Autor Tópico: Infecção  (Lida 12304 vezes)

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #15 em: Maio 14, 2007, 21:05:39 »
Amigo, hidrofibra com prata, Enquanto a ferida esiver infectada, com cheiro fétido e exsudado moderado não há melhor tratamento
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline paulo_ramos

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 100
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #16 em: Maio 14, 2007, 22:43:49 »
Sem duvida que a utilização de um penso com prata está indicado, nesta situação, (hidrofibra com prata, alginato com prata ou nanocristalino  de prata), podes experimentar associar a maltodextrina, apesar de não possuir propriadades bactericidas é bacteriostática e estimula a granulação por activação de factores quimiotáxicos no leito da ferida.

Um abraço :D

Offline Parreira

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 211
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #17 em: Maio 15, 2007, 00:21:02 »
Citação de: "clara l"
parreira,
tenho uma doente que apresenta uma ferida com tecido de granuação,mas com exsudado purulento e odor fétido.
os pensos têm sido realizados com hidrogel e actisorb silver,
mas akilo não ata nem desata....
tens mais alguma sugestão?
obrigado

Clara, se o tecido da ferida é predominantemente de granulação não recomendo o uso de hidrogel (este só deve ser usado para feridas com pouco ou nenhum exsudado para promover um ambiente húmido e assim poder haver desbridamento autolitico e em casos de ferida com tecido de necrose seca), se o exsudado é purulento e de odor fétido (sinais de provável infecção) continua a usar o actisorb silver e um penso secundário de compressas para absorver o exsudado.

Offline Parreira

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 211
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #18 em: Maio 15, 2007, 00:27:38 »
Citação de: "clara l"
parreira,
tenho uma doente que apresenta uma ferida com tecido de granuação,mas com exsudado purulento e odor fétido.
os pensos têm sido realizados com hidrogel e actisorb silver,
mas akilo não ata nem desata....
tens mais alguma sugestão?
obrigado

Clara, depois de lavares a ferida com S.F. faz uma colheita tipo zaragatoa dos bordos e interior da ferida e manda para análise, pode ser que se identifique o microbio e que seja necessário um cobertura antibiotica sistémica.

Offline hotvitor

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 135
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #19 em: Maio 15, 2007, 10:39:44 »
Coloca aquacell prata, e uma placa de carvão activado do mais baratinho do mercado, só para atenuar o cheiro. E lava bem com SF, não faças festinhas (claro que deves minimizar a dor do utente e respeitar os seus timings, durante o procedimento).
Abraço a todos

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Infecção
« Responder #20 em: Maio 15, 2007, 10:42:53 »
As ultimas linhas orientadoras referem que devem ser utilizados 250 ml de sf em forma de irrigação para efectuar a lavagem da ferida.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Infecção
« Responder #21 em: Junho 30, 2007, 19:55:23 »
Olá a todos, 

Essas linhas orientadoras são giras...

250 ml de SF para lavar uma ferida... Que ferida?

Claro que tem de haver linhas orientadoras, protocolos, coisas que evitem que os enfermeiros adquiram especialização em determinadas áreas e olhem com os seus olhos e estabeleçam as suas próprias guidelines...

Desculpem o desabafo, mas às vezes é demais...

Abraço.

Offline Nandita

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: suturas
« Responder #22 em: Abril 09, 2008, 20:15:05 »
gostaria de saber se alguem tem algo sobre suturas....??'preciso com alguma urgencia....obrigado
Nandita:)

Offline npires

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 218
    • Ver Perfil
Re: Infecção
« Responder #23 em: Abril 09, 2008, 23:23:39 »
Citação de: FysGa

Para concluir a utilização de iodopovidona (Betadine dérmico) está contraindicada por várias razões e que já são do conhecimento de todos. Preferencialmente deve ser usada a dita "gase iodoformada".

Esta é a minha curta experiencia em termos de tratamento de feridas infectadas, mais havia para dizer mas penso que cada um tem a sua palavra e abordagens diferentes.

Quase que estava de acordo...Não posso concordar com a dita "gase iodoformada", essa gase está totalmente contra-indicada em qualquer tipo de tratamento e há estudos que demonstram que a elevada quantidade de iodo não trazia nenhum beneficio...muito pelo contrário....

Apenas coloco uma deixa e se quiserem ponto de discussão...Numa formação ministrada pela Associação Portuguesa do Tratamento de Feridas elucidaram para a importância de uma lavagem com água (temp corporal) e sabão neutro e depois uma limpeza com NaCl 0.9% ...É uma prática habitual no tratamento de feridas que realizo e tenho obtido bons resultados por isso aconselho vivamente.... Comentem e deixem a vossa opinião...

Offline Boss_Nunes

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 141
    • Ver Perfil
Re: Infecção
« Responder #24 em: Abril 10, 2008, 11:36:17 »
Citação de: mariarebelo1
Olá a todos, 

Essas linhas orientadoras são giras...

250 ml de SF para lavar uma ferida... Que ferida?

Claro que tem de haver linhas orientadoras, protocolos, coisas que evitem que os enfermeiros adquiram especialização em determinadas áreas e olhem com os seus olhos e estabeleçam as suas próprias guidelines...

Desculpem o desabafo, mas às vezes é demais...

Abraço.

Não compreendo a sua posição.
Hugo Santos
AKA bossnunes

Offline xenio

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 12
    • Ver Perfil
Re: Infecção
« Responder #25 em: Abril 14, 2008, 20:51:50 »
Olá a todos!

Primeiro, quando deparamo-nos com uma ferida com sinais clássicos de inflamação (Rubor, calor, dor, tumefacção) temos que tentar perceber
em que fase do processo de cicatrização a ferida se encontra, uma vez que na fase inflamatória é perfeitamente normal que a ferida apresente tais caracteristicas. (Não esquecer que as feridas crónicas apresentam fases inflamatórias muito mais prolongadas e recorrentes). Nesta fase, podemos optar pro um penso absorvente não necessitanto de conter prata ou iodo.
Contudo, uma vez que a ferida apresenta-se muito exsudativa, dolorosa e com cheiro fétido, ou simplesmente não evolui, devemos desconfiar de infecção. Nestes casos, torna-se fundamental e de acordo com as guidelines do controlo de infecção, tentar isolar o microrganismo responsável  antes de iniciarmos uma antibioterapia, mesmo que receitada por um médico. Existem várias técnicas de colheita sendo que zaragatoa quando bem aplicada é um método eficaz e simples, havendo várias formas de realizar a técnica. Após a análise laboratorial ter identificado o patogénio, é só comunicar ao médico para este receitar um antibiotico indicado.
Quando aplicamos antibioticos sem saber qual o patogénio responsável pela infecção, estamos a criar desiquilibrios na flora microbiana existente no leito da ferida, destruindo muitas vezes a maioria dos microrganismos existentes e não o verdadeiro responsável pela infecção, restando mais espaço e alimento para que este se desenvolva e multiplique (porque era resistente ao antibiotico).
De acordo com a bibliografia recente, os antibioticos topicos são potencialmente perigosos por serem toxicos e porque nem sempre são absorvidos pela ferida, além de que, há um risco considerável de sensibilização do doente bem como do desenvolvimento de midrorganismos resistentes (de acordo com o mesmo principio que expus no paragrafo anterior).
No entanto, quando desconfiamos de infecção devemos aplicar um penso à base de prata ou de cadexómeros de iodo, por serem antibacterianos de largo espectro e complementar com o antibiotico sistémico indicado.
De acordo com alguns estudos, o betadine é pouco efectivo no controlo bacteriano, pois para iniciar a sua acção antibacteriana tinha que estar tanto tempo em contacto com o leito da ferida que se tornaria tóxico para os tecidos. Outro estudo publicado recentemente não encontrou diferenças significativas na remoção de microrganismos de uma ferida, quando lavada com SF e outra desinfectada com betadine.
O Inadine é um penso eficaz, mas perde toda a sua eficácia em feridas muito exsudativas, pois o exsudado degrada todo os iodoforos presentes na gaze rapidamente.
O Cadexómero de iodo é um penso recente, constituido por esferas contendo iodo e que, quando em contacto com o exsudado, libertam o iodo e absorvem o exsudado, evitando que este degrade o iodo, mostrando-se aparentemente mais eficaz.

Bem Haja....
Xénio