Autor Tópico: Programa Nacional de Vacinação - 2006  (Lida 3156 vezes)

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Programa Nacional de Vacinação - 2006
« em: Janeiro 18, 2006, 15:38:35 »
O novo esquema do Programa Nacional de Vacinação - PNV 2006, que foi aprovado pelo Despacho Ministerial nº 4570/2005 de 9 de Dezembro de 2004, publicado no Diário da República nº 43 - II série, de 2 de Março de 2005, entra em vigor  no dia 1 de Janeiro de 2006.

As principais alterações ao PNV de 2000 são:

- Substituição da vacina viva atenuada e oral contra a poliomielite (VAP) por uma vacina  inactivada e injectável (VIP);

- Substituição da vacina contra a tosse convulsa do tipo Pw (pertussis "whole cell" ou de célula completa ) por uma vacina pertussis acelular (Pa);

- Introdução de uma vacina combinada pentavalente contra a difteria, o tétano, a tosse convulsa, a doença invasiva por Haemophilus influenzae do serotipo b e a poliomielite (DTPaHibVIP);

- Introdução de vacinas combinadas tetravalentes contendo a Pa: vacina contra a difteria, o tétano, a tosse convulsa e a doença invasiva por Haemophilus influenzae do serotipo b (DTPaHib)  e vacina contra a difteria, o tétano, a tosse convulsa e a poliomielite (DTPaVIP);

- Introdução da vacina conjugada contra a doença invasiva por Neisseria meningitidis do serogrupo C (MenC).

Mais informações em:

http://www.dgsaude.pt/upload/membro.id/ ... 007442.pdf

Abraço,

Offline Shirley Afonso

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 241
    • Ver Perfil
    • http://spaces.msn.com/shafonso/
FALANDO DO BRASIL
« Responder #1 em: Janeiro 26, 2006, 14:46:34 »
Nuno!!!

É interessante o programa de vacinação que você divulgou e gostaria de expor as condições no Brasil também.
Como todos vocês sabem somos de um país sub-desenvolvido emergente, e existem vários programas sendo desenvolvidos para combater a mortalidade infantil principalmente no norte e nordeste do país; então eu estava lendo o site do governo da saúde e queria também contribuir, mostrando-lhe uma citação do que eles estão tentando fazer aqui no Brasil para combater com a mortalidade infantil.

Espero que goste!


Citar
O número de casos de desidratação, principalmente infantil, aumenta durante o verão, e os mais graves costumam ser registrados nas regiões Norte e Nordeste. Para reduzir os casos e evitar as mortes por desidratação no país, o Ministério da Saúde tomou duas providências: a partir de março, vai incluir no calendário do Programa Nacional de Imunizações (PNI) a vacina contra o rotavírus, um dos principais agentes causadores da diarréia, e incentivará o uso do soro oral, importante na prevenção da desidratação porque contém os sais minerais que a criança perde por  causa da diarréia.

O rotavírus é responsável por cerca de 30% das diarréias graves em crianças de até cinco anos. Com a vacina, estima-se que ocorra uma redução de até 42% das internações hospitalares por diarréia. A vacina estará à disposição da população nos postos de saúde da rede pública e, como será oferecida rotineiramente, não há a necessidade de uma campanha de mobilização.

A inclusão da vacina no calendário do PNI resulta da negociação entre o Ministério da Saúde e o laboratório GlaxoSmithKlein, encerrada em 2005. A pasta já providenciou a compra de 8 milhões de doses, a um custo unitário de US$ 7.
Com relação ao soro oral, o ministério vai divulgar sua importância na prevenção da desidratação por meio de um trabalho de conscientização junto à população e aos profissionais de saúde. As informações serão veiculadas pelo Canal Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Crianças- A diarréia é considerada uma doença grave para as crianças menores de cinco anos, porque elas ficam rapidamente desidratadas e podem morrer se não forem tratadas a tempo. O mal acontece com mais freqüência quando o saneamento básico é precário e quando as pessoas não têm condições para lavar bem os alimentos e as mãos antes de prepará-los. Em 2005, mais de 28 mil crianças de zero a cinco anos foram internadas no Sistema Único de Saúde (SUS) por desidratação causada pela diarréia.

Crianças com diarréia perdem muita água e sais minerais do corpo, ficando com a pele seca e com pouca saliva. O tratamento mais indicado é a reidratação por meio do aumento da ingestão de água, chás e sucos. Já o soro oral tem papel fundamental na prevenção da desidratação.

Na década de 90, muitas pessoas passaram a usar o soro oral, o que contribuiu para uma redução cada vez maior no número de internações por desidratação. Neste ano, o Ministério da Saúde irá incentivar o uso do soro oral através da conscientização de profissionais de saúde e da população por meio de teleconferências no Canal Saúde (Fiocruz). O soro é distribuído gratuitamente nos postos de saúde, explica a coordenadora da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Ana Cecília Sucupira, acrescentando que, mesmo com diarréia, não deve haver mudanças na dieta alimentar da criança.

A criança que recebe o leite materno tem 20 vezes menos chances de ter diarréia que a alimentada com mamadeira. Essa é mais uma prova da importância do aleitamento materno exclusivo até pelo menos seis meses de idade. A partir daí, a criança já pode consumir outros alimentos além do leite, conclui a coordenadora.

Agência Saúde
Mais informações
Assessoria de Imprensa do Ministério da Saúde
Tel.: (61) 3315-2351/3315-2005
Fax: (61) 3225-7338
Plantão: (61) 9962-3752
E-mail: www.saude.gov.br

FONTE: http://portal.saude.gov.br/saude/visual ... dtxt=23531
quot;Todo o bem que pudermos fazer, toda a ternura que pudermos dar a um ser humano, que o façamos agora, neste momento, porque não passaremos duas vezes pelo mesmo caminho."