Autor Tópico: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE  (Lida 73311 vezes)

Offline Leobisho

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 7
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #120 em: Janeiro 08, 2013, 03:05:16 »
Enfim...mais um concurso "fantoche" e "para tapar os olhos" a muita gente....Excluído por requerimento incompleto.... pelo que vi, deve faltar um ponto final ou uma vírgula... porque segundo o que ele pedem, eu coloquei TUDO! mas s n for nisso, é mais tarde na entrevista ou na avaliação de outra treta qualquer, como já me aconteceu noutros concursos...

Offline AndT

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 46
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #121 em: Janeiro 08, 2013, 22:24:00 »
A mim aconteceu o mesmo "requerimento incompleto" por isso vou reclamar pois só assim chegaremos a algum lado...
Boa sorte

Offline M@@@

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 90
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #122 em: Janeiro 09, 2013, 00:25:42 »
Citação de: nnadia
alguem me elucide nao houveram entrevistas certo??? loll q tanga de concurso,,,
foi criado apenas para contratar enf q estavam a fazer "voluntariado" simm voluntarios em enfermagem num hospital EPE..

como podemos saber o porque da exclusao?!! ...

Caro colega,

Muitos dos enfermeiros a fazer voluntariado no Hospital ficaram muito mas muito além dos 400 e tal. Poderá estar alguns entre os 100... O que desejo é boa sorte para eles. Concorri e fiquei numa posição não muito agradável, visto que muitos dos recém licenciados ficaram em melhor posição, isto porque trabalho há mais de 5 anos... Tento a sorte para um dia trabalhar perto de casa.

Boa sorte...

Offline pedrosfm

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 25
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #123 em: Janeiro 09, 2013, 01:54:40 »
Citação de: M@@@
Citação de: nnadia
alguem me elucide nao houveram entrevistas certo??? loll q tanga de concurso,,,
foi criado apenas para contratar enf q estavam a fazer "voluntariado" simm voluntarios em enfermagem num hospital EPE..

como podemos saber o porque da exclusao?!! ...

Caro colega,

Muitos dos enfermeiros a fazer voluntariado no Hospital ficaram muito mas muito além dos 400 e tal. Poderá estar alguns entre os 100... O que desejo é boa sorte para eles. Concorri e fiquei numa posição não muito agradável, visto que muitos dos recém licenciados ficaram em melhor posição, isto porque trabalho há mais de 5 anos... Tento a sorte para um dia trabalhar perto de casa.

Boa sorte...

Também tenho experiência profissional de mais de 1 ano, mas a avaliar pela fórmula de cálculo da avaliação curricular dão claramente peso a mais a formações pós-curso e a itens da mais variada e pouco útil natureza. Explicação prática e lógica parece difícil de encontrar, já que, por exemplo, não discriminam as formações e as que um candidato possuir podem nem ser adequadas aos cargos que os enfermeiros a escolher irão desempenhar.
Logo não é de surpreender que pessoas com experiência profissional (exclusivamente hospitalar no meu caso) fiquem em posições decepcionantes.

Offline carlaralves

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 10
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #124 em: Janeiro 09, 2013, 11:18:47 »
Eu fui excluída por ter mais de 3 páginas no cv! Eu tinha 3 páginas, mas coloquei como quarta página anexos, fui desclassificada! Reclamei mas n vai valer a pena...

Offline bisc8

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #125 em: Janeiro 10, 2013, 14:07:21 »
Portanto, deixem-me ver se entendi bem... Ha aqui alguns colegas indignados ao longo do tópico, porque os recém licenciados, voluntários, etc, estão em posições melhores e os referidos colegas alegam em sua defesa já possuírem infida-veis anos de experiência e que os cursos não valem nada (os que se realizam depois da licenciatura)...

Saibam os caros colegas, que não me encontrando em situação de recém licenciado nem com falta de trabalho, mas compreendendo a posição destes, gostaria de vos dizer que para terem experiencia os novos graduados precisam de trabalho (mas muitas vezes se verifica serem obrigados a ter experiencia para terem trabalho, o que é utópico e ridículo).

Mais ainda, gostaria de acrescentar, que se têm experiência, é porque têm ou tiveram trabalho... e se o têm, agarrem-no e deixem que outros tenham essa oportunidade... ter tal como vocês, uma oportunidade de trabalho neste país para que possam aplicar o que aprenderam, para que possam ter um salário e para que possam ter a vossa experiência... Se os recém licenciados ficaram em melhores posições, ainda bem, pois se calhar eles merecem o direito a uma vaga seja la onde for geograficamente falando, ou estarei assim tao errado? O vosso pão está assegurado meus amigos... Ou vamos mandá-los todos emigrar, para que a malta com experiencia ocupe os concursos todos e as vagas todas e consiga trabalho em frente à porta de casa???

Para terminar, quero ainda mostrar a minha tristeza quanto ao facto de percepcionar, não só aqui, mas em variadíssimos tópicos, que as formações são pouco valorizadas pela classe... É pena, pois afirmando-se a enfermagem como ciência, com corpo de conhecimentos cientifico que requer investigação e evolução constante, é pena que se pense que a licenciatura é o bastante na formação de um enfermeiro... Se me disserem, as formações são caras, eu digo-vos, sim, são ridiculamente caras, e se calhar muitas delas deixam a desejar o seu conteúdo e os próprios formadores, no entanto, a formações e cursos são e extrema importância para uma arte e ciência como a enfermagem!!! A evolução e acompanhamento da mesma devem ser constantes...

Cumprimentos a todos

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #126 em: Janeiro 10, 2013, 14:17:09 »
Citação de: bisc8
Portanto, deixem-me ver se entendi bem... Ha aqui alguns colegas indignados ao longo do tópico, porque os recém licenciados, voluntários, etc, estão em posições melhores e os referidos colegas alegam em sua defesa já possuírem infida-veis anos de experiência e que os cursos não valem nada (os que se realizam depois da licenciatura)...

Saibam os caros colegas, que não me encontrando em situação de recém licenciado nem com falta de trabalho, mas compreendendo a posição destes, gostaria de vos dizer que para terem experiencia os novos graduados precisam de trabalho (mas muitas vezes se verifica serem obrigados a ter experiencia para terem trabalho, o que é utópico e ridículo).

Mais ainda, gostaria de acrescentar, que se têm experiência, é porque têm ou tiveram trabalho... e se o têm, agarrem-no e deixem que outros tenham essa oportunidade... ter tal como vocês, uma oportunidade de trabalho neste país para que possam aplicar o que aprenderam, para que possam ter um salário e para que possam ter a vossa experiência... Se os recém licenciados ficaram em melhores posições, ainda bem, pois se calhar eles merecem o direito a uma vaga seja la onde for geograficamente falando, ou estarei assim tao errado? O vosso pão está assegurado meus amigos... Ou vamos mandá-los todos emigrar, para que a malta com experiencia ocupe os concursos todos e as vagas todas e consiga trabalho em frente à porta de casa???

Para terminar, quero ainda mostrar a minha tristeza quanto ao facto de percepcionar, não só aqui, mas em variadíssimos tópicos, que as formações são pouco valorizadas pela classe... É pena, pois afirmando-se a enfermagem como ciência, com corpo de conhecimentos cientifico que requer investigação e evolução constante, é pena que se pense que a licenciatura é o bastante na formação de um enfermeiro... Se me disserem, as formações são caras, eu digo-vos, sim, são ridiculamente caras, e se calhar muitas delas deixam a desejar o seu conteúdo e os próprios formadores, no entanto, a formações e cursos são e extrema importância para uma arte e ciência como a enfermagem!!! A evolução e acompanhamento da mesma devem ser constantes...

Cumprimentos a todos

não diria melhor colega. e sim, as formações são ridiculamente caras, estupidamente caras até mas como disse, necessárias. Eu percebo perfeitamente os juris que valorizem as formações. longe vai o tempo em que a formação base em qualquer área era suficiente para vingar em qualquer lugar. mas é um absurdo o que se pedem por alguns cursos e mesmo participação em jornadas e simpósios. mas é necessário por isso...
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline enfarfr

  • Membro Veterano
  • *****
  • Mensagens: 2758
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #127 em: Janeiro 10, 2013, 14:48:37 »
Citação de: bisc8
Portanto, deixem-me ver se entendi bem... Ha aqui alguns colegas indignados ao longo do tópico, porque os recém licenciados, voluntários, etc, estão em posições melhores e os referidos colegas alegam em sua defesa já possuírem infida-veis anos de experiência e que os cursos não valem nada (os que se realizam depois da licenciatura)...

Saibam os caros colegas, que não me encontrando em situação de recém licenciado nem com falta de trabalho, mas compreendendo a posição destes, gostaria de vos dizer que para terem experiencia os novos graduados precisam de trabalho (mas muitas vezes se verifica serem obrigados a ter experiencia para terem trabalho, o que é utópico e ridículo).

Mais ainda, gostaria de acrescentar, que se têm experiência, é porque têm ou tiveram trabalho... e se o têm, agarrem-no e deixem que outros tenham essa oportunidade... ter tal como vocês, uma oportunidade de trabalho neste país para que possam aplicar o que aprenderam, para que possam ter um salário e para que possam ter a vossa experiência... Se os recém licenciados ficaram em melhores posições, ainda bem, pois se calhar eles merecem o direito a uma vaga seja la onde for geograficamente falando, ou estarei assim tao errado? O vosso pão está assegurado meus amigos... Ou vamos mandá-los todos emigrar, para que a malta com experiencia ocupe os concursos todos e as vagas todas e consiga trabalho em frente à porta de casa???

Para terminar, quero ainda mostrar a minha tristeza quanto ao facto de percepcionar, não só aqui, mas em variadíssimos tópicos, que as formações são pouco valorizadas pela classe... É pena, pois afirmando-se a enfermagem como ciência, com corpo de conhecimentos cientifico que requer investigação e evolução constante, é pena que se pense que a licenciatura é o bastante na formação de um enfermeiro... Se me disserem, as formações são caras, eu digo-vos, sim, são ridiculamente caras, e se calhar muitas delas deixam a desejar o seu conteúdo e os próprios formadores, no entanto, a formações e cursos são e extrema importância para uma arte e ciência como a enfermagem!!! A evolução e acompanhamento da mesma devem ser constantes...

Cumprimentos a todos

Cada concurso tem os seus critérios, que devem ser o mais justos possíveis e adequados ao local de trabalho em questão.

Se é difícil que estes critérios sejam justos? Provavelmente sim. Mas, pela minha opinião e experiência profissional (meia dúzia de anos)  SEM DÚVIDA nenhuma que a experiência é o que mais deve ser valorizado!

Obviamente que tudo o que possa, de alguma forma revelar a adequação do candidato à vaga, deve ser valorizado.

Critérios justos para o lugar em questão e a correcta aplicação desses critérios.

Na minha opinião, deveria existir uma uniformização dos mesmos, que incluiriam:

- experiência profissional (aqui põe-se em causa se estágios, clínicas e afins devem também ser valorizados. Na minha opinião, sim, se estiverem mesmo relacionados com enfermagem).

- existência de especialidade em enfermagem

- existência de pós-graduação, mestrado e/ou doutoramento

- nota de CLE, já que penso que demonstra o esforço realizado ao longo do curso. Idealmente, isto deveria ser substituído por uma prova nacional, dado que uniformizaria os reais conhecimentos teóricos, removendo os enviesamentos de cada escola, causados pela variação de exigência de escola para escola

- outros cursos (formação em serviço, formação extra serviço, relacionada com enfermagem)

Poderiam existir outros critérios.

Coloquei os critérios por ordem que penso que demonstra a sua importância (por ordem decrescente de importância). Obviamente que quem não tem experiência preferia que a nota de CLE fosse mais importante (caso tivesse uma boa nota) e quem tem experiência concordaria com este modelo.

Existem ainda os critérios de desempate. Na minha opinião e sendo difícil avaliar a justiça dos mesmos, penso que a experiência em anos, meses e dias serviria para desempatar. Penso que seria mais justo que idade, ordem alfabética (já estive num concurso que foi desempatado por ordem alfabética).

Concursos em que se envia currículo, penso que é ineficaz... Milhares de currículos a serem avaliados aumenta certamente a possibilidade de erro. Isto resolveria-se com a criação dum formulário online onde os critérios fossem totalmente explicados e onde os candidatos assumissem a veracidade do que lá escrevem. Quando fossem tomar posse, teriam que apresentar os comprovativos, sob pena de serem excluídos, caso a veracidade não se confirmasse.

É uma área dúbia, verifica-se ainda muita disparidade entre instituições... Quiçá um sistema nacional de ordenação de enfermeiros resolvesse o problema.

Não quis com este texto ir contra ninguém ou demonstrar qualquer mau sentimento contra recém-licenciados. Todos nós passamos por ai e sabemos que não é fácil começar.

Bom trabalho e bons estudos.

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #128 em: Janeiro 10, 2013, 15:52:34 »
Citação de: enfarfr
Citação de: bisc8
Portanto, deixem-me ver se entendi bem... Ha aqui alguns colegas indignados ao longo do tópico, porque os recém licenciados, voluntários, etc, estão em posições melhores e os referidos colegas alegam em sua defesa já possuírem infida-veis anos de experiência e que os cursos não valem nada (os que se realizam depois da licenciatura)...

Saibam os caros colegas, que não me encontrando em situação de recém licenciado nem com falta de trabalho, mas compreendendo a posição destes, gostaria de vos dizer que para terem experiencia os novos graduados precisam de trabalho (mas muitas vezes se verifica serem obrigados a ter experiencia para terem trabalho, o que é utópico e ridículo).

Mais ainda, gostaria de acrescentar, que se têm experiência, é porque têm ou tiveram trabalho... e se o têm, agarrem-no e deixem que outros tenham essa oportunidade... ter tal como vocês, uma oportunidade de trabalho neste país para que possam aplicar o que aprenderam, para que possam ter um salário e para que possam ter a vossa experiência... Se os recém licenciados ficaram em melhores posições, ainda bem, pois se calhar eles merecem o direito a uma vaga seja la onde for geograficamente falando, ou estarei assim tao errado? O vosso pão está assegurado meus amigos... Ou vamos mandá-los todos emigrar, para que a malta com experiencia ocupe os concursos todos e as vagas todas e consiga trabalho em frente à porta de casa???

Para terminar, quero ainda mostrar a minha tristeza quanto ao facto de percepcionar, não só aqui, mas em variadíssimos tópicos, que as formações são pouco valorizadas pela classe... É pena, pois afirmando-se a enfermagem como ciência, com corpo de conhecimentos cientifico que requer investigação e evolução constante, é pena que se pense que a licenciatura é o bastante na formação de um enfermeiro... Se me disserem, as formações são caras, eu digo-vos, sim, são ridiculamente caras, e se calhar muitas delas deixam a desejar o seu conteúdo e os próprios formadores, no entanto, a formações e cursos são e extrema importância para uma arte e ciência como a enfermagem!!! A evolução e acompanhamento da mesma devem ser constantes...

Cumprimentos a todos

Cada concurso tem os seus critérios, que devem ser o mais justos possíveis e adequados ao local de trabalho em questão.

Se é difícil que estes critérios sejam justos? Provavelmente sim. Mas, pela minha opinião e experiência profissional (meia dúzia de anos)  SEM DÚVIDA nenhuma que a experiência é o que mais deve ser valorizado!

Obviamente que tudo o que possa, de alguma forma revelar a adequação do candidato à vaga, deve ser valorizado.

Critérios justos para o lugar em questão e a correcta aplicação desses critérios.

Na minha opinião, deveria existir uma uniformização dos mesmos, que incluiriam:

- experiência profissional (aqui põe-se em causa se estágios, clínicas e afins devem também ser valorizados. Na minha opinião, sim, se estiverem mesmo relacionados com enfermagem).

- existência de especialidade em enfermagem

- existência de pós-graduação, mestrado e/ou doutoramento

- nota de CLE, já que penso que demonstra o esforço realizado ao longo do curso. Idealmente, isto deveria ser substituído por uma prova nacional, dado que uniformizaria os reais conhecimentos teóricos, removendo os enviesamentos de cada escola, causados pela variação de exigência de escola para escola

- outros cursos (formação em serviço, formação extra serviço, relacionada com enfermagem)

Poderiam existir outros critérios.

Coloquei os critérios por ordem que penso que demonstra a sua importância (por ordem decrescente de importância). Obviamente que quem não tem experiência preferia que a nota de CLE fosse mais importante (caso tivesse uma boa nota) e quem tem experiência concordaria com este modelo.

Existem ainda os critérios de desempate. Na minha opinião e sendo difícil avaliar a justiça dos mesmos, penso que a experiência em anos, meses e dias serviria para desempatar. Penso que seria mais justo que idade, ordem alfabética (já estive num concurso que foi desempatado por ordem alfabética).

Concursos em que se envia currículo, penso que é ineficaz... Milhares de currículos a serem avaliados aumenta certamente a possibilidade de erro. Isto resolveria-se com a criação dum formulário online onde os critérios fossem totalmente explicados e onde os candidatos assumissem a veracidade do que lá escrevem. Quando fossem tomar posse, teriam que apresentar os comprovativos, sob pena de serem excluídos, caso a veracidade não se confirmasse.

É uma área dúbia, verifica-se ainda muita disparidade entre instituições... Quiçá um sistema nacional de ordenação de enfermeiros resolvesse o problema.

Não quis com este texto ir contra ninguém ou demonstrar qualquer mau sentimento contra recém-licenciados. Todos nós passamos por ai e sabemos que não é fácil começar.

Bom trabalho e bons estudos.

eu concordo que uma uniformização de critérios a nivel nacional seria o mais indicado, adequados claro aos postos que sao postos à disposição e do que cada instituição pretende. bem pelo menos já existem formulários iguais para os concursos...
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline bisc8

  • Membro
  • ***
  • Mensagens: 73
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #129 em: Janeiro 11, 2013, 11:25:34 »
Citação de: enfarfr
Citação de: bisc8
Portanto, deixem-me ver se entendi bem... Ha aqui alguns colegas indignados ao longo do tópico, porque os recém licenciados, voluntários, etc, estão em posições melhores e os referidos colegas alegam em sua defesa já possuírem infida-veis anos de experiência e que os cursos não valem nada (os que se realizam depois da licenciatura)...

Saibam os caros colegas, que não me encontrando em situação de recém licenciado nem com falta de trabalho, mas compreendendo a posição destes, gostaria de vos dizer que para terem experiencia os novos graduados precisam de trabalho (mas muitas vezes se verifica serem obrigados a ter experiencia para terem trabalho, o que é utópico e ridículo).

Mais ainda, gostaria de acrescentar, que se têm experiência, é porque têm ou tiveram trabalho... e se o têm, agarrem-no e deixem que outros tenham essa oportunidade... ter tal como vocês, uma oportunidade de trabalho neste país para que possam aplicar o que aprenderam, para que possam ter um salário e para que possam ter a vossa experiência... Se os recém licenciados ficaram em melhores posições, ainda bem, pois se calhar eles merecem o direito a uma vaga seja la onde for geograficamente falando, ou estarei assim tao errado? O vosso pão está assegurado meus amigos... Ou vamos mandá-los todos emigrar, para que a malta com experiencia ocupe os concursos todos e as vagas todas e consiga trabalho em frente à porta de casa???

Para terminar, quero ainda mostrar a minha tristeza quanto ao facto de percepcionar, não só aqui, mas em variadíssimos tópicos, que as formações são pouco valorizadas pela classe... É pena, pois afirmando-se a enfermagem como ciência, com corpo de conhecimentos cientifico que requer investigação e evolução constante, é pena que se pense que a licenciatura é o bastante na formação de um enfermeiro... Se me disserem, as formações são caras, eu digo-vos, sim, são ridiculamente caras, e se calhar muitas delas deixam a desejar o seu conteúdo e os próprios formadores, no entanto, a formações e cursos são e extrema importância para uma arte e ciência como a enfermagem!!! A evolução e acompanhamento da mesma devem ser constantes...

Cumprimentos a todos

Cada concurso tem os seus critérios, que devem ser o mais justos possíveis e adequados ao local de trabalho em questão.

Se é difícil que estes critérios sejam justos? Provavelmente sim. Mas, pela minha opinião e experiência profissional (meia dúzia de anos)  SEM DÚVIDA nenhuma que a experiência é o que mais deve ser valorizado!

Obviamente que tudo o que possa, de alguma forma revelar a adequação do candidato à vaga, deve ser valorizado.

Critérios justos para o lugar em questão e a correcta aplicação desses critérios.

Na minha opinião, deveria existir uma uniformização dos mesmos, que incluiriam:

- experiência profissional (aqui põe-se em causa se estágios, clínicas e afins devem também ser valorizados. Na minha opinião, sim, se estiverem mesmo relacionados com enfermagem).

- existência de especialidade em enfermagem

- existência de pós-graduação, mestrado e/ou doutoramento

- nota de CLE, já que penso que demonstra o esforço realizado ao longo do curso. Idealmente, isto deveria ser substituído por uma prova nacional, dado que uniformizaria os reais conhecimentos teóricos, removendo os enviesamentos de cada escola, causados pela variação de exigência de escola para escola

- outros cursos (formação em serviço, formação extra serviço, relacionada com enfermagem)

Poderiam existir outros critérios.

Coloquei os critérios por ordem que penso que demonstra a sua importância (por ordem decrescente de importância). Obviamente que quem não tem experiência preferia que a nota de CLE fosse mais importante (caso tivesse uma boa nota) e quem tem experiência concordaria com este modelo.

Existem ainda os critérios de desempate. Na minha opinião e sendo difícil avaliar a justiça dos mesmos, penso que a experiência em anos, meses e dias serviria para desempatar. Penso que seria mais justo que idade, ordem alfabética (já estive num concurso que foi desempatado por ordem alfabética).

Concursos em que se envia currículo, penso que é ineficaz... Milhares de currículos a serem avaliados aumenta certamente a possibilidade de erro. Isto resolveria-se com a criação dum formulário online onde os critérios fossem totalmente explicados e onde os candidatos assumissem a veracidade do que lá escrevem. Quando fossem tomar posse, teriam que apresentar os comprovativos, sob pena de serem excluídos, caso a veracidade não se confirmasse.

É uma área dúbia, verifica-se ainda muita disparidade entre instituições... Quiçá um sistema nacional de ordenação de enfermeiros resolvesse o problema.

Não quis com este texto ir contra ninguém ou demonstrar qualquer mau sentimento contra recém-licenciados. Todos nós passamos por ai e sabemos que não é fácil começar.

Bom trabalho e bons estudos.

Estou perfeitamente de acordo consigo colega ;) É de facto um bom caminho a seguir na minha opinião... Claro que a experiência e os anos de serviço devem sem dúvida ser valorizados e têm o peso que têm, no entanto, penso que não deva ser por isso que os nossos colegas recém formados devam perder oportunidades de mostrar o seu valor e adquirir essa mesma experiência.

Concordo também que a nota dos CLE depende muito de escola para escola, e esta opinião vale o que vale, mas a realidade é que os planos curriculares, objetivos pedidos e exigência solicitada é de facto diferente... Talvez um exame de admissão à ordem fosse uma solução?

Cumprimentos

Offline carlaralves

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 10
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #130 em: Janeiro 11, 2013, 15:32:55 »
Eu estou de acordo que os colegas recem licenciados tenham oportunidades como qualquer outro colega, mas no meu caso fico indignada porque tenho 5 anos de experiência, tenho uma especialidade, tenho alguns cursos e estou a recibos verdes.
Tudo bem... Tenho emprego... Mas é precário...

Gostava de ter um contrato, não consigo, porque me passam à frente pessoas com menos experiência que eu, certamente que ficariam chateados se vos acontecesse o mesmo.

Offline enfpedro

  • Membro Ativo
  • ****
  • Mensagens: 113
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #131 em: Janeiro 11, 2013, 18:44:00 »
Os meus 2 anos de espanha nao contaram e outros diplomas tb!!!! Como é que um mestrado pode apenas valer como um dia de formaçào?

Os estagios de voluntario foram declarados ilegais (pela ordem)!!!

Eu em 2008 fui excluido por erro em requerimento provocado por uma funcionaria dos RH e desde ai nunca mais fizeram concurso!!!

Tive que sair do pais como muitos e para nada... ou melhor para perder muitas coisas em portugal!!!


Leram as paginas que quiseram... como reclamei fora do prazo de 2 dias (em que o email so apareceu nas ultimas horas e ninguem atendia o telefone), axo que so me resta impugnar o concurso... quem esta interessada/o em participar?

Se formos alguns é o melhor!!!

Offline Enf Ricci

  • Novato
  • **
  • Mensagens: 17
    • Ver Perfil
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #132 em: Janeiro 11, 2013, 19:51:16 »
As listas foram alteradas hoje cerca das 17h...!!!Alguem se apercebeu?

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #133 em: Janeiro 11, 2013, 20:01:36 »
Citação de: Enf Ricci
As listas foram alteradas hoje cerca das 17h...!!!Alguem se apercebeu?

deixa ca ver isso!
Be careful, I might be your nurse someday! :)

Offline catmartins22

  • Membro Associado
  • *****
  • Mensagens: 587
    • Ver Perfil
    • http://facebook.com/martinscat
Re: Bolsa Recrutamento Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE
« Responder #134 em: Janeiro 11, 2013, 20:03:24 »
colegas esta isto colocado no site:

Desta forma consideram-se notificados os candidatos admitidos à entrevista, a realizar no Serviço de Formação e Aperfeiçoamento Profissional do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa,  Unidade Hospitalar Padre Américo, das 9 às 12,30h, nos seguintes dias:

a) 31 de Janeiro – Candidatos com CAC 100 ao 91;
b) 01 de Fevereiro - Candidatos com CAC 90 ao 81;
c) 05 de Fevereiro - Candidatos com CAC 80 ao 71;
d) 07 de Fevereiro - Candidatos com CAC 70 ao 61;
e) 08 de Fevereiro - Candidatos com CAC 60 ao 51;
f) 19 de Fevereiro - Candidatos com CAC 50 ao 41;
g) 21 de Fevereiro - Candidatos com CAC 40 ao 31;
h) 22 de Fevereiro - Candidatos com CAC 30 ao 21;
i) 26 de Fevereiro - Candidatos com CAC 20 ao 11;
j) 28 de Fevereiro - Candidatos com CAC 10 ao 01.


quem estiver la nos 100 primeiros, boa sorte!
Be careful, I might be your nurse someday! :)