Autor Tópico: Apoio Domiciliário Ideal  (Lida 28026 vezes)

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #15 em: Maio 15, 2008, 19:10:47 »
Não há mais ideias para a constituição de um apoio domiciliário ideal??

Offline kisstack

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 5
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #16 em: Maio 28, 2008, 16:39:35 »
Boa tarde a todos.
Bem que dizer, ao contrário da maioria de vocês eu ainda sou aluna, ainda não tive a sorte de ser incluida nesse maravilhoso mundo, que é ser enfermeiro:)
Normalmente não costumo andar muito pelos foruns atenta às discussões que se instalam, mas quando pesquisava sobre cuidados domiciliários, numa tentativa frustrada de encontrar alguma informação acerca do número de pessoas que anualmente no nosso país têm acesso a este tipo de cuidados, vim cá parar.
Pois é, infelizmente é que eu liguei para a direcçao geral da saúde para a ARS do Norte, e claro naturalmente ninguém tinha na sua base de dados informação acerca deste assunto, e pior não sabiam onde encontrar nem informar onde poderia eu encontrar.
A verdade é que continuamos a carecer no nosso país de informação importante acerca de uma variedade de assuntos, pouco transmitimos daquilo que somos e oferecemos. Não percebo como é que numa altura destas em que se preve uma reestruturaçao de cuidados de saude primarios, em que se desenvolve um projecto de cuidados continuados, informaçao como esta parece nao existir. Só se realmente ela existe, está muito bem escondida ou realmente eu nao percebo nada de motores de busca, e nesse caso peço desculpas a todos.
Mas...Enfim...pondo de parte as minhas frustrações.
Posso dizer que como aluna do 4 ano de enfermagem, tenho em maos um trabalho de investigaçao cujo tema é os cuidados de saude domiciliarios, num centro de saude de Portugal e num centro de saude da Finlandia.
Como aluna que teve em erasmus neste país, nomeadamente a nivel dos cuidados de saude primarios, posso dizer-vos que temos muito a aprender com eles...Nao digo em termos de enfermagem, porque a meu ver a nossa é melhor, mas a nivel dos cuidados de saude primarios, da sua organizaçao, dos seus projectos, do atendimento que e feito.
Acima de tudo, e apesar de tudo o que foi dito aqui (e confesso que nao li todos os topicos, e ate pode alguem ja ter abordado o assunto), acho que sim têm razao quando falam que se deve apostar na prevençao e na promoçao. Mas ha um aspecto tambem ele de igual forma importante, que sao os registos de enfermagem. E triste verificar que os registos sao incompletos, nao ha uso de uma linguagem cientifica adequada, a maior parte do trabalho que realizamos nao e registado. Vi muitas vezes enfermeiras a fazer encaminhamentos dos utentes para a assistente social, sem efectuar o registo no processo do utente, alias processo do utente o que e isso? A maior parte dos registos eram feitas em folhas de notas de enfermagem, sem uma correcta identificaçao do utente (so constava o nome). A fazerem educaçoes para a saude que nao eram registadas. Enfim, e depois queremos nos termos visibilidade? Quando nos proprios nao contribuimos para tal? Nos ultimos anos lutamos contra a imagem de subordinados dos médicos, e no entanto, parece que continuamos a agir como tal, restringimos a nossa acçao ao cuidado à ulcera de pressao, à algaliaçao, à entubaçao nasogastrica.
Temos tantas possibilidades de intervençao, e mais, ha tanto que fazemos e nao valorizamos. Só espero um dia nao ser apanhada pela corrente e de me lembrar das palavras que aqui deixo.

So acrescentar...que do que eu vi a nivel dos cuidados domiciliarios...bem...so vos digo que antes do utente ser admitido nestes cuidados a enfermeira visita o utente com  intuito de fazer uma avaliaçao nao so fisica do utente, dos seus problemas de saude, dos seus antecedentes de saude, mas as relaçoes familiares que se estaelecem, as condiçoes da casa, o ambiente social em se inserem. Sendo que todos os objectivos sao estabelecidos com o utente, e a partida sao estabelecidos os cuidados que o utente ira usufrui. Para nao falar que cada utente possui consigo, em casa, o seu processo, onde consta os dados do utente, a sua sitauaçao, a medicaçao habitual que faz, o plano de intervençao. Além disso a enfermeira tambem faz registos da visita que realiza, neste processo. Ou seja, o utente também é dedentor da informaçao que lhe diz respeito.
Enfim...vou voltar ao trabalho. Espero que com o meu comentario nao ter ferido ninguem, acreditando que ainda sou muito fresquinha nestas coisas e que tenho muito a aprender.
Obrigada e boa semana

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #17 em: Maio 28, 2008, 17:57:13 »
@kisstack

Gostei do que li e tens razão em muito do que dizes.

Esta á uma área que precisa de crescer...e os enfermeiros têm que ver que esta é uma área nossa...que podemos fazer muito...

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #18 em: Maio 28, 2008, 18:23:24 »
Porque não enviam estas propostas para a OE?

Este tema enquadra-se no contexto das UCC (Unidades de cuidados na comunidade) que está neste momento aberto a propostas.

É só consultar o site da OE: área reservada e podem consultar o documento/proposta da OE e a forma como podem enviar o contributo. Até 15 de Junho estão abertos a sugestões.

Offline kisstack

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 5
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #19 em: Maio 29, 2008, 11:58:22 »
Bem vou ver se encontro isso de que falas no site da ordem.
Acima de tudo enquanto nao deixarmos de lado o velho e já gasto modelo biomédico, as coisas nao vao andar para a frente.
Há quatro anos que ouço falar do modelo holistico no meu curso, e posso dizer-vos que quando vamos para as praticas nao vemos nada disto...E tudo porque? Porque e muito mais importante termos dado os banhos todos rapidamente...Porque o que nos pedem é sempre rapidez.. Nao interessa a qualidade dos cuidados prestados, mas sim se temos tudo pronto às horas devidas...porque no final é isso que vai contar para as estatisticas. Alias a necessidade de enfermeiros é feita apenas com base no numero de doentes a cuidar, e é tudo que interessa para as continhas do hospital...Vivemos numa sociedade regida pelo dinheiro, em que o interesse é poupar dinheiro no momento imediato, ja que parece nao ser importante obtermos os ganhos a longo prazo...enfim...
Este mundo às vezes cansa-me...

Offline ricapati

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 11
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #20 em: Maio 29, 2008, 12:53:27 »
Sem duvida que o apoio domiciliario é fundamental no que respeita a enfermagem. Mas temos de 1º reflectir muito bem e olhar para o nosso apoio domiciliario (se assim se pode chamar pk será mais uma passagem pelo domicilio) e encontrar soluções pk elas existem e têm de passar por criar equipas nao so de prestaçao de cuidados como de promoção e prevenção para que realmente se possa dizer que cuidamos e tratamos pois neste momento so tratamos e sabemos bem em q condições pois precisamos de prestar cada vez mais cuidados com qualidade e enfermeiros para isso nao faltam porque se continuamos assim cada vez mais existirão domicilios e com menor qualidade pk não ha tempo para prestar cuidados e fazer a promoçao e prevençao...estarei sempre disponivel para ajudar na criaçao de equipas com objectivos claros e com um unico objectivo ..a atingir a satisfação dos nossos doentes. Pk hoje somos enfermeiros mas amanha estamos nos do outro lado e há que reflectir como gostariamos de ser cuidados e tratados.

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #21 em: Maio 31, 2008, 15:06:05 »
@jej4ever:

Colega: se não tiveres médicos a ir a domicílio não podes ter cuidados continuados. Tens? Senão cuidados continuados é apenas um nome pomposo...
Cumprimentos do enfermeiredo
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #22 em: Junho 03, 2008, 18:20:38 »
A avaliação de um doente em apoio domiciliário deve ser feito pela equipa multidisciplinar, de forma a decidirem em conjunto com o doente e família, as vezes que cada elemento da equipa se desloca aquele domicílio.

Como já defendi anteriormente, a equipa deve ser constituida por enfermeiro, médico, assistente social, psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, auxiliar em geriatria. Deve-se avaliar as necessidades do doente e família, desenvolver um plano em conjunto, e depois cada um mais especifico na sua área. Se o médico tiver que lá ir uma vez por semana vai, se o enfermeiro tiver necessidade de ir duas ou três vezes por semana vai, e os outros técnicos iguais.

O apoio domiciliário não é só enfermeiro e auxiliar. É toda uma equipa que trabalha para o mesmo. E todos devem visitar o doente e respectiva família as vezes que forem necessárias de acordo com o plano estabeleciodo.

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #23 em: Junho 03, 2008, 21:41:24 »
Mais um pequeno contributo, se me permitem:
o apoio domiciliário deve procurar satisfazer o mais alargado leque de necessidades:
estimulação cognitiva: envolvencia de voluntários, familiares, vizinhos.
Um adequado programa de actividades de tempos livres não é importante, é essencial. É a diferença entre um armazem de velhos e um verdadeiro lar (ou uma casa neste caso)
Necessidades espirituais: realizar culto segundo as opções de cada um. Quantos de nós deviam perguntar se o utente quer a intervenção do rabi, padre, pastor ou outro orientador espiritual e não o fez?
Quem pode deve ser convidado a actividades de exterior, nem que seja em cadeira de rodas.

E por favor, tirem as ASSISTENTES SOCIAIS do primeiro papel deste filme, sff.
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #24 em: Junho 04, 2008, 11:37:38 »
Para tirar as assistentes sociais do protagonismo só mudando a lei, que obriga à sua presença como condição para abrires um apoio domociliário, mas já não é tão directiva quanto ao papel dos enfermeiros

Offline EunicePedro

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 4
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #25 em: Junho 04, 2008, 15:40:46 »
>:D olá sou assistente social e enfermeira. os colegas ao invés de criticarem (o país não se move com criticas destrutivas), poderiam participar e fomentar mais o trabalho em equipa multidisciplinar. e mais uma vez digo: e assim vai o país. todos temos um papel e algo a dizer. deixemo-nos de fundamentalismos. fala a experiência...

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #26 em: Junho 04, 2008, 15:50:37 »
Citação de: EunicePedro
>:D olá sou assistente social e enfermeira. os colegas ao invés de criticarem (o país não se move com criticas destrutivas), poderiam participar e fomentar mais o trabalho em equipa multidisciplinar. e mais uma vez digo: e assim vai o país. todos temos um papel e algo a dizer. deixemo-nos de fundamentalismos. fala a experiência...

A questão não está no papel dos assistentes sociais, mas sim no facto de a lei exigir a direcção técnica de um assistente social, que em minha opinião, não tem competências superiores a um enfermeiro para gerir um apoio domiciliário.

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #27 em: Junho 04, 2008, 15:52:44 »
Penso que não é uma questão de fundamentalismos...a questão está em ter que ser um assistente social a liderar uma equipa de apoio domiciliário.

Ou seja, se eu pretender ter uma equipa de apoio domiciliário, se eu pretender constituir uma empresa de apoio domiciliário, não posso pois tem que ser uma assistente social a estar à frente do processo.

Penso que é essa a questão.

Ninguém está a falar mal dos assistentes sociais, e penso que todos sabem da importância do assistente social numa equipa multidisciplinar.

Offline Lipa85

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1028
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #28 em: Junho 05, 2008, 00:10:14 »
Pneso que o apoio domiciliário é uma área na qual a enfermagem poderia fazer mt, desde tratamentos a ensinos e reabilitação. Infelizmente nunca vi essa área a ser verdadeiramente explorada...não por haver maus profissionais, mas por haver falta de condições para tal...

Nos CSP há apoio ou visitas domiciliárias, mas os profissionais são poucos e acabam por ir "a correr" a casa das pessoas fazer um penso ou administrar um injectável...para pouco mais dá.

Os privados têm é que ter lucro...por isso não sei se a qualidade será melhor ou pior e que funções poderá um enfermeiro realizar...

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: Apoio Domiciliário Ideal
« Responder #29 em: Junho 05, 2008, 13:56:58 »
Por isso defendo um apoio domiciliário em que "não se vá a correr" a casa das pessoas.

Por isso defendo um apoio domiciliário com uma equipa multidisciplinar...em que se façam visitas individuais ou em grupo...em que se esteja com o doente e com a família. Que se façam reuniões para debater os assuntos do doente, sem nunca esquecer a família. Que não seja só "fazer pensos" e "dar injecções". Que se faça muito mais que isso. Que se dê formação e acompanhamento aos cuidadores familiares.

Que o apoio domiciliário seja um verdadeiro apoio e não uma visita de "vê, toca e foge".