Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Luffy

Páginas: [1] 2 3 ... 6
1
Boas.

Manual de redacção de estudos e projectos de revisão sistemática com e sem metanálise, de anabela ramalho, ed. formasau.

Pode encontrar numa qualquer biblioteca. pode ser que ajude!

cumps

2
Boas noites.

Encontra-se, que tenha conhecimento, uma investigação em curso, conduzida pelo Professor António Amaral da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, em conjunto com Professores da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Se é sua vontade participar/conhecer/replicar o modelo atualmente usado, tente entrar em contacto com ele, conseguirá fazê-lo através da página da referida escola.

Aquele abraço

3
Olá!

Muitos de vós se têm questionado aqui no forum dos rácios de enfermeiros necessários/desejáveis para lares de idoso/ucc, etc...

Reforço a ideia de que já existem rácios definidos para RNCCI e publicou-se, há pouco mais de um ano, um documento sobre dotações seguras da responsabilidade da OE e MS. Podem dar uma ajudinha...

Além disto, constatei a discussão entre a "natureza" dos equipamentos, isto é, que lares de idosos são equipamentos sociais e não de saúde. É minha convicção que isto só acontece no papel. Os lares são, cada vez mais, equipamentos de saúde, uma vez que o aumento da esperança média de vida, o aumento de anos que as pessoas vivem com doenças crónicas e ainda das respostas crescentes a essas incapacidades fazem com que estes locais necessitem, cada vez mais, de profissionais qualificados. Quem? Enfermeiros, sim senhor. Mas enfermeiros que saibam o que fazem, que tenham conhecimentos e formação na área, o que não acontece em boa parte das vezes. Se os enfermeiros tiverem conhecimentos adequados, sabem perfeitamente quais são as suas funções e até onde vão as suas competências!

Só que quem contrata não sabe o que faz um enfermeiro e sobretudo desconhece as VANTAGENS que tem em ter enfermeiros contratados e a trabalhar, nomeadamente ao nível dos ganhos em saúde desses utentes, diminuição de complicações e respectivos gastos de equipamento, dias em regime de internamento, etc. Boa parte dos responsáveis dos lares vê o negócio pelo negócio, e os velhos são mais uma maneira de ganhar dinheiro. Como a sociedade tem a tendência de por os velhos a um canto e esquece-los, até porque a própria sociedade se quer esquecer que vai envelhecer um dia, poucos querem saber e ainda menos fiscalizam se a lei é ou não cumprida.

Temos depois colegas que são despedidos porque recusam dar formação a auxiliares sobre conhecimentos de enfermagem ( muitos que depois são executados na ausência dos enfermeiros, com grande risco para os utentes), temos colegas que denunciam quem dá formação "formal" a auxiliares sobre esses assuntos e as entidades oficiais, devidamente avisadas, pouco ou nada têm feito até agora.

No outro lado da equação, temos os idosos e os seus familiares, que também desconhecem o papel do enfermeiro e os riscos que a sua ausência pode trazer para os seus entes queridos. Como não sabem, não estão em posição de exigir o que quer que seja, em termos de dotações seguras, competências dos profissionais que lá trabalham, etc etc ...

Então e agora, como dar a volta à questão?

São poucos? Sei que são. Mal chegam para as necessidades? Bem sei.

A minha sugestão é que começem a medir qualquer coisa. Meçam as respostas dos doentes. Meçam as suas complicações, nos períodos de presença e ausência de enfermeiros. Meçam indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem. Construam e publiquem evidência dos ganhos do vosso trabalho.

Usem a evidência que já existe, ainda que de outros países, para demonstrar que mais enfermeiros significam menos gastos e mais ganhos em saúde.
 
Para sabe O QUE medir, podem começar por aqui,

http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/ref/v3n3/v3n3a15.pdf

aquele abraço :)

4
Bons dias!

Sugiro mais um pouco de (in)decisão!    :D

Consultem um novo quadro comparativo, apartidário, resultante da análise dos programas de acção das listas A,B,C,E e G.

Pode ser que ajude alguns indecisos! :)

Vejam em http://essenciasdaenfermagem.blogspot.com/   ;)

aquele abraço

5
Boas tardes.  ;D


Antes de mais referir que os resultados serão publicados e divulgados a toda a comunicação social, como ocorreu com a versão do anterior barómetro (publicado pela agência lusa, público, visão, rádio clube português, entre outros). A seu tempo será divulgada a data de apresentação dos resultados... Informo adicionalmente que já não é possível preencher o questionário, uma vez que o prazo já terminou!

Agradecer a todos vós, pelo empenho que colocam diariamente na vossa profissão e na vontade em responder a este questionário. Somos uma Classe fundamental para  a saúde, com o maior número de profissionais em todos os contextos de cuidados e está na altura de nos assumirmos como tal. É, por isso, fundamental comunicar à sociedade a nossa opinião sobre estas temáticas.

Naturalmente, o barómetro poderia ter incidido noutras questões e agradecemos toda e qualquer sugestão produtiva de alteração do mesmo! No entanto, como devem compreender, demasiadas questões afastariam a maioria dos membros do seu preenchimento. Focámo-nos por isso nas questões que, a nosso ver, são as mais prementes e as mais decisivas para a profissão a curto/médio prazo.

Raquel..ade: muitos parabéns pela tua coragem, pelo teu orgulho profissional e pela tua noção apurada do teu valor profissional e competências, que te fizeram recusar aquele trabalho remunerado vergonhosamente! Partilho a tua frustração quanto à incompreensão da sociedade para com a nossa profissão. Enquanto aguardas/ te decides por novos caminhos profissionais, sugiro focares as tuas energias no crescimento da profissão: junta-te a grupos de trabalho nos sindicatos, a projectos de investigação promovidos por diversas escolas, instituições e a OE, a projectos de divulgação da Enfermagem ou a um qualquer grupo político.
Não desperdices a tua energia e o teu conhecimento! :)  Portugal precisa de nós mais do que imagina! Vamos mostrar-lhes isso mesmo! Até lá, boa sorte com a procura de emprego!

aquele abraço

6
Já lá vai um anito, quando eu escrevia mais frequentemente neste fórum... O trabalho e as ocupações diárias não mo permitem com tanta frequência, mas o sentimento é o mesmo que há um ou dois anos atrás.  :(

Deparo-me diariamente com a mesma questão: como vai evoluir a Enfermagem, que futuro nos espera enquanto profissionais neste País, mas sobretudo, o que é que nós podemos fazer!?

Questões que atravessam e povoam a mente de todos nós Enfermeiros... raro é, contudo, constatar colegas a fazerem essa mesma última pergunta: "o que é que nós podemos fazer?"

Porque aquilo que li nestas últimas linhas, e perdoem-me a generalização, pode gerar desmotivação, pode gerar depressão, pode até gerar frustração "disto estar tão mau"... Então e EU, EU que posso fazer? Será que não há mesmo NADA NADA que possa fazer?

Em primeiro lugar, temos de pensar: "o que é que nos faz falta para sermos vistos como profissionais meritórios de reconhecimento, recompensa e remuneração?"

Passando o eventual pleonasmo, verificamos quatro áreas fundamentais:

1- Política: quem de nós senhores, está inscrito como militante de um partido, quantos de nós pertencem a uma juventude partidária, quantos de nós participam no debate político? Como esperamos ser reconhecidos se não estivermos entranhados na vida Política e escoado a filosofia de enfermagem nesses meios?
2- Conhecimento: quanto de nós fazem investigação, chata, pura e dura, fértil em conhecimento útil para a prática profissional, garante da prática baseada na evidência;
3- Indicadores: só começámos a "acordar" para a necessidade de produzir informação padronizada e útil há pouco tempo... se uns fazem 100 cirurgias e 2500 consultas e nós não fazemos (ou mostramos) "nada", esperam que lhes dêm o financiamento da saúde a eles ou a nós?
4 - Reconhecimento social: quantas pessoas sabem o que um enfermeiro faz "verdadeiramente"? Nós sabemos, de certeza? Como somos vistos e retratados na sociedade? Será que publicitamos a importância do que fazemos? E como? Divulgamos os resultados da nossa investigação?

É certo que estamos a crescer, que ainda somos muito "verdinhos" enquanto ciência e disciplina autónoma, mas temos um longo caminho a percorrer, cheio de coisas que EU, TU e a COLEGA podemos fazer, em vez de pensar no que vais ser da profissão, no que vai ser do meu trabalho, sem contudo lutar para que a minha profissão seja vista com olhos diferentes.

Não é atacar ninguém, é mesmo pensar que se até o Governo não sabe o que fazemos verdadeiramente, não são as negociações que nos vão levar a um patamar mais alto... é todo e cada um de nós, todas as vezes, todos os dias.

Dá trabalho? Muito.   Mas as melhores coisas da vida não se obtêm sem sacrifício.    ;D

aquele abraço

7
Hum... Ainda não recebi qualquer comunicação sobre este facto! Devem estar à espera de mandar a carta à última da hora.. para ver se não aparece lá povo...

Acham que já pagamos de mais para a OE, certo? Então vamos fazer o favor de aparecer EM PESO, para que este abuso não se concretize!

Apesar de, nos últimos tempos, verificar pela parte da OE uma maior divulgação do trabalho realizado, é preciso que continue a mostrá-lo e a divulgá-lo a todos, para que, constatando o que foi feito, possamos julgar convenientemente se queremos ou não pagar mais pelo serviço que eles estão a prestar!

Até lá, vamos para Lisboa!

aquele abraço

8
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Junho 19, 2010, 12:55:54 »
ehehe Basta os sindicatos trabalharem como estão a trabalhar, desunidos e com medo de avançar por mais 10 anos, a ver se não nos queremos despedir todos! :p

eu até queria mandar um mail aos sindicatos, perguntar porque não se unem numa única plataforma, mas os pormenores são mais que muitos, fora os "ódios de morte" que há lá no meio. O orgulho e teimosia nunca ajudaram ninguém, mas aí não posso fazer nada. Quer fazer um novo sindicato? Catita. Diga-me as suas propostas e depois conversamos.

Peço desculpa se estou a menosprezar a ideia da petição, mas é como as greves. Quando são muitas, banalizam-se. Acho que era mais importante entregar algum documento (como p. ex. o livro que está referenciado num post neste tópico, Nursing: a world of care) para sensibilizar os srs políticos do que somos e fazemos, que a maioria deles não faz a mínima ideia. Lêem a petição e com os conhecimentos que têm dizem: "sim, sim, está bem, pró que eles andam a fazer...."

E depois, está a ver a cara do Jaime Gama quando receber a petição não está? Eu estou: eh pá, estes chatos outra vez... Mas sim ok, confesso que a estratégia da "água mole" tem de ser mantida.

Pra queixa no tribunal europeu, sei e não sei porque os sindicatos não avançam... É o tal "medinho" que eles têm, de chatear o MS. Coitadinho do MS que até faz birra depois...

Querem os sindicatos dar um sinal de credibilidade??? Juntem-se todos, organizem para já essa queixa. Sem medo. Temos muito a perder, mas muito mais a ganhar. É assim, nas lutas que valem a pena.

Finalmente, dizer-lhe que a ideia do funeral não pode ser levada a cabo sozinho. Fazia de padre, então e depois, se me faltava todo o cortejo fúnebre?? Fico à espera de voluntários! Digo-lhe, a mensagem, se bem escrita e estruturada, é brutal em termos políticos. A forma, inovadora, é o suficiente para chamar os jornalistas!

É com iniciativas deste calibre, sem medo de ferir susceptibilidades , que temos de agir. E se eles agravarem, saibamos mostrar que somos ainda piores, dentro dos limites que nos reserva o nosso código ético-deontológico. É possível fazer mil coisas sem colocar em risco os utentes? É. É possivel fazer mil coisas com pouca gente e muito impacto? É, se houver vontade e organização. Deixemo-nos de coisas, porque pra pior estamos a ir cada vez mais. Se eu (e cada colega) não fizer nada, e acredite que já fiz (e tenho muito mais para fazer ainda), então é que vamos todos por ali abaixo.

aquele abraço!

9
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Junho 19, 2010, 01:16:36 »
Citar
Consegues colocar tudo isso no terreno? Não basta sugerir, é necessário que alguém operacionalize!

Já agora…  e que tal um passo de cada vez?

Consigo, excepto a parte da queixa ao tribunal europeu, que não percebo mto disso, e os sindicatos que existam que o façam, que têm dinheiro e know-how!

Farto estou eu de expressar a minha indignação, especialmente sempre das MESMAS maneiras. Aposto, sim, aposto, que as petições quando lá chegam ou são destruídas ou dadas à secretária para as arrumar no canto mais fundo da estante.

Ainda bem que concordas, já somos 2 então, já se pode começar!

Ao resto do pessoal:

Jovem, és dinâmico, criativo e queres enveredar por novas formas de reivindicação? Estás cansado das mesmas fórmulas de há 20 anos atrás? Tens amigos dinâmicos como tu? Tens um tio numa funerária que empreste uma carrinha?  ;D Então manda mail!

ehehe
aquele abraço

10
Bom bom, era arranjar um fundo qq para entregar um livro destes a cada um dos deputados da AR! E uns 2 ou 3 à ministra! :)

aquele abraço

11
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Junho 18, 2010, 16:35:45 »
MAS será que vocês ainda não se convençeram que com petições não vamos lá?????

Pelo amor da Santa! isto sim deve ser feito:

Citar
"1.Aos colegas sindicalizados, abandonem imediatamente o sindicato (afinal sobem logo o salário em 1%) obrigando estes iluminados sem visão nenhuma a irem trabalhar no duro para a bela carreira que pseudo negociaram! Ao mesmo tempo criar um movimento de cidadãos enfermeiros revoltados com isto para passar à acção, SÓ PRECISAMOS DE NÓS PRÓPRIOS!
2.Devemos ficar muito contentes pelas pseudo negociações terem FINALMENTE acabado!!! Com os professores foi a mesma coisa, acabaram unilateralmente com as negociações, aprovaram os diplomas e depois de toda a contestação tiveram que voltar atrás (e não tinham o poder que temos de parar o SNS). Agora podemos agir e partir a loiça toda mostrando a revolta que sentimos com actos concretos:
3.Queixa ao Tribunal Europeu do Trabalho baseado na discriminação salarial entre licenciados e também ao Constitucional (os licenciados não podem ganhar menos de 1200 Euros e não é atribuído faseadamente, é já e com retroactivos)
4. Vaquinha nacional para parar a cirurgia programada por tempo indeterminado
5.Greve mínimo de 15 dias podendo ser consertada desde que crie impacto na cirurgia programada e consultas com o mínimo de perda de salário
6.Parar o SNS é a melhor forma de conseguir tudo o que temos direito, nem sabiam onde se haviam de meter com uma paralisação dessas!
7.Demissão em bloco a nível nacional com o abandono do SNS de imediato (penso até que bastava a ameaça concreta a nível temporal) já viram a catástrofe que era? Pensam que os políticos iam arriscar isso depois do exemplo Finlandês?
Não tenham medo, é também chegar à OE e renunciar (também iam ficar afelitinhos), sem cédula profissional de um dia para o outro não podíamos exercer e assim apresentava-mos a demissão em bloco...
Abram os olhinhos!!! TEMOS UM PODER IMENSO, BASTA USÁ-LO, já que os cobardes sindicalistas nada fizeram em posição determinada de força!"
Era um dos comentários que foi escrito por um colega no blogue dr enfermeiro!

E querem mais? Agora já não dá muito, mas era manif na embaixada de Portugal em Madrid, era queixa ao trib europeu como descrito acima e era isto
Citar
Porque não organizamos um "funeral da enfermagem"?? eu explico: uma cerimónia simbólica, cortejo fúnebre, com a presença da comunicação social, em que se participe de oculos escuros, com dramatização de muito choro e muita tristeza, carro fúnebre incluído. Giro giro é que, no final, vem-se a descobrir que quem está no caixão não é a enfermagem, mas sim a verdadeira saúde em Portugal na medida em que na homília final (também ela simulada) será dito, entre muitas outras coisas que, com o desinvestimento na enfermagem, o governo está a matar a saúde em portugal!

Fácil, relativamente barato e que com a participação de 100 a 200 pessoas já fazia história!

MENOS QUE ISTO é andar a brincar por aí! E calma com os salários, que o que é preciso é negociar todas as condições mas daqui a uns anos! quer dizer, daqui  pro ano vamos dar 100 M€ aos médicos, e nós, em 3 anos, só nos dão 6 M€? quantos são eles e quantos somos nós?

http://essenciasdaenfermagem.blogspot.com/2010/06/numbers.html

aquele abraço

12
Então e porque não aproveitamos isto para uma actividade um tanto ao quanto "pedagógica"?

Porque não organizamos um "funeral da enfermagem"?? eu explico: uma cerimónia simbólica, com a presença da comunicação social, em que se participe de oculos escuros, com dramatização de muito choro e muita tristeza, carro fúnebre incluído.  ;D  ;D  ;D Giro giro é que, no final, vem-se a descobrir que quem está no caixão não é a enfermagem, mas sim a verdadeira saúde em Portugal na medida em que na homília final (também ela simulada) será dito, entre muitas outras coisas que, com o desinvestimento na enfermagem, o governo está a matar a saúde em portugal!

Fácil, relativamente barato e que com a participação de 100 a 200 pessoas já fazia história!

e então? bora lá?

aquele abraço ;)

13
Citar
Sugiro que esta votação de aumento das Quotas sejam para depois das eleições de Bastonário/a!

Mais sugiro a transmissão dessa assembleia On-line e com voto tb on-line. É possivel!

Organização de transportes para para a mesma!

Ehehehe... isso é o que "aqueles" que marcaram esta última AG não querem... quantos menos enfermeiritos estejam lá pra votar mehor! depois é só chamar o staff da Ordem, que até lá trabalha, e compõe-se "o ramo" pra votação ser a favor deles!

era bom era!


aquele abraço

14
Citar
Dia 29... domingo

peço desculpa a correcção, mas dia 29 é sábado! como deve estar a chover e tal, o melhor mesmo, por forma a evitar longas filas de entrada em centros comerciais atulhados de gente, que tal ir à assembleia da OE?  ;D

E se não chover igual!!!

Melhor que ir, É FICAR ATÉ AO FIM, já que é o último ponto da ordem de trabalhos, no sentido de cansar todos os elementos e levá-los a ir embora antes da votação!

Chamem todos os colegas, divulguem, COM URGÊNCIA, PARA QUE ESTEJAMOS TODOS PRESENTES PARA DIZER UM NÃO VIGOROSO face a estes abusos provenientes do interior da classe!!!

E lembrem-se, se eu começar a pagar 10€, mais 2,5€ que actualmente, serão (2,5*12*10) mais 300€ no final de 10 anos que paguei e nao devia ter pago!

lembrem-se disto! Vamos mostrar que somos muitos, ninguém brinca conosco e que não cedemos a interesses particulares!

PORQUE DEPOIS NÃO HÁ CÁ LUGARES A LAMENTAÇÕES OU IDEIAS DE REVOLTA! É AGORA OU NUNCA!

aquele abraço

15
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: 2010: Revisão da Carreira
« em: Maio 17, 2010, 20:39:03 »
Infelizmente remeto-vos para uma notícia recente....

http://sic.sapo.pt/online/noticias/dinheiro/governo+vai+congelar+a+admissao+de+medicos+enfermeiros+e+professores.htm

Não querendo com isto dizer que deveremos desistir da "luta" propriamente dita, será que seremos vistos com bons olhos pela população, ao pedir mais isto e mais aquilo, quando o que se ouve (independentemente de ser verdade ou não) é cada vez mais desemprego, miséria, crise, desgraça?

Não acham que esta é a altura de dirigir esforços noutro sentido? Do reconhecimento social e político da profissão?  Preparar a "cama", para quando for possível nos deitarmos nela?

Ou vamos manter o marasmo e a indecisão de nada fazer, de continuar a nada mostrar do nosso trabalho à população e a quem gere os serviços de saúde, esperando por dias melhores???

Fica a sugestão....   http://essenciasdaenfermagem.blogspot.com/2010/05/biblia.html

Lutem pela profissão, e terão óptimos resultados!  ;D ;D

aquele abraço

Páginas: [1] 2 3 ... 6