Forumenfermagem

Autor Tópico: Sargentos Classe de Enfermeiros e Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica (RC)  (Lida 4608 vezes)

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
Caros colegas: na secção de anúncios está um que tem o título em epígrafe.
É vergonhosa a descriminação que a Instituição Militar exerce sobre a classe dos Enfermeiros.
Porque não podem os Enfermeiros (hoje maioritariamente licenciados e muitos com mestrado e alguns com doutoramento) aceder à classe dos Oficiais? Não podem passar de subalternos (sub+alter = debaixo de outro)!
Porque no séc. XVIII algumas enfermeiras eram recrutadas entre as ex-prostitutas? Porque em 1940 as enfermeiras não podiam casar?

Não! Porque a Instituição  Militar em Portugal é retrógrada por Natureza e também ela minada pelo lobby dos médicos, que tremem de medo ao pensar que podem ter de trabalhar lado a lado com profissionais da mesma patente e que conhecem os doentes, sob muitas perspectivas, melhor do que eles. É por isto.

O que acham? Será que algum enfermeiro militar ou ex-militar  (ou mesmo militar não enfermeiro) lê o "ForumEnfermagem" e tem coragem de dizer como é?
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline enfermeiredo

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 878
    • Ver Perfil
    • http://groups.google.com/group/noticias-da-enfermagem
O povo opõe-se à massa;
vive da liberdade e da consciência de cada um

Pio XII
Rádio Mensagem de Natal de 1944
Sobre a democracia
O 5.º Natal de guerra

Offline bisc8

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Não posso estar mais de acordo...

Desconheço a razão para a classe de enfermeiros estar exclusiva à classe de sargentos. Não sei se existem enfermeiros a exercer funções de enfermeiro com categoria de oficial... Não posso afirmar piamente que não existem oficiais enfermeiros... Contudo posso reflectir o seguinte: o curso de enfermagem nem sempre teve o grau de licenciatura e por isso não poderia ser integrado nas academias militares como licenciatura e por esse motivo o curso de enfermagem militar, podia ser realizado na escola de sargentos do exército.

Contudo, creio que a instituição manteve as mesma regras não acompanhando a evolução na carreira de enfermagem. Uma vez que passou agora a licenciatura, com possibilidade de estudos especializados e mestrados, torna-se necessário na minha opinião que as instituições militares acompanhem esta tendência e passem a integrar o curso de enfermagem nas academias militares, ou na melhor das hipóteses, permitir que os licenciados em enfermagem possam concorrer em igualdade de circunstâncias e igualdade de direitos com os demais licenciados, nomeadamente para os cargos de oficiais em regime de contrato, uma vez que a progressão na carreira destes oficiais não se equipara aos oficiais dos quadros (academias militares) e assim não se punha em causa a diferença entre o médico e o enfermeiro, se bem que na minha opinião essa diferença existe nas funções de cada um e não deveriam ser preciso títulos militares superiores ou inferiores que distingam uns dos outros...

Fica a minha opinião

Cumprimentos

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Boas!

O meu namorado foi fazer em Setembro os testes para o exército e como em Julho eu tinha acabado a licenciatura ele até me perguntou se eu queria ir também e entrava como licenciada. Quando descobri esta falta de igualdade para com os enfermeiros, não só quase lhe atirei com o exército sabe.se lá pra onde como no dia em que ele se inscreveu para as provas na praça do comércio e o senhor perguntou se eu também me ia inscrever eu respondi-lhe que "num país em que alguns licenciados são oficiais e outros licenciados só podem ser sargentos não contem comigo para nada."

Não entendo. Quer dizer por um lado, sei bem porque é que isto se passa, porque os médicos vivem amedrontados com quem mais lhes corrige os seus erros na prática. Mas por outro lado, pergunto.me como é que uma instituição como o exército, marinha etc se deixa arrastar no tempo sem se atualizar? como é que permitem que pessoas altamente qualificadas como são os enfermeiros em Portugal não possam ambicionar em ser algo mais nas carreiras do exército?

Enfim, já me acostumei com a injustiça e não me admirei nada quando descobriram que esse recrutamento de técnicos não sei quantos navais não incluia os enfermeiros no formulário...
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline bisc8

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Colega catmartins22,

Concordo com a sua indignação quanto à limitação da enfermagem à classe de sargentos. No entanto não considero que isso se deva ao medo dos médicos pelos enfermeiros. Os enfermeiros não são melhores que os médicos nem piores. Cada um tem a sua licenciatura (entada-se área de estudos) e cada um tem as suas funções autônomas e interdependentes. Os enfermeiros precisam dos médicos e os médicos precisam dos enfermeiros, e não há volta a dar a isto.

Não penso que os médicos vivam amedrontados pelos enfermeiros, mas antes que, a sociedade encarregou-se já há alguns anos de fazer esta diferença abismal entre as classes médicas e de enfermagem, colocando os médicos no pedestal em que eles não deveriam estar, mas isso são outras discussões. Não podemos é enquanto enfermeiros afirmar que os corrigimos e somos melhores do que eles na prática hospitalar porque isso não corresponde exatamente à realidade. Quanto a médicos e enfermeiros partilharem as mesmas patentes, decerto que será uma razão para as instituições militares não permitirem enfermeiros na carreira de oficiais, mas que na minha opinião, tal como a sociedade já enraizou, é um pensamento um pouco retrogrado na minha opinião.

A solução passaria numa primeira fase, por incluírem os enfermeiros apenas nos oficiais de contrato mas isso levantaria imensos problemas a nível organizacional e hierárquico uma vez que já existem enfermeiros sargentos, com o curso tirado na escola de sargentos e que nunca evoluíram na carreira, e passar a oficial não é bem o mesmo que lhes dar uma equivalência ou pedir para tirarem o complemento como aconteceu com os colegas bachereis. A mudança, a acontecer irá levar anos até se conseguir uma situação equilibrada para todos.

Offline BV1

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 70
    • Ver Perfil
Mais um cumulo da estupidez e da discriminação num pais de pedantes!....
Um qualquer aluno do 1º ano de engenharia, arquitectura, direito, economia, pode aceder à classe de oficiais. Se for enfermeiro com licenciatura, mestrado ou douturamento apenas pode acederà classe de sargentos!....
Os médicos desconhecia, aliás, pensava que estavam abrangidos pelas mesmas leis que limitam o acesso dos enfermeiros!...
Isto é tudo uma palhaçada!....

Offline bisc8

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Realmente é triste esta situação...

Colocam-se várias questões: Quem tira o curso na escola de sargentos, é ou não licenciado? que curso de enfermagem e que tipo de planos de estudos tem eles na escola de sargentos para quem estuda lá enfermagem de raiz? Qual a diferença entre um enfermeiro militar formado na escola de sargentos e um enfermeiro civil, formado em qualquer escola superior?

Temos duas classes de enfermeiros? é uma situação bastante complexa...

Quanto aos médicos e outros, há que lembrar que nas academias militares existem os cursos de medicina, engenharias (civil e eletrotécnica) farmácia, veterinária, administração e depois exitem os específicos vocacionados mais para a operacionalidade militar. Assim sendo também fará sentido que engenheiros, médicos, etc, possam concorrer a oficiais de contrato. Mas porque razão nao podem também os enfermeiros? Somos licenciados na vida civil mas na militar já nao?

e já agora, que terá a nossa Ordem a dizer sobre isto?