Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Tópicos - Holos

Páginas: [1]
1
Saúde Mental e Psiquiátrica / Psiquiatria: sim ou não?
« em: Fevereiro 26, 2014, 20:07:05 »
A função da psiquiatria é (e sempre foi) ajustar o individuo a uma sociedade profundamente doente (essa sim é doente!). Quem não entender isto, não entende nada! Lamento, mas esta é a minha opinião (opinião partilhada por muitas mais pessoas, inclusivamente por outros profissionais da saúde).
O DSM5, segundo dizem, é uma autêntica vergonha! (os outros também não eram grande coisa).
Quando referimos que a sociedade estigmatiza o “doente mental”, esquecemo-nos de que os diagnósticos psiquiátricos não fazem outra coisa senão rotular, julgar e estigmatizar as pessoas… Não deixa de ser paradoxal!
A psiquiatria já serviu como instrumento politico (e, segundo alguns, ainda serve) e é algo que evolui conforme as regras e normas sociais e culturais. Tende a normalizar e policiar os comportamentos, mas não só… (não esquecer que a homossexualidade já foi uma doença mental).
O conceito de doença mental é outra coisa muito confusa e aqui de repente cabe tudo e mais alguma coisa, transforma-se tudo em doenças. Há que entender bem o que é uma doença! Não sou um cientificista, considero que existe espaço para estudar a psique, mas quem disser que existe uma base biológica/química que legitimiza esses diagnósticos, está a mentir ou então foi alvo de doutrinação enganosa, pois aqui não há qualquer objectividade nesse sentido.
Não vou entrar em polémicas sobre se a pessoa deve ou não deve tomar o psicofármaco x ou y, isso cada um é que sabe (quando tem a liberdade para decidir…). Não dou palpites sobre a vida de ninguém e não quero ter uma postura demasiado radical. Não sou um proibicionista, desde que ninguém saia prejudicado, claro. Apenas acho que a pessoa tem de estar bem informada (em relação às mentiras também), o que geralmente não acontece. Porque muitas vezes é pior a emenda do que o soneto… Depois também podíamos falar da maneira como se diaboliza umas substâncias e depois tolera-se a venda e consumo de outras, mas isso já é um outro assunto.
Dito isto, não nego a existência de sofrimento psicológico e suas possíveis consequências. Que fique bem claro!

2
Num contexto profissional (enfermagem, medicina, etc.) em que, por várias razões, somos obrigados a seguir guidelines (linhas orientadoras) e determinadas regras que se destinam supostamente a melhorar a qualidade de uma determinada prática profissional, questionar o status quo, questionar determinadas situações pode trazer-nos problemas.
Não sou contra a existência de regras e consensos, mas a verdade é que não temos liberdade para abertamente dizermos o que sentimos e, não raras vezes, temos de calar para não levarmos com as consequências!
Neste sentido, quando alguém põe em causa a eficácia, necessidade, segurança e a própria ciência que suporta as vacinas, certamente irá sofrer consequências por estar a mexer numa crença tão profundamente arreigada e vista como verdade inquestionável.
A atitude, por exemplo, de um enfermeiro não deveria ser a de simplesmente cumprir ordens e regras, mas sim a de reflectir e procurar saber o que está a administrar. Embora saibamos que a autonomia completa nunca existe, o enfermeiro (e não só) não se trata de um militar que apenas cumpre ordens sem questionar.
Depois daquela história da gripe A, depois de termos visto o que vimos, muitas perguntas ficaram no ar e as suspeitas começaram a ser estendidas a outras vacinas tradicionais, digamos assim. Não é que as suspeitas não tenham existido antes disso, mas simplesmente a partir daí as pessoas começaram a olhar para as vacinas com mais atenção.
Em relação a este tema em particular, não pretendo adoptar nenhuma postura a favor ou contra, mas há determinados factos e informações que provocam em mim sérias dúvidas quanto à eficácia e segurança das vacinas (pelo menos em relação a algumas). Penso que é um assunto que merece ser melhor analisado e estudado de forma neutra, não dogmática e sem interesses de qualquer espécie!

Sugestões:

http://aprendervivendosociedade.blogspo ... nados.html

http://octopedia.blogspot.pt/2010/02/o- ... cinas.html

http://octopedia.blogspot.pt/2012/01/o- ... cinas.html

http://octopedia.blogspot.pt/2009/09/va ... a-mas.html

http://www.youtube.com/watch?v=PV3vNp9dEVM

E também algo sobre os grandes negócios feitos à custa de um povo (um povo mundial até diria) demasiado crédulo. A grande máquina do negócio da saúde… Em terras lusitanas, a prescrição por DCI veio estragar a vida a muita gente, mas isso não limpará tudo…

http://octopedia.blogspot.pt/2013/05/a- ... rates.html

3
Partindo do principio de que não existe qualquer tipo de censura neste fórum e de que tudo (sem excepção) pode e deve ser discutido, queria apenas deixar aqui este link sobre antidepressivos. Não representa nenhuma novidade e estou certo de que não surpreenderá os mais atentos e perspicazes. Trata-se apenas da ponta do icebergue, pois esta área ( não só a saúde mental, mas a área da saúde em geral) é abundante em situações duvidosas ou até misteriosas...
De uma coisa eu tenho a certeza, seja em que área for, os heréticos correm sérios riscos de serem severamente punidos...

Aqui está:    http://www.youtube.com/watch?v=IncNj99k2ig

Páginas: [1]