Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Mickaelix

Páginas: [1] 2
1
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 21, 2009, 14:35:33 »
Embora nao me lembre qd foi o diploma parar às maos de sua Exa. o Presidente, diz no site da presidência da república:

Com efeito, uma vez recebido um diploma para promulgação, o Presidente da República pode, em vez de o promulgar, fazer outras duas coisas: se tiver dúvidas quanto à sua constitucionalidade, pode, no prazo de 8 dias, suscitar ao Tribunal Constitucional (que terá, em regra, 25 dias para decidir) a fiscalização preventiva da constitucionalidade de alguma ou algumas das suas normas (excepto no caso dos Decretos Regulamentares) - sendo certo que, se o Tribunal Constitucional vier a concluir no sentido da verificação da inconstitucionalidade, o Presidente estará impedido de promulgar o diploma e terá de o devolver ao órgão que o aprovou.

Ou pode - no prazo de 20 dias, no caso de diplomas da Assembleia da República, ou de 40 dias, no caso de diplomas do Governo, a contar, em ambos os casos, ou da recepção do diploma na Presidência da República, ou da publicação de decisão do Tribunal Constitucional que eventualmente se tenha pronunciado, em fiscalização preventiva, pela não inconstitucionalidade - vetar politicamente o diploma, isto é, devolvê-lo, sem o promulgar, ao órgão que o aprovou, manifestando, assim, através de mensagem fundamentada, uma oposição política ao conteúdo ou oportunidade desse diploma (o veto político também pode assim ser exercido depois de o Tribunal Constitucional ter concluído, em fiscalização preventiva, não haver inconstitucionalidade).


Ora sendo assim...

2
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 21, 2009, 13:46:59 »
Boas

E para quando a promulgação da nossa nova Carreira pelo Presidente da República? Já não passaram os 40 dias? Esperava que tivesse sido promulgada na semana passada.

Cumps

3
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: Proposta do Ministério da saude
« em: Setembro 10, 2009, 12:45:58 »
Relativamente aos chfes e supervisores, apesar do que tinha lido em outros documentos, confirmo e ideia do colega anterior ZEUS: verifiquei a tabela e de facto não chega aos 2900, por pouco, mas não chega. :) OU seja, ainda pior!

Cumps

4
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: Proposta do Ministério da saude
« em: Setembro 10, 2009, 12:42:47 »
Na transição para as novas carreira e categoria, os trabalhadores são
reposicionados na posição remuneratória a que corresponda nível remuneratório cujo
montante pecuniário seja idêntico ao montante pecuniário correspondente à
remuneração base a que actualmente têm direito, ou a que teriam por aplicação da
alínea b) do n.º 1 do artigo 112.º, nela incluindo adicionais e diferenciais de integração
eventualmente devidos.
2 - Em caso de falta de identidade, os trabalhadores são reposicionados na posição
remuneratória, automaticamente criada, [font=Verdana:11oqa9ua]de nível remuneratório não inferior ao da
primeira posição da categoria para a qual transitam[/font:11oqa9ua]
cujo montante pecuniário seja
idêntico ao montante pecuniário correspondente à remuneração base a que
actualmente têm direito
, ou a que teriam por aplicação da alínea b) do n.º 1 do artigo
112.º
3 - No caso previsto no número anterior, os trabalhadores, até ulterior alteração do
posicionamento remuneratório, da categoria ou da carreira, mantêm o direito à
remuneração base que vêm, ou viriam, auferindo, a qual é objecto de alteração em
idêntica proporção à que resulte da aplicação do n.º 4 do artigo 68.º

Esta é a redacção do 12-A. A cores está o mais importante mas a mim ainda me suscita algumas dúvidas. Iremos transitar para o 1º nivel, o 11, mas não ganharemos nada com isso, mesmo mantendo a remuneração. Congelados desde 2005, se tivesse subido de escalao normalmente, me tivessem dado um salario compatível com o graui de licenciado que adquiri, já estari aacima.

É uma proposta que não nos respeita e não nos dá nada! Ainda por cima, teremos de esperar mais 2 anos??
Continuo a insistir numa posi~çao de luta vigorosa.

Cumps

5
Acho que a resposta é radicalizar a luta quando ridicularizam os enfermeiros!

Apelo aos sindicatos, desde já, uma greve de UMA SEMANA, pelo menos. Façam os pré-avisos necessários, cumpram os requisitos legais e avançemos pela luta dos nosso direitos.

LEIAM o fórum nos tópicos relacionados com este assunto. A carreira é nossa, é o nosso futuro e se nao paramos agora, iremos ser POBRES!! Financeira e espiritualmente falando. Pois, a verificarem-se estas propostas e a serem aprovadas, terei VERGONHA da minha profissão!

Cumps

6
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: Proposta do Ministério da saude
« em: Setembro 10, 2009, 11:08:00 »
Ah, e os enfermeiros chefes escusam de ficar descansados (LOL) pq, pela proposta, APENAS os supervisores em último escalão detêm o montante pecuniário exigido para ingressar cmo principal, ou seja, passarão os actuais chefes para a categoria de Enfermeiro. Por isso, façam tb pela vida que a carreira é a mesma para todos!

7
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: Proposta do Ministério da saude
« em: Setembro 10, 2009, 11:04:09 »
Citação de: PedroDinis
enquadras-te em  995,51€, só se ganhares 1200 ou mais é que ficas no escalaão a seguir.

pois vamos ainda ganhar menos, mas isto tb não vai ser aprovado.

Pois assimé o que parece. Ao contrário de sermos valorizados por todos os pontos que nos são a favor, ainda no querem diminuir o ordenado. E é o que vai acontecer se não nos mexermos.

APELO: GREVE de 1 SEMANA!!! O pouco que perdemos, já que ganhamos pouco, iremos recuperá-lo em 2/3 meses! Façam as contas: no meu escalao, 1145 euros, 1 semana de greve deve representar algo tipo 190 euros. Se, no mínimo, me posicianarem no escalão de entrada já negociado para novos licenciados, esses 190 esbatem-se em pois o ganho mensal será de 56*3=168 + suplementos e já está recuperado!! 2/3 meses para um futuro melhor!! Mas a bem, terão de valorizar todo o nosso percurso anterior e os anos que já temos de carreira e de licenciados, ou seja, mais um nível, o 19, que ultrapassa ligeiramente os 1400 euros. PENSEM NISSO!!

8
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 10, 2009, 10:06:25 »
A proposta voltou a desaparecer do doutorenfermeiro. Não percebo muito bem o que está por detrás disto mas achava por bem que, ele próprio, esclarecesse a situação a bem de todos.

Qt à concentração, NÂO CONCORDO! Apelo aos sindicatos, que certamente lêem o fórum, que respeitem aquela que parece ser a vontade da maioria, ou seja, radicalizar as lutas e partir para UMA SEMANA de GREVE, desde já!!

Infelizmente, com o calor do momento, nao gravei a proposta que apereceu no doutorenfermeiro e não posso analisar à lupa tudo o que diz lá mas parece-me que a realidade é mesmo que os enfermeiros que auferem, neste momento, menos de 1201 euros vao passar a ganhar 995, e nos dois anos seguintes sobem para esse nível 15, "se reunirem as condições", segundo o documento, que remete para o 12-A.

Ainda estamos na fase inicial, apenas com a primeira reunião, mas esta proposta, a verificarem-se estes pressupostos, merece uma resposta vigorosa da nossa parte.

Unemo-nos, o que perdemos numa semana, que é pouco pois recebemos mal, recuperamos em 2/3 meses se formos nem que seja apenas para o 15, os tais 1201 euros! Atentem nisso!

CUmps

9
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 09, 2009, 22:00:50 »
Citação de: herys
sou enfermeira á quase 13 anos, tenho 2 escalões congelados...ainda estou no 1º escalão de graduado e nesta nova estrutura da carreira vou receber o quê?   995 euros, estão a brincar, sou licenciada a acabar o mestrado e vou receber o quê???estão doidos só podem...

Eu lamento dizer mas vai mesmo passar a ganhar 995 euros se naõ nos mexemos.

NÃO INVISTAM em formação, nem mestrados (que NAO SERVEM DE NADA! Vao ingressar na carreira docente? Então esqueçam, nao serve de nada, não ha bonificaçoes e para engrandecimento/realização pessoal há tantas outras actvidades de lazer... NÃO INVISTAM nas especialidades, parem tudo, continuandao assim, CADA VEZ MAIS VALE MANOS A PENA!))

A proposta de carreira em http://doutorenfermeiro.blogspot.com/ já tá on outra vez.

10
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 09, 2009, 21:50:12 »

11
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Setembro 09, 2009, 21:46:05 »
Boa noite

Tenho acompanhado TODOS os dias, ansiosamente, os sites e a blogosfera da enfermagem, à espera de notícias, boas ou más. As notícias JÁ SAÍRAM!!!

Estou FURIOSO e REVOLTADO. Claramente, não há respeito nem dignidade no ministério da saúde/finanças.

Para além de uma proposta insípida, que se limitou a apresentar a tabela das remunerações, querem fazer aberrações e atropelos. ATENTEM a isto:

Alguém que trabalhe há 11 anos, como eu, que progrediu "normalmente" na carreira, com todo o tempo de congelamente, está neste momento posicionado no 1º escalao de Enfermeiro graduado, ou seja, 1145 euros mensais! Uma ninharia tendo em conta todo o esforço dos horários, noites, fds, feriados, festas, quando toda a gente tem tranquilidade nesses dias. A esses enfermeiros, QUE NESTE MOMENTO aufiram um ordenado inferior ao índice 15 da tabela remuneratória única, correspondente a 1201 euros, PASSARÃO a ganhar 995 euros!!!! OU seja, para além de ganhar mal para o trabalho de responsabilidade e diferenciado que faço, ainda sou penalizado em 150 euros durante mais 2 anos??? Sou licenciado e ainda vou ganhar MENOS???? Estão PARVOS que pensam que nos vai levar desta forma.

POR FAVOR, ENVOLVAM-SE NA LUTA. Principalmente, ENVOLVAM os outros colegas, menos expeditos ou que não têm tanta propensão para a informação ou andar na net a pesquisar todo este desenvolvimento, incentivem à luta!

Por mim, GREVE TOTAL de pelo menos 1 SEMANA!!! Por 250 euros que perco, em 2 meses iremos recuperá-los. Apesar do papel de subalternos que por vezes nos querem atribuir, o SNS não funciona sem os ENFERMEIROS! CSP, USF, HOSPITAIS (então BO, consultas externas, exames de diagnóstico...).

É o nosso futuro. LUTEM, ADIRAM às greves, manifs. Temos mesmo de ACORDAR e entrar de ferros.

Cumprimentos

12
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Março 13, 2009, 15:00:45 »
Temos de avançar de forma convicta, inabaláveis!

Esgota-me que não sejamos reconhecidos pelo Governo. Os grupos privados que neste momento tomam conta da saúde têm, a meu ver, duas actuações distintas com o correr dos tempos: por um lado, democratizam o acesso aos serviços de saúde pois a oferta aumenta sob a forma de produção mais elevada; contudo, não sem espezinhar grupos estruturantes do SNS, como o nosso. A prazo mais longo, e com maior poder e abrangência, o custo para o utente será maior (como parece que já acontece em alguns locais) pois os grupos económicos são isso mesmo, profundamente ligados ao modelo capitalista e que tornam a saúde em números. Logo, cobram mais, pagam menos a quem trabalha (enfermeiros, médicos...) e, no final, o lucro é sempre maior. Estamos a caminhar a passos largos para algo tipo EUA, quem quer saúde paga-a anualmente através de um seguro de saúde, a empresas do ramo segurador (que estes grupos também detêm, tipo BES). E pagam bem!
 
Hoje é dia de manif. Gostava de ter ido. O Governo que só se governa a ele próprio e desgoverna todo o resto, teima (com a sua habitual arrogância) não nos dar algo que merecemos há muito tempo: equiparação a técnico superior (e não só no nível de complexidade, mas também no salário, que os tempos de trabalhar por amor à camisola ou de celibato da enfermagem já não existem há muito), o não respeito pelas pessoas, mentindo, não cumprindo prazos de negociação da carreira, não cumprindo ele próprio as leis e sempre, sempre, sair impune! Aí é que fico fulo!!
 
No final, se não os podes vencer, junta-te a eles?? Não sei... se calhar.
 
Ainda assim, um greve de zelo como já vi propor, paralisar certos serviços com mais visibilidade, tipo consultas externas, bloco operatório, CSP... e o resto da malta dos serviços contribui com uma quota maior para o sindicato, nesse mês, para redistribuir pelos que fizeram greve, de 3/5dias. Assim, sairia pouco do magro bolso de cada um de nós (10 anos que trabalho e dão-me 1113 euros??)

Depois de hoje, a ver vamos...

14
- elaborar a proposta de regulamento do processo de certificação de competências e
desenvolvimento profissional dos enfermeiros, de forma a estabelecer as condições de
acesso ao título de enfermeiro e de enfermeiro especialista;
- elaborar propostas de dispositivos necessários ao sistema de certificação de competências;
- discutir e aprofundar o quadro regulamentar com o Ministério da Saúde."

ou ainda

"Acompanhar e intervir nas medidas tendentes à implementação do processo de Bolonha, no
que respeita às suas implicações para a profissão e para o seu desenvolvimento.
- Identificar as necessidades em formação versus as necessidades em cuidados de
enfermagem e oferta formativa.
- Garantir a participação nos processos de acreditação de cursos do Ministério da Ciência,
Tecnologia e Ensino Superior.
- Definir os critérios para o reconhecimento de idoneidade dos serviços prestadores de
cuidados como espaços formativos"

Onde está esse trabalho feito??

A OE já emitiu algum parecer acerca deste assuntos das farmácias?? No seu site nao vejo nada. Se calhar nem é assim importante que valha a pena comunicar com os seus sócios.


E neste caso das farmácias, acho que tá patente, uma vez mais, a apatia da nossa Ordem! Acho que não está apenas em causa se os farmacêuticos estão capacitados para tal pois não conheço com exactidão os seus planos de estudos. Mas, como alguém disse no fórum e, ao que parece, com conhecimento de causa,  "Não duvido das competências científicas deste profissional, não se esqueçam que o objecto do estudo do farmacêutico é o medicamento, desde a sua concepção, transformação, até à sua veiculação, aplicação e subsequentes efeitos farmacodinâmicos, cinéticos, tóxicos e terapêuticos. Este tipo de conhecimentos carece logicamente de conhecimentos sólidos em biologia humana.". Mas acho que por ser o medicamento o seu objecto de estudo e não o ser humano, haveria o farmacêutico de se limitar a fazer aquilo para que foi preparado e que tão bem faz. Pois se me quiserem, também posso ir para trás de um balcão e "receitar" Paracetamol porque " a sua filha tem febre e lhe doi o corpo" ou uma pomadinha para o reumático ou, ainda, no meu consultório de enfermagem, praticar uma mini-cirurgias (umas mais minis, outras menos). São tudo coisas que sei fazer mas que, simplesmente porque nao fazem parte do meu âmbito de intervenção, não faço!

A revisão da carreira está aí. Será um dos pontos fulcrais das próximas semanas para a profissão. Ou nos debatemos com garra, pacificamente, através de greves e manifestações a sério, com TODOS os enfermeiros (vejam os profs o que fizeram há bem pouco tempo, o Governo recuou logo), ou estaremos perdidos.

Bem, e já tendo dito muito e sobre muita coisa, despeço-me, na convicção de que virao tempos melhores, pela nossa luta, ou...

Abraço

15
Caros colegas

Antes de mais, gostaria de estender um salutar cumprimento a todos do fórum que, pelo menos, com as suas discussões mais ou menos acesas, manifestam as suas opiniões, fazem valer os seus pontos de vista e não apenas se resignam à condição do sedentarismo físico e intelectual. Tal como parece fazer a nossa rica OE... que apenas se preocupa com o pagamento atempado das cotas ("míseros" €7,48*12meses = €89,76*51025membros (números da próprio OE, de Abril de 2007) = €4.580.004, ou seja, mais de 900 MIL CONTOS!) ou caso contrário não há renovação da cédula profissional, com a publicação da revista da Ordem dos Enfermeiros, que chega a casa com 2/3 meses de atraso relativamente ao mês de capa, com conteúdos já com bolor, muitos deles sem interesse, revista essa que muitas vezes apenas serve para auto-propaganda dos seus membros, dos magníficos congressos que foram pelo mundo, tipo... Japão??... mas no que toca à defesa da classe, que cada vez mais se afunda sob o pé esmagador dos interesses economicistas em que nós, enfermeiros, somos cada vez mais explorados. E falo da exploração intelectual de muitos dos enfermeiros que investiram milhares de euros numa especialização (sim, só em propinas... €350*16meses = €5600, por exemplo), cursos que proliferaram tal como uma maldição de gafanhotos, de proporções quase faraónicas, para darem de comer a muito boa gente (professores, como gostam de ser intitulados pois já nao são ebnfermeiros); exploração quer por parte das E.P.E.'s como por parte dos hospitais do Estado, que têm nas suas fileiras de enfermeiros muitos deles que desenvolvem trabalho de especialista se serem remunerados por isso; das horas a mais que nos põem nos horários e que são pagas a 25% e 50%, quando o são; da revisão da carreira que já deveria estar concluída há anos porque enfermeiros como eu que trabalham há 10 anos e têm um salário base de €1113 não nos confere qualidade de vida, qualidade de descanso, para que possamos exercer as nossas actividades com um sorriso, com a máxima qualidade com a potenciação do benefício para o doente; dos desempregados na nossa classe que são cada vez mais e me arrepia o coração sempre que leio um fórum e vejo colegas meus a "fugirem" para o estrangeiro para terem emprego quando aqui há falta de enfermeiros, em muito serviços, houvesse vontade política, se fizessem cumprir algumas leis e uma pressãozinha da OE, já agora, para duas coisas: não tivessem deixado que, por exemplo, grupos económicos construíssem E.S.E., onde se ministram cursos de base a torto e a direito, centenas de formados saem para o desemprego; que os recém-licenciados fossem integrados nas unidades de saúde, abrissem concursos para base e especialistas.

Claro que fica bem nos planos de actividade (por falar nisso, o último da OE nos seu site reporta a 2006, relatório de contas a 2005...) escrever

"debater a proposta de Sistema de Certificação de Competências com as instituições de
ensino e instituições prestadoras de cuidados de saúde, organizações socioprofissionais,
associações de estudantes e os enfermeiros em geral;

Páginas: [1] 2