Autor Tópico: Equivalente ou não  (Lida 8313 vezes)

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« em: Janeiro 02, 2005, 02:31:52 »
Queria colocar aqui uma questão e gostava de ouvir as vossas opiniões.

Fiz o meu curso nos Países Baixos.
Actualmente o curso de enfermagem demora quatro anos e meio e dá o que nos Países Baixos chamam "nível de competência 5" ou bacharelato.

Antes de 1998 não existiam estes "níveis". Havia dois cursos "grandes" de enfermagem, a enfermagem geral e a enfermagem psiquiátrica. Ambos os cursos demoraram três anos e nove meses. Ao completar dava o titulo "enfermeiro".
Aínda existia um curso de nível superior (HBO-V) que demorava cinco anos e era um misto de enfermagem geral, psiquiátrico e público. Sendo denominado HBO ou seja, escola superior, o grau que era atribuído após conclusão deste curso era o de bacharel o titulo era igualmento "enfermeiro". Tanto em renumeração como na prática do trabalho não havia diferenças entre estes dois "grupos" de enfermeiros.

A preferência dos hospitais estava em contractar enfermeiros formados nas outras (não HBO-V)  escolas porque em geral eram mais "aptos" para o trabalho. Os enfermeiros de HBO-V eram mais pessoas que queriam perseguir uma carreira em pesquisa, investigação, etc.

Tirei o meu curso numa das escolas de enfermagem que não eram os HBO-V. Completei o curso em 1992 e começei a trabalhar num hospital nos Países Baixos fazendo parte do quadro.

Agora já trabalho em Portugal 8 anos. Sou enfermeiro graduado, claro, e estou no quadro da função público do meu serviço. Na altura concorri ao CAP e fiquei em segundo lugar pelo que fui colocado no quadro do serviço onde ja´estava a exercer funções. Tenho uma cédula na ordem dos enfermeiros.

Recentamente queria concorrer para entrar no complemento.
Fui perguntar se o meu curso era equivalente ao bacharelato portugues...  :roll: Apresentei o meu livro de curso (traduzido) onde constou que tenho mais de 200 horas de teoria e mais de 2000 horas de prática do que o mais actual curso de bacharelato portugues. Referi que já fazia parte do quadro há sete anos. Disseram-me então numa escola de enfermagem no Porto que em princípio não havia problema, para fazer um pedido formal e entregar muita papelada mais 100 euros para proceder a equivalência. Depois podia então concorrer para o complemento.
Qual o meu espanto que foi recusado! Não tenho equivalencia ao bacharelato.
Sim senhor, tem mais horas, sim senhor, já trabalha cá e até tem algumas horas de gestão no seu curso... então porque?  Porque nos Países Baixos o meu curso não é considerado um curso "superior".
É verdade. Está correcta, isto eu já sabia, mas eu não lhes pedi para estabelecer o meu grau académico nos Países Baixos, mas para ver se o meu curso pode equivaler um curso de enfermagem Portugues. Nos Países Baixos actualmente o meu "nível de competência" é 4, para obter 5 (ou seja bacharelato) teria que tirar um curso que, nos Países Baixos demora um ano, duas tardes (4 horas!) por semana (fora as ferias escolares) em tempo útil de trabalho e é pago pelo ministério de educação e pelo aquilo que me contam os meus amigos é uma formalidade (por exemplo não há exames). Vivo cá e tenho cá a minha família, portanto não é uma coisa realista fazer; ir tirar esse curso. Se não me é atribuída o grau de bacharel não posso entrar em nenhum curso de complemento e a minha "carreira" está bloqueada.

Nos Países Baixos o nível mais alto de enfermagem é o 5, o seja o bacharelato, não há portanto uma licenciatura em enfermagem. Existe mestrado em enfermagem ou doutoramento, mas isto já é outra conversa.
Ora a paralella do meu caso é engraçada:
Países Baixos:  4 anos de curso e dá nenhum grau, mais um ano e dá bacharelato.
Portugal:  3 anos de curso dá bacharelato mais um ano dá licenciatura...
Tenho 4 anos de curso mas nem bacharelato vale....
Dizem que é uma questão de graus académicos e por isso não me podem atribuir um grau para um curso que não é bacharelato. Se calhar até têm razão, mas se viramos a conversa nenhum enfermeiro portugues tem o grau de bacharel nos Países Baixos, porque falta um ano de curso... e se o meu curso qualitativamente e quantitativemente é igual, porque é que não tenho direito ao grau de bacharel?

Já houve pessoal que disse, "se tivesses pedido equivalencia a licenciatura teriam te dado o bacharelato....".

Aínda faltam aqui alguns pormenores, mas o essencial está dito.

Queria saber o que é que vocês acham disto. Queria salientar aínda que este situação dos enfermeiros "não bachareis" se verifica em mais países.
Ah, e outra coisa, habitualmente nos Países Baixos os tradutores oficiais, professores do ensino básico, polícias, etc. não detém o grau de bacharel porque também eles tem como base o ensino que lá não é considerado "superior".

Offline joana santos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 485
    • Ver Perfil
Equivalência ou não
« Responder #1 em: Janeiro 02, 2005, 08:47:10 »
Stephen, já pensou em pedir equivalência em outras escolas do País? Sei de casos praticamente semelhantes ao seu em que os colegas obtiveram o grau de Bacharelato após uma apreciação pormenorizada do seu currículo .. Porque não tentar?
Saudações e Boa Sorte, Joana 8)

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Equivalente ou não
« Responder #2 em: Janeiro 02, 2005, 11:36:03 »
Actualmente não devia ter que debater-se com burocracias desse género....os ECT's surgiram exactamente para isso, para facilitar a mobilidade dos profissionais no espaço europeu....e de certo que ao concluir o seu curso, no plano de estudos os créditos europeus devem vir bem explícitos...

Os programas, bem como os nomes das cadeiras e etc...já não contam para graui de equivalência....neste momento, o mais importante são a carga horária e os ECT's

Quanto aos ECT's....deve ter tudo o que é necessário.....mas relativamente à carga horária já não estou tão certo..... Por cá quando ainda era Bacharelato o curso tinha 3600 horas em 3 anos, você pelo que me foi possivel deduzir em 4 anos teve 2200 horas de formação (são menos 1400...)....e neste momento com a Licenciatura cá temos 4600 horas, daí que provavelmente segundo as comissões de avaliação de equivalências....lhe tenham recusado a entrada....é a única explicação que encontro
Porque mesmo em termos de avaliação, para ter ficado em 2º lugar num CAP é porque deve ter boa nota de fim de curso....por isso também não é por aí....


Um abraço,  :D

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
pormenores
« Responder #3 em: Janeiro 02, 2005, 12:13:33 »
Ok, vêm aqui então uns pormenores que de propósito aínda não mencionei.
Joana; existe de facto uma escola de enfermagem aqui no norte do país onde quase me disseram literalmente, "se nos pagar 400 euros e entregue o seu currículo, nós garantímos a equivalência...."  :?  Dá que pensar.
Ou então o caso dos dois espanhois que pediram equivalência à mesma escola que eu, que eram colega's de turma no curso, e foi deferido o grau a um mas não ao outro... Assim objectivamente não vi nenhuma diferença entre os curriculos e valores que apresentaram. Será a coisa assim tão arbitrária?

Mas tens razão vou pedir a mesma coisa nas outras escolas.(e pago cada vez 100 euros??) Existe aínda outro sistema. O ministério de educação na altura em que as pessoas que não tinham feito o curso de bacharelato e fizeram portanto aqueles cursos "de antes" podiam apresentar um curriculo.  A base deste currículo eram atribuídos pontos. Quem reunia x pontos passava a ser bacharel por "mérito". Este sistema nunca foi abolido. Pelos vistos reuno pontos suficientes para passar a bacharel.

Acerca da carga horária, como referi tenho 200 horas de teoria MAIS que o curso mais actual do bacharelato portugues e cerca de 2000 horas de prática (estágios). É verdade que não me lembro as horas exactas do curso que me foi referido porque achei a diferença mais importante. Lembro-me que foi o curso de bacharelato do São João do ano 1998 ou 1999.
Como na referida escola onde solicitei a equivalência vieram com os mesmos números acho que deve ser o caso com todos os cursos de bacharelato.

Os ECT´s que no fundo dão 60 pontos por cada ano, dependente da carga horária, deveriam chegar- já que para o bacharelato "normal" são precisos 180 pontos. Que aínda torna mais estranho a decisão de não deferir o meu pedido.

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Equivalente ou não
« Responder #4 em: Janeiro 02, 2005, 12:18:20 »
Realmente não percebo então....mais um dos muitos bloqueios portugueses.....há que tentar em outra escola do país....sempre será melhor que voltar a Espanha....digo eu....

Um abraço,  :D

Offline joana santos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 485
    • Ver Perfil
Equivalência ou não
« Responder #5 em: Janeiro 02, 2005, 14:42:12 »
Stephan, essa escola de que fala é particular? Os casos a que eu me refiro transportam-se a escolas públicas. Alguns colegas tinham feito o curso de enfermagem na Holanda, outros na Alemanha, outros em França e até sei de dois colegas que vieram da Ucrânia e estão trabalhando no Algarve ... essa dos 400 Euros ... os critérios seriam consoante as posses monetárias? Se eu estivesse na sua situação procurava informar-me melhor ... talvez valha a pena ... já dizia o poeta "tudo vale a pena quando a alma não é pequena"...
Saudações e Boa Sorte, Joana :wink:

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Equivalente ou não
« Responder #6 em: Janeiro 02, 2005, 15:09:11 »
Os 400 Euros podem constituir a tabela de emolumentos de uma escola pública...por exemplo na minha levam acho que 25 euros por avaliar ou não a equivalência de uma disciplina....agora imagina um curso todo!!!

Mas o melhor mesmo em termos de equivalências é ir a uma escola pública, se não me engano trabalhas em Gaia.....é só um saltinho até ao Porto....

Ou então contacta directamente o Ministério da Ciência, Inovação e Ensino Superior....eles poderão informar-te de forma amis detalhada....

www.mcies.pt

Um abraço,  :D

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #7 em: Janeiro 02, 2005, 20:00:41 »
A escola à que fui ter é uma escola pública. Pq queria que o meu curso fosse valorizado por entidades oficias, públicos, idóneas, mas começo a perguntar-me se vale a pena ter esse tipo de consideração.
Já estou nisto há mais que quatro anos.
No início os ministérios (saúde, ciéncia/educação) demoraram séculos a responder aos meus pedidos, depois disseram que competia às escolas.
As escolas dizem que competa aos ministérios.... por este razão duas das tres escolas onde fui procurar uma equivalência simplesmente recusaram de aceitar este tipo de pedido. O actual processo demorou mais que um ano, muito embora existe um prazo de 90 dias após a entrega dos documentos para dar a conhecer a decisão. Eles mandaram cartas a pedir cada vez mais coisas. No final foram se basear em nenhum destes documentos e simplesmente disseram que na holanda não é bacharel portanto aqui tb não é. O dinheiro que gastei, como é obvio não se limita só aos 100 euros, há que fazer traduções oficiais e estas têm que ser autenticados e depois querem aquilo em triplicado...etc, etc. Já fui ter com o sindicato que se empenhou bastante,  tenho que dizer. Até foram mais longe e pediram audiencias perante as entidades competentes para discutir essas coisas.
Resultado. Não há critérios. As escolas podem no fundo fazer o que muito bem entendam.

Joana, se souber responder-me às seguintes perguntas agradecia muito::
Aqueles colegas de que falou que tiraram o curso na holanda, tiraram o curso "actual" ou digamos o curso superior ou tiraram um curso "inservice"? São de nível 4 ou 5? São portugueses ou holandeses? Trabalham num hospital público e fazem parte do quadro ou não? Qual é a escola onde deram a equivalência aos cursos deles?Os pedidos foram deferidos?
Eu pessoalmente não conheço nenhum outro enfermeiro holandês a trabalhar num hospital em portugal. Seria bom poder saber mais sobre isto ou até poder falar com alguns.

 8O

Offline joana santos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 485
    • Ver Perfil
academia
« Responder #8 em: Janeiro 02, 2005, 21:45:03 »
Stephan, aqueles colegas de que falei, frequentaram cursos de índole profissional, segundo o que me disseram...Os pedidos foram deferidos. São filhos de portugueses, alguns deles naceram na Alemanha, outros em França e o caso que conheço do colega holandês é filho de pais portugueses mas também nasceu na Holanda. A da Alemanha trabalha num hospital público e pertence ao quadro ... a de França também trabalha num hospital público mas ainda não pertence ao quadro, assim como o holandês, não sei se é de nível 4 o 5, somente perguntando, tentando entrar em contacto com eles, neste momento não trabalham na minha instituição, mas posso investigar e aquilo que souber, envio por P.M., okey?
Saudações, Joana :wink:

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #9 em: Janeiro 03, 2005, 01:07:57 »
Joana, agradecia se me pudesses dizer alguma coisa, vou estar atento aos PM.

Obrigado  :)

Offline vania_neto

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 166
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #10 em: Janeiro 04, 2005, 23:29:38 »
Sabes quantos creditos tens?

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #11 em: Janeiro 06, 2005, 15:22:22 »
Penso que tenho por volta de 200 ECT's, partindo do princípio que o curso é inserido no sistema.  Em princípio 60 ECT's são atribuídos para cada ano lectivo de formação. 180 é o critério para o bacharelato e o meu curso era de 3 anos e nove meses.
Penso que existe outra forma de calcular os ECT's que é atravês da carga horária absoluta. Ou seja são contados as horas exactas e são atribuídos os pontos conforme o número de horas.

Offline nunotavares

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 700
    • Ver Perfil
    • http://www.enfermeiro-de-anestesia.blogspot.com
Equivalente ou não
« Responder #12 em: Janeiro 06, 2005, 18:29:39 »
Outra forma de contabilizar os ECT's é através dos conteúdos programáticos de cada uma das cadeiras.....

 :D

Offline vania_neto

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 166
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #13 em: Janeiro 07, 2005, 12:29:33 »
A razao porque perguntei qts creditos tens eh que independentemente de como sao calculados se o numero for semelhante ao bacharelato portugues deviam dar-te a equivalencia... Afinal para que e que os creditos foram criados?

Estao situacao preocupa-me imenso porque acabei o curso em Inglaterra ha uns meses atras. O curso eh nivel de diploma, 3 anos e a unica diferenca entre o curso degree eh que nao fiz investigacao. Tenho 120 creditos de nivel 1, 120 nivel 2 e 40 nivel 3. A minha carga horaria total foi 5737.5 horas (2100 teoria, 2850 pratica e 787.5 ferias (7 semanas por ano!!!)
Sera q vou ter o mesmo problema?

Eu sei q nao deveria ser necessario mas ja pensaste em consultar um advogado?

Offline Stephan

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 101
    • Ver Perfil
Equivalente ou não
« Responder #14 em: Janeiro 09, 2005, 11:10:33 »
Vania,
Não sei dizer se vais ter problemas uma vez que todo o processo por enquanto parece-me bastante arbitrário.
A minha experiencia é que embora acho que o curso de enfermagem em portugal é comparável aos de Inglaterra ou os Países Baixos, os processos de selecção e aptidão para a profissão são menos rigorosos em portugal. Que ao meu ver é aínda é uma mais valia e mais uma razão para equiparar os cursos.
Eu fiz um trabalho de investigação e tenho mais ou menos a mesma carga horária que tu tens.
O curso de bacharel portugues geral têm menos horas totais do que os cursos que eu conheço, o teu, o meu e os de Dinamarca e a Suecia. Mesmo assim aqui acabe se o curso com o bachelor's degree e nos referidos países não.
Como a mudança para os sistema Bachelor of Science / Master's degree visado pelo tratado da Bologna pode mudar isso tudo, mas um pormenor interssante é que Portugal é agora o único pais que aínda não ratificou o tratado.... portanto os ECT's etc, ainda não têm valor "oficial".