Autor Tópico: 2008: Revisão de Carreira  (Lida 11956 vezes)

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
2008: Revisão de Carreira
« em: Fevereiro 19, 2008, 11:48:38 »
Falando com colegas e lendo a revista do sindicato, apercebi-me que este é finalmente o ano em que teremos revisão de carreira!

Calma!
Nada de especial deve acontecer!
Até final de Março deve saír o novo enquandramento das carreiras da função pública.
Depois serão negociadas as carreiras especiais (onde se enquadra a nossa).

Mas a recomendação do governo é clara...revisões sim...aumentos salariais não!

Como ficamos? Na mesma? E se ficamos na mesma...vamos aceitá-lo?

Offline Son_Goku

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 527
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #1 em: Fevereiro 19, 2008, 14:59:38 »
O que se diz por aí é que o governo pretende manter-nos ao nível do bacharel em termos remuneratórios.
No momento actual a união na Enfermagem está debilitada nomeadamente pela situação do desemprego e da pracaridade dos vínculos laborais pelo que não será possível uma acção energica e consertada de nossa parte para lutar contra esta situação.
A primeira coisa a fazer é não votar no actual governo nas próximas eleições (assim são menos 55000 votos).

Offline Enf(o).HAGC

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 39
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #2 em: Fevereiro 19, 2008, 15:56:31 »
Citação de: Son_Goku
O que se diz por aí é que o governo pretende manter-nos ao nível do bacharel em termos remuneratórios.
No momento actual a união na Enfermagem está debilitada nomeadamente pela situação do desemprego e da pracaridade dos vínculos laborais pelo que não será possível uma acção energica e consertada de nossa parte para lutar contra esta situação.
A primeira coisa a fazer é não votar no actual governo nas próximas eleições (assim são menos 55000 votos).


É um facto que muito provavelmente o estado pretende não aumentar o nosso nivel salarial, contudo acho que não é a melhor forma de podermos reevindicar seja o que for, através de uma "falta" a mesa de voto, pois nunca iremos conseguir demonstrar o nosso verdadeiro descontentamento. Um pouco a sombra do que foi o25 de Abril de 1974 poderiamos promover, e ai sim, era com a ajuda dos sindicatos e ordem, uma GRANDE manifestação com o apoio de todos os Enf(os) (as) e Alunos (as) de Enfermagem, só desta forma teriamos projecção no pais e no nosso  Estado...!

Eu sou o primeiro a ir para alinha de frente para lutar pelos nossos direitos!!!


Comprimentos a todos os caros Colegas.

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #3 em: Fevereiro 19, 2008, 17:21:43 »
A manifestação poderia era coincidir com uma GREVE a SÉRIO, com uma duração nunca inferior a uma semana, pois isso sim causaria impacto.

Actualmente com um dia de greve, os utentes dos centros de saúde que não fazem o penso ou levam a injecção num dia fazem no seguinte. A cirurgia que não é feita hoje faz-se amanhã. A consulta externa que não acontece hoje acontece amanhã.

Agora com uma semana de paralisação destes serviços...aí sim teríamos força.

Claro que ninguém vive sem dinheiro e uma semana de salário seria complicado, mas poderia ser compensada de alguma forma pelos sindicatos (eventualmente a ordem) e por uma contribuição dos colegas que estariam obrigados aos cuidados mínimos e que portanto são remunerados.

Offline ruipintos

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 75
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #4 em: Fevereiro 19, 2008, 20:36:40 »
Olá!

Realmente é uma novidade para mim a revisão da carreira que finalmente se vai cumprir.
Tenho um CIT e não vejo nada ao fundo do tunel, ou seja, neste momento não progrido para lado nenhum e já não falo em termos monetários pq este mais tarde ou mais cedo, com o mesmo governo ou com outro, iram regressar, nem que seja com as eleições. Falo em termos de reconhecimento profissional pq por mais anos que trabalhe estou sempre na mesma.

Estou é para ver que tipo de carreira que nos vai ser apresentada. Será compatível com as nossas competências ou ainda nos vai retirar mais visibilidade social, da pouca que temos?

Cumprimentos

Offline ritabarros

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 188
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #5 em: Fevereiro 19, 2008, 20:43:20 »
Citação de: HugoAntonio
Citação de: Son_Goku
O que se diz por aí é que o governo pretende manter-nos ao nível do bacharel em termos remuneratórios.
No momento actual a união na Enfermagem está debilitada nomeadamente pela situação do desemprego e da pracaridade dos vínculos laborais pelo que não será possível uma acção energica e consertada de nossa parte para lutar contra esta situação.
A primeira coisa a fazer é não votar no actual governo nas próximas eleições (assim são menos 55000 votos).


É um facto que muito provavelmente o estado pretende não aumentar o nosso nivel salarial, contudo acho que não é a melhor forma de podermos reevindicar seja o que for, através de uma "falta" a mesa de voto, pois nunca iremos conseguir demonstrar o nosso verdadeiro descontentamento. Um pouco a sombra do que foi o25 de Abril de 1974 poderiamos promover, e ai sim, era com a ajuda dos sindicatos e ordem, uma GRANDE manifestação com o apoio de todos os Enf(os) (as) e Alunos (as) de Enfermagem, só desta forma teriamos projecção no pais e no nosso  Estado...!

Eu sou o primeiro a ir para alinha de frente para lutar pelos nossos direitos!!!


Comprimentos a todos os caros Colegas.



Colega isto já não vai com MANIFS . Há que forçar as negociações da Carreira de Enfermagem que englobe todos . Estão previstas negociações das carreiras especiais (enfermagem ) só a partir de 31 de Dezembro de 2008. Por isso a luta tem que ser outra...modelo finlandês..

Offline Enfmário

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 52
    • Ver Perfil
    • http://enfmario.blogspot.com/
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #6 em: Fevereiro 20, 2008, 01:41:14 »
Citação de: ritabarros
Colega isto já não vai com MANIFS . Há que forçar as negociações da Carreira de Enfermagem que englobe todos . Estão previstas negociações das carreiras especiais (enfermagem ) só a partir de 31 de Dezembro de 2008. Por isso a luta tem que ser outra...modelo finlandês..

Isto sim. Se cerca de 13 mil se fizeram ouvir, imaginem 55mil, mais alguns milhares no desemprego, e já agora porque não os cerca de 15 mil enfermeiros que estão a formar-se juntarem-se à "festa"...mas penso ser uma útopia....

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #7 em: Fevereiro 20, 2008, 08:30:27 »
Colega Rita

Segundo o pessoal do sindicato, as carreiras especiais tem que ser negociadas até ao Verão.

Sei que eles falam muito e fazem pouco, mas foi o que disseram e escreveram na revista.

Offline vmer16v

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 56
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #8 em: Fevereiro 20, 2008, 14:12:59 »
  Greves só têm efeito nos colegas que têm de trabalhar  o dobro ou o triplo, deve ser essecência nossa, quando o trabalho aperta, por mais que seja corremos mais, fazemos menos bem, mas nunca deixamos por fazer...Isto para as chefias e direcções é um mimo, agora enfermeiro que se preze nunca deixa nada por concluir...utente não nota se corremos muito ou pouco, o que tinha de lhe ser feito por certo ficou!
   Recordo um post aqui colocado, em que se discutiam quais os cuidados minimos legalmente impostos, acho que era por ai que deviamos orientar, é inevitável que o utente se sinta prejudicado com a nossa não acção, só assim podemos exacerbar e realçar a nossa importância!
Os cuidados minimos ~são os minimos, o utente sobrevive ( mas pior ) sem cuidados de higiene, sem os posicionamentos, sem o conforto a que o enfermeiro deveria proporcionar...Precisa de ser avaliada diurese, colheitas de especimes para exames complentares de diagnostico, precisa que lhe seja "feito o penso", força ai senhores medicos, são actos medicos, certo?! Se realmente cumprirmos com o que legalmente são so cuidados minimos, não fazer o pobre coitado do enfermeiro o que lhe compete mais o que os outros colegas que por gereve não estão presentes, de certo que não é so nos centros de saude que a greve na nossa classe se tornaria visivel. Têm de ser omadas medidas mais agressivas, arriscar para mais tarde colher frutos...
 

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #9 em: Fevereiro 20, 2008, 15:57:51 »
Citação de: vmer16v
  Greves só têm efeito nos colegas que têm de trabalhar  o dobro ou o triplo, deve ser essecência nossa, quando o trabalho aperta, por mais que seja corremos mais, fazemos menos bem, mas nunca deixamos por fazer...Isto para as chefias e direcções é um mimo, agora enfermeiro que se preze nunca deixa nada por concluir...utente não nota se corremos muito ou pouco, o que tinha de lhe ser feito por certo ficou!
   Recordo um post aqui colocado, em que se discutiam quais os cuidados minimos legalmente impostos, acho que era por ai que deviamos orientar, é inevitável que o utente se sinta prejudicado com a nossa não acção, só assim podemos exacerbar e realçar a nossa importância!
Os cuidados minimos ~são os minimos, o utente sobrevive ( mas pior ) sem cuidados de higiene, sem os posicionamentos, sem o conforto a que o enfermeiro deveria proporcionar...Precisa de ser avaliada diurese, colheitas de especimes para exames complentares de diagnostico, precisa que lhe seja "feito o penso", força ai senhores medicos, são actos medicos, certo?! Se realmente cumprirmos com o que legalmente são so cuidados minimos, não fazer o pobre coitado do enfermeiro o que lhe compete mais o que os outros colegas que por gereve não estão presentes, de certo que não é so nos centros de saude que a greve na nossa classe se tornaria visivel. Têm de ser omadas medidas mais agressivas, arriscar para mais tarde colher frutos...
 



Concordo consigo. Quando falava mais nos centros de saúde e nos serviços externos dos hospitais, é apenas porque são normalmente estes serviços que surgem na comunicação social e têm visibilidade nas freves.

Offline Eumesmo

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 19
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #10 em: Fevereiro 21, 2008, 22:56:34 »
A minha proposta é simples. GREVE por tempo indeterminado. É imprescindível que haja uma resposta forte e musculada da nossa parte, caso as negociações não nos corram de feição. O dinheiro também me faz falta, mas estou disposto a este sacrifício. A necessidade do dinheiro não pode ser desculpa, até deve é ser um catalisador. Então para não prescindir de alguns dias ou semanas de remuneração, desiste-se de um novo enquadramento remuneratório que perdurará durante anos? Entre o deve e o haver o saldo seria sempre positivo (isto admitindo que as nossas reivindicações fossem atendidas).

Dou-vos o meu exemplo familiar. A minha esposa também é funcionária pública (não enfermeira), tal como eu é licenciada. Tem menos um ano de função pública e carreira que eu. Inicialmente ganhava mais cerca de 200 euros mensais que eu, ao longo dos anos a diferença foi-se acentuando e neste momento traduz-se em cerca de 450 euros. Basta multiplicar esta difernça pelo número de anos que entretanto passaram e o resultado é largamente superior à perda que eu poderia ter como consequência de uma Greve prolongada. Além do mais, nada se consegue sem sacrifício.

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #11 em: Fevereiro 22, 2008, 08:37:01 »
Caro Eumesmo

Concordo plenamente consigo.
Em contas por alto, desde que terminei o curso e até este momento, terei perdido cerca de 35000 € não ganhando como licenciado. O que eu fazia com 35 000 €!

Offline Vitor A.

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 512
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #12 em: Fevereiro 22, 2008, 16:23:17 »
Enquanto a OE e os sindicatos não estiverem sincronos na defesa dos nossos interesses vai ser dificil.

Todos apontamos eventuais soluções, mas ganhar o consenço nacional para se actuar de forma unica por parte de toda a classe vai ser extraordináriamente dificil.

A OE é composta essencialmente por docentes, cujo o regime rumuneratório é distinto.

Os sindicatos com maior representatividade nacional, tem estratégias diferentes.

A nossa classe não é desunida, mas estamos desorientados, sem rumo e por isso cada estrutura sindical e OE tomam caminhos diferentes. Cada um defende os seus interesses económicos e politicos. Esqueceram das suas funções basicas.

É preciso concertar a forma de luta!
No reencaminhamento de mail´s, Por Favor Usem Cco. ou Bcc (Cópia Oculta)
" Retire os endereços dos amigos antes de reenviar "
" Dificulte a disseminação de vírus e spams "
" Proteja a sua privacidade e a dos Outros

Saudações. Vitor A. :)

Offline SandroMelo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 1286
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #13 em: Fevereiro 24, 2008, 07:27:39 »
Ora aí está o que afirmo há muito.
A ordem não tem preocupações com os salários porque estão maioritariamente na carreira docente.
Só para terem uma ideia (sei por experiência, porque estive nessa carreira) o ordenado de um docente em inicio de carreira com exclusividade (quase todos têm) é da ordem dos 1500€.

Offline Son_Goku

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 527
    • Ver Perfil
Re: 2008: Revisão de Carreira
« Responder #14 em: Fevereiro 24, 2008, 07:50:27 »
Temos de encetar por formas de luta que definitivamente despoletem o caos no SNS. O que se tem feito é, em termos de renvindicação, meramente decorativo.
A resposta seria uma greve geral, de tempo prolongado (2 semanas) no sentido de debilitar o SNS e despoletar reacções da sociedade em relação a essa atitude, provavelmente hostis na sua maioria, mas que iria conferir uma grande visibilidade à nossa acção de luta.