Forumenfermagem

Autor Tópico: "Lei dos Maiores de 23 anos"  (Lida 73567 vezes)

Offline enfermeirunxa

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 33
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #135 em: Março 15, 2012, 17:37:24 »
boas! entrei em enfermagem pelo regime normal: boas notas no 12º! sai do curso sem chumbar uma disciplina c uma média mt boa e, infelizmente irei emigrar p poder trabalhar naquilo k gosto e para o qual estudei 16 anos...a questão é k tive colegas k entraram nas mms condições k eu, com até melhores notas de curso k n deveriam ter jamais o diploma na mão!! enfermagem é cuidar! claro k temos de possuir conhecimentos técnicos para tal, mas no fundo no fundo enfermagem é humanizar, é dar carinho, é proporcionar a melhor qualidade de vida a quem precisa dos nossos cuidados! Testemunhei várias vezes comportamentos k em nada são dignos desta profissão! de pessoas k são hj enfermeiros cm eu...pessoas com as quais eu n deixaria a minha família! k n merecem ter esse titulo!! enquanto estudante considerava frequentemente que qq uma das auxiliares de enfermagem com quem trabalhavamos sabia mt mais k nós!!! n penso k a forma de entrada seja o mais importante! e na enfermagem o bom profissional n deveria medir-se pela média de curso! é a dedicação, a paixão, o cuidar dos outros com entusiasmo!
por isso força p kem entrou pela lei dos maiores de 23... orgulhem-se, façam o melhor k souberem, esforcem-se, estudem sp, qd tiram o curso e após o seu término, glorifiquem a nossa profissão!!

Offline deh

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 12
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #136 em: Março 15, 2012, 20:52:30 »
Ainda não tinha dado a minha opinião neste tópico, porque o considero controverso e com demasiados 'quês' a serem levados em questão. Mas vou fazê-lo agora, porque considero que o romantismo com que falam aqui da enfermagem é errado e contribuiu para a desvalorização da enfermagem e dos enfermeiros.

Relativamente, ao regime maior de 23, devo dizer que apenas conheço em traços gerais o processo de candidatura, porque entrei pelo regime geral. Não sei se os exames são fáceis ou difíceis e com os colegas que entraram para o ensino superior através deste regime tive experiências variadas: alguns deles eram óptimos colegas, pessoas muito capazes, com uma capacidade de se organizarem de fazer inveja, enquanto outros eram pessoas com francas dificuldades de aprendizagem, com lacunas de conhecimentos enormes e que nunca deveriam ter ingressado no ensino superior. Contudo, em teoria, sou absolutamente contra o regime. Considero que justo seria as pessoas concluírem o 12º ano, fazerem os exames nacionais e se candidatarem ao ensino superior, como todos os outros. Isso sim é equidade no acesso. Todos fariam o mesmo exame, passariam o mesmo testo e assim seriam garantidas as mesmas condições para todos os candidatos. Ainda assim, não considero que haja discriminação nenhuma durante o curso para com os estudantes que ingressam através deste regime.

Relativamente ao romantismo da enfermagem, o principal motivo que me leva a escrever aqui, devo dizer que é uma coisa que me enerva profundamente. Ver enfermeiros dizerem que enfermagem é vocação, é carinho, entre outras coisas,  é desprezar completamente aquilo que devemos ser: profissionais de saúde. Obviamente que todo o profissional de saúde deve saber ser e saber estar - mas não têm todos os bons profissionais em qualquer que seja a área? E claro que estas características são mais valorizadas em profissões que têm contacto directo com pessoas, principalmente se se encontram debilitadas por um processo de doença. Caindo num estereótipo, um engenheiro informático que passe o dia ao computador não necessita tanto de desenvolver competências porque não lida directamente com pessoas, mas se esse engenheiro der aulas de informática não se torna vital saber ser e estar na sua função?

Perdoem-me se vou chocar alguém, mas o essencial não é dar carinho: é ser bom profissional, ter conhecimentos, competências e habilidades, ser capaz, respeitar os demais e saber ser e estar. O resto diz respeito à individualidade de cada um: eu serei ou não uma pessoa mais capaz de demonstrar afectos do que a outra, o que não faz de mim melhor ou pior profissional. Pelo menos, eu prefiro ser tratada por um colega que saiba o que faz mas seja pouco empático do que para outro que seja o auge da simpatia mas um perfeito incompetente no seu trabalho. Agora, conciliar tudo, o lado humano e os aspectos técnicos, isso sim é o enfermeiro e a pessoa que todos devíamos pretender ser! :)

Offline Alexandra Serra

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 4
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #137 em: Abril 24, 2012, 15:50:25 »
falar sem conhecimento de causa é sempre fácil....esquecem-se é que esses que têm o 4º ano em 6 meses dão toda a matéria que nos damos em 3 anos e os exames não são de xaxa o nível de exigência dos exames é muito superior ao dos testezinhos que se fazem no 10º 11º e 12º ano quanto ao exame final quem não os conhece pode ir ao site do ipl por exemplo e têm lá alguns dos exemplos em que a maioria das vezes sai matéria que não é fornecida nas aulas quanto ao material de estudo são os vossos livros de 10º 11º e 12º ano....e mais dou bastante valor a pessoas com o 4º ano como lhe chamam porque a maioria trabalha é casado e tem filhos não tem os paizinhos a suportar-lhe os estudos e ainda conseguem ao fim de um dia de trabalho ter cabeça para ir para as aulas e estudar para os exames que para quem não sabe para a área de saúde são 5 + 1 final e no fim ainda tem de ter capacidade para dar atenção aos filhos muitos deles da vossa idade...eles sim têm o mérito e o respeito por quererem alcançar algo mais na vida e esforçarem-se por isso....e se pensarem um bocadinho não se oferecem entradas a ninguém em licenciaturas... não misture rvcc com M23 eu terminei o 12 com 17 anos e média para entrar mas como não tinha apoio financeiro para ingressar fui trabalhar em Outubro decidi que já tinha o dinheiro suficiente para enfermagem mas como já estava a 6 anos sem estudar resolvi pagar as propinas do M23 para rever matéria na minha turma estavam varias pessoas sem o 12º ano as quais são obrigadas nos M23 a fazer cultura geral (historia, economia, português,inglês entre outras) para além da especifica para saúde, deu para ver a dificuldade mas também o esforço deles... muitos não conseguiram infelizmente mas é de louvar o esforço de todos eles...espero ter esclarecido algumas duvidas e ilusões porque ninguém danada a ninguém... e o esforço de uns é o esforço dos outros a diferença é que eles têm menos tempo para estudar o mesmo que os outros...
Com os meus melhores cumprimentos

Offline MartaF28

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #138 em: Abril 28, 2012, 04:59:03 »
Não posso deixar de reparar na falta de evoluçao de mentalidades .
Estou completamente de acordo com o que uma rapariga disse e muito bem neste forum, "Não é a forma como se entra ou as notas com k se entram que mais importam mas sim o gosto pelo que se faz".
As oportunidades têm de ser dadas e o estado dá-as mas retira-as pk o povo não tem mente suficientemente aberta para aceitar que na altura deles não as tiveram e outros estão a tê-las.
Eu fiz o ensino normal e fiz exames nacionais, mas infelizmente temos um país que olha para mêdias e nao para as vocações e talêntos inatos das pessoas.
Em muitos paises o ensino é todo 70 por cento prático e não teórico além das médias serem muito mais baixas e as faculdades serem de mais fácil acesso que aqui.
Temos de evoluir mentalidades e abrir braços a novas oportunidades mesmo que muitas das vezes n tenhamos tido infelizmente acesso a elas na altura.
Tudo o que possibilite as pessoas de serem realizadas profissionalmente e pessoalmente sou completamente de acordo existirem.:D
Até pk é de valor extremo não ter acabado o secundário e ter conseguido terminar a faculdade.Essas pessoas de certeza que se esforçaram muito mais que todas aquelas que entraram com o secundário acabado e esse esforço é de ser valorizado e não desprezado.Significa que querem mesmo seguir a profissão ou até apenas realizar um sonho á muito adiado devido á falta de medias de acesso.
É apenas a minha opinião.
Boa Noite :D

Offline militar

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 70
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #139 em: Julho 17, 2012, 18:09:05 »
Tal como prometido num comentário anterior aqui estou já com o diploma na mão!
Entrei pelos "maiores de 23" e tenho orgulho nisso!
Foi mais difícil para mim quando em comparação com colegas que entraram pela via norma? Não me parece, antes pelo contrario, a verdade é que ainda há colegas que estão à espera de notas de exames, outros que vão prolongar o curso pelo menos mais um ano...e eu, enfim, fui ontem inscrever-me na Ordem! Acabei o curso com media de 16 e com a perfeita noção de que se me tivesse esforçado só mais um bocadinho podia ter sido ainda melhor.
Também tenho orgulho de durante estes 4 anos de curso não ter ido a exame a nenhuma cadeira e ter sido, numa unidade curricular, o aluno com a nota mais alta da frequência entre a população de cerca de 300 alunos da minha escola.
Como tal, realmente não interessa a forma como se entra...
É verdade, mais uma coisa de que tenho orgulho...já tenho trabalho! Aceitei uma das várias propostas que me fizeram nos meses que antecederam o final do curso, e não é a ganhar 3,96 euros, agora só tenho que aguardar a guia da Ordem para poder começar a trabalhar.
Portanto, parece-me óbvio que o facto de não ter entrado pela via normal e não ter o 12º não condicionou em nada o meu desempenho, muito pelo contrario.

Resta-me dizer que desejo a todos os alunos de enfermagem as maiores felicidades mas em especial aqueles que entraram por esta via.
Força, não desistam, sejam persistentes e vão ver que tudo vai correr bem.
A maior desilusão é a melhor razão para continuar!

Offline Filipaw

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 42
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #140 em: Dezembro 01, 2012, 15:14:29 »
Citação de: "deh"
Ainda não tinha dado a minha opinião neste tópico, porque o considero controverso e com demasiados 'quês' a serem levados em questão. Mas vou fazê-lo agora, porque considero que o romantismo com que falam aqui da enfermagem é errado e contribuiu para a desvalorização da enfermagem e dos enfermeiros.

Relativamente, ao regime maior de 23, devo dizer que apenas conheço em traços gerais o processo de candidatura, porque entrei pelo regime geral. Não sei se os exames são fáceis ou difíceis e com os colegas que entraram para o ensino superior através deste regime tive experiências variadas: alguns deles eram óptimos colegas, pessoas muito capazes, com uma capacidade de se organizarem de fazer inveja, enquanto outros eram pessoas com francas dificuldades de aprendizagem, com lacunas de conhecimentos enormes e que nunca deveriam ter ingressado no ensino superior. Contudo, em teoria, sou absolutamente contra o regime. Considero que justo seria as pessoas concluírem o 12º ano, fazerem os exames nacionais e se candidatarem ao ensino superior, como todos os outros. Isso sim é equidade no acesso. Todos fariam o mesmo exame, passariam o mesmo testo e assim seriam garantidas as mesmas condições para todos os candidatos. Ainda assim, não considero que haja discriminação nenhuma durante o curso para com os estudantes que ingressam através deste regime.

Relativamente ao romantismo da enfermagem, o principal motivo que me leva a escrever aqui, devo dizer que é uma coisa que me enerva profundamente. Ver enfermeiros dizerem que enfermagem é vocação, é carinho, entre outras coisas,  é desprezar completamente aquilo que devemos ser: profissionais de saúde. Obviamente que todo o profissional de saúde deve saber ser e saber estar - mas não têm todos os bons profissionais em qualquer que seja a área? E claro que estas características são mais valorizadas em profissões que têm contacto directo com pessoas, principalmente se se encontram debilitadas por um processo de doença. Caindo num estereótipo, um engenheiro informático que passe o dia ao computador não necessita tanto de desenvolver competências porque não lida directamente com pessoas, mas se esse engenheiro der aulas de informática não se torna vital saber ser e estar na sua função?

Perdoem-me se vou chocar alguém, mas o essencial não é dar carinho: é ser bom profissional, ter conhecimentos, competências e habilidades, ser capaz, respeitar os demais e saber ser e estar. O resto diz respeito à individualidade de cada um: eu serei ou não uma pessoa mais capaz de demonstrar afectos do que a outra, o que não faz de mim melhor ou pior profissional. Pelo menos, eu prefiro ser tratada por um colega que saiba o que faz mas seja pouco empático do que para outro que seja o auge da simpatia mas um perfeito incompetente no seu trabalho. Agora, conciliar tudo, o lado humano e os aspectos técnicos, isso sim é o enfermeiro e a pessoa que todos devíamos pretender ser! :)

"Tenham a sabedoria de serem humanos e não sigam o caminho da programação"

Offline Innes

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #141 em: Dezembro 20, 2012, 13:40:43 »
Tenho uma pessoa bastante próxima, a quem infelizmente os pais não puderam pagar os estudos, quando estava na suposta idade do secundário. Após trabalhar durante muitos anos, conseguiu entrar pela lei dos maiores de 23, aprendeu tudo tal como os outros. Aliás, muitos meninos com o secundário feito, e as ditas "bases" sabidas conseguiam tirar sempre notas inferiores a ele.
Estudou e trabalhou ao mesmo tempo, para pagar os estudos, concluiu o curso com uma boa média, está actualmente a trabalhar, e eu, aplaudo o seu esforço de pé.

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #142 em: Dezembro 20, 2012, 14:07:45 »
Tenho alguns colegas que entraram por esse regime, contudo não o conheço na integra mas hoje em dia são as faculdades que preparam os exames de acesso para esse regime. e não são as pessoas com a 4º classe que o frequentam, são as pessoas com o 12º concluido.

se acho incorreto? Não, de todo! Acho que as pessoas merecem a oportunidade e nunca sabemos a historia de cada um. Podiam não ter dinheiro na altura e ter construido primeiro uma vida e só depois tiveram meios de entao prosseguir estudos. quem diz que isso é incorreto e que não promove a equidade de acesso, não esqueçam das regras estupidas de pessoas oriundas da madeira e açores que entram primeiro em enfermagem com emdias mais baixas (quando esse curso existe nas duas regioes autonomas) opu de pessoas fedradas em por exemplo, tiro ao prato com estatuto de alta competiçao como ja vi entrarem com media de 12 em primeiro lugar no contingente geral. Por isso, considero os maiores de 23 um regime muito mais valido ate que o contingente geral, porque são avaliados segundo provas especificas elaboradas pela faculdade!

Quanto à vocação, bom profissional etc. Vou ser sincera, eu irrito.me PROFUNDAMENTE quando me lembro do video de comemoraçao do dia do enfermeiro e vejo a ordem a promover a ideia de que os enfermeiros estao la para dar abraços. eu nao estudei nem paguei 5 anos de propinas para dar abraços. eue studei anatomia, fisiologia, bioquimica, patologia etc etc para ter conhecimentos e habilidades para ser um bom profissional. se era a profissão que eu queria? era, as minhas 6 opções de candidatura foram para enfermagem. se sou qualificada por dar mais ou menos abraços, ser mais ou menos carinhosa? não. mas tmb reconheço que se o enfermeiro não dá carinho e festinhas é logo uma besta enquanto que o medico pode ser bruto à vontade que será sempre "o Sr. doutor".
Anyway, continuo a preferir ser uma boa profissional e competente nas competencias que desenvolvi sejam elas técnicas, comportamentais ou emocionais...
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline Filipaw

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 42
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #143 em: Dezembro 27, 2012, 19:48:36 »
Claro que a nossa profissão não é dar abraços muito menos somos psicólogos, mas, para mim é impensável eu estar com um doente e não dar uma palavra de conforto. Já trabalhei o suficiente para ver situações vergonhosas e tenho a certeza que muitos colegas não se lembram que estão a lidar com pessoas. Isto não se aprende na faculdade.
A minha postura como enfermeira é esta e nunca meti em causa o meu profissionalismo ou a vida de um doente por dar um sorriso, por ser mais cuidadosa ou por fazer questão de explicar o que vou fazer.
Agora, cada um adota a postura que bem entende.

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #144 em: Dezembro 28, 2012, 00:48:06 »
Citação de: Filipaw

Claro que a nossa profissão não é dar abraços muito menos somos psicólogos, mas, para mim é impensável eu estar com um doente e não dar uma palavra de conforto. Já trabalhei o suficiente para ver situações vergonhosas e tenho a certeza que muitos colegas não se lembram que estão a lidar com pessoas. Isto não se aprende na faculdade.
A minha postura como enfermeira é esta e nunca meti em causa o meu profissionalismo ou a vida de um doente por dar um sorriso, por ser mais cuidadosa ou por fazer questão de explicar o que vou fazer.
Agora, cada um adota a postura que bem entende.

nunca disse o contrario. mas secalhar é melhor começar a "publicitar" a profissão também por outros motivos e não apenas pelos abraços que damos e muito bem. a postura de cada um é da responsabilidade de cada um e cada um sabe o seu lugar, os limites que pode atingir e até onde deve ir na relação terapeutica com cada doente mas a credibilidade de uma classe não se obtem a passar um video de 2 minutos sobre a qualidade dos abraços dados pelos enfermeiros.
agora claro e obvio que o nosso trabalho vai muito alem dos conhecimentos tecnicos, dos procedimentos. é impensavel pensar enfermagem sem pensar pessoa, ser humano, relação etc etc mas a competencia da profissao para o exterior, para a população etc nao deve passar so por isso...
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline carla Ramos

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 34
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #145 em: Janeiro 21, 2013, 21:54:47 »
Boa Noite!!!
Venho por este meio dar a minha opinião sobre este tópico.... Sou um exemplo de quem entrou para o curso de Enfermagem sem o 12º ano acabado. E até estava na área de humanidades..... Na verdade, não tive pais que pudessem pagar os meus estudos e as minhas farras e por isso tive de trabalhar ( que já o fazia desde os 12 anos) e deixar os estudos....O exame foi fácil??? Engana-se quem pensa que sim...fisica, quimica, psicologia, português, etc, foram algumas matérias que sairam no exame.....Tive de estudar muito para passar no exame, e ter muita coragem para vencer as barreiras da entrevista...
Na altura que iniciei o curso tinha uma filha com oito dias e um filho com seis anos........
Se vissem as pautas veriam que as minhas notas eram das mais altas...acabei o curso em 4 anos e com boa média... média que muitos colegas meus que tinham o 12º ano e com médias boas não conseguiram ter no curso superior...
Antes de darem as vossas opiniões, pensem em primeiro se todas as pessoas tiveram o privilégio de ter quem lhes pagasse os estudos "na hora certa".

Offline Propofol

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 186
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #146 em: Fevereiro 23, 2013, 19:12:28 »
Citação de: Alexandra Serra
falar sem conhecimento de causa é sempre fácil....esquecem-se é que esses que têm o 4º ano em 6 meses dão toda a matéria que nos damos em 3 anos e os exames não são de xaxa o nível de exigência dos exames é muito superior ao dos testezinhos que se fazem no 10º 11º e 12º ano quanto ao exame final quem não os conhece pode ir ao site do ipl por exemplo e têm lá alguns dos exemplos em que a maioria das vezes sai matéria que não é fornecida nas aulas quanto ao material de estudo são os vossos livros de 10º 11º e 12º ano....e mais dou bastante valor a pessoas com o 4º ano como lhe chamam porque a maioria trabalha é casado e tem filhos não tem os paizinhos a suportar-lhe os estudos e ainda conseguem ao fim de um dia de trabalho ter cabeça para ir para as aulas e estudar para os exames que para quem não sabe para a área de saúde são 5 + 1 final e no fim ainda tem de ter capacidade para dar atenção aos filhos muitos deles da vossa idade...eles sim têm o mérito e o respeito por quererem alcançar algo mais na vida e esforçarem-se por isso....e se pensarem um bocadinho não se oferecem entradas a ninguém em licenciaturas... não misture rvcc com M23 eu terminei o 12 com 17 anos e média para entrar mas como não tinha apoio financeiro para ingressar fui trabalhar em Outubro decidi que já tinha o dinheiro suficiente para enfermagem mas como já estava a 6 anos sem estudar resolvi pagar as propinas do M23 para rever matéria na minha turma estavam varias pessoas sem o 12º ano as quais são obrigadas nos M23 a fazer cultura geral (historia, economia, português,inglês entre outras) para além da especifica para saúde, deu para ver a dificuldade mas também o esforço deles... muitos não conseguiram infelizmente mas é de louvar o esforço de todos eles...espero ter esclarecido algumas duvidas e ilusões porque ninguém danada a ninguém... e o esforço de uns é o esforço dos outros a diferença é que eles têm menos tempo para estudar o mesmo que os outros...
Com os meus melhores cumprimentos

E escreveu isso tudo utilizando apenas uma vírgula...

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #147 em: Fevereiro 24, 2013, 16:43:39 »
Citação de: Propofol
Citação de: Alexandra Serra
falar sem conhecimento de causa é sempre fácil....esquecem-se é que esses que têm o 4º ano em 6 meses dão toda a matéria que nos damos em 3 anos e os exames não são de xaxa o nível de exigência dos exames é muito superior ao dos testezinhos que se fazem no 10º 11º e 12º ano quanto ao exame final quem não os conhece pode ir ao site do ipl por exemplo e têm lá alguns dos exemplos em que a maioria das vezes sai matéria que não é fornecida nas aulas quanto ao material de estudo são os vossos livros de 10º 11º e 12º ano....e mais dou bastante valor a pessoas com o 4º ano como lhe chamam porque a maioria trabalha é casado e tem filhos não tem os paizinhos a suportar-lhe os estudos e ainda conseguem ao fim de um dia de trabalho ter cabeça para ir para as aulas e estudar para os exames que para quem não sabe para a área de saúde são 5 + 1 final e no fim ainda tem de ter capacidade para dar atenção aos filhos muitos deles da vossa idade...eles sim têm o mérito e o respeito por quererem alcançar algo mais na vida e esforçarem-se por isso....e se pensarem um bocadinho não se oferecem entradas a ninguém em licenciaturas... não misture rvcc com M23 eu terminei o 12 com 17 anos e média para entrar mas como não tinha apoio financeiro para ingressar fui trabalhar em Outubro decidi que já tinha o dinheiro suficiente para enfermagem mas como já estava a 6 anos sem estudar resolvi pagar as propinas do M23 para rever matéria na minha turma estavam varias pessoas sem o 12º ano as quais são obrigadas nos M23 a fazer cultura geral (historia, economia, português,inglês entre outras) para além da especifica para saúde, deu para ver a dificuldade mas também o esforço deles... muitos não conseguiram infelizmente mas é de louvar o esforço de todos eles...espero ter esclarecido algumas duvidas e ilusões porque ninguém danada a ninguém... e o esforço de uns é o esforço dos outros a diferença é que eles têm menos tempo para estudar o mesmo que os outros...
Com os meus melhores cumprimentos

E escreveu isso tudo utilizando apenas uma vírgula...

qual José Saramago  ;)
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline sandra De Almeida

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« Responder #148 em: Junho 02, 2017, 10:09:27 »
 :)