Autor Tópico: Hospital de Todos os Santos  (Lida 2272 vezes)

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Hospital de Todos os Santos
« em: Abril 16, 2008, 07:54:08 »
Este Hospital, ao estar concluído em 2012, que eu duvido, pois já oiço falar dele desde 2005 (seria pretensamente iniciado em 2006), terá uma capacidade de 800 camas e será fruto da fusão entre o Hospital São José, Capuchos, Santa Marta, Desterro e Estefânia, ficando situado na zona de Chelas. Estes 5 Hospitais em conjunto ultrapassam largamente as 1200 camas, ou seja o pessoal será dimensionado para uma lotação de menos 400 camas.

Que implicações terá a nível de despedimentos?

O que será feito dos edifícios dos antigos hospitais?

Quem ganha com isso?

Quem perde?

Que serviços comuns serão encerrados?

Dos serviços comuns, quem transitará para o novo Hospital?

Offline Caldas

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1323
    • Ver Perfil
    • http://ocantosocial.blogspot.com
Re: Hospital de Todos os Santos
« Responder #1 em: Abril 16, 2008, 10:55:51 »
O colega levantou algumas questões interessantes. Apenas umas achegas, não creio tratar-se de uma fusão, pois estes hospitais já se encontram agrupados no Centro Hospitalar de Lisboa Central (pelo menos boa parte deles).

Desconheço se a soma do número de camas destes hospitais será superior às cerca de 800 camas que este terá. Penso contudo que alguns serviços comuns irão ser agrupados de forma a tornar mais eficiente os cuidados.

Os edifícios dos antigos hospitais, alguns deles poderiam ser reaproveitados para a criação de unidades de retaguarda que poderiam utilizar o pessoal que possa estar excedentário. Claro que para isto é necessário que se apresentem projectos e que os próprios funcionários da instituição pensem e proponham este tipo de coisas.

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Hospital de Todos os Santos
« Responder #2 em: Abril 16, 2008, 18:42:11 »
@caldas

Falo em fusão no sentido de passarem a ficar situados no mesmo edifício. Como diz e bem, o CHLC já existe desde 2005, pelo menos enquanto EPE, fisicamente continuam a ser 5 edifícios espalhados no centro de Lisboa.  Para quem quiser saber a capacitação no total desses 5 hospitais é só ir ao final do Índice farmacêutico.

A reorganização dos serviços comuns tem vindo a ser feita gradualmente mas com muitas perdas de qualidade: Um exemplo é o laboratório de análises, a quase impossível comunicação com elemento da direcção, quer de enfermagem quer médica.
Quanto a outros serviços... comuns, como por exemplo serviços de Medicina, desconheço como está actualmente a situação e que projecto têm neste âmbito, recordo-me que estariam a diminuir gradualmente a capacidade dos serviços de Medicina, mas que estariam a ter problemas pois a procura não diminui  e a oferta sim, sem que tivessem criado alternativas a nível de Cuidados Continuados ou qualquer insttuição de retaguarda.

Quanto aos edifícios serem rentabilizados dessa forma que referiu. Oxalá que sim mas não sei se o sector de especulação imobiliária deixará as coisas assim. Já viu onde estão situados todos os 5 Hospitais? Centro de Lisboa, e os proveitos económicos imediatos para o Estado podem tentar um qualquer ministro das Finanças, como forma de equilibrar o défice...lol.

O que importa é que ainda teremos 4 ou mais anos para pensar nisto, mas se eu fosse algum dos colegas que exerce no CHL Centro EPE, pensaria já nisso

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Hospital de Todos os Santos
« Responder #3 em: Abril 29, 2008, 17:50:29 »
Deixem-me alargar um pouco as perspectivas: o Hospital de todos os Santos era o nome antigo do Hospital que mais tarde se veio a chamar de Hospital de S. José. Por volta de 1600, havia anexo o Colégio de Santo Antão (que ia quase até ao Coliseu de Lisboa), uma grande escola secundária que era fonte de ciência inovadora por todo o país e diversos continentes. Esse colégio veio a ser desactivado, como todas as escolas secundárias dos jesuitas, pelo mentecapto do Marquês de Pombal: Sebastião José de Carvalho e Mello.´O país só voltou a ter tantos alunos no ensino secundário por volta de 192o e tal com o Estado Novo. Não sei porque existe uma estátua dessa criatura responsável pelo atraso do ensino ao cimo da Av. da Liberdade...
 :-[
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Hospital de Todos os Santos
« Responder #4 em: Abril 30, 2008, 23:19:02 »
Pondo de parte a História, de que modo irá ser processada a mudança de pessoal das actuais instituições para as futuras?

Que critérios irão ser usados?

É uma boa medida esta concentração de recursos?

Offline Herodes

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2220
    • Ver Perfil
Re: Hospital de Todos os Santos
« Responder #5 em: Outubro 22, 2008, 07:30:32 »
A ideia é fazer um mega hospital que faça frente ao Santa Maria.
Um pouco à semelhnaça do que acontece no Porto (S. João e Santo António) e do que acontece em Coimbra (HUC e Covões).
Penso que o doente pode vir a beneficiar. Mas para os profissionais, isso representa um aperto na corda.