Autor Tópico: Penso com álcool  (Lida 13742 vezes)

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #15 em: Janeiro 18, 2009, 17:08:50 »
Citação de: Pica Pau
Colega, procurei informações tal como me aconselhou e não encontrei qualquer inconveniente em usar ulcerase, alginato de calcio e uma espuma poliuretano em conjunto...a ulcerase actua em meio húmido e quente pelo que se recomenda o seu uso em feridas exsudativas e o hidogel em feridas mais secas, o alginato de calcio é um penso muito absorvente  e pode ser usado como penso primário e pode ser potenciado pelo uso de uma espuma de poliuretano que tem também capacidade absorvente, como penso secundário, isto numa ferida que seja muito exsudativa...pelos conhecimentos que me foram transmitidos durante o curso a ulcerase não deve ser usada com pensos compostos por prata ou sulfadiazina de prata, pelo que li no folheto isso pode ser feito (ou entao a um erro de escrita no folheto) pelo que fiquei um pouco confusa nesse aspecto mas continuo a confiar no que a minha formadora me transmitiu e falamos várias vezes desta junção que referi sem qualquer problema...
Agora tenho consciência que estamos sempre a aprender e se o colega me conseguir elucidar sobre o que não estou a conseguir alcançar agradeço ;D

Estimado colega é verdade que devemos sempre procurar e actualizar os nossos conhecimentos, por esse motivo e segundo normas de procedimentos feitos pelo GAIF a junção de Ulcerase com um alginato de cálcio ou inclusive com ums carboximetilcelulose simples ou com prata é errada na medida em que as suas propriedades absorventes acabam por inactivar a Ulcerase.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #16 em: Janeiro 18, 2009, 17:10:56 »
Citação de: SandroMelo
Citação de: Boss_Nunes
Pura e simplesmente asneira.
O alcool desidrata em excesso a pele, mesmo sem ter finalidade curativas é um atentado fazer tal tratamento.
Eu recusar-me-ia a fazê-lo.
Existem centenas de produtos com indicações para tratamento de necrose, é so escolher um.

Até pelo seu nome de código percebe-se que é um enfermeiro com imensa sapiência e humildade.
Ainda que as suas afirmações fossem totalmente correctas, a forma como se dirige aos colegas certamente não o é!
Estimado colega, é por estarmos constantemente a cometer erros que a nossa classe não evolui, se o discurso o afectou, paciencia, nem todos pensam assim.
A minha qualidade como enfermeiro não é para aqui chamada, assim como a sua.
Estamos num espaço de discussão e é graças a ela que evoluimos.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #17 em: Janeiro 18, 2009, 18:43:30 »
Caro Boss

A questão é que as discussões podem manter um nível de cordialidade bem mais elevado.
Essa seria também uma forma de dignificar a profissão.
Além de que em termos pedagógicos iniciar um discurso com o termo "asneira" não é certamente o melhor.
Se há alguém que preza a discussão e até gosta de ser contrariado sou eu. Não ponho minimanente em causa a parte dos conhecimentos, pois, neste momento, nem estou numa prestação de cuidados que exija manter actualização sobre tratamento de feridas. Mas continuo a não concordar com a forma.
De qualquer maneira, também respondi a quente pelo que peço desde já desculpa.

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #18 em: Janeiro 18, 2009, 18:53:29 »
OK
Fim de discussão.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline Miss Nurse

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1183
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #19 em: Janeiro 18, 2009, 20:24:33 »
Obrigada colega, a questão da prata já estava ao corrente mas realmente não sabia que não se recomendava o uso simultâneo com alginato mas também não podemos saber tudo...de qualquer forma agradeço a chamada de atenção...

Offline projenf

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 87
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #20 em: Janeiro 18, 2009, 21:27:18 »
faço minhas as palavras do/a colega pica pau....realmente não me encontrava a par desta informação.

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #21 em: Janeiro 18, 2009, 23:35:48 »
Estarei sempre disponível para ajudar e para ser ajudado.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline x0321267

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 24
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #22 em: Janeiro 19, 2009, 17:05:33 »
Pensos com alcool ou soluto de dakwin ??
Qual a fundamentação cientifica para aplicar tais produtos?
Só porque um sr Dr faz uma prescrição ela tem que ser cumprida mesmo sendo uma grande asneira?
Onde é que está o vosso sentido critico ?
Será que não têm competencia para distinguir o empirico do cientifico?
No meu local de trabalho não se cumpre nenhuma prescrição com soluto de dakwin.
A do alcool vai passar também a estar na lista. ( e eu que pensava que o alcool se utilizava para assar chouriças. Andamos sempre a aprender...)

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #23 em: Janeiro 20, 2009, 10:13:09 »
Enfim alguem com o mesmo raciocíno que eu.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline enfarfr

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2758
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #24 em: Janeiro 20, 2009, 11:01:01 »
Citação de: enfsergio
Deparei-me com a seguinte situação:

No lar recebi uma idosa com necrose de um dedo de um pé e indicação na carta de enfermagem para realizar penso diário com álcool.

Foi a primeira vez que me deparei com uma indicação destas.

Alguém tem experiência em executar pensos desta forma?

@ Boss_Nunes e @ x0321267

Então respondam ao enfsergio, que na minha opinião, bem, colocou aqui esta questão...

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #25 em: Janeiro 20, 2009, 12:31:22 »
[[/quote]

@ Boss_Nunes e @ x0321267

Então respondam ao enfsergio, que na minha opinião, bem, colocou aqui esta questão...
[/quote]

Já foi aqui respondido.
Está contra indicado.
Perante situação de necrose é necessário avaliar sinais infecciosos e perante a avaliação seleccionar tratamento.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #26 em: Janeiro 20, 2009, 12:44:58 »
A indicação vinha na carta de enfermagem.

A doente não tem condições para amputação.

Necrose completa do primeiro dedo de um dos pés. Não apresenta exsudato. Indicação para penso diário com álcool.

Offline enfarfr

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2758
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #27 em: Janeiro 20, 2009, 12:52:53 »
@ Boss_Nunes

Está contra-indicado porque?

Offline Miss Nurse

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1183
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #28 em: Janeiro 20, 2009, 14:13:45 »
Eu penso que está contraindicado por tudo o que aqui já foi referido...seca a pele circundante, atrasa o processo de cicatrização...nesse caso se calhar a melhor solução é mesmo o hidrogel e/ou hidrofibras que também se transformam num gel proporcionando humidade ao leito da ferida...Se não há indicação para amputação, havendo necrose o objectivo é desbridar, e sendo uma ferida sem exsudado precisa de apósitos que forneçam humidade para poder ocorrer desbridamento autolítico...
O soluto de Dakwin realmente é uma maravilha para fazer o desbridamento mas tal como já foi referido, é altamente tóxico para as células em regeneração pelo que prejudica o processo de cicatrização...aliás qualquer antiséptico/antimicrobioano usado nestas condições prejudica a cicatrização, seja alcool, iodopovidona, peróxido de hidrogénio, hipoclorito de sódio...o único que parece não prejudicar é a clorhexidina mas também não tem qualquer vantagem cientificamente comprovada...

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Penso com álcool
« Responder #29 em: Janeiro 20, 2009, 16:30:34 »
Faço minhas as palavras do colega anterior.
Neste caso não existindo exsudado a hidrofibra não teria grande actuação pois não existe meio para a sua actuação.
Um tratamento possivel seria sempre um hidrogel com hidrocoloide, ou, segundo ultimas indicações do GAIF, ulcerase e hidrogel. Apesar de ainda não estar completamente convencido.
O meu aplauso para o Colega Pica Pau que demonstra um conhecimento profundo da área.
Precisamos de mais colegas assim.
Hugo Santos
AKA bossnunes