Autor Tópico: Desemprego na Enfermagem  (Lida 7832 vezes)

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Desemprego na Enfermagem
« em: Outubro 22, 2007, 23:36:15 »
Quer queiramos ou não o desemprego na Enfermagem, marca a actualidade e é preocupação de uma larga fatia dos Enfermeiros.
 Todos, em maior ou menor grau somos atingidos, na medida em que se alguns pura e simplesmente não conseguem arranjar emprego, todos os outros vamos perdendo, regalias /direitos que penosamente fomos adquirindo ao longo das últimas décadas.
O exercício que proponho é tentarmos discutir as causas que nos empurraram para esta triste e penosa situação.
Quem são os verdadeiros culpados?
A Ordem?
Os Sindicatos?
O Governo?
Ou seremos todos um pouco culpados, que andamos tão distraídos que não enxergamos o que tem vindo a  passar à nossa volta?

Offline hikawa

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 29
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #1 em: Outubro 22, 2007, 23:48:26 »
Caro colega,

penso que a questão que colocas deve ser avaliada de outro ponto de vista um pouco mais positivo: "Que devemos nós fazer para mudar a situação actual?"
Claro que o que propões tem a sua pertinência e que talvez tratando as causas "curassemos" este problema mas penso, cá para mim, que de facto urge a fazer algo, neste ponto a pensar em soluções!
Deveremos imigrar?
Deveremos ficar de braços cruzados à espera de melhores dias?
Deveremos partir e sermos empreendedores e procurar outras soluções, como por exemplo criar empresas de enfermagem?
Deixo também aqui mais um ponto de vista de ver a actual situação do desemprego.

Saudações

Offline tiju

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 74
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #2 em: Outubro 23, 2007, 11:51:21 »
Bom Dia!
Na minha opinião o facto de haver níveis elevados de enfermeiros desempregados, deve-se a vários motivos:
1º O Governo - Os serviços hospitalares carecem de um numero adequado de enfermeiros. Por vezes no seu dia-a-dia os profissionais de enfermagem não conseguem satisfazer completamente o doente, isto é, o doente tem que se habituar aos horários dos enfemeiros e não o contrário.
Se se disponibilizassem verbas para admitir mais enfermeiros penso que a qualidade dos cuidados prestados subia exponencialmente. Contudo fica mais barato aos cofres do governo admitir auxiliares de acção médica;
2º A ordem dos enfermeiros e sindicato - não têm do meu ponto de vista lutado adequadamente.
Devido a esta falta de emprego os enfermeiros são "obrigados" a aceitar contratos de trabalho pouco dignos, para um licenciado.
Cumprimentos

Offline Álvaro Matos

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 442
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #3 em: Outubro 24, 2007, 00:40:24 »
Que devemos nós fazer para mudar a situação actual?"
Para responder a esta pergunta há que averiguar as razões/culpa, fazer uma avaliação diagnóstica da situação, quando digo culpa quero dizer quais os factores e quem tem contribuído para a situação actual.
Contudo todas as entidades que referi têm a sua quota-parte na responsabilidade desta situação.
Se o problema hoje já é grave, como não ficará daqui um ano ou dois com as várias Escolas a mandar fornadas de Enfermeiros cá para fora.
Isto permite-me colocar uma outra questão que é se ao fim de um ano de desemprego estará alguém capaz de exercer a profissão, na medida em que todos sabemos que é a prática que nos torna mais aptos.
Gostaria de ter respostas, mas infelizmente só tenho questões e não vejo tomar qualquer tipo de medidas para inverter o rumo.
Contudo, uma das principais críticas que se pode fazer ao processo de planeamento em saúde é o facto de que os seus instrumentos são inadequados para orientar a execução e a tomada de decisão transformam a elaboração de planos em mera formalidade, desarticulada dos problemas concretos da acção, tendo por base a oferta de recursos em detrimento das necessidades de saúde da população.

Offline vaniarcl

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 142
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #4 em: Outubro 24, 2007, 14:53:35 »
Na minha singela opinião:

* Elevado múmero de enfermeiros formados - assim como a Ordem dos Médicos não permite o aumento de vagas em Medicina, porque é que a nossa Ordem dos Enfermeiros também não se impôs?

* Orçamento de Estado - com reduções feitas, até parece que querem colocar o SNS a gerar receitas e não despesas! Como é que isso poderá ser possivel? Eu não compreendo, se alguem conseguir, por favor, que me explique...

* Criação dos hospitais EPE - como se tornam mais "autónomos", têm independencia para decidir em que classes dispendem o dinheiro vindo do governo.

* Delegação de Tarefas - Por haver mais trabalho para cada enfermeiro, este para cumprir o plano de cuidados delega tarefas nas auxiliares e assim as entidades patronais não sentem a falta dos enfermeiros e a contratação de AAM prossegue...

* Silêncio - Dos enfermeiros sobrecarregados de trabalho que se silenciam pelo medo de perder o contracto ou a sua renovação (que eu compreendo)

* Chefes de Enfermagem - por não reivindicarem para o seu serviço maior número de enfermeiros, de forma a garantir a qualidade de cuidados prestados aos utentes.

* Falta de Investigação - para provar que com a falta de enfermeiros, não há tempo para ensinos, planeamentos eficazes de alta, que se repercutem em reinternamentos e diminuição ou pouco exploração da autonomia passivel de adquirir dos utentes!

Offline daniela_mrqs

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 234
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #5 em: Janeiro 06, 2008, 16:48:57 »
Colega Vânia Loureiro,concordo inteiramente com a sua opinião. Penso que expôs realmente o problema.
"Orçamento de Estado - com reduções feitas, até parece que querem colocar o SNS a gerar receitas e não despesas! Como é que isso poderá ser possivel? Eu não compreendo, se alguem conseguir, por favor, que me explique..." Também não compreendo esta questão. Acho que o Governo deveria aranjar outros pontos nos quais fazer "poupança" que não a saúde. Na disciplina de Economia da Saúde fala-se muito na Equidade de acesso aos cuidados de saúde. Mas será que com tantas urgências, SAP's,maternidades,diversos serviços hospitalares essa equidade existe realmente? O mais estranho de tudo é que há inúmeros artigos do Sr. Ministro da Saúde Correia de Campos a defender esta equidade... Enfim,não há explicações...
Mas o ponto fulcral é mesmo a quantidade de enfermeiros que se formam todos os anos... A Ordem bem como o Ministério de Unsino Superior deveriam resolver este problema. Qual a necessidade de se investir em tantos estudantes de Enfermagem se depois não há vagas para todos? É que não nos podemos esquecer que nos últimos anos não se tem reformado ninguém e as vagas muitas vezes não podem ser criadas do nada...

Offline CloncV

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 20
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #6 em: Janeiro 10, 2008, 22:10:22 »
Não me parece que haja enfermeiros a mais.
O que há é fraca capacidade de empregabilidade dos enfermeiros.
Trocado por miúdos, faltam enfermeiros na Saúde e falta dinheiro para os empregar.


Isto não quer dizer que, a continuarem estas «fornadas de enfermeiros» um dia o mercado não vá saturar. :-[
______________________
....Saber...Estar...Presente

Offline Valgaeren

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 550
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #7 em: Janeiro 10, 2008, 23:05:48 »
Para mim a culpa é da ordem q deixa abrir tantas escolas de enfermagem...
Mas tb do governo q nao deixa contratar os enfermeiros q realmente sao necessarios
DURA PRAXIS SED PRAXIS

Offline Remeronimation

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 104
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #8 em: Janeiro 11, 2008, 00:32:02 »
Uma questão:
E que tal se fosse proposto um abaixo assinado NACIONAL, nem que seja apenas no sector, tanto para a Ordem (mais por tradição e consideração) como para o Ministério do Ensino Superior para a redução de vagas?
É que quando a ordem não faz nada, e o descontentamente é geral, não se esqueçam que nós podemos, se quisermos, ter uma voz bastante activa tal como a própria História nos ensinou.
Penso que caso queiram levar esta ideia adiante, se for possível, mesmo que para nada adiante, irá demonstrar que não pretendemos ficar a ver o navio a afundar, e a simplesmente queixarmo-nos...
Proponho que utilizem este fórum como divulgação, e talvez como local de abaixo-assinado digital.
Não é preciso baixarem as vagas drasticamente. Um pouco em cada escola iria aliviar muito o sector, passando também pelas Associações de Estudantes, de cada escola. É uma medida de promoção para as nossas condições de trabalho, e defesa dos nossos direitos. Muitos irão compreender que milhentas escolas por distrito é um completo absurso...

Mesmo que não sirva de nada no caso da redução, irá consciencializar a população para os nossos problemas, e fará com que sejamos ouvidos, garantidamente.
Será que poderia ser possível?
Para além disso, uma área reservada à divulgação do que é a Enfermagem em Portugal no Século XXI, dos seus pontos negativos como para os positivos (que são tão desvalorizados) seria importante, penso eu! Temos que nos concentrar mais nos bons exemplos. Porque não propor às escolas um dia de abertura ao ensino secundário, tal como na Universidade Nova de Lisboa, o Técnico e outras instituições académicas fazem através de exposições e demontração de uma explicação das práticas de um enfermeiro e enfermagem actuais?
Temos que apostar na mudança de mentalidades, principalmente no futuro: os jovens.
Quantos saberão sequer que há Investigação em Enfermagem?
Qual é a ideia que eles têm da enfermagem?
Que fazemos nós fora dos nossos contextos para o alterar?
Porque não apostamos e pensamos grande?

São questões que todos temos que pensar, e inovar.

Fiquem bem

Offline npires

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 218
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #9 em: Janeiro 11, 2008, 00:46:25 »
Boas...

O problema surge simplesmente do numero de enfermeiros que se formam por ano, ou seja, desde que se comentou que enfermagem tinha saída...uiii...o pessoal axou que era melhor que o euromilhoes e agr o resultado é este...montes de escolas a lançar milhares de enfermeiros por ano...

Bem, o que é certo é que a nossa querida ordem poderia fazer um pouco mais e limitar essas vagas tendo em conta o estado da nossa profissão mas agr deixo apenas uma pekena kestão: "Será que há ordem lhe interessa que reduzam o numero de vags?!"...
Para mim a resposta é obvia...NÃO...A eles o unico que interessa é receberem a quota mensal e mais nada e quantos mais enfermeiros se formem mais quotas entram nos bolsos deles....Sinceramente mais parece uma Desordem e não uma ordem... Enfim...A nossa ordem é a verdadeira imagem do nosso país...

Offline keliinha

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 830
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #10 em: Janeiro 11, 2008, 01:58:02 »
Penso que o elevado nº de enfermeiros que todos os anos se formam é um grave problema, mas na minha opinião a culpa é maioritariamente do nosso governo, reparem, é vergonhoso a paradoxal a existencia de milhares de enfermeiros desempregados (segundo um estudo que vi são cerca de 2000) num pais onde os enfermeiros são obrigados a limitar os seus cuidados, porque o tempo que podem oferecer a cada doente é pouco, visto existirem poucos profissionais em cada turno.
Por outro lado uma escola de enfermagem só pode abrir com o reconhecimento do ministerio da ciencia e do ensino superior, sendo assim, se têm tao pouco para oferecer a estes profissionais, porque permitiu este ministerio que muitas instituições abrissem as portas??
E ja agora, tudo isto foi acontecendo e a nossa ordem nada fez, e os enfermeiros com a sua inercia, passividade e falta de corporativismo tb nd fizeram e ainda permitiram que uma bastonaria k n luta pelos interesses da classe fosse reeleita!
Acho que n é dificil perceber de quem é a culpa...
E agora o que ha a fazer?? Muito colegas, mas ja deu para perceber k esta classe irá morrer calada e abafada!!
A mim ng me cala..e irei falar e lutar sp!!

Offline letita

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 168
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #11 em: Janeiro 11, 2008, 21:56:00 »
Quando eu resolvi concorrer para enfermagem isto em 1998, as previsões eram que faltavam cerca de 10000 enfermeiros e que em 10 anos estes profissionais já seriam suficientes para a escassez..............é incrível e estamos em 2008 ( há 10 anos se falava em emprego em enfermagem)..................agora fala-se em desemprego. As escolas privadas foram aparecendo assim como as escolas públicas aumentaram as suas vagas..................neste momento acho que os ministérios com a colaboração da nossa ordem  ::) deviam diminuir as vagas.
Cumprimentos

Offline daniela_mrqs

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 234
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #12 em: Janeiro 12, 2008, 12:39:36 »
Também concordo que deveriam diminuir as vagas,mas acho que a nossa bastonária não acredita nisso... Apesar de ver o desemprego que "nos persegue" ela continua a afirmar que "faltam mais de 3500 enfermeiros nos Centros de Saúde em Portugal e mais de 9000 enfermeiros nos serviços de cirurgia e medicina em POrtugal" Foram palavras da Sra Bastonária no dia da Cerimónia de Vinculação à profissão na Secção regional do Centro... Será que com este pensamento ela estará interessada em diminuir o número de vagas ??? Muito sinceramente não me parece... É que diminuir o número de vagas também significa diminuir o número de pessoas que todos os anos começa a pagar cotas para a Ordem,mesmo não estando a trabalhar... Sim,porque não acredito na proposta eleitoral da senhora a retirar a obrigação de pagar cotas se não se está a trabalhar...
Enfim,espero que melhores dias apareçam...
Cumprimentos e boa sorte a todos  ;)

Offline funboarder_p33

  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 2
    • Ver Perfil
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #13 em: Janeiro 13, 2008, 04:15:23 »
Não sei até que ponto a ordem poderá impor o fecho de tantos cursos de enfermagem, no entanto a proposta da OE no que diz respeito ao "Modelo de Desenvolvimento Profissional" publicado no Expr0ssoOE Março de 2007, poderá ser parte da solução.

Segundo esta proposta haverá um controlo no acesso à profissão - Que não poderá ser visto como um "Numeros Clausus", mas sim como uma garantia de qualidade e um acrescento à dignidade dos enfermeiros;

Estamos fartos de salários baixos - Sem dúvida que sim, pois se por um lado quer-se qualidade essa tem de se buscar em cursos, bibliografias, pesquisas na internet, entre outros (isto tudo paga-se e algumas vezes bem caro);

Investigação - Faz-se e de qualidade, no que diz respeito a implementar, tenho muitas reservas. Não existe espaço para debater, nem reflectir o nosso dia a dia, quanto mais discutir trabalhos;

Sindicatos, Ordens, Associações - Temos de ser ser mais activos e interventivos e deixar de lado o nosso egoísmo;

Arrisco-me a opinar reforçando que talvez o que faz falta à nossa OE é uma atitude corporativista que permita auferirmos de salários mais justos, trabalho com dignidade e consequente melhoria da qualidade. Enfermeiros felizes trabalham melhor, pensam no que fazem, como fazem e porque o fazem. O actual SNS apenas quer enfermeiros submissos, com medo e trabalhem muito sem pensar.

O recurso ao "Lobbying" está pouco explorado, se somos muitos porque não explorar a nossa força?!

Offline Thecrow19

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 81
    • Ver Perfil
    • http://anotherportuguesenurseinuk.blogspot.com
Re: Desemprego na Enfermagem
« Responder #14 em: Janeiro 13, 2008, 19:22:04 »
Existe descontentamento entre tdos nos, ate ja nos os futuros enfermeiros onde me incluo.
Acho que algo tem que ser feito e urgentemente para abrir bem os olhos a todo o país do que se passa com a nossa classe. Sao varios os factores que levaram a este ponto, ja foram aqui ditos não vou repeti-los.
Defendo que em vez de falar, falar e falar, devemos passar a acçao, temos que tomar medidas que sejam suficientemente visiveis e que façam o país tomar consciencia do problema.
Se os enfermeiros paralizassem um dia, os cuidados de saude em Portugal paravam. Seria uma medida drastica. É verdade que temos como objectivo principal cuidar da pessoa... mas cm podemos cuidar d1 pessoa se muitos de nos nao se sentem a vontade, tao inseguros e intraquilos sobre o futuro, com contractos miseros e que se renovam de 3 em 3 ou 6 em 6 meses.
é uma ideia que fica.
Eu entrei para este curso porque era o que queria, continuo a querer e continuarei. No final vou enfrentar o desemprego como é obvio, mas lutarei para sair dessa situaçao. Não nos podemos deixar conformar com tudo o que se tem passado com a enfermagem.
Bem e tudo cumprimentos