Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Projecto de Enfermeira

Páginas: [1] 2 3 ... 11
1
Aspectos negativos:
* Muitos nunca tiveram mum hospital o que dificulta a adaptação;
* Estão longe dos seus entes queridos (familiares e amigos...);
* Sentimento de solidão e consequente tristeza;
* Sentimento de abandono por parte das pessoas que ama (nomeadamente filhos); Um desabafo: nunca pensei que existissem tantas altas problemáticas;
* Maior susceptibilidade para contrair infecções;
* Medos (de morrer, de ficar dependente, de ser abandonado)
...

Aspectos positivos:

* Método de trabalho: enfermeiro responsável;
* Relação criada com o utente baseada na empatia e simpatia;
* Promover a constante expressão de sentimentos por parte do utente;
* Conhecer a opinião dos utentes sobre a satisfação dos cuidados prestados e que aspectos devem ser melhorados (normalmente os utentes referem que gostavam de ter o enfermeiro mais presente);
* Preparar a alta desde o 1º dia de internamento;
* Incluir a família nos cuidados prestados ao utente.
...

2
Não é por envelhecermos que os nossos sentimentos desaparecem. O amor não tem idade.
Se os idosos fossem respeitados os seus sentimentos também seriam respeitados. Infelizmente muitos idosos são tratados que nem crianças sob o total controlo das famílias e de outras pessoas, a sua autonomia simplesmente desaparece.
É triste ouvir estas histórias. :(

3
Trabalhar fora de Portugal / Re: Trabalhar na Suiça
« em: Outubro 06, 2009, 15:17:12 »
Olá a todos.
Eu trabalho em Portugal a alguns meses, estou efectiva e tenho alguma estabilidade. Devia estar super feliz, é verdade, mas nem por isso. Trabalho numa área que adoro mas o Hospital a meu ver não promove os bons cuidados. Existe imensa falta de material nos serviços, as x coisas fulcrais como luvas e máscaras, creme hidratante, desinfectantes, para não falar de outras coisas igualmente básicas ... o único prejudicado é o doente.
Permaneço na minha terra porque tenho cá a minha família e o meu namorado, caso contrário já tinha saído desta terra.
Parabéns aos que conseguem dar um passo em frente e ir em busca de condições melhores e de uma melhor satisfação profissional.

4
Cuidados Gerais / Re: Quadros de informação nas salas de registo
« em: Setembro 29, 2009, 18:58:40 »
Boa noite.
No meu serviço não há quadro de doentes na parede. Temos sim, um quadro de doentes informatizado. Os computadores contêm o quadro de doentes e para aceder ao quadro basta clicar sobre este. Existe sempre um computador sempre ligado, onde acedes a qualquer hora ao quadro e os restantes computadores do serviço também têm quadro de doentes onde para acederes basta fazeres login e clicar sobre o quadro de doentes.
No quadro temos as seguintes informações: nome do doente, idade, data de admissão,  patologia/cirurgia, enfermeiro responsável, médico responsável, dieta do doente e outras informações pertinentes (data de consultas, exames auxiliares de diagnóstico, data de provável alta...).
Eu nunca concordei com o quadro enorme que quase todas as salas de enfermagem têm, visto que os familiares, amigos e demais conhecidos e desconhecidos têm acesso ao quadro. Para tal basta só entrar na sala de enfermagem. Eu não sei como é nos vossos serviços, mas no meu quando um familiar quer pedir uma informação não aguarda na respectiva porta da sala de enfermagem por nós, vai entrando logo pela sala dentro. E mesmo que se chame a atenção, fazem sempre o mesmo. Por isso concordo bastante com o quadro informatizado.

5
Cuidados Gerais / Re: Dormir no turno da noite
« em: Setembro 29, 2009, 18:38:32 »
Boa noite  ;)
No serviço onde exerço funções, os colegas descansam 1-2h, não mais do que isso. E é quando não existem doentes mais complicados. Sinceramente não acho nada de mal, visto que alguém está sempre em alerta (os colegas descansam à vez). Mas sem dúvida que existem umas horas mais calmas (da 1h às 5h da manhã).
Também não concordo quando dizem que os colegas da noite trabalham menos. Ficas com muitos mais doentes (no meu serviço os enfermeiros ficam com 11-14 doentes) à tua responsabilidade e tens imensos cuidados e procedimentos de enfermagem para realizar (preparação e administração de terapêutica, posicionamentos, aspiração de secreções, pensos para fazer quando estes estão repassados, veias para puncionar.....).
Trabalho não falta, acreditem. Haja vontade de prestar bons cuidados.

6
Boa tarde. :)
Na instituição onde trabalho todos os serviços usam a CIPE na construção dos planos de cuidados. Para além disto existe um serviço-piloto onde está a ser implementado os registos electrónicos. Nestes registos para além das notas de enfermagem, registo dos sinais vitais e outros parâmetros e plano terapêutico, também são criados diagnósticos de enfermagem consoante a CIPE e respectivas intervenções. Algo que está a ser complicado, mas a equipa é jovem e muito motivada. Sentem também uma grande responsabilidade porque o que sair daquele serviço será usado por todos os enfermeiros da instituição.
 ;)

7
Bem colega, não era bem isso que gostava de saber.

O que gostava mesmo de saber é se: Na vossa prática, se tiverem uma ferida com pequenas dimensões, vocês optam por cortar a gase gorda ou dobram-a?? Porquê??

Esta dúvida foi colocada em serviço por um membro da equipa e a verdade é que ninguém ainda conseguiu apresentar fundamentação: se se pode dobrar a gase gorda ou não!
Se a dobrarmos não poderemos estar a afectar as trocas gasosas (por algum motivo ela vem em forma de rede)??

8
Enfermagem e Politica de Saúde / Re: !! SONDAGEM !! Quem vota PS ??
« em: Setembro 24, 2009, 21:48:18 »
Nas Legislativas votarei PP - Paulo Portas. Simplesmente porque gostei muito do trabalho deste enquanto esteve no ministério da defesa e penso que será capaz de muito mais.
Em relação ao facto de os partidos falarem dos enfermeiros... simplesmente acho que ninguém disse nada de jeito em relação a nossa profissão e os que disseram, o fizeram na tentativa de conseguirem mais alguns votos, eles sabem que estamos descontentes com o actual governo e querem angariar votos. Não acredito que voltem a abordar a nossa profissão quando tiverem no poder.

Voto nulo/ abstenção, para mim, releva uma autêntica falta de tomada de decisão e desinteresse pelo nosso País!

Atenção isto é uma opinião minha e como tal espero que seja respeitada! lol

9
Ninguém usa gase gorda nos serviços e centros de saúde??
Gostava mesmo de saber opiniões, se não se importarem!  ???

10
Olá! :)
Eu sei que este tópico não tem respostas a imenso tempo (não me venham com sermões por causa disso lol)!!  ;D

Mas tenho uma dúvida a qual não encontrei resposta nos comentários efectuados!!

Na vossa prática, se tiverem uma ferida com pequenas dimensões, vocês optam por cortar a gase gorda ou dobram-a?? Porquê??

Esta dúvida foi colocada em serviço por um membro da equipa e a verdade é que ninguém ainda conseguiu apresentar fundamentação: se se pode dobrar a gase gorda ou não!

Se a dobrarmos não poderemos estar a afectar as trocas gasosas (por algum motivo ela vem em forma de rede)??

Gostava de ouvir opiniões.
 ;)

11
Cuidados Gerais / Re: Qualidade de vida de um enfermeiro
« em: Setembro 21, 2009, 21:02:07 »
Olá a todos!
Considero a nossa profissão desgastante a nível físico e psicológico. Trabalho num serviço bastante "pesado", confesso que fico cansada após uma manhã de trabalho. A "vantagem" deste cansaço é que, em vez de ir dormir à 1hora da manhã (como nos tempos de estudante), vou dormir às 23horas, acordo muito mais bem-disposta e com mais vontade de iniciar um novo dia! ;) Actualmente não faço nenhum desporto para relaxar, mas estou a pensar voltar a fazer.
Os momentos passados em família ajudam a relaxar e a descontraír, nada melhor do que umas boas risadas para "afastar" o cansaço! ;) Um bom passeio a beira mar com um suminho na mão também não é nada mau!

Acima de tudo, acho que cada enfermeiro deve tentar perceber como há de contribuir para a sua qualidade de vida e depois, adoptar essas estratégias. Ficar parada a espera que a "qualidade venha ter comigo?!" - nem pensar, eu é que tenho que ir atrás de qualidade na minha vida!

12
Cuidados Gerais / Re: A Privatização e suas consequências
« em: Setembro 21, 2009, 20:41:29 »
Olá a todos!
Trabalho num Hospital Público que de momento tem uma Gestão Empresarial. O principal objectivo desta gestão é poupar em tudo colocando de lado, por vezes, o bem-estar do doente, ou seja, optam sempre pelo material mais barato, deixando de parte a qualidade deste. Falta imensas vezes material básico para procedimentos de enfermagem (máscaras, campos esterilizados, luvas, máscaras...). Às vezes também faltam coisas essenciais, como um simples creme hidratante e material para efectuar pensos.
Os enfermeiros especialistas, passam anos a receber o mesmo que um enfermeiro graduado, mas exercem funções de especialista (o chefe contou de quando tirou a especialidade começou logo a exercer funções como especialista, mas recebeu durante 4 anos como graduado). Para não falar dos enfermeiros generalistas que passam anos e anos a receber sempre o mesmo.
Enfim... nesta altura já é bom ter trabalho.  ???

13
Cuidados Gerais / Re: Acto de Enfermagem
« em: Agosto 25, 2009, 16:47:06 »
A muitos anos atrás não existiam psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e assistentes sociais. Existiam enfermeiros e médicos e nada mais. Os médicos sempre manteram as suas funções ao longo do tempo, alias até ganharam mais. Os enfermeiros... foram perdendo um pouco das suas funções para estas "novas profissões" que têm surgido. Infelizmente não soubemos lutar para manter o que era nosso.
Podia contar imensas situações, mas vou referir só uma que aconteceu hoje mesmo...
Estava a questionar a utente para tentar perceber como era a sua rede de suporte familiar, um enfermeiro mais velho aproximou-se de mim e disse-me a frente da utente: esse papel é do assistente social, não é teu. Bem... na altura em que andei na escola aprendi que era função do enfermeiro perceber qual a rede de suporte familiar que o utente tem, principalmente um utente que tem limitações físicas e visuais e que não é totalmente independente nas AVD`s. Hoje descobri que estou enganada!!

Em relação a necessidade de haver uma definição de acto de enfermagem e de este estar legislado, concordo perfeitamente.

14
Anúncios de Emprego / Re: Concurso na Madeira - Aviso na página 6
« em: Janeiro 19, 2009, 17:53:51 »
Olá a todos!
Dos conhecimentos que tenho, foram mais de 200 pessoas admitidas para entrevista!
Mais conhecimentos não tenho!

15
Olá a todos. :)
Depois de uma ausência do fórum (Nataallll :)), cá estou eu novamente.
Fico feliz por este tópico ser mesmo um "tópico de discussão". :)

Sabem... na faculdade tive uma professora que sempre defendeu que quem devia dar certo tipo de informações ao utente era o profissional de saúde que tivesse uma relação mais próxima com o utente, defendia com unhas e dentes que, devíamos deixar de pensar apenas em nós, e que devíamos pensar um pouco no doente, devíamos de nos colocar na pele do doente e pensar: quem gostava de me fornecesse tal informação importante. Segundo ela, devia de ser decidido em equipa, qual a pessoa mais indicada para dar certo tipo de informações ao doente. Um ponto de vista bastante interessante ....

Colega LFATeixeira! Peço que não misturemos as coisas, o tópico é apenas sobre as informações que são fornecidas aos doentes...
Citação de: LFATeixeira
Sentir-nos-iamos respeitados enquanto profissionais que somos se um outro profissional, que não nós, por exemplo, planeasse ensinos/instruções/treinos a um cliente/familiar/convivente? Não sentiriamos nós que estivesse ali uma certa usurpação de funções, da qual tanto falamos e sentimos na pele ultimamente?
Tal pergunta não está relacionada com o contexto deste tópico.

Eu considero que primeiro do que tudo, temos que pensar no utente que estamos a prestar cuidados. Se considerar que é o utente precisa de saber o seu diagnóstico médico (um direito seu), tenho obrigação de falar com o médico sobre tal assunto. Tal facto não me faz mais ou menos importante, simplesmente estou preocupada com o bem-estar do utente que estou a prestar cuidados, para além de ter o dever de lhe proprorcionar o melhor bem-estar possível no momento.

Achei muito pertinente a questão do Magistral Estratega, realmente se pensarmos bem, é algo que é prescrito pelo médico, logo, não deveria de ser este a explicar ao utente que fármaco era aquele e que efeitos secundários poderiam acontecer. Não seria apenas função nossa explicar apenas o procedimento ao utente? Mas não é, explicamos ao utente que farmaco é aquele, os efeitos secundários, como é administrado, horário de administração, cuidados especiais a ter com determinados medicamentos...

Em relação aos diangósticos de enfermagem é importante nós confirmarmos os diagnósticos de enfermagem com o utente, até porque, o que é um problema para nós, pode não ser um problema para o utente e vice-versa, e para fazer a priorização também é muito importante confirmar tais informações com o utente. Pelo que, se o utente não tem conhecimento dos diagnósticos de enfermagem penso que tal é um erro grave da nossa parte!

Para concluir: Reflexão é preciso! Deixemos (quando falo no plural, não significa que me esteja a referir a classe toda de enfermagem) de parte as guerrinhas que existem entre profissionais de saúde e pensemos no doente.
Não sou a favor da omissão e da mentira em ocasião nenhuma! Não sou a favor que se pense que um "doente ignorante" é mais feliz do que um doente informado. Não sou a favor que se pense que não temos nada a haver com certas coisas, quando tal prejudica o utente. Sou a favor da reflexão, do pensamento crítico, da união e do trabalho em equipa... quem fica a ganhar? Nós e acima de tudo o utente!

Páginas: [1] 2 3 ... 11