Social:
quarta, 31 maio 2006 14:53

Congresso de Feridas: da evidência à prática

Escrito por  Pedro José Silva

Decorreu nos dias 25 e 26 de Maio de 2006 no Centro de Congressos de Lisboa.

Este evento primou pela qualidade dos intervenientes, quer dos membros do Grupo Associativo de investigação em Feridas (GAIF), quer os comvidados nacionais e internacionais. O sucesso deste evento ficou patente na adesão dos enfermeiros, que em grande número rumaram a Lisboa para este II Congresso de feridas organizado pelo GAIF

Várias empresas do ramo dos materiais de tratamento d eferidas estiveram presentes com stands no hall do Centro de Congresos de Lisboa e também em simpósios satelite que enriqueceu o programa.

Sem querer estar a ser injusto, destaco a intervenção da Dra Barbara Braden ( Ph.D., RN, FAANDean of Graduate School & University CollegeCreighton UniversityOmaha, Nebraska) numa altura em que a sua escala de avaliação e prevenção de úlceras de pressão está a ser implementada em inúmeros hospitais do país. Daí a relevância de trazer barbara Braden a Portugal, e de ter sido realçado que a introdução desta escala sem uma articulação com protocolos de actuação, é iracional e mesmo anti-ético.

Outra vertente foi a apresentação dos resultados de vários estudos levados a cabo por membros do GAIF e outros comvidados, desde os materiais tecnologicamente avançados até "velhos remedios" que apesar de apresentarem resultados comprovados ainda não desvendaram todos os seus segredos, como é o caso da utilização do mel no tratamento de feridas.

 

 

Gostaria de destacar o Workshop sobre material de penso, que esteve a cargo da Enf. Cristina Miguéns (GAIF e CS de Pampilosa da Serra) e a dra Aba Paula Dinis (farmacia hospitalar dos HUC) que em artigo anterior neste site se debruçou sobre este tema. Excelente abordagem sistematizando os materiais disponiveis e a sua pertinência de utilização conforme o estado da ferida. Infelizmente o espaço disponibilizado para a mesmo foi exíguo para a quantidade de colegas que esperavam assistir ao workshop.

Com os rápidos desenvolvimentos nos materiais de penso e o aumento de complexidade e diversidade na escolha, torna-se importante para os profissionais um marco que sistematize em categorias os diversos produtos disponiveis, de forma a mais fácilmete sabermos que gama de pensos são usados em determinados estadios do processo  cicatrização.

 

Foi ainda interessante a abordagem da Conferência - Feridas de difícil cicatrização: opções terapêuticas onde Martin Koshnik (DGFW- Associação Alemã de Tratamentos de Feridas), apresentou uma sistematização das opções em cirurgia plástica para feridas de dificil cicatrização, e onde alertou para a utilização de meias elasticas de compressão no pós-operatório de excerto, e ainda a utilização de terapia por pressão negativa como forma de aumentar o afluxo sanguíneo em feridas com caracteristicas particulares.

 

Ficamos á espera de novos eventos organizados pelo GAIF, e com o desejo que tenha pelo menos a mesma qualidade que este teve.

 

Ler 4200 vezes