Autor Tópico: Exclusão de Enfermagem na crise  (Lida 3700 vezes)

Offline Roger

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 111
    • Ver Perfil
Exclusão de Enfermagem na crise
« em: Agosto 25, 2011, 17:44:37 »
Colegas já nos estão a fazer como o povo diz "a fazer a cama"

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?s ... ews=527806

inadmissivel cortam nos logo as pernas somos totalmente desvalorizados por quem nos tutela um verdadeiro ultraje nem sei que diga...

Offline AddSilva

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 82
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #1 em: Agosto 25, 2011, 18:37:10 »
Caro colega,
Não nos estão a fazer a cama... A mesma "já está feita" e há muito tempo... só que preferimos discutir uns com os outros em vez de nos unirmos e, por isso estamos onde estamos...
É por isso que faço questão de votar nas próximas eleições da OE. Votarei de consciência tranquila, sem apostas em continuidade ou algo do género... É a nossa última oportunidade antes de sermos completamente abandonados.
Cumprimentos

Offline Roger

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 111
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #2 em: Agosto 25, 2011, 22:36:26 »
Eu votei. Concordo absolutamente mas eu na minha singularidade chego ao ponto que nem sei mais que fazer é frustrante daí muita vezes ver este forum o muro da lamentação e do desabafo é revoltante ver como nos atam as pernas e mãos e ficamos impávidos e serenos...

cumprimentos

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Recebido por e-mail:

Se isto vos indigna, publiquem o vosse desagrado na vossa rede social! não podemos ficar calados!
Foi hoje publicado em Diário da República ( http://dre.pt/pdf2sdip/2011/08/16200000 ... .pdf  ) a criação de um grupo de trabalho pelo Ministério da Saúde cuja "missão [...] centra -se no estudo de medidas para a concretização de objectivos específicos como a redução de custos, como a proposta de alterações ao modelo de financiamento para os hospitais, ou de carácter mais abrangente, como a elaboração de um plano de acção para a política hospitalar 2012 -2014, no quadro de uma missão que visa aumentar o acesso e melhorar a eficiência e a sustentabilidade da rede hospitalar."
 Gostaria de dizer que se trata de uma EXCELENTE MEDIDA, que peca apenas por ser tardia MAS temo que esta medida apenas vai trazer mais do mesmo ou, PIOR,  só venha complicar ainda mais o sistema. Porquê? MUITO SIMPLES!Leiam e vejam quem pertence ao grupo ( pontos 4 e 5). Temos:
 - 3 Economistas....boa.. números, números, números!
 - 2 Juristas ( 1 também administradora hospitalar e outra Mestre em Gestão da Saúde): parece-me bem


 - 3 Médicos ( 1 anesteista, 1 cirurgião geral e 1 administrador hospitalar); importantes, certo mas não percebi os critérios...
 - 2 farmacêuticos ( 1 deles administrador hospitalar) porquê 2?
  A minha leitura disto: ficam acautelados os números (Economia) e os 2 maiores lobbies da Saúde, causadores da desgraça do SNS : Medicina e Farmácia!
 Reparem...
 A maior população profissional do SNS é.. Enfermagem.
 Quem gere o material utilizado nos serviços: Enfermagem
 Quem gere os enfermeiros: Enfermagem
 Quem supervisiona os assistentes operacionais: Enfermagem
 Quem gere os cuidados 24h/dia aos utentes - razão de ser do SNS-: Enfermagem
Qual é um dos grupos profissionais representado nos Concelhos de Administração Hospitalar: Enfermagem
 Qual o grupo profissional que menos queixa recebeu nos últimos tempos: Enfermagem
 Qual é um dos grupos profissionais nos cursos de Mestrado em Gestão de Saúde: Enfermagem
 QUEM NÃO É TIDO NEM ACHADO NESTE GRUPO: ENFERMAGEM

Tenho (ou tinha, já nem sei) esperanças que um novo ministério, com uma nova visão da Saúde, tinha nascido das cinzas da dra Ana Jorge mas... terá renascido mais do mesmo? É o farmacêutico, o médico ou o economista que vai saber avaliar como a Enfermagem pode ser uma das chaves mestra do novo SNS mais eficiente e eficaz? Duvido muito... Espero que a Ordem dos Enfermeiros, NO MÍNIMO, apresente o seu descontentamento perante esta situação.... 

--
Victor A.Rocha

Offline aNdR3

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1636
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #4 em: Setembro 04, 2011, 17:36:46 »
Indignante...

Não consigo compreender sinceramente como o órgão principal de qualquer instituição/empresa que são os enfermeiros pelos diversos motivos, alguns citados anteriormente, não fazem parte de uma junta decisiva na toma de decisões que visam a melhora e o que quer que seja das mesmas instituições ou empresas. Iniciativas como estas teriam uma contribuição de ouro com a participação de enfermeiros.

Somos que, 60% dos profissionais de saúde da equipa multidisciplinar que encontramos em qualquer instituição/empresa? E nem 1 entra na toma de decisões?
[size=80]Quem atribui à crise os seus fracassos e penurias, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a negligência para encontrar as saídas e as soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que surge o melhor de cada um, porque sem crise todo o vento é uma carícia. Falar da crise é promove-la e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro, acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar por superá-la.

Não pretendamos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo.
[/size]

Offline lightover

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 623
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #5 em: Setembro 05, 2011, 09:46:50 »
oh pah.. precisamos de enfermeiros no poder... isto assim nao vai la...

Offline aNdR3

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1636
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #6 em: Setembro 05, 2011, 19:15:00 »
Acredito que a partir do momento que enfermeiros façam parte da panela da AR, participem nas assembleias e decisões, então as coisas no que respeita a Enfermagem comecem a tomar um rumo, não ideal, mas melhor que o que existe de momento e melhor esse que há tanto esperamos e não termina de aparecer.
[size=80]Quem atribui à crise os seus fracassos e penurias, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a negligência para encontrar as saídas e as soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que surge o melhor de cada um, porque sem crise todo o vento é uma carícia. Falar da crise é promove-la e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro, acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar por superá-la.

Não pretendamos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo.
[/size]

Offline Vitor A.

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 512
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #7 em: Setembro 12, 2011, 00:18:09 »
A Classe de Enfermagem é o poder. Basta o querer. Só não temos poder por não haver lider.

Já imaginaram nos V. serviços se os enfermeiros fizessem apenas aquilo que lhes compete como enfermeiros? O que aconteceria? Os serviços/hospitais/centros de saude como ficariam?

Espero com estas eleições para a OE, nasça um lider na OE!
No reencaminhamento de mail´s, Por Favor Usem Cco. ou Bcc (Cópia Oculta)
" Retire os endereços dos amigos antes de reenviar "
" Dificulte a disseminação de vírus e spams "
" Proteja a sua privacidade e a dos Outros

Saudações. Vitor A. :)

Offline José Dores

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 22
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #8 em: Setembro 20, 2011, 21:46:20 »
Concordo em absoluto com esta última opinião... temos tudo na nossa mão mas temos medo de tentar porque ninguém se disponibiliza para nos guiar nesse sentido... precisamos de um líder sério e sem cor politica tanto na OE como no SEP... estes dois órgãos existem para defender TODOS os enfermeiros sejam eles de que ideologia politica forem, não podemos continuar a ser refens de inoperancia de um lado e limitações ideológicas do outro, mas agora onde andam essas pessoas... conheço um caso de um novo dirigente sindical regional que nem foi capaz de fazer cumprir os seus próprios direitos como trabalhador, se não conseguiu fazer isso como pode alguma vez ser valorizado na estrutura do sindicato e esperar-se que um dia consiga defender os nossos interesses? Não espero isso dele, espero apenas que continue a surgir nas listas da CDU em tempo de eleições... precisam-se pessoas com caracter, principios bem definidos e capacidade de assumir as consequências de se tomar posições contrárias ao sistema! Mesmo em tempo de crise!

Offline dianacmendes

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise- TESTEMUNHO PARA O DN
« Responder #9 em: Setembro 20, 2011, 22:27:32 »
Boa  noite!

Sou jornalista do DN e estou a fazer um trabalho sobre empregabilidade dos enfermeiros portugueses. Estava a tentar falar com alguns enfermeiros em situações distintas, por exemplo, que estejam noutro país, desempregados há bastante tempo, em situações precárias, a trabalhar no privado, entre outras. O ideal era poder falar e ter uma foto, mas se alguém quiser falar comigo sem identificação do nome ou sem foto também não há problema. O único problema é que preciso de falar ainda amanhã com quem estiver disponível. Por favor contactem-me para o meu email: dianacmendes@gmail.com e deixem um contacto que eu ligo amanhã.
Muito obrigada pela atenção,
Diana Mendes

Offline pedrojosesilva

  • Administrador
  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1883
    • Ver Perfil
    • http://www.forumenfermagem.org
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #10 em: Outubro 13, 2011, 22:07:55 »
Discurso do nosso PM sobre o Orçamento de Estado 2012:

Portugueses, boa noite.

Não preciso de vos dizer que vivemos momentos da maior gravidade. Todos os Portugueses estão a sentir nas suas vidas os efeitos de um terrível estrangulamento financeiro da nossa economia.

O Estado depende em absoluto da assistência externa para cumprir as suas funções básicas, desde o pagamento de salários a enfermeiros, professores ou polícias, até à realização das mais variadas prestações sociais.



Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/funcionarios-p ... z1ahKHZPlp


Muito bem! escolheu profissões essenciais nas actividades que o Estado assegura. Profissões cujos elementos pertencem à classe média. Porque é que não abriu o discurso optando por outros sectores do Estado, por exemplo:

O Estado depende em absoluto da assistência externa para cumprir as suas funções básicas, desde o pagamento de salários a médicos, magistrados ou gestores públicos, até à realização das mais variadas prestações sociais.

O Senhor PM acaba de nos associar à despesa do Estado, sendo o maior grupo profissional da saúde, ponho as minhas mãos no fogo se formos o grupo profissional que representa mais despesa com salários no sector da Saúde.

Nada no discurso político é escrito por acaso.... imaginem o que seria a reacção corporativista de médicos, magistrados e gestores públicos se o PM tivesse optado por outra formula naquele paragrafo.

Offline aNdR3

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1636
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #11 em: Outubro 14, 2011, 20:07:21 »
Podes crer Pedro...deveras interessante e intrigante ao mesmo tempo. Mas a verdade é que as coisas não pintam muito bem nos próximos tempos, para nenhuma das classes sociais e profissionais, sobretudo para as denominadas e interrogada a sua existência, classes médias.
[size=80]Quem atribui à crise os seus fracassos e penurias, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a negligência para encontrar as saídas e as soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que surge o melhor de cada um, porque sem crise todo o vento é uma carícia. Falar da crise é promove-la e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro, acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar por superá-la.

Não pretendamos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo.
[/size]

Offline fmago

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 23
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #12 em: Outubro 14, 2011, 22:33:55 »
é preciso ter muita lata....ganhasse este gajo 2,5 euros ou 3 euros que é o que muitos enfermeiros ganham a ver se falava assim. Gozou, gozam e vão continuar a gozar, a explorar, a enganar, a ludribiar, a roubar os enfermeiros toda a vida.
Só nos resta uma solução, limpar o sêbo a esta escumalha toda ( politicos de m.....da.)

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #13 em: Novembro 03, 2011, 06:37:31 »
No Eixo do Mal dizem "olhem para a Grecia". Estamos a ir para um precipicio.

Offline Paulo

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 168
    • Ver Perfil
Re: Exclusão de Enfermagem na crise
« Responder #14 em: Novembro 06, 2011, 19:44:39 »
Amigos,

Infelizmente a enfermagem já teve um chefe por cada serviço, um formador por hospital, um elemento nos conselhos de Administração, um membro em cada grupo de trabalho ou comissão, etc, etc.
Digo infelizmente porque não soubemos ao longo dos tempos promover lobies nem fazer Marketing.
Apenas achamos que era um direito adquirido, não apostamos na aprendizagem, no desenvolvimento e na competência, paciência!
Paulo

Vamos trabalhar para uma enfermagem melhor, não se limitem a fazer bem, façam cada dia melhor!