Autor Tópico: TAS/TAT [Alcobaça/Caldas da Rainha]  (Lida 2886 vezes)

Offline aNdR3

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1636
    • Ver Perfil
TAS/TAT [Alcobaça/Caldas da Rainha]
« em: Maio 06, 2010, 09:44:45 »
NOTA: Coloco este anúncio, não que seja directamente de Enfermagem mas porque existem provavelmente vários enfermeiros que detem títulos de Bombeiros e/ou TAS/TAT, pelo que se pode tornar útil. Não obstante, se os moderadores ou administradores acharem que não deve permanecer, agradeço a sua remoção.



Tripulantes de Ambulância / Alcobaça e Caldas da Rainha

Zona: (Todas as Zonas)    
Empresa: Luso Ambulâncias, Serviços Médicos, Lda.
Categoria: Saúde / Medicina / Enfermagem    
Tipo:    Tempo Inteiro
Referencia: #974777    
Data: 6-5-2010


Anúncio:

Tripulantes de Ambulância /Condutores (as)

Residentes nas zonas de:

Alcobaça ou Caldas da Rainha

Obrigatório: (motivo de exclusão imediata)
Curso TAT / TAS válido e comprovado, escolaridade mínima obrigatória e carta de condução (preferência com grupo 2 para cartas posteriores a 15 de Julho 1998)

Só se aceitam candidaturas enviadas por escrito com Curriculum
Vitae e zona a que se candidata, para:

lusoambulanciaslisboa@gmail.com

ou

Luso Ambulâncias, Serviços Médicos, Lda.
Dep. Recursos Humanos
Rua Henrique Nogueira, 7-A
2700-448 Amadora

Telf. 214 912 830


Link:
http://www.net-empregos.com/detalhe_anuncio_livre.asp?REF=974777#ixzz0n8XvZERj
[size=80]Quem atribui à crise os seus fracassos e penurias, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a negligência para encontrar as saídas e as soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que surge o melhor de cada um, porque sem crise todo o vento é uma carícia. Falar da crise é promove-la e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro, acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar por superá-la.

Não pretendamos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo.
[/size]