Autor Tópico: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?  (Lida 28054 vezes)

Offline sr81

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #45 em: Janeiro 17, 2009, 22:34:52 »
Caros colegas

Soube, já há algum tempo, da existência do curso de gerontologia, como licenciatura. Na altura, não me fez sentido a sua existência, pois, ao consultar a página da escola superior de saúde de Bragança, o plano de estudos pareceu-me adequar-se mais a pós-graduação para profissionais de saúde diversos. E, grande parte do plano de estudos parece-me citar áreas na Enfermagem, o que me deixa chocada e aqui cito os objectivos do curso:

“1. Ser capaz de participar de forma activa na avaliação dos processos de envelhecimento do indivíduo e grupos, bem como o cumprimento e vigilância das prescrições clínica e ou terapêutica, com a finalidade de promover o suporte e a segurança para o bem estar das comunidades.
2. Ser capaz de proceder a inquéritos de qualidade de vida do idoso
3. Ser capaz de participar em trabalhos de investigação clínica e de saúde pública com vista ao estabelecimento dos padrões de qualidade de vida das populações em envelhecimento.
4. Ser capaz de elaborar a administração e organização dos serviços de preservação do bem estar das comunidades em envelhecimento.
5. Ser capaz de intervir,  ao nível da prevenção e promoção da saúde.
6. Ser capaz de intervir nas áreas da investigação científica, de gestão e de ensino, seja em iniciativas institucionais, seja em Projectos interinstitucionais.”

No entanto, consultei um fórum na internet, dado que a confusão sobre o que é ser gerontólogo e o que é praticar gerontologia é imensa, mesmo entre os alunos deste curso, o que me parece natural... cito, no entanto, uma finalista do curso, que refere:

“O nosso papel é identificar atempadamente desvios do envelhecimento primário. Daí termos uma cadeira que é Biologia do Envelhecimento. Temo de saber quais os materiais e equipamentos necessários para aquele tipo de idoso e a sua patologia... estarmos atentos aos cuidados de Higiene que são feitos e de que forma o são feitos. O banho é uma massagem e um exercicio de reabilitação, que pode ajudar em muito o idoso, mas a uma pessoa com esclerose multipla já não posso fazer o mesmo (p.ex). Acompanhar, ajudar, explicar e ensinar a familia do idoso sobre os seus problemas, como deve prestar cuidados se for o caso. Verificar se é um assunto social ou não (por exemplo maus tratos), muitas familias dizem que querem ficar com os idosos, mas não porque gostem deles, mas para ficarem com a reforma e depois são maltratados, mas iso é só um exemplo do que eu já vi. Temos muitas vezes de tomar questões legais daí termos direito, de forma a poder tomar decisões caso seja preciso com a ajuda de um advogado. Saber emcaminhar o idoso para os profissionais mais adequados, como por exemplo para o TO. E se for necessário cooperar com ele. Trabalhamos muito na área social e psicológica e claro saúde. O nosso curso é multidisciplinar, e trabalhamos com equipas multidisciplinares.”

Além disso, convido os colegas a consultarem o plano de estudos. Continuo a afirmar que se justificava uma pós-graduação para profissionais de saúde, podendo eliminar-se diversos módulos.
Então, o problema não passa apenas pela introdução de algálias... é mais complexo. Quem, melhor que o enfermeiro, conhece equipamentos necessários ao cuidado da pessoa? Quem, melhor que o enfermeiro de reabilitação, conhece as capacidades e necessidades da pessoa incapaz? Quem, melhor que o enfermeiro, estuda as respostas humanas aos processos de vida das populações e indivíduo?

Deixo aqui a minha curta reflexão e grande preocupação. Será que nós não temos mesmo visibilidade nenhuma junto da população para mostrar quem somos? Não sei se será isto, mas duvido. Parece-me que a criação deste curso de licenciatura é uma espécie de “demonstração” à sociedade como resposta a algo que, infelizmente, não se tem, porque a população não dispõe de meios financeiros para obter e o estado apenas pode providenciar aquilo que parece, à primeira vista, prioritário e que obtém mais lucro, que são os cuidados curativos no hospital. Tenho seguido atentamente o que os media têm publicitado acerca deste curso e deixa-me triste, muito triste, pois os enfermeiros já existem há muito tempo, e sempre cuidaram da população em envelhecimento. Deixo, por fim, mais umas citações do iol, de um artigo recente, sobre a profissão de oldsitter...

“A profissão de gerontólogo foi esta sexta-feira apontada, num encontro em Bragança, como uma das que mais futuro tem em Portugal com um vasto mercado para explorar a nível institucional e na criação de próprio emprego, escreve a Lusa.
Estes cursos existem também no Porto e, embora todos sejam recentes, já formaram cerca de 200 profissionais com competências para darem resposta a um público crescente, devido ao envelhecimento da população portuguesa.
Luís Jacob, professor no curso de Gerontologia da Escola Superior de Saúde de Bragança (...) estes novos profissionais, segundo afirmou, reúnem uma série de competências necessárias aos serviços já existentes para idosos e capazes de criarem novas respostas.
Para Luís Jacob, as instituições de solidariedade necessitam destes profissionais para orientarem os seus lares e outros equipamentos destinados a idosos, pelo que vê aqui uma parte importante de mercado de trabalho para os novos profissionais.
Um caso concreto referido foi o de uma empresa, a «Old Care», criada recentemente em Bragança - a primeira do género na região - por um recém-formado gerontólogo, que presta vários serviços, designadamente assistência domiciliária, acompanhamento, cuidados de enfermagem, telemedicina, venda de equipamentos e eliminação de barreiras arquitectónicas.”

Espero que o recém formado esteja a colaborar com enfermeiros na sua empresa... pena que considere assistência domiciliária, acompanhamento, cuidados de enfermagem e eliminação de barreiras arquitectónicas coisas claramente distintas. O que serão, para ele, cuidados de Enfermagem?

Obrigada.

Offline moutinho

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1007
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #46 em: Janeiro 17, 2009, 23:33:07 »
Conclui a licenciatura na Escola Superior de Saúde de Bragança e, por isso, convivi com o curso de gerontologia. Ao contrário do que foi dito, o curso já "nasceu" como licenciatura, no entanto, no processo de bolonha o curso ficou apenas com 3 anos de duração. A meu ver e da experiência que tenho, os gerontólogos não prestam tantos cuidados que aqui foram relatados, estando mais relacionados com a gestão e administração, mas como só em Julho de 2008 é que saíram os primeiros gerontólogos da minha escola, não posso afirmar.

Offline El Solitario

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 25
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #47 em: Janeiro 18, 2009, 01:37:38 »
Citação de: Caldas
Dependendo da reabilitação que se pretende fazer poderá ser mais interessante ter um enfermeiro especialista do que um fisioterapeuta. Conheço hospitais em que ambos trabalham em conjunto e com muito bons resultados.

Efectivamente todos têm de trabalhar em equipa.

La esta, o termo "reabilitação" é muito grande cada um tem as suas limitações e não há nada como reconhecer essas limitações, e se for caso disso encaminhar para o utente para o colega mais habilitado para o tratamento  ;)

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #48 em: Janeiro 18, 2009, 20:47:42 »
Volto a dizer...não acredito que os gerontologistas sejam uma ameaça à enfermagem. Possivelmente outras profissões irão sentir-se mais ameaçadas.

Penso que enfermeiro e gerontólogo podem trabalhar em conjunto na mesma equipa, com ganhos para a pessoa idosa.

Offline artur_gaio

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 298
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #49 em: Janeiro 28, 2009, 19:17:40 »
Mais um vez questiono: O que querem? Poder?
Será um acto técnico assim tão importante ao ponto de sentirmos uma ameaça à nossa profissão...
O que é ser enfermeiro?
Acho que se conseguirem responder a esta questão e se tivermos seguros do nosso papel junto dos utentes, vamos compreender que não é por fazer uma algaliação ou não que a profissão de enfermagem pode ser posta em causa...
Nós prestamos cuidados ao longo do ciclo de vida (colliére), na busca da autonomia da pessoa, tendo em conta a sua força, vontade e conhecimento (Henderson), o enfermeiro apenas procura assegurar que a pessoa consiga manter satisfeitas a sua necessidades (Watson). Que importa agora se temos mais ou menos actos técnicos o nosso verdadeiro papel secalhar não vai tanto por ai... Mas a necessidade de procurar o PODER atraves de actos que eram nos primórdios, actos médicos, é um problema que ainda hoje não deixámos de ter... Os médicos deixaram de ser médicos só porque os enfermeiros lhe "roubaram o acto técnico da algaliação?" Desde que os licenciados tenham competencia, não me afecta nada que o façam, por mim estou seguro enquanto enfermeiro e duvido que qualquer licenciado em geriatria possa por em causa a minha profissão...


falas muito bem, mas vai lá ao hospital dizer que és preciso para "a busca da autonomia da pessoa, tendo em conta a sua força, vontade e conhecimento" e pede-lhes emprego e tu vais ver a força com que te põe a andar. Só és preciso se fizeres algo que os outros não façam, porque para dar banhos e comida às pessoas, o Hospital prefere AAM, que ganham metade do teu ordenado...
Até podes ter razão, mas apenas na teoria, porque na prática, valemos pelo que fazemos, não pelo que sabemos... 

Offline sonia p

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 13
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #50 em: Janeiro 28, 2009, 19:41:30 »
Citação de: artur_gaio
Mais um vez questiono: O que querem? Poder?
Será um acto técnico assim tão importante ao ponto de sentirmos uma ameaça à nossa profissão...
O que é ser enfermeiro?
Acho que se conseguirem responder a esta questão e se tivermos seguros do nosso papel junto dos utentes, vamos compreender que não é por fazer uma algaliação ou não que a profissão de enfermagem pode ser posta em causa...
Nós prestamos cuidados ao longo do ciclo de vida (colliére), na busca da autonomia da pessoa, tendo em conta a sua força, vontade e conhecimento (Henderson), o enfermeiro apenas procura assegurar que a pessoa consiga manter satisfeitas a sua necessidades (Watson). Que importa agora se temos mais ou menos actos técnicos o nosso verdadeiro papel secalhar não vai tanto por ai... Mas a necessidade de procurar o PODER atraves de actos que eram nos primórdios, actos médicos, é um problema que ainda hoje não deixámos de ter... Os médicos deixaram de ser médicos só porque os enfermeiros lhe "roubaram o acto técnico da algaliação?" Desde que os licenciados tenham competencia, não me afecta nada que o façam, por mim estou seguro enquanto enfermeiro e duvido que qualquer licenciado em geriatria possa por em causa a minha profissão...


falas muito bem, mas vai lá ao hospital dizer que és preciso para "a busca da autonomia da pessoa, tendo em conta a sua força, vontade e conhecimento" e pede-lhes emprego e tu vais ver a força com que te põe a andar. Só és preciso se fizeres algo que os outros não façam, porque para dar banhos e comida às pessoas, o Hospital prefere AAM, que ganham metade do teu ordenado...
Até podes ter razão, mas apenas na teoria, porque na prática, valemos pelo que fazemos, não pelo que sabemos... 
:) :)




calma colegas, n acredito k os gerontologistas nos tirem lugares, cada um tem o seu papel....e todos juntos axo k podemos melhorar a qualidade de vida dos noxos idosos...

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #51 em: Janeiro 28, 2009, 20:14:59 »
Citação de: enfsergio
Volto a dizer...não acredito que os gerontologistas sejam uma ameaça à enfermagem. Possivelmente outras profissões irão sentir-se mais ameaçadas.

Penso que enfermeiro e gerontólogo podem trabalhar em conjunto na mesma equipa, com ganhos para a pessoa idosa.

volto a reafirmar aquilo que já disse muitas vezes...

Offline moutinho

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1007
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #52 em: Janeiro 28, 2009, 21:44:01 »
Eu concordo. Para isso não seriam só os gerontólogos a retirar emprego, mas outros profissionais de saúde.

Offline gerard

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 31
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #53 em: Fevereiro 15, 2009, 01:54:32 »
Caro Colega LuisPrata aqui prestar a minha totalidade solidariedade com  o que afirmas-te anteriormente,ser enfermeiro passa muito porque o que dizes pois esse sera esse o caminho para a afirmação plena a nivel profissional e social do papel do enfermeiro no contexto de uma equipa multidisciplinar e é ai que vira um maior reconhecimento do valor crucial da profissão na prestação de cuidados aoutente e familia.

Offline miguel85gv

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #54 em: Março 09, 2009, 13:17:34 »
mto boa tarde.
sou gerontologo, e acho pertinente a vossa discussao, mas mto pouco informada.
relativamente ao comentario acima escrito sobre uma empresa que presta cuidados a idosos vou exclarecervos k trabalhei de perto com o seu fundador e proprietario. para começar trabalha em parceria com uma empresa de emfermagem. como o proprietario diz, quem cuida e a enfermegem, logo todos os cuidados de enfermagem e cuidados continuados sao remetidos para os profissionais especialistas. deixem so dizer que a proprietaria da clinica e uma enfermeira. digo vos tambem k essa empresa oldcare, trabalha no terreno a desenvolver projectos de apoio e de cuidados, em colaboraçao estreita com mais dez enfermeiras. trabalha tambem com uma fisioterapeuta, e um terapeuta ocupacional. quanto aos serviços serem propostos separados, talvez o colega que escreveu o artigo de opiniao nao saiba, mas os serviços tem de ser propostos em separado ao cliente apesar de estes serem prestados como um todo, como alias e logico pk a pessoa n se compartimenta.
dei este exemplo pk demonstra como o gerontologo trabalha no terreno. n usurpa as funçoes de ninguem, antes pelo contrario trabalha em rede para prestar um melhor serviço para a pessoa idosa. como o proprietario costuma dizer, o enfermeiro tem um saber precioso de mais, por isso as ocorrencias e a prevensao sao encaminhadas de forma organizada para nao existir perda de tempo. nenhum gerontologo vai em dia algum algaliar alguem, mas como ja percebi que nao conhecem a realidade das instituiçoes de idosos por dentro, o gerontologo pode sim verificar qd ha sinais passiveis de provocar uma ulcera de pressao, p ex. e alerta a equipa de enfermagem, pk caso contrario sao as auxiliares k o vao fazer, e de forma errada. o gerontologo e um profissional k se dedica a tempo constante ao idoso, logo tem de ter os conhecimentos tecnicos para trabalhar na prevençao, e reconhecer sintomas de forma a alertar no menor tempo possivel, os profissionais de competencia. isto melhora os cuidados a pessoa idosa. o gerontologo n intervem, nao faz pensos, n algalia, etc, isso sao competencias do enfermeiro, alias definidas ha ja varios anos, ponto final. ninguem tira o lugar a ninguem, mto menos as sua funçoes, antes pelo contrario, complementam se. cumprimentos.

Offline Bellinha

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #55 em: Março 09, 2009, 23:59:18 »
:- Fico realmente envergonhada de ver que a enfermagem ainda vive em tripudiar as demais profissões, sou Enfermeira, especialista em Adm. Hospitalar e Gerontologia Clinica, e vejo que os demais profissionais devem desconhecer o papel do gerontologo, ao menos saber o que é gerontologia: A gerontologia é um campo de estudos interdisciplinar que investiga os fenômenos fisiológicos, psicológicos e sociais e culturais relacionados com o envelhecimento do ser humano. É um campo multiprofissional e multidisciplinar. Embora a Gerontologia envolva muitas disciplinas, a pesquisa repousa sobre um eixo formado pela Biologia, pela Psicologia e pelas Ciências Sociais. A gerontologia difere da geriatria na medida em que esta última é o ramo da medicina (especialidade) associado ao estudo, prevenção e tratamento das doenças e da incapacidade em idades avançadas. Portanto tenha muito critério em postar informações indevidas para outros, pois isso poderá realmente pensar que é verdade.

Att,

Bellinha

Offline enfsergio

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1897
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #56 em: Março 10, 2009, 01:08:44 »
Citação de: Bellinha
:- Fico realmente envergonhada de ver que a enfermagem ainda vive em tripudiar as demais profissões, sou Enfermeira, especialista em Adm. Hospitalar e Gerontologia Clinica, e vejo que os demais profissionais devem desconhecer o papel do gerontologo, ao menos saber o que é gerontologia


Portanto tenha muito critério em postar informações indevidas para outros, pois isso poderá realmente pensar que é verdade.




Para quem é esta mensagem?

Offline pela_ética_deontologica

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #57 em: Julho 05, 2009, 17:34:54 »
Gostaria de desde já esclarecer algumas contrariedades que encontrei neste fórum. Iº o total desconhecimento da base curricular dos Gerontólogos; 2º o desconhecimento do objectivo da criação deste curso que há já vários anos ssingrou no Brasil, e que vem demonstrando grandes benefícios ao nível da intervenção comunitária e gestão de equipamentos.

Por mim falo, recém licenciada em gerontologia (pk o curso sempre deu acesso a licenciatura e no ultimo ano inclusive faz parte do processo de Bolonha, sendo que anteriormente uma licenciatura de 4 anos passa para três, com mestrado em Gerontologia por mais 2 anos).

Um gerontólogo nunca irá exercer as funções base de um enfermeiro (apenas aquelas que não sendo funções definidas do mesmo, poderão ser realizadas por qualquer profissional de saúde, desde que com competências para tal).

Quanto à grande questão que aqui abordam e que para mim não tem ciência nenhuma, qualquer interesse ou fundamento ("os licenciados em gerontologia já introduzem algália?").... bem... esta questão.. é digna de um Marco Horácio qualquer... até mt Marco Horácio, figura pública, tem muito mérito pelo que faz... porque o seu trabalho tem fundamento construtivo... ao contrário de algumas respostas que aqui vejo... profundamente destrutivas... onde não vejo qualquer formação pessoal e cívica... se bem que outras me deixaram espantada pela positiva pk realmente demonstram os bons profissionais que são... quando dizem que o que os assusta não são as técnicas... mas as competências... entre outras coisas.

Vou ser sincera qd digo que me inscrevi apenas para poder deixar aqui a minha opinião que vale o que vale... nada para quem foi egoísta, altruísta e mesquinho... pk pensando unicamente no seu ego e no seu bem próprio não se importam de falar do que não sabem , com a sabedoria de um hipócrita!

E a resposta à grande questão é: Não, Não e Não. Que aprendemos técnicas que vocês realizam é uma grande verdade, que aprendemos a algaliar, a colocar sonda nasogástrica, etc, etc... é uma grande verdade também... mas também é igualmente verdade que não nos compete realizar estes actos. O que para nós acaba por ser frustrante... aprender algo que não vamos posteriormente implementar. Mas no fundo, percebemos a razão do mesmo. Sendo o nosso curso um curso direccionado especialmente para o indivíduo idoso (podemos no entanto trabalhar com todas as faixas etárias!!), que agrega um conjunto de conhecimentos da área social, de gestão, de saúde (disciplinas comuns aos alunos de Enfermagem, aos alunos de Fisioterapia, Radiologia e inclusivé Terapia da Fala, psicologia e psicopatologia, etc).

Não substituiremos qualquer profissional, pelo contrário! Pretende-se que trabalhemos em parceria quando percebemos que determinado indivíduo necessita de determinado tratamento de determinada área. Então aí direccionamos os cuidados para as vossas mãos.

O que se pretende com isto tudo é ter um profissional numa Instituição que consiga coordenar os serviços de uma equipa multidisciplinar e interdisciplinar, que realize um levanatamento adequado das necessidades actuais tendo sempre como fim o bem comum (do indivíduo e da comunidade).


Contudo, depois do que disse, e talvez num tom um pouco irritado porque realmente temos de nos informar devidamente antes de divulgar mensagens erróneas em prole do prejuíjo de um curso de de profissionais competentes, tal como vós.

Tb posso dizer que entrei em Enfermagem na Cruz Vermelha em Oliveira de Azemeis mas que traçei caminho na ESSUA no curso de Gerontologia, sempre com receio do futuro. Mas desde logo me apaixonei pelo curso e por toda a experiência que fomos adquirindo.

Por outro lado também reconheço que sois merecedores de valor (já muitas e muitas vezes necessitei de cuidados específicos de saúde, e na real verdade fui muitas vezes melhor tratada quer como pessoa, quer como um corpo biológico, por Enfermeiros, uma vez que os Médicos de Plantão se encontravam mais preocupados com a sua secretária, inferindo diagnósticos sem sequer me tocarem, o que realmente me provocou muitas chatices... mas por outro lado tive o prazer de encontrar profissionais das mais diversas áreas com real carácter e verdadeiro amor à camisola... porque esses interessam-se em melhorar a qualidade de vida da pessoa e não no seu estatuto).

Os maiores cumprimentos

Offline anamaral18

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #58 em: Setembro 20, 2009, 21:54:26 »
Olá a todos!!!
Quer me parecer que existem muitas divergências a nível do Ser Enfermeiro, Gerontólogo e Geriatra.
Desde já afirmo que Saber Ser Enfermeiro e Ser Enfermeiro são coisas diferentes  e quando afirmamos tao convitamente que a técnica é nossa antes de sabermos ser profissionais caímos no erro de não fazer justiça àquilo a que nos predisposemos a dedicar a nossa vida. Não devemos ter medo das ameaças dos outros, apesar de eu considerar que não devemos permitir a usurpação de funções, quer técnica quer da vertente biopsicossocial. No entanto e como ja dizia alguem muito nosso conhecido "para ser grande, sê inteiro"...não se fiquem apenas pelo "ser Enfermeiro"!!!
Sou e penso que sei ser enfermeira e como tal a área da gerontologia sempre me seduziu muito, portanto decidi ingressar no curso de pós graduação em gerontologia pelo grupo lusófona. Achei deveras interessante e empenhei-me para o que queria por isso colegas...melhor que ser enfermeiro ou ser gerontólogo, que tal enfermeiro gerontólogo cm eu, hein? 

Offline anamaral18

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 3
    • Ver Perfil
Re: O licenciados em gerontologia já introduzem algália?
« Responder #59 em: Setembro 20, 2009, 21:59:08 »
Pensem nisso...apostem na vossa formação...não se dediquem ao medo sem tentarem plo menos ultrapassar isso!!!
Cumprimentos