Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - scruz

Páginas: 1 ... 11 12 [13]
181
Assuntos laborais / Re: Causas do Desemprego em Enfermagem
« em: Outubro 26, 2007, 11:14:35 »
isto está mau ker nos privados ker nos estatais o meu conselho é que adies a tua vinda para Portugal mais uns tempos até a crise económica estabilizar

jocas

182
Cuidados Gerais / Re: Enfermagem no bloco operatório
« em: Outubro 23, 2007, 02:20:40 »
:) a minha opinião é que o BO é um lugar  ``mágico´´, para a maioria das pessoas k estudaram enfermagem em 4 anos, durante o meu curso nunca fiz lá estágio, e kdo me tornei profissional não tinha a mais pálida ideia da dinámica do BO, felizmente kdo acabei o meu curso em 2003 fui trabalhar para a cirurgia vascular em Santa Marta, um bom serviço que me abriu muitas portas, que eu nem sonhava, fui das 1as enf deste país a ganhar por 40 horas semanais 1363E de ínicio, fui muito bem recebida tive montes de experiências SO e urgência referenciada, enfermaria cirúrgica homens e mulheres, unidade de cuidados intermédios e em 2004 abrimos uma das 1as unidades da dor em LX, e ainda por cima podiamos ir fazer o recobro dos actuais sigics k eram os pecles de antes, ou seja sem kerer e por sonhar ir trabalhar em vascular fiz um bom curriculo e ainda por cima era bem remunerada pk com noites nunca ganhava menos de 1400E, mais não tinha noção da sorte que tive na altura. na certeza porém k em 2005, era insuportavél tínhamos imenso trabalho, pk as pessoas k entravam em CIT despediam-se e iam-se embora e as mais velhas k estavam no meu serviço concorriam para outros hospitais onde a palavra EPE não figurasse, foram tempos de mudança. E ao fim de 2 anos surgiu a proposta de deixar o público e mudar para uma instituição privada, ofereceram-me o BO da Cuf Infante Santo, fui as cegas pk não sabia o k ia encontrar e a verdade é k não me arrependo, a unidade fez-me compreender a importância k teem os bons cuidados na vida de um doente, e foi uma boa rampa para o BO
O BO exige muito de um profissional de enfermagem, temos de tentar ser muito calmos pk se todos gritarem ao mm tempo não se resolve nada, pk o conflito é pessimo no meio da cirurgia, fiz um bom contrato não faço noites, nem fim de semanas, nem feriados e ganho mais ou menos 1100E limpos, não tinha experiência em BO, e eles deram-me a oportunidade e eu agarrei-a
O BO é um mundo, trabalhamos com todas as especialidades excepto com a obstétrica, somos uma equipa multidisciplinar, trabalhamos para o doente, e tudo tem k estar em harmonia. è preciso saber estar no BO, o enf de anestesia não é o pau mandado do anestesista,mas sim um profissional k sabe o que faz e pk faz e k tenta minimizar os riscos ao mínimo de modo a optimizar a hemodinàmica do doente, Exs simples sabe receber o doente no BO, verificar se tem os exames, se está em jejum, se fez consulta pré operatória, sabe colocar um soro, e sobretudo sabe explicar ao doente a anestesia a k este vai ser submetido ou seja antes de este estar despido á nossa frente sabe explicar de forma sintética sabe vai ter um tubo até aos seus pulmoes k vao respirar por si,e kdo estiver quase a ser extubado vai sentir vozes ao longe, e vai sentir-se incomodado com o tubo na garganta, mas tente seguir as nossas palavras, e qual é a diferença de explicar ao doente de fazer ensinos é conseguir a sua colaboração, é a diferença de dar propofol e de dizer lembra-se a gente falou k poderiam parecer vidrinhos abstraia-se e pense em coisas boas, e deixe-se ir, é a diferença entre o técnico e o enfermeiro, e isto são só exemplos, claro k adoro anestesia, já fiz a pos graduação no ICBAS k recomendo a kem tiver oportunidade pk é muito boa... um caso sobre a anestesia epidural quase nunca ninguém se lembra de explicar ao doente a importância de colaborar no posicionamento e o mais engraçado é que pedem ao doente para estar em posição fetal modificada de estiver deitado, mas eskecem-se de dizer os passos tao simples como agora vou passar um líquido frio nas suas costas, e o k é k o doente faz kdo não sabe o k kk um de nós faria se despidos nos pasassem um líquido frio sem avisar, contorciamo-nos meus amigos...coisa k não dá muito jeito
e agora uma situação simples da importância do instrumentista vamos supor k é um cancro em kk zona, acabamos de tirar a zona de cancro vamos designá-la assim e pois é preciso saber k essas pinças infectadas,essas luvas, são para não voltarem a ser utilizados pk é p se tentar impedir k a zona infectada compurque a limpa, e para não andar a transportar células cancerigenas, e saber isto exige neurónios a funcionar e isto é só um grão de areia daquilo k o instrumentista tem de saber, o termo ferrista é mm dispensavel...
e agora vejam os a importância do bom circulante, sim esse gajo k se responsabiliza por saber se á condiçoes a nível do material p k a cirurgia seja efectuada, sim pk se este sr nao tiver rodas p verificar se o material está esterilizado, olhem só o drama doente em ventral coluna aberta artrodese lombar, tudo pronto para implantar o material k vem de uma casa, ups o sr k vinha entregar o material ainda não chegou, não era lá muito bonito pois não...e isto é só uma das muitas funçoes do enf circulante...
e agora por último, mas não o último o desgraçado do recobro, esse k é considerado o filho pobre k é capaz de receber 8 ou mais doentes num turno, k tem de ter mil olhos e interrelacionar mil probemas para tirar algumas sábias conclusões, pois entao e o sr foi submetido a qué, sobre k anestesia, por kem, antecedentes, e tem um cérebro k é um computador, drenos, penso,e mais uns cuantos pormenores, ups tou de costas e oiço um ronquido, viro-me e jaccpot queda da língua, lá veem as SAO2 por ali a baixo, k fazer não sair disparado a correr sabe-se lá p onde e a saber de alguém k se calhar já nem se encontra agir, campainha de emergencia, grito, subluxaçao da mandibula guedel o2 alto, bem ambu mascara e umas lufadas de ar fresco e bingo mais um ressuscitado, e tudo isto pk akele dte k so tava a dormir roncou uma única vez som anormal, se calhar é nisto k devemos apostar sermos nós trabalhar ver onde erramos e aperfeicoarmo-nos...cada doente é um doente, mas é o mundo da alguém k vive lá fora...

183
Assuntos laborais / Causas do Desemprego em Enfermagem
« em: Fevereiro 08, 2007, 19:09:37 »
caros colegas
é verdade que o desemprego é uma realidade nos nossos dias, mas discordo comm voces em muitos pontos
1 nao se podem desvalorizar enf que tiraram o curso numa privada, eu sou uma colega que entrou numa estatal e para estar perto da minha familia inscrevi me numa privada pk tinha 17 anos e outros obj na altura tenho 4 anos de profissao hoje em dia presto cuidados no bloco operatorio e hemodialise tenho dois horarios e estou a estudar no ICBAS, e nao me sinto burra nem com falta de linguagem tecnica  
2 o nosso 1 problema é politico o pais abriu mais vagas quer a nivel estatal quer a nivel privado e hoje as consequencias estao a vista
3 estamos perante um mundo competitivo e estamos na comunidade europeia e temos os mm direitos de concorrer dentro da europa certo
4 se nao tivesse trabalho para portugal ia para o estrangeiro tirei um curso para ser enfermeira nao para estar em casa ok ha propostas pk nao as vezes a que aceitar desafios apenas isso :twisted:

Páginas: 1 ... 11 12 [13]