Autor Tópico: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???  (Lida 5841 vezes)

Offline Jconeves

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 386
    • Ver Perfil
Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« em: Setembro 13, 2009, 16:23:12 »
Colegas gostava de iniciar este novo tópico para ver até que ponto algumas das situações que temos hoje na profissão podem ser ou não culpa da formação actual!?

O que pensam do actual ensino de Enfermagem em Portugal??

   - Facilitismo (pelo tão elevado nº de vagas o que lega a que a selecção seja muito inferior) Vs Competitividade (pelo tão elevado nº de estudantes e profissionais, acabamos por assistir a uma luta por dar nas vistas)
   - Escolas Publicas vs Escolas Privadas??
   - Falta de rigor e justiça nos Ensinos Clínicos (onde muitas vezes as notas tem algo que se lhe diga);
   - Falta de critérios uniformes quer no ensino, quer na avaliação;
   - Falta de condições em alguns estabelecimentos de ensino...

Então aqui fica mais este tópico de discussão...

Cumprimentos colegas...

Offline LeThaRGiCA

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #1 em: Setembro 13, 2009, 17:25:26 »
Tocou num assunto bastante pertinente, julgo eu.

Um dos pontos mais sensíveis, a meu ver, foi o da "Falta de rigor e justiça nos Ensinos Clínicos " e julgo não ser a única que salientaria tal facto que acontece e que é a causa dos mais variados conflitos.

Como tal, seria muito bom a seriedade por parte dos orientadores dos ensinos clínicos, assim como o bom senso e bom carácter em avaliar com critérios objectivos, e não baseados em sorrisos menos sinceros e conversas fúteis e manipuladoras, como tantas vezes se vê.
Deixo a sugestão no ar, para reflectir, porque afinal todos queremos que os nossos doentes tejam em mãos realmente competentes.

Cumprimentos

Offline MSofia

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 33
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #2 em: Setembro 13, 2009, 19:17:24 »
O actual estado do ensino de enfermagem em Portugal, na minha opinião, deve-se ao facilitismo com que se abriram escolas de enfermagem (públicas e privadas), gerando um excessivo número de vagas e consequentemente um elevado número de recém-licenciados anualmente, eclodindo, no actual desemprego verificado.
Para além disso, não há uniformidade nos critérios e grelhas de avaliação, gerando discrepâncias de notas entre os alunos de enfermagem.
Cada escola adopta os seus critérios de avaliação contribuindo para diferenças significativas, nas médias, de escola para escola!

Parece que em enfermagem cada um luta para seu o seu próprio "umbigo", há falta de unidadade e excessiva competição...

Cumprimentos.

Offline Jconeves

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 386
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #3 em: Setembro 13, 2009, 23:16:54 »
Concordo com o que dizem colegas!!!

De facto, pegando na primeira ideia...a avaliação em ensinos clínicos também pactuo da sua opinião colega LeThaRGiCA! Penso que, embora estejamos todos habilitados para ajudar num processo de formação, há certas competências que não adquirimos no curso nem com a experiência profissional...refiro-me nomeadamente à capacidade de avaliação...Podemos ter conhecimentos acerca da prestação de cuidados, mas acho que seria necessário em todos os enfermeiros tutores ou orientadores de ensinos clínicos, competências nesta área! Sendo que existem algumas pós-graduações e muitas obras que orientam neste sentido...

Quanto à ideia dos critérios de avaliação! Bom, acho que nem precisamos de ir de escola para escola, já que na mesma escola existem muitas vezes os critérios mais díspares...

Acho que precisamos de evoluir na formação de base para que os frutos se colham na prestação e na actuação...

Cumprimentos colegas...

Offline BAB

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 28
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #4 em: Setembro 14, 2009, 12:38:22 »
Olá..
Acabei este ano o CLE .. O que faz com que tenha na memória ainda muitos casos ...

No primeiro ponto, - Facilitismo (pelo tão elevado nº de vagas o que lega a que a selecção seja muito inferior) Vs Competitividade (pelo tão elevado nº de estudantes e profissionais, acabamos por assistir a uma luta por dar nas vistas) - penso mesmo que seria um dos primeiros aspectos a corrigir ... Se na actual situação do país já existem demasiados enfermeiros licenciados, e que têm de emigrar para arranjar trabalho, é incongruente haver tantas vagas para Enfermagem e que têm aumentado progressivamente. Não quero com isto dizer que não são precisos enfermeiros em todos os locais (centros de saúde, hospitais, lares ......), mas se não criam postos de trabalho, também não faz sentido o estado ter gastos em formar enfermeiros ...

Relativamente às - Escolas Publicas vs Escolas Privadas - eu posso ser suspeita, visto que me formei numa escola pública.. Mas durante os 4 anos de curso vi demasiados maus exemplos de alunos de escolas privadas ... Que me chocavam imenso .. e ainda era aluna .. o que diriam os profissionais ?!? Penso que são demasiadamente "levados ao colo" durante os estágios/ensinos clínicos, cometem muitos erros e a penalização que têm .. é terem notas superiores àqueles a que lhes é exigido muito e que têm que suar para ter uma nota razoável...

- Falta de rigor e justiça nos Ensinos Clínicos (onde muitas vezes as notas tem algo que se lhe diga); Isto é algo que me faz suspirar para não me irritar ... e começa muitas vezes nos próprios professores! Deviam ser mandados para a prática durante um período para se actualizarem... Quando uma prof me pergunta, no estágio hospitalar do 4ºano se o SAPE dá para ver a evolução do doente .... Ou porque é que é importante investir no treino de marcha num serviço de Ortopedia!?!?! Uma pessoa fica roxa para não lhe saltar ao pescoço!!!  :o :o :o

- Falta de critérios uniformes quer no ensino, quer na avaliação; Isto só me faz lembrar um caso que aconteceu na minha escola ... Um casal foi apanhado a namorar em cima de uma mesa num local de estágio pela enfermeira tutora ... Foi comunicado à prof responsável pelo Estágio... Penalização ?? Não !! Nos aspectos éticos ambos tiveram a nota de 19, e terminaram o estágio com 17 ... Isto depois de já terem sido repreendidos pela mesma situação no ano anterior..

- Falta de condições em alguns estabelecimentos de ensino... Não havia condições decentes para trabalhos de grupo ou mesmo para estudar na minha escola ... Mas fizeram obras e criaram 3 laboratórios ... LOL e até uma casa de banho com banheira para treinar ... Enfim!

Desculpem se me alonguei ... mas isto mexe comigo e custa-me ficar calada   :-X

 ;D

Offline nunotiago_18

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 53
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #5 em: Setembro 14, 2009, 13:47:24 »
ja não há paciência para guerra entre  publica-privada... ambas têm coisas boas e coisas menos boas...

existem coisas mais importantes que devem ser discutidas....

http://www.forumenfermagem.org/forum/http://forumenfermagem.org/phpbb3/viewtopic.php?t=4

Offline DanFF

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 49
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #6 em: Setembro 14, 2009, 18:51:59 »
olá colegaas..bem este é um tema que relamente mexe mt com mutia gente..e que dá muito para falar!!!

Mas para nao me alongar muito, eu concordo muito com a colega beatrizbarros..

O primeiro ponto é indiscutivel!! é bizarro como é que abrem tantas vagas estando a porfissão como está!faço minhas as palavras da colega!! :-X

Relativamente ao segundo ponto..bem..dava panos para mangas...mas, resumidamente, tanto escolas públicas como privadas têm os seus prós e contras...!Eu, pessoalmete prefiro o ensino público e acho mais justo...mas...tb sou suspeita por estar numa universidade pública

Falta de rigor e justiça nos ensinos clinicos..bem..ha com cada história neste mundo...e com tamanha abébias a avaliar-nos (falo  dis professores que durante o tempo de estágio nunca põem os pés no hospital e que ja nao exercem ha bastante tempo e que depois nos querem baixar a nota ou simplesmente nao concordam pela simples leitura de um relatório escrito, que, perdoem-me, NEM TODA A GENTE SABE/CONSEGUE ESCREVER IMPECAVELMENTE)...mas isto é so uma das muitas que já ouvi...! tb podia falar de falso sorrisinhos ou implicancias por partes de enfermeiros orientadores(professores...ou da falta de conhecimentro dos objectivos d eestagio por parte dos primeiros..mas acho, sinceramente,que os professores são os maiores culpados nisto tudo...!

Relativamente ao ponto seguinte...vai um pouco de encontro ao que escrevi em cima... e ao que os coelgas ja disseram..!

Já em relação ao ultio ponto...claro que ha sitios uns melhores que os outros, mas que adiantaria fazermos estagios em locais espetaculares se dps teriamos de nos sujeitar à realidade e alguns dos hospitais do interior (onde ja estagiei) que em plena hora de higienes e realização de pensos não havia luvas?! Claro que tenho pena de nao haver melhors condiçoes d estagio..tenho pena de nao haver mais laboratorios nas universidades (e aí sim, devia-se investir MT!!)..mas temos de nos ir habituando à realidadeq nos espera (para quem ainda estuda..!)...


Desculpem se me alonguei...mas acreditem que ficaria aqui umas valente horas a apontar td o que esta mal no ensino superior!!

Saudações!*
Para que a enfermeira consiga integrar na sua prática do cuidar em enfermagem a relação de ajuda de um modo efectivo, necessita de desenvolver as suas capacidades intelectuais, afectivas, físicas, sociais e espirituais.

Queirós (1999)

Offline Caldas

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1323
    • Ver Perfil
    • http://ocantosocial.blogspot.com
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #7 em: Setembro 14, 2009, 20:03:28 »
Em primeiro lugar dar os parabéns ao Jconeves pela pertinência e importância da discussão que trouxe a ribalta principalmente em tempo de eleições.

A educação do Ensino Superior poderá nos dizer muito pouco enquanto enfermeiros, porém, quando se reporta ao ensino de enfermagem penso que deve ser algo que todos os enfermeiros tenham uma noção do que se pratica e que defesa devem também os enfermeiros pedir para o crescimento da ciência de Enfermagem. Tal como referiu a colega Lethargica é importante pensar e desejar que os nossos doentes estejam em mãos realmente competentes.

A Sofia fala em: “O actual estado do ensino de enfermagem em Portugal, na minha opinião, deve-se ao facilitismo com que se abriram escolas de enfermagem (públicas e privadas), gerando um excessivo número de vagas e consequentemente um elevado número de recém-licenciados anualmente, eclodindo, no actual desemprego verificado.”
Tenho de discordar totalmente. Os problemas da formação em enfermagem estão ligados sim à fraca capacidade de construir um ensino de qualidade e que este seja premiado. Isto é, um dos problemas principais do ensino é que a nossa escola pode ser a melhor em termos formativos, porém uma que seja pior tem os mesmos prémios, os mesmos incentivos financeiros. Mesmo, os professores evoluem da mesma forma, não contribuímos para a formação competitiva, aliás competição é uma palavra pouco querida na saúde, não entendo bem porquê.

A falta de critérios uniformes de formação tem para mim esta base que anteriormente falei da competitividade e da parca discussão que existe entre as escolas. Sei que os docentes organizam um forúm de formação, mas penso que falta discutir metodologias e todas essas problemáticas podem em parte ser base da vasta diversidade de filosofias de pensar em enfermagem.

Os casos que alguns de vocês aqui relatam tem a ver com a falta de capacidade formativa dos docentes e a falta de coragem para saber sancionar o que está mal. Sei que não é muito bom para as escolas terem muitos alunos a reprovar, mas quando se adicionar a isto o MDP e ainda a Agência de Credenciação do Ensino Superior creio que estas situações poderão melhorar.

Quanto as questões que inicialmente foram lançadas a algumas já me reportei, outras parecem-me ser falsas questões. O caso das privadas versus pública é 1 exemplo claro. Temos públicas de grande qualidade, como outras com qualidade muito dúbia, o mesmo acontece no privado.

O grande problema de todas estas questões tem a ver com a incapacidade que os enfermeiros têm para as resolver, a não ser começarem a recusar alunos que não cumpram requisitos formativos e o mesmo acontece com os hospitais, o problema é que para isso teria de haver mais uma vez uma competição entre escolas pelos melhores locais e os hospitais não podem nunca baixar o nível de qualidade de prestação de cuidados porque têm alunos com incapacidade para a aprendizagem.

Muito mais haveria a dizer mas já me alonguei em demasia.

Offline VitorMartins

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 23
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #8 em: Setembro 14, 2009, 22:22:26 »
O que pensam do actual ensino de Enfermagem em Portugal??

Até agora não me posso queixar. Nunca vi facilitismos no ensino de enfermagem na minha escola. Não falo por Portugal, porque não estive em todas para poder comparar.

   - Facilitismo (pelo tão elevado nº de vagas o que lega a que a selecção seja muito inferior) Vs Competitividade (pelo tão elevado nº de estudantes e profissionais, acabamos por assistir a uma luta por dar nas vistas)

Elevado número de vagas? Esta pergunta sugere que quantos menos entrarem melhor. As vagas estão enquadradas com panorama nacional. O facilitismo nunca vi em lado nenhum na minha escola e a competição existe sempre, porque todos querem ser os melhores e se A tira nota melhor que B, o B não pára de se queixar.

   - Escolas Publicas vs Escolas Privadas??
As escolas privadas têm propinas altíssimas e quem tem média de 95 valores entra na boa, tem é que pagar a mensalidade de 400€. Existe é facilitismo na entrada do discente na escola, mas na saída não concordo.
O ensino é diferente, segundo testemunho de três colegas que se transferiram da privada para a pública e nunca falaram em facilitismo.

   - Falta de rigor e justiça nos Ensinos Clínicos (onde muitas vezes as notas tem algo que se lhe diga);
No meu 1º Ensino Clínico não vi ou senti injustiça nenhuma nas notas. Quem teve 13 mereceu (eu) e quem teve 15 mereceu, não foi por beijar os pés à professora.

   - Falta de critérios uniformes quer no ensino, quer na avaliação;
Esta frase não corresponde em nada à realidade. Eu não sei onde há falta de rigor ou critérios uniformes nem nunca vi. Graças a Deus, a minha escola tem professores bastante qualificados.

   - Falta de condições em alguns estabelecimentos de ensino...

Na minha escola não há falta de condições. Tem condições boas e recomendáveis.
A Nurse World Wide

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #9 em: Setembro 15, 2009, 08:58:33 »
Para mim a questão não está minimamente na divisão público-privadas.
Quero lá bem saber em que escola se formou um enfermeiro, desde que ele seja competente!
Agora assisto a uma desvalorização significativa do ensino da enfermagem. O que se ganhou efectivamente ao acrescentar mais um ano ao curso de enfermagem? Uma licenciatura? É um facto!
Mas em termos de competências sinceramente não vejo evolução positiva.
Não é minimamente uma crítica aos jovens enfermeiros, pois são os menos culpados deste estado de coisas, mas sim ao ensino da enfermagem em geral.

Offline Jconeves

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 386
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #10 em: Setembro 15, 2009, 14:43:58 »
Citação de: vitor.m
   - Falta de critérios uniformes quer no ensino, quer na avaliação;
Esta frase não corresponde em nada à realidade. Eu não sei onde há falta de rigor ou critérios uniformes nem nunca vi. Graças a Deus, a minha escola tem professores bastante qualificados.

Na minha escola não há falta de condições. Tem condições boas e recomendáveis.

Colega, antes de mais falar no seu pragmatismo e apreciar o facto de na sua formação tudo ter corrido tão bem! É de louvar..

Devo dizer que estudei na 2ª Escola de Enfermagem mais procurada do pais http://www.uatlantica.pt/images/a-unive ... s/top5.jpg , a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra!

Confesso que tem excelentes condições para o ensino, primeira escola sup. d enf da Europa a ser avaliada com BOM por um organismo internacional... Com racios de Docentes que cada vez mais se aproximam do topo, em que estão quase a atingir um professor DR por cada 60 alunos!!!

Porém há problemas...e acredito que devem ser poucas as escolas que não os têm!

E pegando no exemplo que deu e que registo como sendo bem difícil de encontrar....só lhe vou dar um simples exempllo...

na minha escola, nos ensinos de cuidados primários, desenvolvemos Estudos a uma família! Chamamos o processo de família!!

Documento que eu e muitos colegas desenvolvemos durante semanas, atingindo 60, 70 e alguns 80 páginas, de grande qualidade para um doc.académico, preenchendo os requisitos da escola e no final dá uma nota de 17 valores...
Pois pasme-se, caro colega, quando eu sei de colegas que fazem o mesmo trabalho em 8 páginas, francamente pobre, com alguns gráficos a lápis...em que tem a mesma nota ou até mais!!!

Falamos aqui de quÊ!?!?! não lhe parece ser o exemplo mais básico de falta de critérios homogéneos e uniformes!?

Cumprimentos colegas...

Offline VSSS

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 22
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #11 em: Setembro 21, 2009, 12:58:14 »
Citação de: vitor.m
O que pensam do actual ensino de Enfermagem em Portugal??

   - Falta de rigor e justiça nos Ensinos Clínicos (onde muitas vezes as notas tem algo que se lhe diga);
No meu 1º Ensino Clínico não vi ou senti injustiça nenhuma nas notas. Quem teve 13 mereceu (eu) e quem teve 15 mereceu, não foi por beijar os pés à professora.

   - Falta de critérios uniformes quer no ensino, quer na avaliação;
Esta frase não corresponde em nada à realidade. Eu não sei onde há falta de rigor ou critérios uniformes nem nunca vi. Graças a Deus, a minha escola tem professores bastante qualificados.
   

Felicito o colega pelas tão boas condições que lhe estão a ser proporcionadas.
Mas acho que deveria ter um pouco mais de precaução ao fazer determinadas afirmações, porque dizer que "não corresponde em nada a realidade", a mim parece-me demasiado precipitado, pois quando a colega betarizabarros fala do assunto é baseado naquilo que presenciou ao longo dos 4 anos do seu curso, e eu também presenciei que é claramente a realidade, aconteceu em várias ocasiões, não é sonho nem história de ficção é a REALIDADE.

A colega já deu alguns exemplos e eu posso dar outro que aconteceu na mesma escola: no estágio de gestão e formação (último estágio do curso) onde quem é responsavel por dar a nota do desempenho é a enfermeira tutora, e com essa nota mais a nota do projecto de estágio e relatório de actividades os professores orientadores do estágio constituem a nota final. Por acaso a nota que eu tive no desempnho e nos tais documentos foi a mesma, portanto não haveriam muitas contas a serem feitas, mas se as notas não fossem as mesmas eu não sei como iriam fazer a tal conta pois os regentes da cadeira não determinaram os tais critérios de avaliação, ou seja, qual a percentagem a ser atribuída a cada componente da avaliação. Neste formato, um 17 no desempenho mais um 18 nos trabalhos, iria resultar numa nota mistério que só os docentes saberiam o raciocínio para lá chegar… Segundo eles é uma nota global! Então, porquê que dão notas individualizadas? E não pensem que venho aqui com estas criticas pela primeira vez, não, eu e os meus colegas colocámos a questão tanto aos docentes orientadores do estágio como à comissão de curso, mas pouco tivemos a dizer sobre o assunto, para eles isto servirá para mudar alguma coisa para o próximo ano lectivo, acho bem que sim, que mudem baseado em criticas construtivas, mas então e aqueles que foram avaliados desta forma???

E só dou mais um exemplo que aconteceu no mesmo estágio. Eu e a minha colega que fizemos o estágio no mesmo local tivemos 17 e não acho que foi uma nota injusta, baseado no facto de que a enfermeira tutora nos disse que 17 era o máximo que dava e também que não tinha nada de negativo a nos apontar, só fez elogios à nossa aprendizagem e disse que tinha sorte por lhe calharem sempre bons alunos… Então como é que outros colegas noutros campos de estágio tiveram 19. Isto é ou não é falta de critérios??? A escola não deveria definir melhor o que é um 17 e um 19??? E o que os colegas de 19 me contaram não foi nada que eu não tivesse feito e julgo que foi muito semelhante ao meu desempenho (mas nem quero muito enveredar por aí pois não presenciei) Mas, não deveriam discutir entre eles o desempenho dos alunos??? A culpa disto não é dos enfermeiros nos campos do estágio, pois cada um deles tem os seus próprios critérios de avaliação, mas a escola tem a obrigação de definir melhor os critérios de avaliação e também os objectivos do estágio.

Eu nunca fui obcecada pelas notas, e acho que o que aprendi no estágio ninguém me tira e estou muito contente com o meu desempenho, mas se depois num currículo só olham para a nota final e em alguns concursos (já aqui falados) chamam as pessoas pela nota final de curso, estou a ser deixada para trás com base em critérios muito mal aplicados….E não pela minhas competências…..

Espero que colega tenha a mesma sorte nos outros ensinos clínicos, mas acho que com base apenas em um ensino clínico não se poderá tirar muitas conclusões, pois eu também tive experiencias positivas termos de justiça na avaliação.
E só desejo a todos que estejam no curso muita sorte!

Offline VitorMartins

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 23
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #12 em: Setembro 26, 2009, 23:47:05 »
Citação de: Jconeves

Colega, antes de mais falar no seu pragmatismo e apreciar o facto de na sua formação tudo ter corrido tão bem! É de louvar..

Devo dizer que estudei na 2ª Escola de Enfermagem mais procurada do pais http://www.uatlantica.pt/images/a-unive ... s/top5.jpg , a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra!

Confesso que tem excelentes condições para o ensino, primeira escola sup. d enf da Europa a ser avaliada com BOM por um organismo internacional... Com racios de Docentes que cada vez mais se aproximam do topo, em que estão quase a atingir um professor DR por cada 60 alunos!!!

Porém há problemas...e acredito que devem ser poucas as escolas que não os têm!

E pegando no exemplo que deu e que registo como sendo bem difícil de encontrar....só lhe vou dar um simples exempllo...

na minha escola, nos ensinos de cuidados primários, desenvolvemos Estudos a uma família! Chamamos o processo de família!!

Documento que eu e muitos colegas desenvolvemos durante semanas, atingindo 60, 70 e alguns 80 páginas, de grande qualidade para um doc.académico, preenchendo os requisitos da escola e no final dá uma nota de 17 valores...
Pois pasme-se, caro colega, quando eu sei de colegas que fazem o mesmo trabalho em 8 páginas, francamente pobre, com alguns gráficos a lápis...em que tem a mesma nota ou até mais!!!

Falamos aqui de quÊ!?!?! não lhe parece ser o exemplo mais básico de falta de critérios homogéneos e uniformes!?

Cumprimentos colegas...


Essa crítica deve ser dirigida ao professor e ao director da escola. Fals-se de um caso em concreto, ao qual não me encontro por dentro.

Uma vez, uma professora minha disse que é "infiel" com os alunos, isto é, um semestre pode dar 16 valores, mas se pensam que por terem tido boas notas com ela no passado e por manterem uma boa relação de cordialidade, se as alunas não se esforçarem de novo, podem ter uma surpresa.

Na minha escola, não são aceites trabalhos a lápiz, salvo raras excepções e só se a professora aprovar previamente.

Aconselho-o a ler um documento de orientação para a elaboração de trabalhos, que a minha escola segue à risca. Quem não segue, é penalizado, como é óbvio.

http://www.megaupload.com/?d=9T3L63UW


Tenho ouvido colegas minhass, de anos mais avançados, que se queixam de o enfermeiro-tutor dar um 16 a uma aluna e a mesma aluna fazer uma reflexão crítica e receber 8 valores, no final, ficou com 14, porque, alegadamente, o professor não vai com a cara dela.
A Nurse World Wide

Offline Jconeves

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 386
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #13 em: Setembro 27, 2009, 17:20:51 »
Citação de: vitor.m
Tenho ouvido colegas minhass, de anos mais avançados, que se queixam de o enfermeiro-tutor dar um 16 a uma aluna e a mesma aluna fazer uma reflexão crítica e receber 8 valores, no final, ficou com 14, porque, alegadamente, o professor não vai com a cara dela.

Lá está colega... Então e acha que são apenas os enfermeiros-tutores!?pensa que também alguns (repito, alguns) professores também não o fazem!?bom, parece-me claro que situações dessas são muito comuns colega...

cumprimentos

Offline sailor

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 35
    • Ver Perfil
Re: Qual o estado do Ensino da Enfermagem em Portugal???
« Responder #14 em: Outubro 07, 2009, 13:01:15 »
Olá..

Este ano conclui o CLE numa faculdade privada.
No inicio de alguns Ensinos Clínicos diziam-nos que tinhamos que trabalhar muito, pois geralmente os alunos das escolas privadas são "mais fraquinhos". Tanto eu como o meu grupo de Ensino Clínico  não gostavamos de ouvir isto. Sem conhecerem o nosso trabalho e as nossas capacidades, julgavam-nos, mas isso ainda nos deu mais força para mostrar que também há bons alunos no ensino privado. No final desses Ensinos Clínicos, os enfermeiros que inicialmente acharam que eramos "fraquinhos", vieram dar-nos os parabens pelo nosso trabalho, pois tinha superado as suas espectativas. Realmente a minha escola apresentava muitas lacunas, no entanto como em todas as escolas tinha colegas muito bons alunos (pela sua postura, interesse, conhecimento, aplicação desse conhecimento à prática...)e outros não muito bons!
Apesar de ser suspeita por ter frequentado uma escola privada, penso que ser-se bom ou mau depende muito de quem ensina mas também de quem é ensinado. 
Em relação ao rigor na avaliação nos ensinos clínicos, concordo com a opinião da colega Beatrizabarros quando diz que os professores não se encontram actualizados com o que é feito na prática.
A escola impunha um limite na escala de classificação (que era de 0 a 16). somente no ultimo ano a escala passou de 0 a 19. Os orientadores de ensino clinico muitas vezes queriam dar um 17 a um aluno, mas os tutores não o permitiam, uma vez que havia um limite na escala. Ora, se o melhor aluno do grupo, merecia um 17 tinha 16, os restantes alunos desse grupo iriam ter notas mais baixas, para que o aluno que merecia 17 se pudesse destacar.
O criterio de avaliação também dependia muito dos serviços onde calhavamos. No inicio do meu terceiro ano estive num serviço de cirurgia bastante complicado, onde evolui e aprendi muito. Lembro-me de ter colegas que estavam noutros locais que, por aquilo que contavam, não trabalhavam tanto quanto nós e tiveram notas superiores. Agora fico satisfeita por ter tido a oportunidade de ter estado num local que me permitiu ter inumeras experiências, no entanto, na altura fiquei  triste por saber o quanto tinha evoluido e esse trabalho não ter sido levado em consideração.
Assisti também a alguns colegas a reprovar em ensino clínico porque a tutora não gostava deles, da forma como arranjavam o cabelo, ou porque os confrontavam e não diziam sim a tudo. Um desses alunos era um dos melhores do curso... Não havia uma preocupação em observar a evolução dos alunos ao longo do curso, sendo que cada ensino clínico era como se fosse isolado, como se começassemos do zero!

desculpem o desabafo... é que estas situações irritavam-me bastante...

cumprimentos