Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - paulo_ramos

Páginas: [1] 2 3 ... 7
1
É certo que a industria tem muitos interesses mas temos de reconhecer se não fosse as farmacêuticas ainda estaríamos a aplicar vinho, excrementos de animais e teias de aranha nas feridas. A nós profissionais é-nos pedido um esforço adicional e usar os novos produtos racionalmente e verá que afinal até têm boa relação custo eficácia fica o desafio ;).

Paulo Ramos

2
Sugestão de tratamento: Limpeza/ irrigação com SF, aplicação de hidrofibra com prata ou alginato com prata, penso secundário com espuma de poliuretano ou compressa, inicialmente diário de pois alargava o intervalo de tempo de tratamento conforme evolução.
Poderá também fazer aplicar compressas embebidas em  Protosan durante 10 minutos, no final irrigar com SF e seguir o tratamento indicado acima. O utente deverá ser instruído para efectuar cuidado de higiene perineal.

Em relação ao estado da ferida não acho que seja maceração mas sim sinal de infecção/ Biofilme.

Caro TiagoC, peço desculpa, mas não consigo perceber a lógica da sua "mistura"

Espero ter ajudado

Paulo Ramos

3
E os doentes que saem do hospital sem UP e regressam das ucc com elas??

Tenham cuidado com esse tipo de afirmações num forum que é visto pela população em geral.

Será que uma UP só se forma por défice de cuidados de enfermagem??

Cada um de nós trabalha numa determinada realidade e têm determinadas experiências, que não pode ser generalizada certo!?

Abraço

Paulo

4
Competência acrescida: Tratamento de Feridas / Re: Dúvida
« em: Janeiro 16, 2010, 14:22:16 »
but it will be either a Category/Stage III or
IV. Stable (dry, adherent, intact without erythema or fluctuance) eschar on the heels
serves as “the body’s natural (biological) cover” and should not be removed.
Suspected Deep.

Era disto que eu falava caro caldas... Em extremidades mal irrigadas e com necrose seca ou então calcâneos com necrose (sem sinais de infecção), não se deve efectuar qualquer desbridamento (autolítico, enzimático, mecânico cortante, etc), deve-se proteger e vigiar... è claro que todos aqui estámos a falar sem conhecer o caso em concreto relatado pelo colega o que nos limita o juízo clínico, não vimos o caso...

5
Competência acrescida: Tratamento de Feridas / Re: Dúvida
« em: Janeiro 15, 2010, 21:42:11 »
Necrose em câlcaneos sem sinais de infecção não é para desbridar. Segundo as guidelines, certo caldas?, muitos cuidado com desbridamentos nessa regiões é preferivel aplicar secar a ferida neste casos. Já assisti a verdadeiros "actos criminosos", em desbridamentos de calcâneos. Podere bem o tratamento colega NPNT

6
O resultado que obtes-te foi por alivio da pressão e aplicação de uma superficie de apoi adequada e não pelo produto que aplicas-te, poderia ser qualquer um...

1.º regra da prevenção e tratamento das UP: aliviar a pressão e prevenir as forças de deslizamento e fricção!

Cumprimentos

Paulo

7
Boa noite!

Encontra-se no mercado Português, representado pela JMV, existe em duas formulações ou pó ou em "pomada".
A sua acção é essencialmente de desbridamento e promotor da cicatrização, é bacteriostático pela sua composição (contém ác. ascórbico), muito utilizado nas úlceras de pé diabético com exelentes resultados. E caro pois não existe nenhum outro concorrente no mercado.

Utilizo com muito bons resultados

Paulo Ramos

8
A presença de o2 constante não irá permitir a proliferação de bactérias aeróbias??

A ferida não precisa de oxigenação para evoluir na sua cicatrização? O oxigénio necessário para a evolução da ferida não vem do meio ambiente mas sim da circulação corporal...

O facto de a terapia de vacuo chamar ao leito da ferida macrofagos, neutófilos e factores de crescimento viáveis não irá permitir um mais eficaz combate a infecções?

9
olá.

As deiscências muitas vezes são feridas  infectadas (grande parte das vezes) e a terapia de vacuo é utilizada com sucesso, é claro que depende da avaliação clínica que nós fazemos e do custo/ beneficio. Se a ferida está infectada e apresenta necrose ou tecido desvitalizado aí a terapia não tem efeito.

Em ferida crônicas um dos sinais de infecção é a paragem no processo de cicatrização, sem existir tecido inviável, nestes casos poderá ser ponderado o seu uso.

Abraço

Paulo

10
http://ewma.org/english/position-docume ... .html#c321

http://www.kci-medical.com/kci/corporat ... actherapy/

Faz parte das terapias avançadas em tratamento de feridas. Aplica uma aspiração constante no leito da ferida, absorve o excesso de exsudado, mas ao mesmo tempo "chama" ao leito da ferida factores de crescimento e outros componentes para que a cicatrização ocorra. o processo de granulação é extremamente rápido (desde que o estado geral do utente seja adequado), por isso o apósito deverá no máximo permanecer 72 horas no leito da ferida (tenho conhecimento de um caso em que não repeitaram essa regra e depois o utente teve que ir ao bloco retirar o apósito cirurgicamente) Tem aplicabilidade em feridas agudas (grandes traumas com perda de substância muscular, pode ser utilizado para preparação do local de enxerto), feridas crônicas (UP, desde que não exista exposição ossea ou visceral), deiscências (muito utilizado nas deiscências abdominais e toráxicas), pode ser utilizado em feridas infectadas. sistemas mais recentes e disponíveis em Portugal permitem a instalação de soluções no leito da ferida fazendo uma lavagem constante do leito da ferida.

Que conheça existem dois sistemas em Portugal: KCI representado pela expomedica e o da  smith&nephew.

A pressão aplicada poderá ir entre os -60 a -120 mmhg.

Espero ter ajudado

Paulo

11
Cuidados Gerais / Re: Dexametasona e Vómitos/nauseas
« em: Junho 21, 2009, 17:55:53 »
A dexametasona actua a nível central, ou seja no centro do vómito localizado no hipotálamo.
è muito utilizado em protocolos anti-hémeticos em oncologia médica, inclusivé PO. O utente bebe a ampola misturada com sumo de laranja (é muito amarga, quando tomada simples).

Espero ter ajudado.

12
O silvercel e o aquacel ag não tem o mesmo principio activo, ambos são pensos com prata no entanto o 1º é uma alginato com prata e o segundo é hidrofibra com prata exclusivo da convatec pois tem a patente da tecnologia hidrofibra.

13
A minha ferida era suturada.

Na neurocirurgia onde trabalhei, usava-se com muita frequência a pele plástica, neste momento já não usamos. Se a ferida está selada pelo próprio corpo, não é necessário mais nenhum produto.

14
Olá!

Eu já tive uma ferida traumática na face na zona do mento e aplicaram-me pele plástica; não apreciei a experiência, ficou com a impressão de "repuxamento" da pele. Outro problema desses produtos é a sua base alcoólica que secam a pele, depois ficam restos desse produto na pele e é preciso remover habitualmente com éter ou acetona que também são agressivos para a pele e tecido circundante . Se a ferida a que te referes não tiver sinais de complicações pode simplesmente ficar ao ar, pois ao fim de 24 horas a mesma já se encontra selada pelos fibroblastos. O que expus é com base apenas na minha experiência e num caso pessoal por isso vale o que vale. espero mesmo assim ter ajudado.

Paulo ramos

15
Competência acrescida: Tratamento de Feridas / Re: Tenderwet
« em: Abril 07, 2009, 11:20:33 »
OLá.

O tender wet active 24 é um apósito de poliacrilato impregnado com solução de ringer, é um excelente desbridante. Faz um espécie de lavagem da ferida ao ceder a solução de ringer para a ferida absorvendo de seguida o exsudado.
É necessário fazer uma boa protecção dos bordos da ferida pois dada a quantidade de hidratação que este apósito proporciona pode macerar a pele peri-lesional.
Tem de ser trocado a cada 24 horas.

Espero ter ajudado.

Páginas: [1] 2 3 ... 7