Social:
quarta, 08 novembro 2006 15:51

Visitando Nightingale

Escrito por  Enf. Pedro José Silva

Reportagem de Pedro José Silva em Londres. 

Há poucos dias tive a oportunidade de visitar o Museu Florance Nightingale, contíguo ao St. Thomas Hospital em Londres. Foi uma oportunidade de ficar a conhecer melhor a vida desta mulher que representa um marco para o desenvolvimento da Enfermagem.

 

 

A sua vida deu lugar ao mito, chamada de anjo dos pobres, mulher da lamparina, etc. o certo é que o seu trabalho influenciou em grande medida a saúde pública e o ensino da Enfermagem na Grã-bretanha e fora dela, pois muitas das "Nightingale Nurses" acabaram por levar as suas ideias para a Europa, Estados Unidos, India (onde foi preponderante para a melhoria de condições, etc...

Um exemplo de como esta mulher mudou a maneira da sociedade ver a Enfermagem, é uma das pequenas histórias que encontramos neste museu. Quando Florance e as suas enfermeiras chegaram a Scutari durante a guerra da Crimeia, não lhes era permitido entrar sozinhas numa enfermaria, tinham que estar acompanhadas por uma religiosa, por uma questão "moral e social". Neste tempo a história da Enfermagem funde-se com a história da conquista dos direitos das mulheres. Pouco tempo depois da sua chegada, Florance já tinha posto cobro àquela situação e tinha elaborado um plano de organização das enfermarias de forma a responder prontamente à chegada de feridos (os soldados eram transportados em barcaças desde a frente de batalha, muitos morriam pelo caminho), onde se deveria prontamente proceder a cuidados com as feridas e hemorragias, sua limpeza, e acomodação numa cama para depois serem vistos pelos médicos.

O texto que se segue é uma tradução feita por mim da biografia presente no website deste museu. Juntei algumas fotos, algumas das quais de outros sites. O texto segue as diferentes fases de vida de Florance, semelhante a estruturação dos acervo do Museu, que leva o visitante a revisitar a epóca em que Florance viveu e o seu percurso de vida.

Florance Nightingale foi uma lenda em vida mas os anos de guerra da Crimeia que a tornaram famosa foram apenas dois de uma vida que durou noventa anos.

 

Os primeiros anos

Florance Nightingale nasceu em Itália em 12 Maio 1820 e o seu nome ficou-se a dever à cidade onde nasceu. Os seus pais, William Edward e Frances Nightingale eram uns casal rico, que viajaram pela Europa durante dois anos em lua-de-mel. Durante esta viagem, nasceu a sua primeira filha, Parthenope, em Napoles (Parthenope que é o nome grego antigo para a cidade), seguida um ano mais tarde por Florance. No regresso a Inglaterra os Nightingale dividiram o seu tempo entre duas casas. Nos meses do verão viviam em Lea Hurst em Derbyshire, e passavam o inverno Embley em Hampshire. Lea Hurst é agora um lar para aposentados e Embley é uma escola.

 

O Chamamento de Deus

Florance e Parthenope foram educadas em casa pelo pai que foi formado na Universidade de Cambridge. Florance era uma criança academica, enquanto que a sua irma se dedicava a pintar e há fazer trabalhos manuais. Florance cresceu para ser uma fosse uma jovem experta e atrativa, admirada no seu círculo social, esperava-se que fizesse um bom casamento, mas Florance tinha outras preocupações. Em 1837, no jardim em Embley, Florance teve o que descreveu como "o seu chamamento"'. Florance ouviu a voz de Deus a chamar para fazer o seu trabalho, mas nesse tempo não teve nenhuma ideia do que esse trabalho seria.

 

Os anos do esforço e da visita a Kaiserswerth

Florance desenvolveu um interesse pelas questões sociais do dia a dia, fazia visitas às "casas de repouso para doentes" nas vilas locais e começou a investigar acerca de hospitais e os cuidados. Os seus pais recusaram-se a permitir que se tornasse numa enfermeira, em meados do século dezanove não era considerada uma profissão apropriada para uma mulher bem-educada. Enquanto os conflitos familiares acerca do futuro de Florance permaneciam sem solução à vista, foi decidido que Florance viajaria pela Europa com alguns amigos da família, Charles e Selina Bracebridge. Os três viajaram a Itália, ao Egipto e à Grécia, voltando em Julho 1850 através da Alemanha onde visitaram o hospital e a escola do pastor Theodor Fliedner em Kaiserswerth, perto de Dusseldorf. No ano seguinte Florance voltou a Kaiserswerth e empreendeu três meses de formação em Enfermagem, que lhe permitiu concorrer a uma vaga como Superintendente do "Estabelecimento para Senhoras durante a doença" no. 1 de Harley Street, Londres em 1853.

 

Gravura de Florance com um mocho, que era a sua mascote.

 

 

A Guerra da Crimeia

Em Março de 1854 a Grã-bretanha, a França e a Turquia declararam guerra à Rússia. Os aliados derrotaram os russos na batalha do Alma em Setembro mas os artigos do jornal "The Times" (esta foi a primeira guerra onde os jornalistas tiveram pela primeira vez um papel relevante) criticaram as condições médicas britânicas para os feridos. Na resposta, Sidney Herbert, o ministro da guerra, que conhecia socialmente Florance Nightingale e sabia do seu trabalho na rua de Harley, apontou-a para supervisionar a introdução de enfermeiras mulheres nos hospitais militares na Turquia. Em 4 de Novembro de 1854, Florance Nightingale chegou ao hospital de Scutari, um subúrbio no lado asiático de Constantinopla (actual Istambul), com a companhia de 38 enfermeiras. Inicialmente os doutores não quiseram as enfermeiras lá e não pediam a sua ajuda, mas passados dez dias começaram a chegar as vítimas da batalha de Inkermann e as enfermeiras foram destacadas imediatamente.


Fonte: http://www.florence-nightingale-avenging-angel.co.uk/scutari.htm

 

 

Planta desenhada pela irmã de Florance e que mostra o tipo de estrutura do hospital militar onde Florance viveu.

Fonte: http://www.florence-nightingale-avenging-angel.co.uk/tower.htm

 

 

A 'Senhora-em-Chefe', como Florance era chamada, escreveu para casa em representação dos soldados. Agiu como um banqueiro, emitindo os salários dos homens para casa a suas famílias, e introduziu quartos da leitura ao hospital. No retorno ganhou o respeito dos soldados britânicos. A introdução de enfermeiras mulheres nos hospitais militares era um sucesso proeminente, e para mostrar a gratidão da nação pelo trabalho duro de Florance Nightingale um peditório público foi organizada em Novembro de 1855. O dinheiro recolhido devia permitir Florance Nightingale continuar a sua reforma da Enfermagem nos hospitais civis da Grã-Bretanha.

 

 

 

Quando Florance Nightingale voltou da guerra da Crimeia em Agosto de 1856, quatro meses depois do tratado de paz ter sido assinado, ela preferiu afastar-se da atenção do público. Emn Novembro de 1856 Nightingale fez do quarto de um hotel em Londres o centro para a campanha para que uma Comissão Real investiga-se a saúde do exército britânico. Quando Sidney Herbert foi apontado como "chairman", ela continuou como uma força nos bastidores.

Pela sua contribuição ao nível das estatísticas do exército e as estatísticas hospitalares comparativas, em 1860 Florance Nightingale tornou-se a primeira mulher a ser eleita membro da Sociedade Estatística. Em 1865 estabeleceu-se no nº 10 da South Street, Mayfair, no West End de Londres e aparte das visitas ocasionais a Embley, Lea Hurst e à sua irmã na casa de Claydon, viveu lá até à sua morte.

 

Escola de treino Nightingale para enfermeiras

O maior feito de Florance Nightingale foi elevar a Enfermagem ao nível de uma profissão respeitável para mulheres. Em 1860, com o dinheiro dos peditórios do Nightingale Fund, ela estabeleceu a Escola de Treino (Formação) Nightingale para Enfermeiras no St Thoma's Hospital. A Sra. Sarah Wardroper, era a "matrona" (espécie de enfermeira-chefe) em St Thomas', e tornou-se na responsável pela nova escola. As enfermeiras em formação recebiam treino de um ano que incluía algumas disciplinas mas era principalmente trabalho prático de enfermaria sob a supervisão da "ward sister". A "Miss Nightingale", como era chamada sempre pelas enfermeiras, analisava os diários e os relatórios de enfermaria das formandas.

Foto: http://www.florence-nightingale-foundation.org.uk/

 

A partir de 1872 de Florance passou a dar uma atenção mais próxima à organização da escola e quase anualmente nos trinta anos seguintes escreveu uma carta aberta às enfermeiras e às formandas dando conselhos e palavras de incentivo. Na conclusão do "treino" (curso) Nightingale oferecia livros às enfermeiras livros e convidava-as para tomar chá. Uma vez "trinadas" as enfermeiras enviadas para "staff hospitals" na Grá Bretanha e no exterior e para escolas de enfermagem baseadas no modelo Nightingale. Em 1860 foi publicado o seu trabalho mais conhecido, "Notes on Nursing". Colocou os principios da Enfermagem: observação cuidadosa e sensibilidade para as necessidades do paciente. O "Notes on Nursing" foi traduzido em onze línguas extrangeiras e ainda hoje em dia é publicado.

 

Saúde Pública

Os escritos de Florance Nightingale acerca de planeamento e na organização hospitalar tiveram um efeito profundo em Inglaterra e no mundo. A Miss Nightingale era a principal defensora do 'pavilion plan' para os hospitais da Grã-bretanha.

Assim como o seu amigo, o reformador da saúde pública Edwin Chadwick, Florance Nightingale acreditava que a infecção se gerava espontaneamente em lugares sujos e mal ventilados. Não obstante, esta opinião estar errada, ela conduziu a melhorias na higiene e ambientes mais saudáveis da vida e de funcionamento. Florance Nightingale também aconselhou e apoiou William Rathbone no desenvolvimento de "Enfermagem do distrito" (district nursing) em Liverpool e muitas das enfermeiras que Nightingale treinou tornaram-se pioneiras neste campo.

 

Os últimos anos

Embora Florance Nightingale tenha estado acamada durante muitos anos, ela promoveu tenazmente a melhoraria dos padrões de saúde, publicando 200 livros, relatórios e panfletos. Em reconhecimento pelo seu árduo trabalho a rainha Victoria concedeu a Miss Nightingale a Cruz Vermelha Real em 1883. Na sua idade avançada recebeu muitas honras, incluindo a Ordem de Mérito (1907), transformando-se na primeira mulher para recebe-la. Florance Nightingale morreu em casa com a idade de 90 em 13 Agosto 1910 e, de acordo com os seus desejos, foi enterrada em St Margaret, East Wellow, perto da casa do seu pai, Embley Park em Hampshire. As reformas levadas a cabo por Florance Nightingale influenciaram a natureza do cuidado de saúde moderno e os seus escritos continuam a ser um recurso para enfermeiras, gestores e responsáveis de saúde.

 

Pintura baseada numa fotografia de Florance no seu quarto.

 

Ler 3232 vezes