Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Mauro Germano

Páginas: 1 ... 118 119 [120]
1786
Ganhaste! Parabéns campeão!
Bom agora falemos do que realmente interessa. O tópico inicial era Privadas versus Públicas:
Primeiro ponto:
-Há sempre "peixeirada" neste tipo de  de tópicos e era a isso que também me estava a referir, o que poderia ser evitado não criando condições para que estas discussões, nem sempre tão cordiais e digamos " bem faladas" como a nossa, surjam.
Segundo ponto, faz mais sentido pensar em certos aspectos tais como:
- Porque não são as cadeiras leccionadas rigorosamente iguais em todas as escolas?
Com isto refiro-me tanto ao nome da disciplina como aos conteúdos(pelo menos as linhas gerais do que deve ser abordado e avaliado).
Terceiro ponto: O  X_Paulito que faria no caso de ser bastonário da Ordem relativamente à problemática das Escolas Privadas?

1787
Cuidados Gerais / Re: Autonomia Profissional
« em: Setembro 10, 2007, 08:38:43 »
Sem querer esquecer ninguém nem atribuir afirmações erradamente penso que foi a colega Maria Rebelo que falou algures neste fórum na necessidade de definir o que é um acto de Enfermagem(não na sua vertente filosófica mas concretamente) para podermos exercer Enfermagem autónoma, aí sim poderemos com toda a arrogância briosa trabalhar sem complexos de culpa, medo, insegurança ou descrédito profissional. Se houver conflitos, oh pá(um pouco de calão não faz mal) venham eles... Quando se é detentor da razão todos os argumentos são intransponíveis.

De qualquer forma os conceitos, concordo com posts anteriores estão um pouco confundidos, não só confusos, mas a autonomia consegue-se com competência, com o saber o que se faz e saber justificar, e o mais competente é sempre quem decide e manda. Penso que um bom exemplo disto é por exemplo numa reanimação cardio-respiratória: o mais experiente(mais competente) é quem faz a Entubação endotraqueal,regra geral é o médico que a faz simplesmente porque é que tem mais experiência mas se estiver presente um enfermeiro com maior experiência pode e deve ser ele a fazê-la, tudo bem que é raro isso acontecer(que explicarei no próximo ponto) mas acontece.

O problema da experiência do Enfermeito é pertinente: quantos de vocês quando se estão a tornar bons (ou competentes pelo menos) mudam de serviço? (dirigido a enfermeiros com mais de 6 anos de experiência profissional).
Como poderemos pensar em ser especialistas(desenvolver mais competências autónomas) quando nos "fartamos" de um serviço ao fim de poucos anos?
Muitas e outras perguntas poderiam ser feitas a partir destas (espero que o sejam) mas penso que muitos de nós já teremos pensado nisto.

Saudações

1788
Bom Dia caros colegas
Iniciei funções como enfermeiro a 13 de Outubro de 2003 no Hospital Santa Marta (Lisboa) no serviço UCIntensivos de Cardiologia onde me mantive até 22 de Novembro de 2006, altura em que iniciei funções no Hospital São João(Porto) no serviço de Urgência Geral (adultos)... onde permaneço até à data.
Saudações cordiais

1789
Cuidados Gerais / Re: Mais uma noite....
« em: Setembro 10, 2007, 07:57:50 »
De facto... eu adoro fazer noites: não sei realmente o que são esses efeitos secundários como chegar a casa e ter gastralgias, insónias: eu "aterro" quase literalmente. Mas confesso que há diversos problemas relacionados com este turno: As ceias vergonhosas distribuidas (trabalho no H.S.João), falta de opções caso queira comer o que quer que seja (salvo as "máquinas" de snack's onde a comida tem tão bom aspecto...), a remuneração devida(é tão bom trabalhar numa noite de Natal ou numa "passagem de ano"... e ganhar mais uns míseros trocos).

Mas volto a dizer: trabalho há pouco tempo( 4 anos) mas vejo no turno da noite um óptimo turno para reflectir, ler e o mais que nos apeteça (não "descanso" durante a noite) isto claro se as condições o permitirem, assim quando chegar a casa estou perfeitamente exausto(mais que não seja pelas horas acordado lolol) e não tenho problemas em adormecer. De qualquer maneira percebo perfeitamente quem não goste de fazer noite principalmente alguém com família(filhos) e um(a) companheira(o) que não trabalhe por turnos; ou quem pura e simplesmente não goste.
 
Grato pelo espaço concedido

1790
Cuidados Gerais / Re: Monitorização Cardiaca
« em: Setembro 10, 2007, 06:47:42 »
Não podes ir pelas cores porque elas não significam nada: são apenas cores convencionadas por certas empresas de fabrico de material.
Deves antes consultar temática relacionada com electrocardiografia e saber como obter as derivações... não me quero alongar muito sobre o tema porque sinceramente não para explicar aqui num post. Alguma dúvida entra num chat comigo e poderei explicar-te melhor. Cumprimentos

1791
Bom... de facto estou a incorrer no mesmo erro e a reagir a uma provocação de , basicamente, tentar ser eloquente usando palavras de que desconheço o significado mas realmente o colega (posso tratá-lo assim?) devia era ele perceber realmente o significado de Escolástica, perceber o tom jocoso como me referi a esse termo e com isso perceber que as críticas que se fazem a um defensor da Escolástica se aplicam na realidade a si, se quiser vá consultar, ler, pesquisar sobre filosofia medieval, faça como entender mas não queira criar dogmas nem insistir em tornar-se guardião do bem saber falar e dizer( para isso conheço um grupo de cantares e maldizeres de Arrobas de Cima no qual faria muito sucesso decerto).
Mas de facto não nos desliguemos do meu comentário inicial: de que serve discutir virtudes de escolas privadas e públicas? Expliquem-me por favor! Admito a minha ignorância relativamente a isto mas que é que isso interessa a alguém?

Outro ponto focado: Quantos de nós se interessam realmente por aquilo que se passa na Ordem dos Enfermeiros? Quantos de nós se queixam disto e daquilo: que não nos defendem! que não fazem nada! etc., etc., etc....
Mas quantos de nós já foram a uma simples reunião da Ordem expressar uma simples opinião?(contra mim falo)
Quantos de nós ja elaboraram uma proposta melhor ao mais variado assunto?
Quantos de nós já votou sequer em alguma proposta veículada pela Ordem?
Se realmente queremos mudar e criticar algo devemos fazê-lo nos locais onde poderíamos fazer a diferença, não nos corredores, ao almoço, no café e outros afins.
Se eles realmente nos fazem mal porque não tentamos NÓS fazer melhor? Tentemos mudar a Ordem por dentro...

1792
Ensino e Atividades Académicas / Re: Empresas de Enfermagem!!
« em: Setembro 09, 2007, 19:08:17 »
Os enfermeiros são os únicos profissionias que conheço que ao trabalhar no 2º emprego são, raras excepções , pior pagos que no emprego principal... de quem é a culpa? de quem aceita trabalhar nessas condições. Ah e tal mas é preciso ganhar mais dinheiro que um ordenado só, não chega dirão alguns.  Mas se eu estivesse a empregar e tivesse quem trabalhasse pelo menor ordenado possível eu faria o mesmo: pagaria o menos possivel. E se é para ganhar ninharias preferia empregar-me noutra actividade: fazer umas horinhas a limpar umas casas dá mais dinheiro e não tenho a responsabilidade que teria como enfermeiro. Por isso digo: não tenho pena de quem trabalha nessas condições: aliás são esses que contribuem para que a profissão esteja como está: vendem-se barato. Não se queixem portanto.

1793
Portanto temos aqui mais uma vez um "colega" que está interessado em discussões infrutíferas e que gosta de fazer jogos de palavras "engraçados" : a do estúpido foi brilhante...
A estupidez da discussão está nos resultados que se obtêm não diria frequentemente mas sempre que se lança este assunto à baila, nomeadamente o constante atirar de pedras de um lado e outro. Não vou apelar a esses sentimentos tão nobres que normalmente se evocam para não haverem este tipo de conflitos, tais como a união dos enfermeiros  bla bla bla, quem for inteligente percebe e mais não preciso de dizer.
Cumprimentos e preocupem-se mas é com a vossa competência enquanto profissionais(dirigido aos escolásticos fanáticos)

1794
Numa "situação de multivítimas" entrará em acção um plano de catástrofe, neste caso a triagem (isto num contexto de triagem tipo Manchester) será feita da seguinte forma(de uma forma simplificada e simplista):
O doente anda? se sim considera-se prioridade verde
se nao anda: respira após abertura da via aérea? se não;considera-se prioridade PRETA(não se investe, pelo menos nesta fase).
Se sim:Frequência resp. > 29 ? ou Frequência resp. < 10 ? considera-se prioridade Vermelha
se não tiver Freq respiratória menor que 10 nem maior que 29 e tiver Preenchimento capilar > 2seg e/ou Pulso > 120 considera-se prioridade amarela.

1795
eu pergunto: mas quem é o moderador que deixa abrir estes tópicos??????
Estas aqui pra não haver estas discussões estúpidas...

1796
para o 4 life

em hospitais em que existam equipas de reanimação ou emergência médica concordo que os carros sejam uniformizados, pelo menos nos serviços em que a equipa actue( digo isto porque duvido que sejam activadas em serviços que diponham de médico 24 horas dia e enfermeiros treinados em emergência como os de cuidados intensivos) ,  não vou enumerar as razões por de mais evidentes para essa padronização. A realidade da emergência é complexa e ao mesmo tempo simples. Tens poucas situações que exijam actuação no momento (PCR,suas causas e disritmias peri-paragem) pelo que o material necessário não é muito numeroso e pode estar perfeitamente padronizado. quanto à manutenção do carro de emergência isso pode variar um pouco, passo a citar:
- não deverá ser necessário testar um desfibrilhador diariamente numa consulta de , supomos dermatologia, não podendo dizer o mesmo relativamente a uma UCI. o que interessa é que cada serviço estabeleça parametros minimos de garantia de qualidade nessa manutenção

1797
Cuidados Gerais / Catéter venoso central
« em: Junho 06, 2006, 23:20:40 »
vai ao site do CDC ( centre of disease control) uma autoridade no que toca à prevenção de infecção relacionada com...

1798
Cuidados Gerais / Revisão das Carreiras
« em: Junho 06, 2006, 23:17:59 »
deixando-nos de eufemismos. carreira é possibilidade de poder ganhar mais e mais dinheiro, é muito bonito ter um título honorifico de graduado especialista, supervisor. são categorias que realmente interessam estar incluidas? porque não apostar na especialidade de todos os enfermeiros. teríamos mais poder reivindicativo( mais competência e especificidade). acabavam-se esses "tachos" que todos vemos diariamente e podia-se apostar mais na nossa qualificação que é o nosso garante de importância.

Já agora uma questão a algum membro de sindicato. onde estavam vocês para negociarem um acordo que não garantisse a um licenciado a sua remuneração correspondente. que incentivo seria o de um enfermeiro formado há 20 anso de fazer o complemento se não lhe garantisse mais remuneração imediata. não vale a pena falar na honorabilidade de ser bacharel e  licenciado. sem dinheiro não há vontade de prender que resista. desculpem pelo tom mercantilista mas temos de ser honestos.

1799
Ensino e Atividades Académicas / Enfermagem no Piaget
« em: Junho 06, 2006, 23:03:54 »
estamos numa de disputa a ver quem é melhor que quem não é? quando quiseres miguellopes discute, actua, faz a ver se és melhor ... Deves com ceretza ter sido humilhado por alguém de uma privada para teres esses complexos de inferioridade.
já agora pensa numa coisa: não foi por haver excesso de professores, arquitectos , qualquer profissão que tu queiras enumerar, que pioraram os seus desempenhos, aliás melhoraram. Sabes a competitividade é boa, é uma garantia de qualidade, assim não bastará sair de uma escola "conceituada" , terás de ser bom para manteres o teu emprego e aí jovem, parece-me que o padrão de qualidade do enfermeiro subirá exponencialmente(menos lugares=mais concorrência= mais competitividade=mais qualidade).
Outro ponto abordado é o de perdermos as regalias que foram mais fáceis de obter em períodos de escassez de profissionais: é verdade mas não te esqueças que foi por vivermos em escassez de profissionais que surgiram e se emanciparam uma miríade de outras profissões, que só têm o peso que têm porque não havia os enfermeiros necessários para assegurarem diversas dessas funções, e... perdemos o comboio.

Não te esqueças já agora , em contextos totalmente diferentes, quando referiste que não colocarias as tuas mãos em alguém formado numa privada, ou qualquer coisa assim desse género, que alguns dos maiores profissionais em qualquer área que tu imagines saíram de privadas. e tu ja te colocaste nas mãos delas e não te apercebeste. Sabes porque? chama-se preconceito ( prévio ao conhecimento). e sim sinto-me ofendido. sabes porque? formei-me numa escola privada e tendo um pouco de vergonha na cara tenho de sentir-me injustiçado e sabes porque ? pergunta-me.

Páginas: 1 ... 118 119 [120]