Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Twordaik

Páginas: [1]
1
Ensino e Atividades Académicas / Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« em: Fevereiro 28, 2012, 14:12:17 »
Tendo em conta alguns comentários sobre esse tema, fica bem claro o porque da falta de reconhecimento social, e a desvalorização da Enfermagem Portuguesa. Vou tentar ser bem objectivo no discurso abaixo:
Ingressei no ano lectivo 2006/2007 no curso de Enfermagem pelo regime de ingresso maiores de 23 anos, numa conceituada escola de Lisboa. Trabalho como auxiliar de acção médica a cerca de 11 anos, a minha experiencia de vida e cultura hospitalar em muito favoreceu-me para concluir o curso com êxito.
Tenho muito orgulho de hoje ser Enfermeiro, e devo isso graças ao tão estigmizado regime, durante meu percurso académico, deixei para traz muitos alunos, que ingressaram pelo regime normal e com as médias de ingresso acima de 17 valores. Muito destes, chumbaram varias cadeiras, desistiram do curso e muitos ainda la estão a tentar acabar o curso.
A maior média que deveria ser exigida para um curso tão complexo como é a Enfermagem, deveria de ser o saber estar, o saber agir e o querer agir. A enfermagem engloba 3 competências fundamentais; Técnica, científica e “HUMANA”. E é nesse último requisito que muitos dos profissionais e formandos deixa a desejar.
Posso dizer que hoje sou uma pessoa feliz e realizada, enquanto muitos se queixam do desemprego a mim não faltam oportunidades, pois deixei uma porta aberta em todos os locais em que estive em estágio, acabei o curso com média 16 e nunca chumbei um ano e era um dos alunos com as melhores notas em estágio.
Espero que a minha história de vida académica, sirva de inspiração a muitos que sonham com esse curso. E aos que tanto criticam o regime, espero que olhem para dentro de si, e que procurem buscar o verdadeiro motivo para suas frustrações, quer pessoais ou profissionais. Pois na vida somos os únicos responsáveis pelas nossas vitórias e pelos nossos fracassos.

Páginas: [1]