Autor Tópico: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO  (Lida 35600 vezes)

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #150 em: Dezembro 08, 2011, 23:26:22 »
@Herodes

Não comento teorias da conspiração, pois aquilo que escreve no seu último post é mais baseado em crença do que em factos. Discordo ainda do exemplo da Golden Sachs, pois distrai do contexto que estamos a falar, a Enfermagem.

@BV1

Faça as contas...

Offline Miguel Marques

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 4
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #151 em: Dezembro 09, 2011, 20:26:39 »
A tabela comparativa entre as várias candidaturas à OE é reveladora da sede de poder por parte do Germano. Mostra-nos de que “massa” é feita o candidato, e também, o carácter dos seus apoiantes. Percebe-se ainda, a figura ridícula do Dr. Enf. (Belmiro) e do Mauro, ao colocarem essa tabela nos seus blogues. Só faltava apontarem uma arma à cabeça dos enfermeiros e dizer “vota na lista A”.

Olhando para as “cruzinhas”, a Ana Rita até nem tem um mau resultado. Portanto, agora que a sua candidatura foi chumbada, o Germano até a coloca em 2º lugar no ranking!
O Azevedo e o Sérgio surgem empatados. E o Manuel em último. Revelará isso medo da continuidade? Estará o Germano com receio do Manuel?

Não substimem os adversários.
A vossa derrota vai ser monumental!


Dizem que o Germano convidou o Mauro (blogue Saúde em Portugal), o Belmiro (blogue Doutor Enfemreiro) e o Pedro (Fórum Enfermagem) para conseguir marcar terreno na blogosfera.

Acho que foi um acto falhado.
O Doutor Enfermeiro é um blogue tipo jornal Correio da Manhã (imprensa amarela).
O FE é um espaço que já só é frequentado por desempregados, particularmente aqueles que pretendem emigrar.
O blogue do Mauro é... nem sei bem o quê! A média de comentários está entre 0 e 1.

És um génio, Germano :)




Eis o que vai acontecer se o Germano for eleito:

Vamos ter um bastonário que dá aulas no Porto à Segunda Feira, em Coimbra à Terça Feira, em Lisboa à Quarta Feira, em Faro à Quinta Feira, no Funchal à Sexta Feira de manhã e em Ponta Delgada à Sexta Feira à tarde.

O site da OE vai ter um link directo para o blogue Doutor Enfermeiro.

O Pedro (Fórum Enfermagem) vai ser embaixador da Enfermagem Portuguesa na Suiça, Inglaterra, EUA, Arábia Saudita e Austrália. Precisamos de alguém que trate da papelada da emigração.

O Mauro Germano (blogue Saúde em Portugal) vai ter um minuto e meio no programa do Marcelo Rebelo de Sousa, aos domingos à noite, na TVI. Os portugueses vão deliciar-se com a sua visão do mundo da saúde.

A Cristina Mesquita vai ter uma fotografia em cada hospital português. Não só os hospitais, como os centros de saúde, vão ser comprados pelo Banco Espírito Santo. A Universidade Atlântica vai comprar todas as escolas de Enfermagem portuguesas. O IFE (Amadora; http://www.ife-ace.com/) vai certificar as formações em serviço de norte a sul do país. Com este cenário, o Cristiano Ronaldo vai deixar de ter dinheiro no “bej-a-render”  :)

Os almoços de domingo na casa do Germano vão versar o tema “as contas da OE”. O marido segura no bastão. A esposa vice-preside à fiscalização. O Cadete e o Rogério lavam a loiça.

O Rui Santos (ex SEP), em parceria com a Mesquita, vai descontar nos ordenados dos enfermeiros, o equivalente às cotas do sindicato. Nos dias de greve, ficará encarregue de marcar falta a todos os que não comparecerem na “manife” junto à estátua do Marquês de Pombal, em Lisboa.

Vote Enfermagem Primeiro!


EDITADO: Posts seguidos foram agrupados no mesmo

Offline enfermeiroUK

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 174
    • Ver Perfil
    • http://enfermeirouk.com/
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #152 em: Dezembro 09, 2011, 20:49:36 »
Aíííí o que para aqui vai  ;D

Citação de: Miguel Marques
Dizem que o Germano convidou o Mauro (blogue Saúde em Portugal), o Belmiro (blogue Doutor Enfemreiro) e o Pedro (Fórum Enfermagem) para conseguir marcar terreno na blogosfera.

Não me admiro, dada a a tentativa do Pedro e Mauro em defender a todo o custo e sem argumentos válidos, a candidatura do senhor Germano. Quem se iria por a defender com unhas e dentes uma coisa destas, a não ser que tivesse a ganhar algo com isso? Será? Como diz o Miguel Marques (especulando!), as tantas devem ter algo prometido em troca do fanatismo e publicidade. Um tacho na OE? Porque não? Como se vê de tudo por aí...
"...se não receio o erro, é porque estou sempre pronto a corrigi-lo." Bento de Jesus Caraça.

http]

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #153 em: Dezembro 09, 2011, 21:02:00 »
@Miguel Marques

deduzo que está desempregado e quer emigrar uma vez que frequenta este espaço.

Quanto as suas convicções não as critico mas vejo que andam todos muito nervosos com o resuktado da Lista A. Não se preocupem que a Ordem liderada pela Enfermagem Primeiro será inclusiva de todos os enfermeiros que estejam disponiveis para trabalhar em nome da profissão.

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #154 em: Dezembro 09, 2011, 22:56:14 »
@Miguel Marques:

Obrigado por ler o meu blogue :)

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #155 em: Dezembro 10, 2011, 21:03:08 »
Pedro:
O meu último comentário deveria ser publicado na íntegra. Contrariamente ao que diz, o primeiro parágrafo não critica apenas a moderação do FE. Critico a sua atitude, já que por várias vezes não respondeu às minhas questões. Dei o exemplo do comentário do dia 4/12 das 09:03:12 (veja o que eu lá digo sobre o modo como decorre a contratação de enfermeiros).
 
Quanto à “instrumentalização” partidária da campanha, repare que não fui eu que falei em apoio financeiro. Apenas disse que a cúpula directiva do PSD deve estar a esfregar as mãos de contente: nas eleições para a OE existem 3 candidatos da sua cor. Nada mau.
 
Quanto às PPP, deixe-me dizer-lhe que o Germano não tomou posição firme coisa nenhuma. Em Cascais (onde agora está o “expert” Adalberto; o do jantar) há empresas de enfermeiros subcontratadas. Em Braga houve falta de transparência na selecção de enfermeiros. Em Loures idem, com uma agravante: há colegas meus que vão para lá trabalhar, não por mérito próprio, mas porque o médico A ou B, indicou o seu nome à enfermeira directora (a Enfermeira Cristina Mesquita não é directora, mas dado estar ligada à ESS, pode dar uma ajuda no esclarecimento desta situação). Diga-me onde posso encontrar a tal posição firme do Enf. Germano?
 
Quanto ao Dr. Enfermeiro. Ok, eu aguardo para ver se ele será o próximo enfermeiro director em Gaia. Mas o ponto central nem sequer é esse. Vocês não podem é enganar os enfermeiros dizendo que são a favor de uma campanha séria e cordial, e depois nós vemos que um grande apoiante da lista A (Belmiro Rocha) não fez outra coisa nos últimos anos (e continua a fazer) que não sejam ataques à anterior direcção da OE, e a outros candidatos. Não seja ingénuo ao ponto de dizer que o Dr. Enf. apoia a lista A, mas a lista A não apoia um candidato anónimo aos órgãos estatutários. Que eu saiba, o Enf. Belmiro é candidato ao colégio da Especialidade de Reabilitação. Portanto, ou a vossa lista assume que conta com ele e com o seu blogue (com tudo o de bom e de mau que isso implica), ou então demarca-se (coisa que ainda não fez até hoje). Não podem é ficar algures ali no meio…
 
Quanto à incompatibilidade entre o exercício de bastonário e militância no PSD, constato que ignorou completamente a observação que fiz sobre o SNS. Relativamente ao vosso manifesto, e no que concerne à carreira, é precisamente como diz: ou se acredita ou não. Quem ler a frase que transcreve, ficará porventura, com boa impressão da lista A. Os mais atentos, irão interrogar-se sobre o que fez o Germano (e alguns dos seus apoiantes) nos últimos tempos, nessa matéria. Há pouco já lhe falei na transparência na contratação de enfermeiros. Pergunto-lhe também: alguns dos vossos apoiantes (os tais da gestão) demonstraram preocupação com as dotações seguras?
 
Quanto à pergunta de morte e sobre a sua resposta, em matéria de representação do pessoal docente, deixo para o ponto seguinte. Em relação à formação, e à sua posição, fica aqui bem claro neste tópico de discussão o seguinte: o discurso “nada comprometido” do Germano surgiu quando? Talvez este ano, ou quiçá, quando assumiu a corrida a bastonário!! Contra factos não há argumentos: em 2007 já se falava em desemprego. Não acha estranho que alguém que assumisse um discurso firme contra o excesso de formação (desde essa altura), continuasse a dar aulas, ao que parece, em mais do que uma escola?
1º Nenhuma escola iria aceitar um docente cujo discurso fosse contrário à oferta formativa;
2º Ninguém iria acreditar (alunos, enfermeiros, sociedade em geral) num cidadão que faz “campanha” contra o excesso de escolas, e ao mesmo tempo vai “ganhar uns cobres” em duas escolas privadas;
Já lhe disse e repito: há enfermeiros neste país, que tiveram oportunidade de trabalhar em duplo emprego ou de dar aulas em escolas, mas não o fizeram justamente por considerarem perigosos os rumos que se estavam a tomar na profissão.
 
Quanto aos 39 do “núcleo duro”, já todos percebemos que os números não mentem. Você insiste que de entre os 220, a maioria é da prestação de cuidados. Querer fazer passar a ideia que qualquer um desses 220 tem a mesma importância que os 39, nas decisões que a vossa lista venha eventualmente a tomar, é uma patetice. Leu aquela provocação que lhe dirigi? Desses 220, quantos é que até hoje conversaram, vá lá, 30 minutos, com o Germano, sobre os problemas que a Enfermagem atravessa?  :)
E repare, se quisermos ser rigorosos, nenhum destes 39 tem o mesmo “poder” dentro da vossa direcção do que o Germano. Ou tem dúvidas quanto a isso?
 
Mauro:
Bem vindo à discussão. Já por duas vezes não respondeu aos meus comentários. Eu compreendo. Deve andar ocupado a moderar os comentários  ;)
Repare que o Enf. Alexandre não disse que no futuro se vai falar “ainda mais”. Sejamos rigorosos. Quanto a relatórios: já li esse de que fala e até já li outros. O problema do financiamento não é novo. Vocês é que parecem tê-lo descoberto agora…
 
Pedro:
O Enf. Alexandre deve estar estendido no chão, a rebolar-se e a chorar, pelo seu comentário à minha reacção sobre o vídeo em que ele aparece. Podia ter-se esforçado mais. Se ler com atenção verá que o que lá está escrito pouco ou nada tem a ver com teorias da conspiração. E não é “Golden”. É “Goldman”!

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #156 em: Dezembro 10, 2011, 23:59:45 »
@Herodes

Acho que vai para aí uma grande confusão... Devia informar-se melhor.~

Lamento dizer-lhe mas está muito mal informado.

Quanto ao estilo de moderação: já reparei que o Herodes ora defende que se modera de mais ora de menos mas apenas ao sabor da sua conveniência. Com certeza defenderia que os moderadores lessem todos os tópicos , ou seja milhares? Mas por acaso já alguma vez "denunciou" alguma falha da moderação?

É que num fórum deste tipo, com a participação maciça de milhares de pessoas, é imperioso que os vários intervenientes tenham um papel mais activo e se bem me recordo, acho que ainda não vi nenhum relatório de moderação activado por uma denúncia sua... Mas não se preocupe que eu tenho-o lido e bastante porém não quero que me acuse de censurá-lo.

Porém, e tal como já lhe disse, não me pode exigir que lhe responda, até porque convenhamos, posso estar a responder a um fantasma já que não está identificado. Portanto... Se estivermos em condições semelhantes, talvez seja mais célere a responder-lhe...

Já todos perceberam a sua parcialidade Herodes. Repare que gastou imensos minutos neste tópico e nenhum ou quase nenhum noutros, sendo que telhados de vidro todos têm e outros bem maiores que outros, mas o Herodes convenientemente ignorou-os. Como não foi honesto na sua análise, não espere que as respostas que obteve seja do seu agrado.

Tenho pena que o Herodes, tal como já lhe disse noutra ocasião, use os seus argumentos de forma falaciosa e omissa em relação a vários assuntos. É uma pena dado me parecer uma pessoa com uma inteligência acima da média e com muito a dar para a resolução dos problemas da profissão. Espero que o use de melhor forma daqui em diante, ganhe quem ganhar e não numa estratégia de terra queimada.

Abraço

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #157 em: Dezembro 11, 2011, 08:00:10 »
@Herodes

A maior parte das questões que continua a colocar, já foram respondidas ao longo do tópico. A reter:

- Comentário removido: explicitei o ocorrido. Apenas fiquei com as citações do Herodes às quais estava a responder. Pode voltar a colocar o comentário na integra, pois o sistema substituiu a mensagem. Não tinha maneira de recuperar aquele primeiro paragrafo. Espero que me tenha feito entender.

- DrEnfermeiro: não faz parte da nossa lista.
Diz explicitamente que o DE é um dos nossos colegas de lista, explicitando o seu nome. Deixe-me que lhe diga, vôce é um mero anónimo e portanto não tem de dar a cara, é fácil lançar tiros no escuro na sua posição anónima, por outro lado a sua credibilidade para lançar essa suspeição é nula. Já agora, só um pormenor, qual a sua fonte? Aconselho a mudar pois anda mal informado.

- instrumentalização partidária e seu comentário sobre SNS: é a sua opinião, já lhe respondi argumentando. Portanto para mim, está clara a posição. Em política vale mais as posições públicas pois estabelecem compromissos do que os actos de fé que o colega parece ter. Se não acredita em posições públicas, então desculpe mas estamos falados.

- a sua pseudo-pergunta da morte: também já foi respondido. Não vejo problema que um enfermeiro tenha uma actividade parcial como docente, nomeadamente se é perito em certas área, com percurso académico reconhecido e com obra publicada. Se todos pensarmos como o colega, teriamos de ostracizar todos os enfermeiros que se dedicam à docência. Deixe-se de demagogia. O que é importante é ter uma posição firme quanto à exigência de uma articulação entre políticas de ensino superior e políticas de saúde. Isto não tem implicações para que pessoas válidas continuem a contribuir com o seu saber para a próxima geração de enfermeiros. O Herodes diz que as Instituições de Ensino Superior (IES) de Enfermagem não contratam pessoas que se oponham à manutenção do actual número de vagas, em que se baseia para dizer isso? Já agora, quem lhe disse que as IES de Enfermagem apostam explicitamente a manutenção do número actual de vagas para o curso LCE? O que eu vou ouvindo, é que elas já adoptaram por completo o modelo de competição do Ensino Superior e apostam no marketing dos cursos num cenário de crise do financiamento do Ensino Superior. Sobre isso há extensa bibliografia.



- PPPs: o colega e o seu preconceito ideológico...Estamos a falar de empresas privadas, e a menos que existam salvaguardas no contrato com o Estado, ou no ACT acordado com sindicatos, esta empresa pode funcionar de forma diferente do modelo burocrático (concurso público, juris "neutros", sem referenciação ou responsabilização da rede de contactos). Alias a nova gestão pública (NGP), que incorpora os conceitos do sector privado à administração de serviços públicos é isso mesmo, uma tentativa de antagonizar o nosso amigo Weber  ;). A NGP não conseguirá jamais atingir este objectivo, apenas muda os centros de decisão dentro das instituições retirando o poder dos profissionais. Eu não sou admirador da NGP, mas admito que é necessário ultrapassar os malefícios do clientela instalada em toda a estrutura do Estado. Os modelos de financiamento têm de ser rigorosos para salvaguardar os dinheiros públicos. Veja o que está a acontecer na PPP do H. de  Braga, nunca uma instituição foi multada tantas vezes e com valores tão elevados por incumprimento contratual. Para mim, é o sistema a dar sinais de que consegue funcionar se houver vontade política.
 Já lhe respondi que vá ver se há alguma ilegalidade nas situações de recrutamento que anónimamente denuncia neste fórum. Se aquilo que afirma é ilegal, denuncie às autoridades competentes. Se não é ilegal, mas acha imoral então justifique.
Interiorize uma coisa, colocando de lado o seu preconceito, uma empresa privada (mesmo tendo como cliente o Estado) pode ter critérios de recrutamento baseados na referenciação, ou seja, a empresa contrata profissionais a partir das informações que os seus colaboradores fornecem. A empresa que está no número 1 do ranking de Melhor Empresa para se Trabalhar utiliza este método. Eu não estou a dizer que esse método é o adequado para recrutar enfermeiros para exercer em instituição hospitalar. Eu não tenho dados para julgar se resulta ou não,  mas o Herodes parece ter esses dados para justificar que é incorrecto. Por favor, publique esses dados.

- O Herodes refere:
Citar
O Enf. Alexandre deve estar estendido no chão, a rebolar-se e a chorar, pelo seu comentário à minha reacção sobre o vídeo em que ele aparece. Podia ter-se esforçado mais. Se ler com atenção verá que o que lá está escrito pouco ou nada tem a ver com teorias da conspiração.

:) O Colega tem uma auto-estima grande, tão grande como a sua imaginação. Até consegue fazer-me sorrir a esta hora da manha  :) Tenho de admitir que teve piada esta frase " deve estar estendido no chão, a rebolar-se e a chorar, pelo seu comentário à minha reacção sobre o vídeo em que ele aparece". Muito boa mesmo!
Quanto ao conteúdo, sem comentários, mais um acto de fé da sua parte.

- "Núcelo duro" dos 39. Mais uma ficção caro colega? Cada um dos presidentes que enumera, tem assento num órgão em particular. Cada órgão tem o seu enquadramento particular, mas há uma regra que é transversal a todos, as decisões tomam-se por votação sendo obrigatório reunir quórum mínimo de todos os efectivos. Dou-lhe o exemplo do órgão político-executivo da Ordem, o Conselho Directivo, onde o voto de TODOS os efectivos conta o mesmo. Portanto, esta grande representação de enfermeiros da prestação de cuidados (nos 220) vai ser determinante para as escolhas e linha de orientação da Ordem dos Enfermeiros com marca da Enfermagem Primeiro.

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Entrevista à TvEnfermagem: Germano Couto
« Responder #158 em: Dezembro 11, 2011, 08:59:22 »
A TvEnfermagem realizou entrevistas aos lideres de cada Lista que se apresentou a estas eleições da Ordem.
É um trabalho de grande mérito, só peca pelo seguinte:

- As questões são nitidamente viradas "para dentro" da profissão, e faltam perguntas essenciais como por exemplo "qual a sua opinião sobre os cortes orçamentais na Saúde", "qual a visão da sua candidatura para a reforma hospitalar", "qual a sua visão do papel dos enfermeiros nos cuidados primários, nomeadamente sobre os modelos de RNCCI, USG, UCC".

- Não distinguem as questões conforme o estatuto do entrevistado. O guião é o mesmo para o 4 candidatos a Bastonário, para a ex-candidata Ana Rita cavaco (que confusamente é questionada como se pudesse ser eleita para corresponder ao que afirma na entrevista) e para a candidata a Presidente de uma Secção Regional (neste caso Mericia Bettancourt pela Madeira) quando já tinha sido entrevistada em pé de igualdade com os restantes candidatos á Secção Regional da Madeira.  Seguindo o critério utilizado para a Lista D, deveriam ter dado a mesma oportunidade ao candidato da Lista Regional Simplesmente---Enfermeiros.

- Não colocam algumas das questões ao Enf. Germano Couto. Nomeadamente sobre Especialidades e sobre o Descontentamento dos Enfermeiros com a Ordem. Mais isso abordarei adiante.

Resumindo, a TvEnfermagem usou critérios pouco claros para esta entrevista. O que não se compreende é como depois de ter divulgado um vídeo de elementos da Lista B a difamar negociadores da Ordem no pré-hosp (sem conferir jornalisticamente a veracidade das afirmações, nem contactar previamente os visados para terem direito ao contraditório na mesma peça como funciona no mundo do jornalismo) vem agora dar tratamento jornalistico igual à ex-candidata a Bastonária da Lista B que viu o tribunal (na segunda-feira, antes da publicação da entrevista) confirmar a decisão da Comissão Eleitoral (de inicio de Novembro) de não aceitar a candidatura por falta do mínimo de 15 anos de exercício profissional obrigatórios.

Deixo as conclusões para quem as quiser retirar.

Desde já, afirmo que não há comparação possível entre a TvEnfermagem que se constitui como projecto de jornalismo televisivo online e o Forumenfermagem.org que se apresenta como uma comunidade online de Enfermagem, onde cada um dos seus membros e colaboradores defende e partilha as suas próprias posições.


 

[url=http://tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=525:lista-a-qenfermagem-primeiroq-mdp-modelo-de-desenvolvimento-profissional&catid=111:mdp-modelo-de-desenvolvimento-profissional&Itemid=93]link[/url])
Empregabilidade e Desemprego ([url=http://tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=537:lista-a-qenfermagem-primeiroq-enfermeiros-militares&catid=113:enfermeiros-militares&Itemid=95]link[/url])
Emigração dos Enfermeiros ([url=http://tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=548:lista-a-qenfermagem-primeiroq-transmissao-de-saberes&catid=115:transmissao-de-saberes&Itemid=97]link[/url])
Visibilidade da Enfermagem ([url=http://tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=560:lista-a-qenfermagem-primeiroq-quotas&catid=118:quotas&Itemid=100]link[/url])
Duplo Emprego ([url=http://tvenfermagem.com/tv/index.php?option=com_content&view=article&id=572:lista-a-qenfermagem-primeiroq-um-aspecto-a-mudar-e-outro-a-manter&catid=120:um-aspecto-a-mudar-e-outro-a-manter&Itemid=102]link[/url])


Faço aqui um reparo sobre esta entrevista da TvEnfermagem. A lista A - ENFERMAGEM PRIMEIRO - não apresenta video para duas questões que as outras listas tiveram oportunidade de responder: Descontentamento dos Enfermeiros com a sua Ordem; e a nossa visão para as Especialidades em Enfermagem.

São duas questões muito importantes, e que deveriam ter sido efectuadas e publicadas tal como fizeram para as restantes listas.

Deixo aqui a nossa posição sobre estas duas questões:


Descontentamento dos Enfermeiros com a sua Ordem

Citar
O que vão mudar relativamente aos pareceres "Nim" que a Ordem dos Enfermeiros emite?

Os pareceres elaborados até à data sobre problemáticas ainda actuais serão revistos, actualizados e disponibilizados aos enfermeiros no site, considerando a sua função pedagógica e reguladora. A elaboração de futuros pareceres será guiada pelo pragmatismo e consequência, ou seja, encararemos os pareceres como instrumentos reguladores da prática que devem ter aplicabilidade concreta perante as situações que os suscitaram.



Qual a vossa opinião sobre as relações pouco claras entre a Ordem dos Enfermeiros e os partidos, instituições de ensino e sindicatos?

Do ponto de vista político a nossa Lista de Candidatura é plural, englobando colegas de todas as sensibilidades políticas ao nível de todos os órgãos. Não haverá dúvidas quanto a conflitos de interesse, na medida em que pautaremos a nossa actuação pela transparência, inclusão e prestação de contas. Todos os conflitos de interesse entretanto identificados serão tornados públicos sempre que decisões de carácter político tiverem de ser tomadas. Pretendemos ainda, instituir mecanismos de participação democrática e directa dos enfermeiros na tomada de decisões estratégicas - tornou-se claro que as assembleias gerais são meros mecanismos formais no que respeita à participação democrática dentro da Ordem dos Enfermeiros.Serão também criados dispositivos direccionados para uma prestação de contas mais frequente e esclarecedora do que tem acontecido até agora.Relativamente aos sindicatos pretendemos reunir com eles no início do mandato de forma a tornar claro o que é competência de uns e de outros, para que quaisquer sinergias que venham a ser exploradas sejam claras para todos, especialmente para os enfermeiros. Consideramos que o escopo de intervenção dos sindicatos no que respeita à regulação laboral da enfermagem deve ser repensado à luz do actual enquadramento legal da profissão.Relativamente às instituições de ensino, a proporcionalidade de enfermeiros docentes nesta lista é esclarecedora, assim como a contestação que assumimos a alguns documentos recentes da Ordem dos Enfermeiros (regulamentação das especialidades) que visavam entregar novamente às escolas o poder de regularem a formação profissional. Conscientes do papel insubstituível das instituições de ensino na criação de massa crítica, no desenvolvimento da prática baseada na evidência e académico da profissão, pretendemos reunir com os representantes das várias escolas no sentido de clarificar os diferentes papeis, mas sobretudo desenvolver sinergias e construir bases de suporte ao crescimentos e reconhecimento das várias organizações - Ordem dos Enfermeiros e Escolas de Enfermagem.





Qual a vossa opinião sobre a actividade formativa da Ordem?


Durante 10 anos investiu-se quase exclusivamente em formação na área da ética e deontologia. Não descurando a sua relevância para a afirmação da Enfermagem enquanto profissão, a verdade é que o Sistema de Saúde e a própria Sociedade valorizam a componente técnica de uma forma que não pode ser relegada para segundo plano.

A Ordem dos Enfermeiros, enquanto regulador do exercício profissional e responsável pela definição de boas práticas deve direccionar os recursos na área da formação também para a área técnica. Essa será a prioridade no nosso mandato, embora o façamos em moldes diferentes dos seminários e congressos.

Incentivaremos a realização de reuniões entre colegas com experiencias diversas em contextos semelhantes, apoiaremos a criação de comunidades de práticas e grupos de trabalho, assumindo-se a Ordem dos Enfermeiros como garante da qualidade dos resultados alcançados e aglutinador das mais-valias criadas nessas dinâmicas.Apostaremos nos seminários e congressos para acções de carácter internacional que visem a valorização da enfermagem portuguesa além-fronteiras.



Que mudanças vão introduzir no funcionamento da Ordem dos Enfermeiros?

Vamos adoptar práticas de boa governação na Ordem dos Enfermeiros, que visam essencialmente 3 objectivos: mais transparência nas decisões, mais inclusão dos enfermeiros nas tomadas de decisão e mais prestação de contas. Do ponto de vista operacional vamos implementar as seguintes medidas: conferir mais agilidade aos processos administrativos recorrendo à desmaterialização dos formulários e às tecnologias de informação e comunicação (TIC); aderir à videoconferência e colocá-la à disponibilidade dos enfermeiros; eliminar as actividades cujo custo-benefício não seja positivo para os enfermeiros, como seja o envio das revistas e do pagamento das quotas em papel para casa dos enfermeiros; implementar metodologias participativas alicerçadas nas TIC que permitam um maior envolvimento e proximidade entre enfermeiros e Ordem dos Enfermeiros; reformular as funções dos colaboradores da Ordem dos Enfermeiros focando-as naquilo que são as actividades centrais de uma estrutura de regulação profissional; iremos colocar à discussão a mudança do local da sede, no sentido de rentabilizar o património existente e insuficiente, em Lisboa; profissionalizar os cargos que se revelem vitais para o funcionamento diário da Ordem dos Enfermeiros; colocar à discussão e proceder a uma análise técnica da viabilidade da votação electrónica.



Especialidades

Citar
Qual a viossa posição sobre as Especialidades?

As especialidades devem obedecer a alguns requisitos, nomeadamente: corresponderem às necessidades de cuidados especializados e de competências técnicas; basearam-se na construção de percursos formativos formais em contexto de exercício, onde o reconhecimento de competências adquiridas por cada enfermeiro sejam valorizadas e avaliadas em sede própria e mediante requisitos exigentes. Não concordamos que existam especialistas cujas competências não estão a ser plenamente aproveitadas, sendo que proporemos ajustamentos legais para minorar essa prática, além de irmos desenvolver uma campanha intensiva junto das Direcções de Enfermagem alertando-as para a fragilidade que essa prática representa para a afirmação da Enfermagem na Saúde em Portugal.

Qual a vossa opinião sobre a relação entre as Especialidades e o Modelo de Desenvolvimento Profissional?

A especialização decorre de uma necessidade expressa, num determinado contexto de prática clínica e da validação e aperfeiçoamento de competências adquiridas em contexto profissional /aquisição de novas competências, não como um acrescento a uma formação académica (isso é o que temos actualmente e é evidente que não responde às necessidades em cuidados especializados). Este assunto já tem sido focado por outros protagonistas, principalmente os opositores do Modelo de Desenvolvimento da Profissão (MDP). Como defensores do MDP e sua implementação vamos procurar dar contributos no sentido de valorizar o Modelo, unificando os percursos das especialidades em contextos formativos idóneos e credíveis, com supervisão clínica. 




Acham que os Especialistas que não sejam pagos como tal devem exercer a especialidade?

A lei geral do trabalho estabelece que as pessoas que recebam formação complementar devem colocar as novas competências adquiridas à disposição dos clientes / empresa. No nosso entender, acréscimo de responsabilidades e diferenciação nas intervenções que se realiza devem estar inexoravelmente associadas a melhor remuneração. Nesse sentido, comprometemo-nos a elaborar uma tomada de posição que enquadre essa situação, que consideramos de abuso por parte das administrações sobre os enfermeiros especialistas.

Qual a vossa opinião o facto de haver um número significativo de enfermeiros especialistas a exercer como generalistas?

Consideramos que é um desperdício criminoso e uma má gestão dos recursos disponíveis, pois tal significa que existem pessoas que estão a ser privadas dos cuidados desses especialistas e dos quais necessitam. Um especialista pode, efectivamente, prestar cuidados generalistas, mas o contrário já não é verdade. Além disso, se os especialistas não se apurarem através da prestação de cuidados especializados, não conseguiremos criar a massa crítica necessária à formação de novos especialistas e ao desenvolvimento das especialidades e da própria Enfermagem. É o completo oposto à prossecução da eficiência que os enfermeiros gestores deviam advogar.

09-11-2011

Cumprimentos, Pedro Silva

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #159 em: Dezembro 12, 2011, 03:22:08 »
Mauro:
Acha que estou a fazer confusão? Se você estivesse atento a muitos debates televisivos (por exemplo), pereceberia que há muito tempo se fala em financiamento da saúde em Portugal. Quem está mal informado é você.
Quanto a moderação, acho que estamos conversados. Os visitantes do FE, ainda estão para perceber como é que um dos moderadores deste tópico nem sequer cá aparece, e o outro toma partido por uma das listas…
E aquela observação sua, é genial: eu deveria criticar todos os candidatos em igual medida. Francamente!

Pedro:
Afinal percebeu que no primeiro parágrafo do tal comentário, fiz referência a um assunto sobre o qual, você ainda não tinha opinado como agora fez. Já lá vamos.

Dr. Enfermeiro. Deixe-me ver se percebi, vocês estão a tentar que não vos colem a essa pessoa? Ou estão a tentar insinuar que o Dr. Enf. não é quem se pensa? Interessante.
Sejamos claros:
- o blogue Doutor Enfermeiro é ou não da responsabilidade do Enf. Belmiro Rocha?
- o Enf. Belmiro é ou não apoiante da vossa lista, e concorre inclusivamente ao colégio de Enfermagem de Reabilitação?

Quanto à vossa visão sobre o SNS, é efectivamente como diz. O futuro vai mostrar-nos quem fala verdade.

Quanto à pergunta de morte (que você só agora é que diz que é pseudo…), fica aqui bem claro que você acredita na “boa vontade” de alguém que nos últimos anos deu aulas em mais do que uma escola privada, apesar de ter consciência de que há excesso de formação em Portugal. Ora, eu não acredito. Vamos ver se os enfermeiros acreditam.
Repare que não há aqui ostracização nem demagogia. Apenas coerência:
- Não se pode dizer que vamos renovar a OE, e depois apresentamos cara que já lá estiveram;
- Não se pode ser contra as “escolas de vão de escada”, se depois temos lá enfermeiros a dar aulas;
- Não se pode ser a favor das dotações seguras, se há elementos da vossa lista com funções de gestão, e que não respeitaram isso;
- Não se pode vir dizer que o modelo das PPP está falido (palavras suas, em relação ao ponto de vista do Germano) e depois ficar em silêncio em relação ao que se passa em Cascais, Braga e Loures;

PPP. Está enganado! Não estamos a falar de empresas privadas, meu caro. São parcerias público privadas. É curisoso que se refere ao meu preconceito ideológico, mas é o seu candidato que diz que o modelo está falido!?
Dizer que os processos de recrutamento a que agora assistimos são um claro avanço face aos modelos pesados e burocráticos do passado, é querer atirar areia para os olhos das pessoas.
Já lhe disse neste tópico e repito: se você definir os critérios de selecção de forma clara, em 24 horas consegue seleccionar 40 ou 50 enfermeiros, mesmo que estejam a concorrer 1000.
Remeto-o mais uma vez para o meu comentário do dia 4/12 (09:03:12) onde explico o meu ponto de vista sobre contratação de enfermeiros: transparência, justiça, meritocracia e respeito pela dignidade.
Essa história das multas à PPP de Braga também é uma história mal contada. Vieram a público muitas notícias, mas de concreto, sabemos pouco. Aliás, como enfermeiro, e já lhe coloquei essa questão, mostre-me o que está a ser feito face às pessoas que foram excluídas do processo de recrutamento do novo hospital. Ou você, com essa sua visão liberal, acha que nem sequer se deve dar uma explicação a um enfermeiro, quando ele se dirige a uma instituição e tenta perceber o porquê de nem sequer ter passado à “1ª fase” do processo de recrutamento? E pergunto-lhe também (mais uma vez) onde está a tal posição firme do Germano em relação ao Hospital de Braga e de Loures?
Achei engraçadas duas coisas no seu comentário:
- em relação à dualidade legalidade/imoralidade, relembro-lhe que Portugal ocupa um desastroso 32º no ranking da corrupção;
- quanto à melhor empresa para se trabalhar em Portugal, e ao networking são claramente duas temáticas que não encaixam bem na discussão sobre o recrtuamento de enfermeiros. Não sei se se lembra, mas em Portugal os jovens que concluem o 12º ano, vão para um curso superior de acordo com o seu mérito e de acordo com dados objectivos e transparentes. Obviamente não é um modelo perfeito, mas mostre-me uma alternativa. Tivessem os enfermeiros um modelo tão justo quanto esse para entrar na profissão ou numa instituição de saúde.
Você é a favor do facto “cunha”, perdão: networking? Sim ou não?

Quanto ao Enf. Alexandre, eu fiz um comentário minimamente estruturado sobre um vídeo da TV Enfermagem. Você, ou refuta o que lá está escrito, ou então concorda com o meu ponto de vista, e aí, o Enf. Alexandre não tem, definitivamente, motivos para sorrir  :)

Quanto ao núcleo duro, não precisa de inventar modelos de funcionamento democrático. Em teoria, são os enfermeiros que mandam nos destinos da profissão. Na prática, e porque muitos enfermeiros andam ocupados a ver a Casa dos Segredos e afins, o bastonário e a sua equipa, acabam por ficar com essa tarefa. O último mandato (particularmente) da Maria Augusta diz-nos que o resultado pode ser miserável. Claro que a Ordem tem órgãos que podem “controlar” um bastonário tirano. Mas eu nunca disse o contrário. Vocês é que se puseram em bicos de pé a dizer que a vossa lista é maioritariamente constituída por enfermeiros prestadores de cuidados. Eu disse: ok, isso é verdade, mas não nos deixemos enganar pelos números. E mostrei-lhe que no núcleo duro, a maioria das pessoas é da gestão. Quanto a esses 220 até lhe fiz uma outra pergunta: está em condições de assegurar que qualquer um desses 220 já teve um conversa de 30 minutos com o Germano, sobre por exemplo, o propósito da candidatura?

Quanto à TV Enfermagem, eu acho que há comparação possível com o FE. Desde logo são projectos que partem de enfermeiros, para enfermeiros (essencialmente). De facto, um dos projectos assemelha-se mais a um canal televisivo, enquanto que o outro assume características de espaço de debate. Mas até aí podemos ver uma complemetaridade entre ambos.
Nota-se uma "simpatia" da TV Enfermagem com a lista B. Mas basta ler este tópico de discussão, para ver o mesmo entre o FE e a lista A. Portanto acho que estão empatados!

Offline BV1

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 70
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #160 em: Dezembro 12, 2011, 04:13:03 »
Caro Pedro
Não sei fazer contas quando não conheço os numeros!...
O Sr diz-me que são 220, ou serão 180, talvez com as desistencias sejam uns 215, ou 175. O que conta são os Enfermeiros que dão a cara nas listas, esses sim é que tem que se contabilizar, os outros são incognitos!
Nunca teria capacidade para corrigir uma mentira que lhe trará alguma vantagem relativa.... mas nem assim chegará!...
 :DDesculpe lá mas eu não posso levá-lo a sério!... ;D

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #161 em: Dezembro 12, 2011, 11:25:03 »
Herodes

Os argumentos que usa são absurdos senão repare.

No FE não se apagam comentários em 99,99 % dos casos portanto faz opinião quem decide manifestá-la. Por esse ponto de vista o Herodes até poderia ser considerado tão influente quanto eu dado que tem virtualmente o mesmo número de mensagens que eu e até mais... nestes tópicos relativos às eleições.

O FE por este ponto de vista é um verdadeiro "mercado " dado que o moderador tem um papel figurativo e quem se manifesta mais é quem rege a agenda, não existindo qualquer entrave à participação. Se pretender algo mais opressivo tem os blogues... Como vê aqui pode manifestar a sua opinião à vontade, assim como quem o deseje, sem que não lhe publiquem as respostas ou as apaguem. Explique-me lá exactamente qual o conflito de interesses dum moderador num fórum com estas regras? Quanto muito até está em desvantagem pois a mim pode ser-me atribuída uma cara, quanto aos comentadores... nem por isso pois não?

Quando disse que está mal informado é na sua questão relativa ao DE. Está a dar tiros para o ar a ver se acerta? É que tal presunção sua nesta matéria é extensível a outras matérias... Devia considerar que possa estar errado em muitas outras.

Até há poucos anos podia falar-se em financiamento mas como vê isso foi sempre uma brincadeira de crianças pois nenhum hospital se coibiu de endividar-se e o Estado de regular. Talvez porque os enfermeiros ainda não estejam propriamente despertos para o tema , não só a nível nacional como internacional, é que os GDH ainda estejam em pé e a transparência nas contas dos hospitais seja uma utopia.

Quanto à questão de criticar outras listas e candidatos... demonstrou mais uma vez a sua parcialidade: se fosse realmente isento, e eu não o sou como pode atestar, mas o Herodes tentou sempre colar-se a uma imagem de isenção e desinteresse, como outros que tais, quando nada podia ser mais falso.

Houve coisas bem mais escandalosas durante esta campanha e que eu até lhe desvendei o véu, mas preferiu discutir fait-divers e focar a sua atenção na campanha mais credível e mais correcta do ponto de vista de campanha.

Mais valia assumir-se... Diga lá em quem vota? É isso que nos distingue das demais candidaturas. Mesmo blogues anónimos que apoiam a lista A, fazem-no sem sombra de dúvidas, fazendo uma declaração de interesses que só podemos elogiar pela transparência. Podemos dizer o mesmo dos demais? Ninguém assume quem apoia... O Herodes obviamente inclui-se nesse grupo certo?

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #162 em: Dezembro 15, 2011, 20:11:46 »
Li o seu comentário logo na segunda-feira, mas andei ocupado estes dias, daí só agora poder responder.

Você deturpa as minhas palavras e faz interpretações enviesadas daquilo que eu digo.
Chamei a atenção para o facto (estranho) de neste tópico haver 2 moderadores. Um deles nem aparece cá, o outro é apoiante de um dos candidatos a bastonário.

Quanto à sua ideia de mercado, vá-se lá entender o seu ponto de vista… Dizer que o moderador tem um papel figurativo (e aceitar isso) é lamentável. Além de que, ao assumir esse facto, está a dar-me razão.

Quanto ao Dr. Enf., apenas duas notas:
- ele vai ou não ser o próximo director do hospital de Gaia?
- ele é ou não um dos mais acérrimos apoiantes do Germano, que simultaneamente faz campanha, nem sempre cavalheiresca, em relação aos outros candidatos?

Financiamento em saúde sempre foi um assunto que se discutiu. Admito que muitos tenham estado distraídos. Mas repare, já no meu tempo de aluno, essa análise era feita. Se os hospitais estão atolados de dívidas, há que apurar quem foram os responsáveis (e olhe que vamos encontrar também, muitos enfermeiros). Não me venha é agora dizer que um candidato descobriu a pólvora.

Engana-se quando diz que eu tentei ser isento. É falso. Aliás, se lesse com calma os meus comentários, perceberia que eu, ao início, tinha uma certa simpatia pela lista A. Com a apresentação da equipa, percebi que havia ali muito mais do que querer empurrar a classe para a frente. Se os outros candidatos têm pontos fracos? Imensos! Mas por isso é que os meus votos foram repartidos ;) Esteja descansado: não passo cheque em branco a nenhum dos candidatos que foram a votos.

Dizer que a vossa campanha é a mais correcta e credível, é brincadeirinha. Ou então, modéstia a mais!

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #163 em: Dezembro 15, 2011, 20:13:58 »
Bem,
Os enfermeiros foram a votos e escolheram a lista A. Mandam as regras democráticas que se cumprimente o vencedor e se lhe deseje sorte par ao futuro. Isso poderá significar boa sorte para todos nós.

Lamento que 80% dos enfermeiros não tenham votado. De hoje em diante, sempre que alguém falar mal da Ordem, vou confrontar essa pessoa com a seguinte questão: “votou nas últimas eleições?”. Em caso negativo, essa pessoa perde legitimidade para dizer o que quer que seja.

Acho positivo que a lista A não tenha conquistado tudo o que havia para ganhar. E Mesmo na secção do Sul, a diferença mínima de votos, faz-nos pensar na legitimação do vencedor. Por um voto se ganha e por um voto se perde, mas a verdade é que acho difícil que se consiga a mobilização ao nível desta secção, atendendo a esta clivagem.

Penso que o Germano não começa bem: o blogue de um seu apoiante foi-nos dando conta da evolução da contagem de votos. É caso para nos questionarmos se na OE não deveria haver alguém que o pudesse fazer. Ainda assim, “passar por cima” da Ordem, não me parece correcto.

Deixo um comentário do Dr. Enf. em Dez. de 2007. É sempre bom olhar para trás e ver o que dissemos:
“Com este modelo, a Enf. Maria Augusta de Sousa admite que a qualidade das escolas fica aquém do pretendido (o que confirma a ineficácia da OE), que o fluxo formativo, ao contrário do que muitas vezes quer fazer crer, está desregulado e fora de controlo, e que a OE ao invés de intervir na fase de admissão ao curso de Enfermagem através do accionamento dos mecanismos necessários, tenta contornar a situação, barrando o acesso à profissão a muitos licenciados, permitindo o fácil acesso ao curso e a banalização completa da profissão.”
http://doutorenfermeiro.blogspot.com/20 ... chive.html

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Re: Lista A (Germano Couto) - ENFERMAGEM PRIMEIRO
« Responder #164 em: Dezembro 16, 2011, 19:37:09 »
@Herodes

Citar
Lamento que 80% dos enfermeiros não tenham votado. De hoje em diante, sempre que alguém falar mal da Ordem, vou confrontar essa pessoa com a seguinte questão: “votou nas últimas eleições?”. Em caso negativo, essa pessoa perde legitimidade para dizer o que quer que seja.

Concordo

Citar
Acho positivo que a lista A não tenha conquistado tudo o que havia para ganhar. E Mesmo na secção do Sul, a diferença mínima de votos, faz-nos pensar na legitimação do vencedor. Por um voto se ganha e por um voto se perde, mas a verdade é que acho difícil que se consiga a mobilização ao nível desta secção, atendendo a esta clivagem.

Discordo. Dúvido seriamente que os nossos colegas das Listas C e G estejam próximos da forma de fazer política desenvolvida pela Lista B. Agora, resta-nos esyar abertos à participação de todos aqueles que venham de forma construtiva oferecer o seu contributo sério e determinado para os destinos da profissão, tendo em atenção que há um plano de acção com o qual a candidatura vencedora se compremeteu a levar a cabo.

@Todos

Gostaria de agradecer todas as mensagens de parabéns que tenho recebido, inclusive de colegas que foram adversários de outras candidaturas nestas eleições. A partir de agora, somos todos chamados a dar o nosso contributo para este novo ciclo da vida da nossa Ordem e da nossa profissão.

Deixo-vos duas notícias do jornal Público sobre a eleição do Enf. Germano Couto como novo Bastonário da Ordem dos Enfermeiros:

Novo bastonário dos enfermeiros quer unir profissionais  |  http://publico.pt/1525053

Novo bastonário dos enfermeiros quer acabar com o “desperdício” na saúde  |  http://publico.pt/1525263


Votos de um Bom Natal.
 
Cumprimentos,