Votação

Consideraria importante a criação de uma Pós-Licenciatura de Especialização em Enfermagem de Anestesiologia e Reanimação?

Sim
22 (84.6%)
Não
4 (15.4%)

Votos totais: 26

Votação encerrada: Abril 24, 2006, 13:31:59

Autor Tópico: Anestesiologia e Reanimação  (Lida 11996 vezes)

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Anestesiologia e Reanimação
« em: Abril 24, 2006, 13:28:41 »
Tendo em conta a evolução e diferenciação das competêcias em Enfermagem, importa criar condições para promover o seu desenvolvimento, qualificação, actualização e aperfeiçoamento, a par com a defesa dos direitos e interesses legítimos dos Enfermeiros Portugueses.

A minha área em específico, Anestesiologia e Reanimação, não deixa de ser indirectamente a área de muitos vós colegas dos Blocos Operatórios, Unidades de Cuidados Intensivos, Unidades de Cuidados Pós-Anestésicos, Unidades de Dor, Obstetrícia, Unidadades de Técnicas de Gastroenterologia, Imagiologia, entre outros...

Mas qual o papel e respectivas competências do Enfermeiro neste área?!
 
Gostava de saber as vossas opiniões...

Podem colocar aqui também elementos relacionados com a Anestesiologia e Reanimação.

Já agora deixo aqui o link da American Association of Nurse Anesthetist, para que possam descobrir a fossa abissal que nos separa....

www.aana.com

Um abraço,

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #1 em: Abril 25, 2006, 16:37:21 »
Aqui vos deixo algo que faz parte do dia-a-dia de muitos aqueles que trabalham nesta área, uma escala de classificação do Risco Anestésico-Cirúrgico, que emana da American Society of Anesthesiologists:

Classe: Risco de Morte (%) - Definição

ASA I: 0.06-0.08 - Sem doença associada;

ASA II: 0.27-0.4 - Dça sistémica ligeira sem limitação funcional;

ASA III: 1.8-4.3 - Dça sistémica moderada com limitação funcional;

ASA IV: 7.8-23 - Doença sistémica grave associada a risco de vida;

ASA V: 9.4-51 - Moribundo com sobrevida estimada < 24h;

ASA VI - Dador de órgãos em morte cerebral.


Um Abraço,

Offline Tininha

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 113
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #2 em: Abril 25, 2006, 20:30:31 »
Se não estou em erro, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, da Universidade do Porto, num passado recente, abriu candidaturas para uma pós-graduação em Anestesiologia para Enfermagem, o que vem inaltecer, na minha opinião, a nossa classe, pois começa a existir a nível académico um reconhecimento pelo trabalho do Enfermeiro e consequente necessidade de formação contínua da nossa classe.

Gostaria que existessem mais Pós-Graduações, específicas para Enfermagem, em outras áreas da Saúde, para além das actualmente existentes.

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #3 em: Abril 25, 2006, 21:00:01 »
Sim de facto Tininha, o ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar) já vai para a 8ª edição do Curso de Pós-Graduação em Enfermagem de Anestesiologia!

E conta com um plano curricular quer teórico, quer prático, muito bom!

Aqui vos deixo o link, para que possam consultar o Programa e Condições de Acesso:

http://sigarra.up.pt/icbas/cursos_geral ... IGLA=ANEST

Um abraço,  :wink:

Offline fernandenf

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #4 em: Abril 28, 2006, 21:48:17 »
Ttambém eu penso que seria uma mais vali haver especialização na área da reanimação mas questiono-me se o mais indicado será, de facto juntar anestesia e reanimação???

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #5 em: Abril 29, 2006, 11:53:45 »
A anestesiologia é a área mais vocacionada a lidar com as situações de reanimação, quer pela manipulação da via aérea quer pelos conhecimentos na área da hemodinâmica.

Abraço,

Offline Tininha

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 113
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #6 em: Janeiro 25, 2007, 21:39:21 »
Citação de: "nunotavares"
A anestesiologia é a área mais vocacionada a lidar com as situações de reanimação, quer pela manipulação da via aérea quer pelos conhecimentos na área da hemodinâmica.


Ora bem é isso mesmo!
Posso dizer, daminha pouko experiência, que o médico especialista em Anestesiologia dedica imensas horas a esta área.
No meu Hospital, kd a equipa de Reanimação está "enrrascada", chama o Anestesiologista de prevenção no Bloco Operatório... até os prõprios colegas médicos os apelidam, na brincadeira, de "canalizadores".. ;)

O enfermeiro k trabalha nos serviços que o Nuno referiu lida, diariamente com ambas as situações (renimação e anestesiologia9, por isso concordo k ambas venham associadas.

Offline Cortezenf

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 51
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #7 em: Fevereiro 14, 2007, 00:25:26 »
Boas colegas!
é a primeira vez que rodo por esta area do saite "especialidades" apesar de ser membro à mt tempo. Estou agora por aqui a passar pq penso a médio prazo fzer uma especialidade, no entanto estou a zero a nivel da corrente!

Gostaria de saber se de facto está previsto abrir mais especialidades, em areas para lá das existente?

Já agora gostaria de saber, se pela vossa experiencia sé é costume, com todos os condicionalismos inerente, serementrarem licenciados para a especialidade com 2 anos de experiencia!!? pelo que me aperecebo, os colegas que conheço a fazer especialidade é um pouco kota!

Obrigado!
TODOS UNIDOS POR UMA ENFERMAGEM COM MELHORES CONDIÇÕES, PARA MELHORES CUIDADOS

Offline carlosmano

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 30
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #8 em: Fevereiro 14, 2007, 13:04:04 »
Citação de: "nunotavares"
A anestesiologia é a área mais vocacionada a lidar com as situações de reanimação, quer pela manipulação da via aérea quer pelos conhecimentos na área da hemodinâmica.

Abraço,


Sem querer ferir susceptibilidades, os enfermeiros agora querem ser mini-médicos, é?
Manipulação da via aérea? Não é suposto existir um médico para assegurar essa parte? Será que se justifica a especialidade?
Só se começarmos a criar especialidades para tudo como nalguns países que até têm enfermeiros especialistas em acessos venosos...
Gabam a enfermagem portuguesa por ser holística e agora tentam imitar os anglo-saxónicos a compartimentalizar a enfermagem?
Que os enfermeiros da área aprofundem os conhecimentos para melhorar a qualidade, acho muito bem. Mas com pós-graduações como até agora...
Para criar essa especialidade, muitas outras teriam que vir primeiro... acho eu!
E por favor colegas, como dizia um enfermeiro que conheci, o nosso papel na sala de emergência é colaborar com o médico (não substituí-lo) e cuidar! Cuidar o doente à nossa frente, mas também a família lá fora!

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #9 em: Fevereiro 14, 2007, 18:09:29 »
Caríssimo Colega!

Como bem sabe, esta é uma área de eleição na medida em que hoje em dia as equipas de Anestesiologia e Reanimação são transversais a todo o hospital...e mais, a área da Terapêutica da Dor está também ela cada vez mais presente nestas equipas! Em relação à criação de outras especialidade, não concordo que existam especialidades prioritárias, seria acertivo sim, criar especialidades por conteúdo funcional e em simultâneo!

Relativamente às pós-graduações, discordo que sejam sufiecientes para colmatar a falta de formação que existe nesta vertente! Não há limites para o conhecimento e só posso ter pena de quem assim pensa!

Quanto a susceptibilidades, não se preocupe, já é difícil conseguirem-me provocar prurido intelectual!

Cumprimentos,

Offline Cortezenf

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 51
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #10 em: Fevereiro 14, 2007, 23:55:07 »
Em total acordo com nunotavares

É por causa da acomodação que a Enfermagem assim se mantem!
TODOS UNIDOS POR UMA ENFERMAGEM COM MELHORES CONDIÇÕES, PARA MELHORES CUIDADOS

Offline Tininha

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 113
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #11 em: Fevereiro 15, 2007, 10:23:10 »
Citação de: "nunotavares"
Não há limites para o conhecimento e só posso ter pena de quem assim pensa!


@Carlosmano
Como posso eu cuidar de um doente, se não sei o que se passa...?
Como posso eu actuar em emergência, se não tenho conhecimentos científico e técnico para tal?

Ainda bem que existe esta pós-graduação; ajuda a aumentar conhecimento nesta area, para colegas que se interessem pela mesma, que trabalhem em Unidades de Terapêutica da Dor, no Bloco Operatório, Cuidados Intensivos...
Não quero eu dizer que deveríamos ser "mini-médicos"; mas não deveremos ter medo de aumentar os nossos conhecimentos; senão veja: sem conhecimentos científico, como posso eu saber que a terapêutica farmacológica prescrita para determinado doente será benéfica ou não? Não iremos mais longe: ktas vezes somos nós enfermeiros alertamos os prescritores (médicos) para um possível equívoco na prescrição? Ora, este conhecimento teve de vir de algum lado.

A biologia, química, psicologia, fisiologia, farmacologia, etc, não são disciplinas exclusivas de determinado curso.

Actualmente existem pós-graduações, por exemplo, em Medicina Legal; podem frequentá-la advogados, psicólogos, biólogos e afins; posteriormente, acham que irão ser "mini-médicos"? Claro que não! Mas com conhecimento técnico e científico, poderão actuar nas suas areas profissionais com maior competência, sendo o principal beneficiado o cliente/utente...
 
Não tenhamos medo da formação; esta ajuda-nos a actuar em Enfermagem, a cuidar dos nossos utentes/clientes com maior conhecimento de causa.

Offline Parreira

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 211
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #12 em: Fevereiro 15, 2007, 10:38:08 »
Amigo carlosmano, não se trata de sermos ou de nos tornar-mos mini-médicos, mas sim aumentar os conhecimentos, por isso o termo especialidades, onde seria lógico adquirir conhecimentos em determinada área e não como atá aqui tirar uma especialidade por exemplo médico-cirurgica onde se aborda tudo e nada se especifica, mas infelizmente é assim que a ordem dos enfermeiros quer, é que nem com a nova restruturação do ensino foram capazes de fazer alterações nas especialidades apenas mudaram alguns nomes mas as aéreas de conhecimentos continuam a ser iguais.

Offline Tininha

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 113
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #13 em: Fevereiro 15, 2007, 13:34:11 »
Citação de: &quot;"Parreira"&quot;

 é que nem com a nova restruturação do ensino foram capazes de fazer alterações nas especialidades apenas mudaram alguns nomes mas as aéreas de conhecimentos continuam a ser iguais.


É com alguma infelicidade que adquiro essa informação. Uma especialidade como a médico-cirurgica deveria ser "dividida" em várias outras, para que se possa, exactamente, se tornar uma especialidade...específico de uma determinada área de conhecimento.

Para mim existem pós-graduações mais "valiosas" que certas especialidades em Enfermagem. Uma delas é exactamente a que referi em pot's mais acima, relacionadas com esta área - Anestesiologia e Reanimação.

Offline Margongab

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 10
    • Ver Perfil
Anestesiologia e Reanimação
« Responder #14 em: Fevereiro 15, 2007, 17:05:00 »
Olá a todos
Desculpa a minha visão pessimista mas acho que  a maioria dessas pós-graduações só serve para encher os bolsos de meia duzia de organizadores, que de certo modo entenderam que os enfermeiros devem ser das poucas classes que "afundam" boa parte do seu orçamento mensal em formação muitas vezes vã, desenquadrada ou pouco reconhecida, em especial pelos seus pares. Hoje investes umas centenas ou milhares de euros numa formação porque trabalhas num BO ou numa UCI para amanhã, por condicionantes de falta de pessoal, restruturação de serviço ou simplesmente má disposição de um enfº chefe ou director passares a trabalhar numa medicina ou numa oftalmologia. O primeiro passo para efectivamente as especialidades ou pós graduações em enfermagem fazerem sentido seria cada qual trabalhar num serviço de efectiva concordância com a sua especialização. Em quantos casos verificas isto acontecer ? A nossa classe gestora continua a apostar que enfermeiro/a trabalha em qualquer lado independentemente da sua formação específica e enquanto isto não mudar, perdoem-me mas qualquer formação tem a sua validade profissional condicionada. Basta por ex. mudares de hospital para quando tiveres a tua entrevista com a direcção dizeres "...sou pós graduada em anestesiologia e reanimação..." para a resposta ser "... entendo srª Enfª, mas neste momento temos muita falta de pessoal na ginecologia..."  :?