Autor Tópico: Benchmarking em Enfermagem  (Lida 4889 vezes)

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Benchmarking em Enfermagem
« em: Dezembro 11, 2007, 00:59:48 »
Podemos defenir   Benchmarking como um processo contínuo, uma investigação que fornece informações valiosas, um processo de aprendizagem com outros, um trabalho intensivo, consumidor de tempo, que requer disciplina e uma ferramenta viável a qualquer organização e aplicável a qualquer processo.
Será que a Enfermagem utiliza esta ferramenta ou pretendemos continuar a inventar a roda?

Offline mariamariamaria

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 926
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #1 em: Dezembro 11, 2007, 21:41:29 »
Olá,

O Benchmarking continua a ser uma coisa tabu entre gestores em saúde, pois todos querem inventar a roda.

Quantos problemas não estão já favoravelmente resolvidos e não são transpostos só por arrogância?

Isso leva a tantas reflexões, tantas comparações e abertura dos olhos para as realidades que é difícil implementar.

Abraço.

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #2 em: Dezembro 12, 2007, 05:40:13 »
Penso que utilizamos mas numa escala muito pequena.

Porque digo isto...
-Há pouca troca de informação interpares nomeadamente congressos (sobre enfermagem em reduzido número e pouco dados a trocas "científicas" de experiências");Formação em serviço dada quase por exigência curricular e com conteúdos programáticos pouco interessantes para a maioria dos formandos

- Pouco incentivo à investigação nomeadamente monetários por parte de privados (indústria farmacêutica que é o principal motor da investigação da Medicina) e laborais ( pouca disponibilidade em tempo por parte das chefias para a execução destas mesmas investigações).

- Escassa divulgação sobre práticas, quer via meios de comunicação, quer institucional, quer pessoal: por exemplo eu gostaria imenso de saber, por exemplo, num caso em particular... um modelo de articulação entre Urgências e CSP para diminuir ,quer a recorrência indevida à urgência, quer do acompanhamento na comunidade do utente com alta.

E falando em Benchmarking... não é o fórumenfermagem um espaço privilegiado para o efeito? Aprender e melhorar com os melhores? Troca de experiências, consequentemente percebermos qual a melhor e adoptá-la, não é isso, simplificadamente o benchmarking?

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #3 em: Dezembro 26, 2007, 19:42:41 »
Alguém sabe onde existem práticas de Enfermagem dignas de divulgação (Benchmarking)
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #4 em: Dezembro 29, 2007, 06:07:05 »
O que entendes por práticas de Enfermagem dignas de divulgação?

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #5 em: Janeiro 11, 2008, 00:30:00 »
Uma vez que o benchmarking é um processo de aprendizagem com outros,  não seria altura de utilizar esta poderosa ferramenta para saber como se articula a participação dos Enfermeiros na emergência pré-hospitalar, noutros países ?
Neste periodo de grandes mudanças seria de extrema utilidade,diria uma mais valia,saber aquilo que outros já fizeram.
O que me inibe de ir mais além nessa procura é a pobreza do meu inglês.

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #6 em: Janeiro 12, 2008, 05:29:11 »
Eu acrescentaria que deveríamos também saber qual a participação do enfermeiro nos CSP, cuidados continuados e afins, excepto no hospitalar onde acho que estamos mesmo é limitados pela legalidade, nos outros sectores há muito a "aprender" com outros países.

Offline charlie_ze

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 768
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #7 em: Janeiro 13, 2008, 01:50:18 »
Concordo com o colega Magistral estratega, relativamente aos CSP temos muito que prender com alguns países....

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #8 em: Janeiro 13, 2008, 12:24:30 »
Citação de: charlie_ze
Concordo com o colega Magistral estratega, relativamente aos CSP temos muito que prender com alguns países....
Estou plenamente  de acordo ,peço Desculpa e trocaria apenas  o verbo ter ,pelo ir.

Offline BbEeLlIiNnHhAa

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 185
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #9 em: Janeiro 13, 2008, 20:06:13 »
peço desculpa pela ignorancia mas alguem me explica de forma clara o que é o Benchmarking de que falam? nunca tinha ouvido falar  :-[

Offline RicardoEspiritoSanto

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 22
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #10 em: Janeiro 13, 2008, 21:13:36 »
8)

Grosso modo!  è aprender com experiencias dos outros. e poder aligeirar o passo para chegar lá mais depressa...


A circulação de enfermeiros pelo país é muito pouca, ou nula, nomeadamente ao nível em que poderiam fazer alguma diferença, nomeadamente especialistas, chefes e enfermeiros directores.

Para além de que existe um nacional pequenismo que impede que novas ideias (experiencias copiadas noutros centros) sejam sequer tentadas nos sitios onde a a malta vai parar... isto é, existem experiencias importantes que foram feitas e implementadas no norte, por exemplo, a CIPE, e que o povo de lisboa pura e simplesmente repudia e não quer aplicar, prefere fazer tudo de novo, sozinho...

Existem serviços soberbamente organizados, hospitais com experiencias muito bem conseguidas, mas que a tacanhes de quem decide não permite a máquina avançar...

Do meu ponto de vista, é por isso que a coisa não funciona...  ;)

Saudações cordiais..

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #11 em: Janeiro 13, 2008, 21:40:45 »
Concordo com o que o colega refere anteriormente.Para um conhecimento mais profundo e de fácil leitura aconselho a leitura de"Benchmarking e reforma da Administração Pública" da autoria de Rui Lopes dos Reis e Henrique M. P. Reis.
Contudo uma simples pesquisa no Google fornece muitas pistas.
Como o colega relata ,continuamos nós Enfermagem Portuguesa a querer reinventar a roda.

Offline RicardoEspiritoSanto

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 22
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #12 em: Janeiro 13, 2008, 21:55:11 »
8)

não existe ainda um corpo dirigente, aquele que referi, com capacidades de autoaprendizagem ao longo do tempo em novas matérias de gestão que lhes permitam dar o salto evolutivo, pelo qual tantos de nós desesperam ao ver tardar... tanto, a maioria dos corpos dirigentes, nomeadamente do sector público estão completamente ultrapassados. Não será por acaso que em muitos hospitais privados, nomeadamente unidades altamente produtivas, caso de unidades de exames, blocos, cuidados intensivos, estão a ser colocados chefes relativamente novos, mas perfeitamente capazes de alicerçar procedimentos e criar vinculos às práticas, sem perder as capacidades criticas e reflexivas que são exigidas a todos...

Saudações   8)

Offline Mauro Germano

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2218
    • Ver Perfil
    • http://saudeeportugal.blogspot.com
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #13 em: Dezembro 10, 2010, 19:48:03 »

Offline Danizinha

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 181
    • Ver Perfil
Re: Benchmarking em Enfermagem
« Responder #14 em: Dezembro 11, 2010, 15:25:00 »
Benchmarking... Penso que a grande questão aqui não é só o aprender "fazer bem" com a experiência dos outros, mas também com os erros... E penso que este é o nosso Calcanhar de Aquiles, visto que a reportação de erros é mínima! E porquê? Muitas das vezes, se não na sua grande maioria, os profissionais silenciam este erro, para que passe desapercebido, com medo de retaliações e de assumir a responsabilidade dos seus actos.
Durante a minha licenciatura tive uma cadeira que se chamava Qualidade em Saúde, em que falamos de Benchmarking, sendo que a nossa professora defendia afincadamente a reportação do erro, não para sermos punidos, mas para todos aprendermos com a situação, e focava um aspecto importante que também eu passei a defender, quando há um erro não se deve encarar como erro do enfermeiro x, mas sim de toda uma equipa, e em conjunto tentar minimizar os seus danos, e impedir que volte a acontecer.
Em toda a minha vida académica fui perseguida pelo medo de errar, pois dava direito a chumbo directo. Tanto eu como os meus colegas por vezes tínhamos tanto medo de falar com os nossos orientadores sobre dúvidas, legitimas para quem está a aprender (não esquecendo que esta aprendizagem é continua), que certamente ficou muito por aprender neste caminho de 4 anos. A mesma professora defendia que os alunos não deveriam chumbar por erros terapêuticos (por exemplo), não é o chumbar que o vai ensinar... Se passou na cadeira de farmacologia e farmacoterapia, estará hipoteticamente apto à administração de terapêutica, porque não "investigar" o motivo deste erro? Será que foi uma troca de furosemida e Ranitidina? (relembro a semelhança de ambas as ampolas), É certo que se este foi o caso, o aluno (ou mesmo o profissional de saúde) deveria ter visto e revisto o rótulo, mas a questão é que somos humanos, e cometemos erros. É certo que alguns podem ser fatais, e estamos a lidar com vidas... mas estes medos levam-nos a não reportar!
Talvez já fosse altura dos laboratórios alterarem os rótulos destes fármacos, por exemplo... Mas se este tipo de erros nunca forem reportados as coisas nunca irão mudar... até porque corre tudo muito bem...

(Penso que divaguei um pouco...)

Em suma, Benchmarking é importante, para o bem e para o mal, só temos a ganhar com isso... Neste momento trabalho numa instituição com outra enfermeira que faz apenas as minhas folgas, sendo que estou sempre sozinha e sou autónoma nas minhas tomadas de decisões, e o que mais sinto falta é poder ter alguém com quem discutir determinados assuntos, nem que seja a coisa mais "estapafúrdia"  de todos os tempos, mas é importante haver troca de ideias, pois só assim podemos evoluir.

Cumps