Autor Tópico: Medicação na cabeceira...  (Lida 6149 vezes)

Offline vaniarcl

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 142
    • Ver Perfil
Re: Medicação na cabeceira...
« Responder #15 em: Novembro 27, 2007, 23:45:42 »
Deveres dos Doentes (pontos principais para o tópico):
1. O doente tem o dever de zelar pelo seu estado de saúde. Isto significa que deve procurar garantir o mais completo restabelecimento e também participar na promoção da própria saúde e da comunidade em que vive.
4. O doente tem o dever de colaborar com os profissionais de saúde, respeitando as indicações que lhe são recomendadas e, por si, livremente aceites.

Ou seja, não somos polícias, temos a obrigação de dar as indicações correctas sobre a medicação, depois o doente (quando independente e psiquicamente capaz) é que tem de ser responsável pela sua própria recuperação, o que para este caso significa o cumprimento do regime terapeutico.

No entanto, considero que a toma de tuberculostácticos e medicação psiquiátrica é que deve ser realmente assistida pelo enfermeiro.

Offline flexorcarpi

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 75
    • Ver Perfil
Re: Medicação na cabeceira...
« Responder #16 em: Novembro 28, 2007, 11:46:19 »
:D


Meus senhores,

a medicação é um acto delegado que o enfermeiro procura cumprir o mais assertivamente possível,

é evidente que ninguém enfia nada pela goela abaixo do doente, e o doente tem todo o direito de recusar, mas também tem o direito e o dever de passar essa recusa a escrito...

se não como é que os colegas que dão o total e livre arbitrio ao doente se vão defender quando o doente x ou y não tomou a medicação, conscientemente, e teve ... p.e. . um avc, ou um problema cardíaco qualquer porque não tomou a medicação... vão defender-se com as notas de enfermagem??


Saudações

e sejam práticos e realistas... é disso que precisamos