Autor Tópico: Na mesma seringa...  (Lida 21399 vezes)

Offline enfarfr

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2758
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #30 em: Fevereiro 28, 2009, 16:45:54 »
Eu misturo na mesma seringa diclofenac e tiocolquicosido...

Nas bulas não refere incompatibilidade... E normalmente o tratamento com estes fármacos prolonga-se por 6 dias... É bem diferente realizar 6 injecções do que 12... Há pessoas que continuam o tratamento... Se for a dar separado são 24... Torna-se muito desconfortável...

Misturo também em SF 0,9% o tramadol e a metoclopramida...

Onde trabalho não costumo misturar outro tipo de fármacos...

A técnica em Z consiste no deslocar da pele para um lado antes da injecção, depois picar, administrar e retirar a agulha, voltando a pele à posição inicial, evitando o refluxo do fármaco.

A técnica do desvio é o que já foi aqui referida... Pessoalmente não uso... Tal como não espeto primeiro a agulha e depois conecto a seringa com a medicação... Há maior risco de infecção e é mais doloroso... Mas depende de cada um...

Offline Squall_enf

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 35
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #31 em: Fevereiro 28, 2009, 20:01:24 »
Citação de: Pinguina
No caso de hipersensibilidade nao se sabe qual foi o farmaco desencadeante se for administrado na mm seringa mas tambem nao se sabe qual foi com tecnica do desvio, ja que foram administrados um a seguir ao outro, né?... LOLLL
Pensem um bocado... isso nao é justificação...

@Pinguina

Enalteço o seu contributo para a questão e convido-a a encontrar onde aqui foi referido a administração concomitante de dois fármacos diferentes, no mesmo músculo, com a técnica de desvio.

A técnica de desvio deve ser utilizada quando administramos um só fármaco que, quando reconstituído, ultrapassa a capacidade máxima do local, no caso do gluteo médio, 5 ml em cada local especifíco. Ou ainda, quando temos dúvidas se houve atingimento de vaso. Fármacos diferentes deveriam ser administrados em locais diferentes. No entanto, concordo com o que o @enfarf postou acerca das incompatibilidades do caso especifíco do diclofenac e relmus e, ainda acerca do número de injecções. 

Offline artur_gaio

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 298
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #32 em: Fevereiro 28, 2009, 20:31:35 »
ninguém responde a uma questão interessante: analgésicos mais antibióticos...
Sinceramente, nunca tinha sequer pensado nisso e não vejo interesse...
Se temos um acesso venoso, para darmos 100 cc de soro com um analgésico, a seguir administramos o antibiótico...
Não me parece que seja grande ideia juntar antibiótico com analgésico. Embora não conheça directamente as interacções, alguns antibióticos são sensíveis...
Além disso, precavemo-nos de saber possíveis hipersensibilidades: administramos uma penicilina juntamente com um nolotil, e agora a culpa é da penicilina ou do nolotil?
Não me parece uma prática muito correcta, ams se calhar está a falhar-me alguma coisa...

Offline enf.esp.

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 126
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #33 em: Fevereiro 28, 2009, 22:44:55 »
Pois... Pergunta interessante e realmente ninguem me respondia     :(

Nao me estava a referir ao caso concreto da Penicilina... mas por exemplo amoxicilina + nolotil em 100cc de S.F.?

Tem a vantagem que de uma vez só pomos a perfundir os 2 farmacos sem ter de posteriormente ir outra vez conectar o que nos falta.

Claro que tem as desvantagens que ja foram referidas...

Offline taina

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 274
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #34 em: Fevereiro 28, 2009, 23:20:38 »
no meu local de trabalho misturamos amoxacilina com nolotil em 100 cc SF. Tb misturamos cefazolina com nolotil.


cumps

Offline enf.esp.

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 126
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #35 em: Março 01, 2009, 10:39:41 »
Eu propus essa questao pq onde eu trabalho tb misturamos... A cefazolina tb...

Alias praticamente todos os antibioticos usados no serviço misturamos com analgesicos ou com protectores gastricos, a digoxina tb misturo... Por exemplo um antibiotico q nunca misturo é a vancomicina...

As vezes levo um tabuleiro com 15 frascos de SF con antibioticos, agora se fosse a por os analgesicos e proctetores em separado imaginem quantos levaria...

Saludos.

Offline Enf. AS

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 124
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #36 em: Março 01, 2009, 10:48:18 »
Durante o último estágio que fiz tb misturei na mesma seringa voltaren e relmus várias vezes. Muitas vezes na própria prescrição médica vinha a indicação "misturar na mesma seringa"!

Offline rutematos

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1004
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #37 em: Março 01, 2009, 12:21:09 »
Citação de: Enf. AS
Durante o último estágio que fiz tb misturei na mesma seringa voltaren e relmus várias vezes. Muitas vezes na própria prescrição médica vinha a indicação "misturar na mesma seringa"!

Eu também costumo misturar o diclofenac e tiocolquicosido. Mas também já me aconteceu receber deste tipo de prescrições em que é o próprio médico que dá a indicação de misturar (para potenciar o efeito).

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #38 em: Março 25, 2009, 06:58:39 »
Então e só administram as duas dorgas em conjunto quando o Sr. Dr. assim o determina?!?!? ::)

Offline Zeus-electro

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 264
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #39 em: Março 26, 2009, 16:13:43 »
A mistura de várias drogas, quer em Y quer em seringa está por norma desconselhada, o que não significa que não se possa fazer. Muitas vezes, apesar de duas ou mais drogas serem compatíveis em seringa ou em Y, existe ainda outro factor a considerar, ie, se uma não potencia ou inibe a outra!

Não sou contra a mistura de drogas, muito menos ainda quando o volume administrado é um problema e tem de ser restringido ao máximo. Para isso existem tabelas de compatibilidade de fármacos quer em Y quer em seringa que indicam quais os fármacos que são compatíveis ou não, de qualquer forma não dispensa a consulta do manual de farmacologia, nomeadamente no que concerne a farmacocinética e interacções medicamentosas, em particular os receptores onde actuam os fármacos. As bulas por si só não constituem fonte suficiente, pois em geral desaconselham desde logo a mistura de fármacos, por questões de segurança. Habitualmente as farmácias hospitalares estão dotadas de bases de dados com informação adicional que podem ser uma boa ajuda.

Offline DesperatedNurse

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 303
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #40 em: Março 29, 2009, 15:12:37 »
Citação de: Herodes
Então e só administram as duas dorgas em conjunto quando o Sr. Dr. assim o determina?!?!? ::)

Que eu saiba ninguém afirmou isso, se calhar era melhor ler o post outra vez com mais atenção.

Offline artur_gaio

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 298
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #41 em: Março 31, 2009, 13:14:04 »
pegando na questao do antibiótico com o analgésico, seja peniicilina, ou outro qualquer, não me parece muito bem na mesma, pelos motivos já referidos...
quanto ao facto de levar mais uns frascos de soro, paciencia, dá um bocado mais de trabalho, mas é mesmo assim...

Offline RaquelSofia7

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 254
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #42 em: Março 07, 2013, 01:28:49 »
Olá Colegas.Relativamente a essa questão das duas insulinas na mesma seringa... gostava de ter uma fonte bibliográfica que justificasse isso. Alguém tem?

Offline Call 911

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 190
    • Ver Perfil
Re: Na mesma seringa...
« Responder #43 em: Abril 17, 2013, 11:34:56 »
Das vezes que administrei relmus + voltaren fazia o seguinte. Uma seringa para relmus, outra para voltaren. Administrava primeiro o relmus, pela sua espessura. De seguida fazia a chamada "derivação": exteriorizava um pouco a agulha e introduzia-a noutra direcção. Desconectava a seringa do relmus e adaptava na mesma agulha a seringa com o voltaren. Desta forma só se punciona uma vez a pessoa e os locais de administração do relmus e voltaren são diferentes.