Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Tópicos - charlie_ze

Páginas: [1] 2
1
Resumo


CHAMBEL, Maria José e SOUSA, Luís. Aceitação da mudança e desempenho dos enfermeiros: A importância do cumprimento das obrigações por parte do hospital. Psicologia, 2007, vol.21, no.1, p.177-200. ISSN 0874-2049.

Neste trabalho, analisámos a aceitação da mudança no sector da saúde por parte dos enfermeiros. Este estudo procurou integrar a perspectiva que considera a interpretação das razões da mudança (Rousseau & Tijoriwala, 1999; Shapiro, Buttner & Burry, 1994) e aquela que considera a ruptura no cumprimento das obrigações da organização (Robinson, 1996) como cruciais para explicar a aceitação da mudança por parte dos empregados. Salientámos a importância dessa aceitação, analisando a sua influência no desempenho e Comportamentos de Cidadania Organizacional (CCO) dos empregados. Com uma amostra de 467 enfermeiros de diferentes hospitais da região de Lisboa, verificámos que a aceitação desta mudança hospitalar, com repercussões nas práticas de gestão dos recursos humanos, era não só influenciada pelas razões comunicadas pela hierarquia, mas também pela percepção do cumprimento das obrigações por parte do hospital durante este processo. No entanto, não se verificou o efeito pressuposto de moderação do cumprimento das obrigações sobre a relação entre o tipo de razão e sua aceitação. Além disso, verificou­?se que a aceitação desta mudança por parte dos enfermeiros era uma variável com influência nos seus comportamentos de cidadania organizacional (avaliados pela chefia directa).

Palavras-chave: Mudança Organizacional; Aceitação da Mudança; Contrato Psicologico; Desempenho; Comportamentos de Cidadania Organizacional e Enfermeiros.

http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/psi ... 1n1a09.pdf

2
Aqui está um optimo estudo para nos fazer reflectir acerca da nossa prática....

CHAVES, Patrícia Lemos; COSTA, Veridiana Tavares   and  LUNARDI, Valéria Lerch. A enfermagem frente aos direitos de pacientes hospitalizados . Texto contexto - enferm. [online]. 2005, vol.14, n.1, pp. 38-43. ISSN 0104-0707.  doi: 10.1590/S0104-07072005000100005.

Todo paciente tem direito a ser reconhecido e respeitado como cidadão, o que implica participar das decisões relacionadas ao seu cuidado e tratamento. (...)Os resultados apontaram a necessidade das enfermeiras priorizarem seu tempo principalmente para a orientação de pacientes que internam pelo Sistema Unico de Saúde, além de envidarem esforços para assegurar o respeito aos direitos dos pacientes de serem previamente esclarecidos e de darem seu consentimento, com liberdade, antes da realização de qualquer procedimento em si.

Keywords : Ética de enfermagem; Direitos do paciente; Cuidados de enfermagem.

http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n1/a05v14n1.pdf

3
MARCELINO, Dália e FIGUEIRAS, Maria João. A perturbação pós-stress traumático nos socorristas de emergência pré-hospitalar: influência do sentido interno de coerência e da personalidade . Psic., Saúde & Doenças, 2007, vol.8, no.1, p.95-108. ISSN 1645-0086.

Este estudo teve como objectivos (1) caracterizar a PTSD, de acordo com os critérios de diagnóstico do DSM-IV-TR nos socorristas de emergência pré-hospitalar, (2) analisar o padrão de inter-relação entre as variáveis de caracterização da amostra, a PTSD, o sentido interno de coerência e a personalidade, e (3) investigar se existiam diferenças em relação às variáveis em estudo, no que se refere ao género, e entre os socorristas que apresentam sintomas da PTSD e os que não apresentam. A amostra foi constituída por 56 socorristas, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre 18 e 55 anos. Os resultados sugerem que 64% dos socorristas apresentam sintomas da PTSD. Verificámos que os socorristas com mais de sintomas da PTSD, têm mais anos de profissão, menor sentido interno de coerência, extroversão, abertura a novas experiências, amabilidade e conscienciosidade. As mulheres têm mais sintomas da PTSD que os homens (não sendo esta diferença significativa) e os homens apresentam uma melhor capacidade de percepcionar, interpretar e dar significado às experiências traumáticas. Estes resultados são congruentes com os encontrados em estudos anteriores.

Embora não tenha sido feita em enfermeiros, parece-me um  estudo que poderemos reflectir sobre a temática...

http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo. ... =iso&tlng=

4
John Cook Lane, Hélio Penna Guimarães

Inicialmente introduzida em 1922, a técnica de acesso intra-ósseo foi extensamente
utilizada até os anos de 1940 e revisada nos anos 1980. Considerando sua recomendação em diretrizes
de reanimação cardiopulmonar, o objetivo deste estudo foi apresentar uma revisão histórica e principais
aspectos clínicos sobre acessos intra-ósseos ao sistema venoso.

http://www.scielo.br/pdf/rbti/v20n1/a10v20n1.pdf

Já agora? Já algiem colocou uma agulha intra-óssea? E em que casos?

5
Um estudo interessante para se fazer em Portugal...

MALVESTIO, Marisa Aparecida Amaro and SOUSA, Regina Márcia Cardoso de. Suporte avançado à vida: atendimento a vítimas de acidentes de trânsito. Rev. Saúde Pública [online]. 2002, v. 36, n. 5, pp. 584-589. ISSN 0034-8910.

OBJETIVO: Analisar a atuação de um modelo de Suporte Avançado à Vida (SAV), a acidentados de trânsito por meio de indicadores, considerando a pontuação do Revised Trauma Score (RTS) na fase pré-hospitalar. MÉTODOS: Análise de 643 registros de atendimento de SAV a acidentados de trânsito, ocorridos em vias expressas da cidade de São Paulo, SP, no período de abril/1999 a abril/2000. Os intervalos de tempo avaliados foram: tempo resposta, de cena, de transporte e total. A análise da decisão de triagem considerou os registros de RTS£11 como corretos para encaminhamento a hospitais terciários. As flutuações no RTS e parâmetros foram observadas através da equação: (RTSfinal ¾ RTSinicial). RESULTADOS E CONCLUSÕES: Das 643 vítimas, 90,8% alcançaram RTS=12 e 5,2% obtiveram RTS£10. O tempo resposta variou entre 8 e 9 min, sendo o tempo de cena e de transporte maior nos casos de RTS£10. Das vítimas com RTS£10, 45,5% foram corretamente encaminhadas para hospitais terciários. Identificaram-se incorreções na triagem de vítimas. A manutenção ou melhora nos valores de RTS ocorreu em 98,8% das vítimas. A freqüência respiratória foi o parâmetro que mais apresentou melhora, seguida da pressão arterial sistólica.

Keywords : Serviços médicos de emergência; Acidentes de trânsito; Suporte avançado à vida.


http://www.scielo.br/pdf/rsp/v36n5/13147.pdf

6
GATTI, Maria Fernanda Zorzi and SILVA, Maria Júlia Paes da. Música ambiente em serviço de emergência: percepção dos profissionais. Rev. Latino-Am. Enfermagem [online]. 2007, v. 15, n. 3, pp. 377-383. ISSN 0104-1169.

Em função da característica assistencial do serviço de emergência, o profissional de saúde vivencia inúmeras situações geradoras de ansiedade. O objetivo deste estudo foi conhecer a percepção dos profissionais sobre a audição de música erudita no ambiente de trabalho. A amostra constituiu-se de 49 profissionais do pronto-socorro adulto de um hospital privado de médio porte. Os dados foram coletados utilizando-se questionário de avaliação da percepção do profissional. Foi observado que, com a presença da música, 78% dos profissionais percebeu alteração no ambiente, 41% acreditou que a música alterou seu desempenho pessoal, de forma positiva para 85% e negativa para 15%. Em relação ao repertório musical, 61% dos indivíduos afirmou ter gostado da seleção, 96% acredita que se deve continuar com a música ambiente com sugestão de outros gêneros musicais por 76% dos entrevistados.

Keywords : ansiedade; emergências; música; terapias complementares.

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v15n3/pt_v15n3a03.pdf

7
LEAO, Eliseth Ribeiro and FLUSSER, Victor. Música para idosos institucionalizados: percepção dos músicos atuantes. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2008, v. 42, n. 1, pp. 73-80. ISSN 0080-6234.

Estudo qualitativo que analisou a percepção dos músicos sobre a atividade musical junto a idosos institucionalizados (Portugal e França). Empregaram-se um questionário e o Discurso do Sujeito Coletivo para organização dos dados. Os músicos percebem sua atuação como uma experiência relacional; buscam intencionalmente a proximidade e a comunicação; reconhecem a realidade dos idosos institucionalizados e desejam transformá-la; apresentam algumas dificuldades de comunicação interpessoal, de aprimoramento profissional e adotam critérios musicais, pessoais e intuitivos na escolha do repertório. Os resultados indicam o comprometimento social, humano e profissional dos músicos analisados e podem ser utilizados como fonte de reflexão aos profissionais de saúde.

Keywords : Música; Saúde do idoso institucionalizado; Geriatria; Comunicação não verbal.

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/10.pdf

8
Terã as USF ajudado a mudar as limitações encontradas por reste estudo?

PEREIRA, Esperança do Gago Alves and COSTA, Maria Arminda Mendes. Os centros de saúde em Portugal e o cuidado ao idoso no contexto domiciliário: estudo de um centro de saúde. Texto contexto - enferm. [online]. 2007, v. 16, n. 3, pp. 408-416. ISSN 0104-0707.

Estudo exploratório-descritivo, realizado num centro de saúde em Portugal, com o objectivo de analisar as práticas de cuidados de enfermagem a idosos não institucionalizados, elegendo a visitação domiciliária. Fizemos entrevistas abertas a três enfermeiras e observação participante dos cuidados prestados, identificando a interacção entre os vários actores deste processo: enfermeiros e idosos no domicílio, numa abordagem de análise de conteúdo. O enfermeiro deve desenvolver uma postura de ajuda e acompanhamento das pessoas, promovendo atitudes terapêuticas para potenciar os níveis saúde, prevenindo complicações para a saúde, maximizando o seu bem-estar, suplementando/complementando as actividades de vida relativamente às quais é dependente, desenvolvendo conjuntamente com o cliente processos de adaptação aos problemas de saúde contribuindo na maximização da eficácia na organização dos cuidados de enfermagem. Analisando este contexto identificamos algumas limitações na procura da excelência do exercício profissional.

Keywords : Centros de saúde; Idosos; Visita domiciliária.

http://www.scielo.br/pdf/tce/v16n3/a05v16n3.pdf

9
Cuidados Gerais / O lugar da música no espaço do cuidado terapêutico
« em: Fevereiro 20, 2009, 23:57:43 »
BERGOLD, Leila Brito; ALVIM, Neide Aparecida Titonelli and CABRAL, Ivone Evangelista. O lugar da música no espaço do cuidado terapêutico: sensibilizando enfermeiros com a dinâmica musical. Texto contexto - enferm. [online]. 2006, v. 15, n. 2, pp. 262-269. ISSN 0104-0707.

As influências da música no corpo foram objeto deste estudo conduzido junto a um grupo de enfermeiros participantes de uma disciplina de Pós-Graduação. Além de descrever essas influências, o estudo objetivou analisar a aplicabilidade da dinâmica de criatividade e sensibilidade (DCS) Corpo-Musical como forma de sensibilização do enfermeiro quanto ao uso da música na sua prática de cuidar-ensinar. Utilizou-se o Método Criativo-Sensível e o desenvolvimento da DCS na produção de dados da pesquisa. As influências holística, lúdica e mecânica da música sobre o corpo foram os temas gerados na discussão. O grupo concluiu que a música age sobre todo o corpo, mas cada estilo estimula mais determinada região. Sua influência está na dependência do contexto, estilo musical e gosto do ouvinte. A pesquisa revelou o potencial da dinâmica como rico espaço de educação dialógica, constituindo-se como estratégia importante na sensibilização dos enfermeiros sobre as possibilidades da música como recurso terapêutico.

Keywords : Música; Enfermagem; Tecnologia; Empatia; Terapêutica.

http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n2/a09v15n2.pdf

10
SIMOES, Ana Leda Bertoncini and MARTINO, Milva Maria Figueiredo De. Variabilidade circadiana da temperatura oral, timpânica e axilar em adultos hospitalizados. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2007, v. 41, n. 3, pp. 485-491. ISSN 0080-6234.

Este estudo teve como objetivo verificar a variabilidade circadiana da temperatura timpânica, oral e axilar, considerando o ângulo de medida. Realizou-se em um hospital de ensino HC-Unicamp, na cidade de Campinas-SP. Os dados foram coletados a cada duas horas, por dois dias consecutivos, a partir do horário de vigília até as 22 horas, nas enfermarias de Cardiologia, Geral de Adultos e Gastroclínica. Os resultados mostraram que as medidas dos períodos matutino e vespertino, comparadas com as do período noturno, pela análise de variância, houve diferença significativa com p-value = 0,0001. O teste de Tukey confirmou a diferença no que se refere ao nível de significância µ =0,05. Identificou-se que as medidas do termômetro timpânico mostraram temperaturas mais elevadas em relação aos outros termômetros, confirmando os dados das literaturas internacionais e também demonstrando que a curva de ritmicidade circadiana foi similar à obtida pelas medidas do termômetro oral durante o período de vigília.

Keywords : Temperatura corporal; Ritmo circadiano; Enfermagem.

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v41n3/20.pdf

11
Avaliação da circulação arterial pela medida do índice tornozelo/braço em doentes de úlcera venosa crônica. An. Bras. Dermatol. [online]. 2006, v. 81, n. 2, pp. 131-135. ISSN 0365-0596.

FUNDAMENTOS: As úlceras venosas dos membros inferiores são freqüentes e têm grande impacto na qualidade de vida e produtividade do indivíduo, além de alto custo para a saúde pública. OBJETIVOS: Detecção de alterações arteriais em pacientes de úlcera venosa crônica dos membros inferiores com emprego de método não invasivo, de modo a discriminar aqueles em que estaria contra-indicado o tratamento compressivo. MÉTODOS: Foram estudados 40 doentes portadores de úlcera venosa crônica, com o intuito de se avaliar a presença de doença arterial periférica pela medida do índice tornozelo/braço por doppler-ultra-som. RESULTADOS: O índice tornozelo/braço mostrou-se alterado (menor que 1) em 9/22 (40,9%) doentes com úlcera venosa crônica e hipertensão arterial concomitante, e apenas em 1/13 (7,7%) doentes de úlcera venosa crônica sem hipertensão arterial. CONCLUSÕES: Doentes de úlcera venosa crônica e hipertensão arterial concomitantes devem ser submetidos rotineiramente à medida do índice tornozelo/braço para detecção de possível insuficiência arterial periférica associada.

Keywords : Arteriopatias oclusivas; Ultra-sonografia doppler; Úlcera varicosa.

http://www.scielo.br/pdf/abd/v81n2/v81n02a03.pdf

12
PROCHET, Teresa Cristina and SILVA, Maria Júlia Paes da. Proxêmica: as situações reconhecidas pelo idoso hospitalizado que caracterizam sua invasão do espaço pessoal e territorial. Texto contexto - enferm. [online]. 2008, v. 17, n. 2, pp. 321-326. ISSN 0104-0707.

O cuidar é um contínuo desafio que abrange o diálogo conscientizado, a negociação e a atenção aos detalhes. Os objetivos deste trabalho foram identificar as situações que caracterizam invasão do espaço pessoal e territorial, por idosos hospitalizados; e identificar as situações em que, apesar de haver invasão, o idoso possa considerá-las agradáveis. Estudo exploratório-descritivo realizado com 30 idosos hospitalizados com a aplicação da Escala de Medida do Sentimento Frente à Invasão do Espaço Territorial e Pessoal, em hospital público do interior de São Paulo em 2007. As situações consideradas desagradáveis que caracterizam invasão do espaço territorial foram vinculadas ao desrespeito e a mudança sem permissão do seu espaço físico; as referentes à invasão de seu espaço pessoal foram aquelas ligadas à exposição de partes íntimas durante a realização dos procedimentos. As situações agradáveis, apesar da invasão, são as que ocorrem os toques afetivos.

Keywords : Idoso; Hospitalização; Comunicação não verbal.

http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n2/14.pdf

13
E Porque não falarmos um pouco de ciência e dos estudos que se fazem por Portugal e pelo mundo?

Aplicação do nursing activities score em pacientes de alta dependência de enfermagem. Texto contexto - enferm. [online]. 2008, v. 17, n. 4, pp. 638-646. ISSN 0104-0707.

Este estudo, do tipo exploratório-descritivo, teve por objetivos avaliar a aplicabilidade do Nursing Activities Score como instrumento de medida da carga de trabalho na assistência aos pacientes da categoria de cuidados alta dependência de enfermagem e relacionar a pontuação média obtida com os tempos médios de assistência preconizados pelo Conselho Federal de Enfermagem. A coleta de dados para a determinação da pontuação do Nursing Activities Score ocorreu no período de 13 de julho a 01 de agosto de 2007, por meio de consulta aos prontuários dos pacientes internados na enfermaria de alta dependência de uma Unidade de Clínica Médica. A análise dos dados foi realizada mediante estatística descritiva e medida de variabilidade. O instrumento demonstrou ser aplicável a esses pacientes, sendo necessário o estabelecimento de diretrizes para a sua aplicação. Concluiu-se que o paciente classificado como alta dependência de enfermagem necessita, em média, de 12,3 horas de assistência nas 24 horas.

Keywords : Carga de trabalho; Administração de recursos humanos; Gerenciamento do tempo; Enfermagem; Cuidados de enfermagem.

http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/03.pdf

14
Cuidados Gerais / Médicos denunciam falta de enfermeiros
« em: Outubro 21, 2007, 23:49:34 »
16-10-2007 18:30  - Notícia veiculada na RR

Médicos denunciam falta de enfermeiros
A falta de enfermeiros nos centros de saúde está a comprometer uma série de serviços que são prestados aos utentes. A denúncia é do Sindicato Independente dos Médicos (SIM).
O SIM diz que a não renovação de contratos está a condicionar o trabalho em vários centros de saúde da região de Lisboa e Vale do Tejo.
As consultas de planeamento familiar, saúde materna e saúde infantil deixaram de contar com o apoio de enfermeiros o que, segundo o sindicalista Carlos Arroz, está a comprometer os cuidados prestados.
O Governo divulgou, entretanto, o número de contratos de um ano que vai autorizar em 2007. São cerca de 6 700, um valor que o Sindicato Independente dos Médicos garante que não ser suficiente para cobrir as necessidades.
Carlos Arroz garante que o número de contratos autorizados pelo Governo fica aquém do levantamento feito pelas regiões de saúde. Segundo as contas do SIM, entre 600 a 900 profissionais de saúde não vão ver os seus contratos renovados.


Gostariam de comentar?

15
Ensino e Atividades Académicas / Passagem de turno
« em: Outubro 17, 2007, 23:49:12 »
Passamos realmente o que importa?
Aproveitamos o tempo da passagem para crescimento profissional?
Como se faz a passagem de turno nas vossas unidades.

Páginas: [1] 2