Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - deh

Páginas: [1]
1
Ensino e Atividades Académicas / Re: Qual o Ano Mais Dificil?
« em: Março 15, 2012, 20:57:03 »
Na ESEP, pelo menos com o plano curricular em vigor até ao final do ano lectivo de 2009/2010, a opinião era (quase) unânime: o 3º ano. Era (e continua a ser) o primeiro ano de estágios, o que exige uma enorme adaptação por parte do aluno, até aí habituado sempre às aulas. Depois, o último, como já estávamos habituados, é mais fácil!

Mas é como dizem, tudo depende do plano curricular.

2
Ensino e Atividades Académicas / Re: "Lei dos Maiores de 23 anos"
« em: Março 15, 2012, 20:52:30 »
Ainda não tinha dado a minha opinião neste tópico, porque o considero controverso e com demasiados 'quês' a serem levados em questão. Mas vou fazê-lo agora, porque considero que o romantismo com que falam aqui da enfermagem é errado e contribuiu para a desvalorização da enfermagem e dos enfermeiros.

Relativamente, ao regime maior de 23, devo dizer que apenas conheço em traços gerais o processo de candidatura, porque entrei pelo regime geral. Não sei se os exames são fáceis ou difíceis e com os colegas que entraram para o ensino superior através deste regime tive experiências variadas: alguns deles eram óptimos colegas, pessoas muito capazes, com uma capacidade de se organizarem de fazer inveja, enquanto outros eram pessoas com francas dificuldades de aprendizagem, com lacunas de conhecimentos enormes e que nunca deveriam ter ingressado no ensino superior. Contudo, em teoria, sou absolutamente contra o regime. Considero que justo seria as pessoas concluírem o 12º ano, fazerem os exames nacionais e se candidatarem ao ensino superior, como todos os outros. Isso sim é equidade no acesso. Todos fariam o mesmo exame, passariam o mesmo testo e assim seriam garantidas as mesmas condições para todos os candidatos. Ainda assim, não considero que haja discriminação nenhuma durante o curso para com os estudantes que ingressam através deste regime.

Relativamente ao romantismo da enfermagem, o principal motivo que me leva a escrever aqui, devo dizer que é uma coisa que me enerva profundamente. Ver enfermeiros dizerem que enfermagem é vocação, é carinho, entre outras coisas,  é desprezar completamente aquilo que devemos ser: profissionais de saúde. Obviamente que todo o profissional de saúde deve saber ser e saber estar - mas não têm todos os bons profissionais em qualquer que seja a área? E claro que estas características são mais valorizadas em profissões que têm contacto directo com pessoas, principalmente se se encontram debilitadas por um processo de doença. Caindo num estereótipo, um engenheiro informático que passe o dia ao computador não necessita tanto de desenvolver competências porque não lida directamente com pessoas, mas se esse engenheiro der aulas de informática não se torna vital saber ser e estar na sua função?

Perdoem-me se vou chocar alguém, mas o essencial não é dar carinho: é ser bom profissional, ter conhecimentos, competências e habilidades, ser capaz, respeitar os demais e saber ser e estar. O resto diz respeito à individualidade de cada um: eu serei ou não uma pessoa mais capaz de demonstrar afectos do que a outra, o que não faz de mim melhor ou pior profissional. Pelo menos, eu prefiro ser tratada por um colega que saiba o que faz mas seja pouco empático do que para outro que seja o auge da simpatia mas um perfeito incompetente no seu trabalho. Agora, conciliar tudo, o lado humano e os aspectos técnicos, isso sim é o enfermeiro e a pessoa que todos devíamos pretender ser! :)

3
Começo por dizer que acho o título deste tópico completamente despropositado. Quando abri o tópico, pensei tratar-se de mais uma história acerca de uma agência manhosa que prometia contratos hospitalares e depois, na realidade, eram para uma nursing home. Mas depois, com alguma incredulidade confesso, leio que os enfermeiros estão a ser empurrados para as nursing homes no RU porque... só aparecem propostas de trabalho para as nursing homes!

Primeiro, a afirmação não é verdade absoluta. Existem propostas para hospitais ingleses (dia 29 de Março, começo a minha aventura! :)). Claro que já não chovem propostas para hospitais ingleses como há um ou dois anos, visto que também o NHS sofreu cortes orçamentais severos. Além disso, já não são apenas os enfermeiros recém-licenciados que se candidatam a estas vagas, o que pela lei do mercado e da concorrência os enfermeiros com mais experiência e melhor curriculum serão mais facilmente apurados.

Depois, é como dizem os ingleses no pain, no gain. Procurar, investir, persistir, insistir às vezes, são tudo factores importantes se queremos 'aquele' lugar. Também contactei com agências que me ofereciam apenas nursing homes. Outras ainda que me ofereciam um contrato hospitalar, onde nos primeiros seis meses iria auferir como Band 3 por não ter um ano de experiência hospitalar. E depois candidatei-me a uma vaga que apareceu através da KCIR. Trabalhei, aperfeiçoei o meu inglês, preparei-me conforme pude para a entrevista, aceitei os conselhos de quem já tinha experiência, investi algum dinheiro e, cheia de confiança mas a morrer de medo de não conseguir o emprego que queria, fui à entrevista e fui seleccionada para Whipps Cross University Hospital (em East London, estou tãooo contente! :D), sendo que na mesma altura havia ainda outro concurso para Maidstone. Por isso, não sejam derrotistas! Continuem e vão ver que a vossa chance aparecerá! :)

4
Trabalhar fora de Portugal / Re: KCIR - Enfermeiros para o Reino Unido
« em: Fevereiro 15, 2012, 13:55:00 »
Citação de: yakuti
meninos e meninas, senhores e senhoras, enfermeiros e colegas
parece existir uma grande historia com o processo de traducao...como ja foi explicado aqui precisamos de tradutores oficiais que precisam ser certificados. Eles que vao a embaixada e assinem a declaracao a dizer k sao tradutores. Isso tem de vir anexado com os documentos...pelo que parece a NMC, com tantas aplicacoes comecou a ficar maissssssss exigente e claroooo, papelada para a frente!!!!os notarios nao serao reconhecidos como tradutores!
tenham em atencao isto

Boa tarde Yakuti.

No meu caso, fiz as traduções dos documentos através de um tradutor pertencente a instituto de línguas credenciado. De seguida, ele foi comigo ao notário e teve de dar os seus dados pessoais, dizer que era fluente na língua e foram reconhecidas as traduções, sendo carimbada com o selo branco (reconhecido internacionalmente). Nem eu nem o tradutor fomos à embaixada inglesa!

A responsável pelo meu processo de recrutamento na Kate Cowhig pediu-me que lhe enviasse os documentos para conferir e disse que estava tudo bem, reencaminhando-os em meu nome para o NMC. Aguardo agora a aprovação, mas penso que como foram conferidos pela responsável, tudo estará bem. :)

5
Ah, realmente não sabia isso. E como confirmei a informação com amigos que já estão no Reino Unido há quase um ano, eles também não tinham essa informação.

Eu não uso cartão de crédito, só de débito. Não sabes se há alguma outra forma de efectuar o pagamento? Mas amanhã, quando ligar para lá, também me devem dizer!

6
Citação de: KarmaPolice
Tem demorado mais tempo, pelo que sei 2 meses.. Eu só fiz o pagamento inicial sexta-feira, e a funcionária do NMC disse-me que o processamento demorava  4-6 semanas, depois se receberes a aprovação, pagas as quotas e demoras 1-2 semanas a receber o PIN

Tenho uma dúvida relativamente a esse pagamento inicial que falaste, talvez me possas ajudar.
Depois de enviar o application pack, tens de aguardar pela recepção de uma carta, onde te dizem se foste ou não aceite e onde te mandam os dados para efectuar o pagamento, certo?
Ou temos de fazer algum pagamento à priori?

7
Mesmo que não partilhem os contactos, vais ver que estar longe da família e dos amigos vai permitir criar uma muito maior cumplicidade com aqueles que vão connosco. O ser humano adapta-se a tudo, vai correr tudo bem! :)

Eu também só enviei o meu application pack a semana passada. Mas segundo amigos meus que estão a trabalhar no Reino Unido pela Kate Cowhig, se te quiserem contratar, contratam-te na mesma, independentemente de teres ou não já o PIN number. Mas também dizem que demora cerca de 3 semanas - 1 mês, por isso não é muito tempo!

8
Medicina.

Já vi em cima que também foste seleccionada. Parabéns! Pelos vistos, vamos ser colegas!  :)

9
Habitualmente, em serviços de adultos, os enfermeiros não fazem esses cálculos porque quem faz a prescrição (os médicos, portanto) costumam fazê-los, mas devíamos ter conhecimento até para despistarmos eventuais erros. Mas na pediatria é muito comum fazê-los (enquanto estagiária, lembro-me que tinha de fazer cálculos desse género).

Mas não se preocupe colega, porque é uma coisa muito simples de se fazer. Imagine, um doente com 70 quilos faz um fármaco X em que a dose prescrita é 2mg/kg. Logo, será 140mg a dose a administrar. É uma regra de 3 simples básica: se 2mg equivale a 1kg, então 70kg equivalem a x. Não se preocupe com o exame de cálculo, porque é bastante acessível.

Eu fui à entrevista no dia 20, no Porto e fui seleccionada. Disseram que enviavam informação por e-mail, mas até agora não recebi nada. Mais alguém foi seleccionada ou sabe mais alguma coisa?

10
Anúncios de Emprego / Re: Bolsa de Recrutamento: CH Vila Nova Gaia
« em: Dezembro 28, 2010, 18:30:43 »
Citação de: Ana Moreira_24
desculpa lá deh...eu licenciei-me com 16 valores.
podes não conhecer lá ninguém... TU...!!!

Nem eu, nem a minha família. Se não queres acreditar, não acredites, é me absolutamente indiferente! Só postei a dizer que estava surpreendida pela positiva, porque fui à entrevista mesmo só por ir porque sabia que com o CV ainda pobrezito que tenho e sem experiência profissional, não tinha hipótese nenhuma! Daí a surpresa.

11
Anúncios de Emprego / Re: Bolsa de Recrutamento: CH Vila Nova Gaia
« em: Dezembro 28, 2010, 13:52:44 »
Licenciei-me com 16 valores.

12
Anúncios de Emprego / Re: Bolsa de Recrutamento: CH Vila Nova Gaia
« em: Dezembro 28, 2010, 13:45:16 »
Eu, por minha vez, posso dizer que fiquei surpreendida pelo resultado das classificações.

Licenciei-me em Julho deste ano, não tinha nenhum tipo de experiência profissional, apenas tinha uma nota de licenciatura decente, não conheço ninguém do CHVNG e fiquei na posição 144, na quarta página...

Da minha parte, penso que não me posso queixar... porque, sinceramente, ficou acima das minhas expectativas!

Páginas: [1]