbaridades¬† como¬† esta.¬† No¬† plano¬† de actividades¬† e¬† orÁamento¬† para¬† 2001,¬† na¬† pŠgina¬† 29¬† encontra¬† uma¬† tabela¬† com¬† o¬† previsto bruto¬† para¬† 2011¬† (6.148.333,23¬† Ä)¬† e¬† o¬† previsto¬† lŪquido¬† para¬† 2011¬† (4.046.115,83Ä).¬† Ou seja, disponŪvel, serŠ aproximadamente metade do que afirma. Mais uma vez o rigor em quem se propűe ao lugar cimeiro da organizaÁ„o! Sem dķvida, um bom pressŠgio.¬†

AfirmaÁ„o:¬† ďa¬† Ordem¬† dos¬† Enfermeiros¬† n„o¬† poupou¬† nunca¬† na¬† surrealista¬† exibiÁ„o¬† de
privilťgios dos seus dirigentesĒ

ComentŠrios: consegue¬† consubstanciar¬† esses¬† privilťgios?¬† Ou¬† ť¬† apenas¬† mais¬† uma
acusaÁ„o v„ como tantas outras?
 
AfirmaÁ„o: ďa¬† Comiss„o¬† Eleitoral¬† determinou¬† o¬† encerramento¬† de¬† todas¬† as¬† mesas¬† de
voto nos hospitais onde os enfermeiros trabalhamĒ

ComentŠrio: a SRN, presidida pelo candidato a bastonŠrio pela Enfermagem Primeiro Ė Lista A, enfermeiro Germano Couto, votou contra, por considerar que era uma decis„o limitativa do direito democrŠtico de exercŪcio do voto.¬†
 
AfirmaÁ„o: ďesta decis„o reforÁa o meu propůsito de ser candidata a bastonŠriaĒ
ComentŠrio: sů se for daqui a 4 anos, porque nestas eleiÁűes, como a lei estipula, jŠ n„o
pode.
 
Finda¬† a¬† anŠlise¬† do¬† comunicado¬† de¬† imprensa¬† relativo¬† ŗ¬† recusa¬† da¬† aceitaÁ„o¬† da¬† sua
candidatura¬† a¬† bastonŠria,¬† debrucemo-nos¬† sobre¬† mais¬† algumas¬† pťrolas¬† com¬† que¬† a¬† Enf.
Ana Rita Cavaco nos tem brindado.
 
ďAs¬† outras¬† candidaturas¬† s„o¬† todas¬† da¬† continuidadeĒ¬† e¬† a¬† minha¬† candidatura¬† ť¬† ďUma
candidatura de completa rupturaĒ
.

Ora, dois aspectos:
¬†  
As¬† outras¬† candidaturas¬† n„o¬† s„o¬† de¬† continuidade.¬† …¬† certo¬† que¬† delas¬† fazem¬† parte enfermeiros¬† que¬† em¬† alguma¬† parte¬† da¬† sua¬† vida¬† profissional¬† estiveram¬† ligados¬† ŗ actividade¬† da¬† Ordem,¬† o¬† que¬† ť¬† salutar,¬† mas¬† que¬† por¬† n„o¬† concordarem¬† com¬† as opÁűes estratťgias dos actuais corpos decidiram dinamizar outros projectos.
¬†  
Tendo¬† em¬† consideraÁ„o¬† a¬† irrelev‚ncia¬† que¬† a¬† Enf.™¬† Ana¬† Rita¬† Cavaco¬† atribui¬† aos Estatutos¬† da¬† Ordem¬† dos¬† Enfermeiros¬† (como¬† ficou¬† demonstrado¬† pelas¬† suas průprias¬† declaraÁűes),¬† dos¬† quais¬† ť¬† parte¬† integrante¬† o¬† Cůdigo¬† Deontolůgico, instrumento¬† estrutural¬† para¬† o¬† exercŪcio¬† profissional¬† dos¬† enfermeiros,¬† serŠ¬† que¬† a ex-candidata¬† tambťm¬† iria¬† relegar¬† para¬† segundo¬† plano¬† o mesmo?¬† Ou¬† antes,¬† serŠ que o conhece e domina em profundidade? SerŠ que iria deitar para o lixo todos os pareceres e¬† documentos elaborados atť ŗ data, e que constituem patrimůnio da profiss„o? Considerando o desrespeito por quem tem contribuŪdo, ŗ sua maneira, para este patrimůnio e por este em¬† si průprio, a candidatura da equipa que¬† Ana Rita¬† Cavaco¬† reuniu¬† revela-se¬† n„o¬† tanto¬† como¬† de¬† ruptura¬† mas¬† sim¬† como¬† um apag„o da průpria Ordem. AliŠs, como se tem visto atť agora, se n„o concordam, ent„o¬† ť¬† porque¬† n„o¬† presta.¬† Se¬† a¬† Lei¬† 111-2009¬† (estatutos¬† da¬† Ordem¬† dos Enfermeiros) n„o ť do seu agrado, ent„o ť porque n„o deve ser respeitada. Este
¬† tipo¬† de¬† comportamento¬† alťm¬† de¬† perigoso,¬† pois¬† coloca¬† os¬† interesses¬† individuais de¬† protagonismo¬† ŗ¬† frente¬† de¬† tudo¬† o¬† resto,¬† tambťm¬† ť¬† desrespeitoso¬† para¬† com todos os enfermeiros e para com a průpria profiss„o.
 
Num¬† mail¬† de¬† 8¬† de¬† Novembro¬† a¬† ex-candidata¬† afirma:¬† ďA¬† semana¬† passada¬† o¬† Conselho
jurisdicional da Ordem dos Enfermeiros levantou-me um procedimento disciplinar sem
que¬† me¬† tenham¬† informado¬† de¬† qual¬† a¬† acusaÁ„o
Ē.¬†
Ora,¬† considerando¬† tudo¬† o¬† que¬† tem andado a dizer sobre tudo e todos de forma inconsequente, penso que devia reflectir nos seguintes artigos do Cůdigo Deontolůgico dos Enfermeiros e do Cůdigo Penal:
 
1) Cůdigo Deontolůgico dos Enfermeiros
 
Artigo 78.ļ
PrincŪpios gerais
 
2 ó S„o valores universais a observar na relaÁ„o profissional:
(Ö)
¬† c) A verdade e a justiÁa;
 
Artigo 90.ļ
Dos deveres para com a profiss„o
 
Consciente de que a sua acÁ„o se repercute em toda a profiss„o, o enfermeiro assume o
dever de:
¬† a) Manter no desempenho das¬† suas actividades, em todas as circunst‚ncias, um
¬† padr„o de conduta pessoal que dignifique a profiss„o;
¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† (Ö)
¬† c) Proceder com correcÁ„o e urbanidade, abstendo -se de qualquer crŪtica pessoal
¬† ou alus„o depreciativa a colegas ou a outros profissionais
 
¬† 2) Cůdigo Penal
 
PARTE ESPECIAL
TÕTULO I
DOS CRIMES CONTRA AS PESSOAS
CAPÕTULO VI
Dos crimes contra a honra
ARTIGO 180.ļ
(DifamaÁ„o)
1-  Quem,  dirigindo-se  a  terceiro,  imputar  a  outra  pessoa,  mesmo  sob  a  forma  de
suspeita,¬† um¬† facto,¬† ou¬† formular¬† sobre¬† ela¬† um¬† juŪzo,¬† ofensivos¬† da¬† sua¬† honra¬† ou
consideraÁ„o,¬† ou reproduzir¬† uma¬† tal¬† imputaÁ„o ou¬† juŪzo,¬† ť¬† punido¬† com¬† pena¬† de¬† pris„o
atť¬† 6¬† meses¬† ou¬† com¬† pena¬† de¬† multa¬† atť¬† 240¬† dias.
 
ARTIGO 181.ļ
(Injķrias)
1-  Quem  injuriar  outra  pessoa,  imputando-lhe  factos,  mesmo  sob  a  forma  de  suspeita,
ou dirigindo-lhe palavras, ofensivos da sua¬† honra ou consideraÁ„o, ť punido com pena
de pris„o atť 3 meses ou com pena de multa atť 120 dias.
 
ARTIGO 182.ļ
(EquiparaÁ„o)
ņ difamaÁ„o e ŗ injķria verbais s„o equiparadas as feitas por escrito, gestos, imagens ou
qualquer outro meio de express„o.
ARTIGO 183.ļ
(Publicidade e calķnia)
1-¬† Se¬† no¬† caso¬† dos¬† crimes¬† previstos¬† nos¬† artigos¬† 180.ļ,¬† 181.ļ¬† e¬† 182.ļ:
a)¬† A¬† ofensa¬† for¬† praticada¬† atravťs¬† de¬† meios¬† ou¬† em¬† circunst‚ncias¬† que¬† facilitem¬† a¬† sua
divulgaÁ„o; ou,
b)¬† Tratando-se¬† da¬† imputaÁ„o¬† de¬† factos,¬† se¬† averiguar¬† que o¬† agente¬† conhecia¬† a¬† falsidade
da¬† imputaÁ„o;¬† as¬† penas¬† da¬† difamaÁ„o¬† ou¬† da¬† injķria¬† s„o¬† elevadas¬† de¬† um¬† terÁo¬† nos¬† seus
limites mŪnimo e mŠximo.
 
2-¬† Se o¬† crime¬† for¬† cometido¬† atravťs¬† de¬† meio¬† de¬† comunicaÁ„o¬† social,¬† o¬† agente¬† ť¬† punido
com pena de pris„o atť 2 anos ou com pena de multa n„o inferior a 120 dias.
ARTIGO 184.ļ
(AgravaÁ„o)
As¬† penas¬† previstas¬† nos¬† artigos¬† 180.ļ,¬† 181.ļ¬† e¬† 183.ļ¬† s„o¬† elevadas¬† de¬† metade¬† nos¬† seus
limites mŪnimo e mŠximo se a vŪtima for uma das pessoas referidas no artigo 132.ļ, n.ļ
2, alŪnea h), no exercŪcio das suas funÁűes ou por causa delas.
Artigo 132.ļ n.ļ 2, alŪnea h): Ter praticado o facto contra membro de ůrg„o de soberania, do Conselho de
Estado,¬† Ministro¬† da¬† Repķblica,¬† magistrado,¬† membro¬† de¬† ůrg„o¬† do¬† governo¬† průprio¬† das¬† Regiűes
Autůnomas¬† ou¬† do¬† territůrio¬† de¬† Macau,¬† Provedor¬† de¬† JustiÁa,¬† governador¬† civil,¬† membro¬† de¬† ůrg„o¬† das
autarquias locais ou de serviÁo ou organismo que exerÁa autoridade pķblica, comandante de forÁa pķblica,
jurado, testemunha,¬† advogado,¬† agente¬† das¬† forÁas¬† ou¬† serviÁos¬† de¬† seguranÁa,¬† funcionŠrio¬† pķblico,¬† civil¬† ou
militar,¬† agente¬† de¬† forÁa¬† pķblica¬† ou¬† cidad„o¬† encarregado¬† de¬† serviÁo¬† pķblico,¬† docente¬† ou¬† examinador
pķblico, ou ministro de culto religioso, no exercŪcio das suas funÁűes ou por causa delas.
ARTIGO 187.ļ
(Ofensa a pessoa colectiva, organismo ou serviÁo)
1-¬† Quem,¬† sem¬† ter¬† fundamento¬† para,¬† em¬† boa¬† fť,¬† os¬† reputar¬† verdadeiros,¬† afirmar¬† ou
propalar¬† factos¬† inverŪdicos,¬† capazes¬† de¬† ofenderem¬† a¬† credibilidade,¬† o¬† prestŪgio¬† ou¬† a
confianÁa¬† que¬† sejam¬† devidos¬† a¬† pessoa¬† colectiva,¬† instituiÁ„o,¬† corporaÁ„o, organismo¬† ou
serviÁo que exerÁa autoridade pķblica, ť punido com pena de pris„o atť 6 meses ou com
pena de multa atť 240 dias.
 
Em sumaÖ
 
A¬† posiÁ„o¬† de¬† Ana¬† Rita¬† Cavaco¬† ť¬† de¬† alguťm¬† que¬† sů¬† tem¬† direitos¬† na¬† sua¬† relaÁ„o¬† com¬† a Ordem, n„o tendo qualquer dever. Se n„o sabe ť¬† porque a Ordem¬† n„o¬† informa. Se¬† n„o acontece ť porque a Ordem n„o faz. Se acontece ť porque a Ordem faz, mas n„o devia fazer.¬† Este¬† tipo¬† de¬† atitude¬† sů¬† demonstra¬† uma¬† coisa:¬† imaturidade.¬† Onde¬† esteve¬† nos momentos¬† em¬† que¬† se¬† tomaram¬† decisűes¬† estruturais?¬† N„o¬† estŠ¬† qualquer¬† registo¬† seu¬† nas actas.¬†
 
Eis¬† que¬† surge¬† agora,¬† de¬† forma¬† oportunista,¬† tentando¬† cavalgar¬† a¬† onda¬† de descontentamento que se tem vindo a aprofundar e a agravar no seio da profiss„o.
 
… preciso n„o esquecer que a Ordem n„o ť uma estrutura neutra, abstracta. Somo todos nůs. E todos nůs temos que fazer parte de uma soluÁ„o positiva alicerÁada na uni„o dos enfermeiros, ao invťs do negativismo do bota-abaixo e do dividir para reinar.
 
Precisamos de lŪderes sťrios e responsŠveis, com vis„o e ideias inovadoras, que estejam ao serviÁo dos outros em vez de porem os outros ao seu serviÁo.¬† ¬†

Offline Paulo

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 168
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #39 em: Novembro 11, 2011, 23:23:52 »
Tal como referiu num seminŠrio da OE subordinado ŗ …tica, no caso, salvo o erro o X, um ilustre enfļ "enquanto uns discutem a ťtica outros praticam-na" (o outros referia-se aos mťdicos).
JŠ vi que n„o faltam razűes para colocar em pris„o um enfermeiro que n„o concorda com os demais ou com o estado da arte que alguns denominam como ķltimas evidÍncias apenas para legitimar a cegueira, pena ť que os enfermeiros continuem sem poder utilizar um desfibrilador automŠtico externo mesmo que tenham formaÁ„o especifica para tal, que os enfermeiros n„o possam prescrever um paracetamol para a febre, n„o possam extrair uma unha encravada, etc, etc.
Paulo

Vamos trabalhar para uma enfermagem melhor, n„o se limitem a fazer bem, faÁam cada dia melhor!

Offline CaÁa Coelho

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 110
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #40 em: Novembro 16, 2011, 21:26:40 »
Parabťns colega pelas suas ideias. Somos a maior ordem. Lutamos 24h sobre 24h por vidas humanas.
Estamos desacreditados, banalizados, quase escravizados.
Merecemos  respeito e credibilidade, pelo que fazemos e lutamos-
Bem haja

Offline akatisia

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 12
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #41 em: Dezembro 01, 2011, 20:17:42 »
A manipulaÁ„o das palavras feita pelo colega que acha que ť uma vitima ť brilhante. Excelente sem‚ntica, boa pontuaÁ„o, utilizaÁ„o mediocre no entanto do estilo Bold, mas isso ť o menos. Queria felicitar o mesmo pelo trabalho que teve, imaginaÁ„o, horas de investigaÁ„o e dinheiro gasto em chamadas de telemovel.
Adorei ver como consegue escrever uma histůria de um gui„o que n„o ť seu.

Basta de Trafulhas nesta profiss„o como o colega, basta de palhaÁadas e faltas de personalidade, Basta.

A Lista B n„o ť sů a colega Ana Cavaco, a Lista B ť uma equipa, s„o todos os enfermeiros fartos de pessoas que se armam em vitimas, sendo que escondidas nessa capa ridicula usurpam a nossa OE. Fora com esses ratos que nem no esgoto deviam ter lugar.

JŠ agora, cumprimentos ao verdadeiro dono do gui„o, esse sim o mestre da anti-ťtica, com pitada camorriana.

Offline cavaco

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 165
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #42 em: Dezembro 06, 2011, 17:34:02 »
Foi publicado hoje na homepage da Ordem dos Enfermeiros, a decis„o do Tribunal Administrativo sobre a n„o admiss„o da candidatura da Enf.™ Ana Rita Pedroso Cavaco ao ůrg„o BastonŠrio da Ordem dos Enfermeiros¬†  

O tribunal decidiu pela improcedÍncia do recurso, confirmando judicialmente a deliberaÁ„o da Comiss„o Eleitoral e a legalidade da norma inserta no Artigo nļ 39ļ, ponto 3 do Estatuto da Ordem dos Enfermeiros Ė republicado pela Lei nļ 111/2009, de 16 de Setembro.

Ver mais em:
http://www.ordemenfermeiros.pt/comunica ... avaco.aspx
http://www.ordemenfermeiros.pt/comunica ... embro.aspx

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #43 em: Dezembro 12, 2011, 04:45:01 »
Ent„o Ana Rita, sempre se confirma que vai para directora na Santa Casa?

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Lista B - UMA ORDEM COM OS ENFERMEIROS
« Responder #44 em: Dezembro 17, 2011, 16:20:25 »
Dado que as eleiÁűes terminaram deixa de fazer sentido existirem tůpicos dedicados ŗ discuss„o das listas individualmente.

Por esse motivo este tůpico fica trancado.

Cumprimentos a todos os que contribuŪram para a partilha e discuss„o de ideias/propostas.